MENU

Monday, 22 de September de 2008 - 16:06Gira mondo, Imprensa

GIRA MONDO, GIRA

SÃO PAULO (de volta) – Quando vi a capa da indigitada no sábado, no aeroporto de Porto Alegre, não sabia se ria ou invadia a livraria para empastelar tudo. Não fiz nem uma coisa, nem outra. E ainda bem que tem gente como o Luiz Carlos Azenha que escreve sobre o tema (dica do Pandini) com propriedade e bom-senso.

Porque na minha tosquice, ou tosqueira, sei lá como se fala isso, sou incapaz de tanta gentileza no trato de tamanha estupidez jornalística. Quer dizer que o governo dos EUA, ao estatizar sua economia mais do que qualquer nação estatizante do mundo nos últimos dois mil anos, me salvou?

Me salvou do quê, exatamente? Não tenho hipotecas nos EUA, nem ações na Bolsa, nem apólices de seguro da AIG, nem porra nenhuma. Não tenho nada a ver com isso. Quero que os americanos se afoguem em seus carnês e em sua sanha consumista, caguei e andei para seus cartões de crédito. Os caras que criaram isso, eles que se virem.

Aí vem essa revista chinfrim para dizer que fui salvo por essa imagem patética apontando o dedo para mim? Eu sugeriria que eles enfiassem o dedo num lugar bem específico, mas prefiro ficar quieto.

134 comentários

  1. Fernando says:

    flavio, viu a capa da carta capital dessa semana? vale a pena, hahaha.

  2. Dick Cheney says:

    Flávio, desculpe-me por entrar nessa discussão um pouco tarde, mas achei ótima sua estupefação quanto à ridícula matéria daquela revista semanal.
    Quando leio aquela publicação acho que os caras que lá escrevem devem morar nos EUA ou então recebem algum por fora dos gringos. Impressionante como eles defendem mais os interesses dos EUA em detrimento dos interesses do Brasil, mas isso é outra história.
    Parabéns, sou seu fã.

  3. Azael Júnior says:

    DIZER MAIS O QUE, JÁ DISSE TUDO!!!!!!!

  4. quickbr says:

    Concordância em gênero, numero e grau. Lembramos que no golpe de 64 os EUA tinham uma tropa no Brasil para garantir o golpe caso os “nossos” militares não conseguissem. Vinte (20) anos de atraso direto e forçado não é pouco, dai somos obrigados a ver essa P… nas nossas bancas de revista. Como diz a gurizada “ninguém merece”.

  5. Pequena says:

    Agora que conheceu o Ricardo Gualda e já viraram “amigos”, boa sorte para os próximos encontros…vc ainda vai aprender bastante sobre política com ele, pode esperar… ah! e ele vai continuar a aprender com vc sobre F1, que coisa mais interessante, não??? Eu ainda arriscaria dizer que essas discussões serão bem atraentes para seus leitores…como já estão sendo.

    Até.

  6. eduardo says:

    E por que só publica os do Ricardo Gualda te detonando? para ele virar saco de pancada?

    RESPOSTA DO FG:

    É.

  7. Antonio José says:

    Senhores Doutores em Economia, sou idealista sim, e daí? Tenho nojo dessa insistente preocupação com os subsídios que poderão nos faltar dos Gringos. Não ignoro as dificuldades que isso trará aos seus (eu disse, seus) bolsos e créditos, mas tenho o dever consciente, patriótico e digno de pensar na autonomia dos povos Latinos. Até quando vamos persistir no vício da dependência? CHEGA! Chega de mamar, literalmente, nesses merdas! Tenho falado no sonho da União Latino Americana, que seria a melhor e definitiva saída para nós, mesmo a custa de sacrifícios faraônicos. Mas, não foi assim que muitos se tornaram grandes historicamente? Ou vocês preferem continuar ‘de quatro’, desde que não lhes tirem os feriados, futebol e carnaval?

  8. Muller says:

    Com certeza afetará SIM a nossa economia e o nosso bolso.
    O engraçado é como o povo aqui dá uma no cravo, e outra na ferradura.

    A discussão foi contralizada no “sim vai nos afetar” versus “a crise foi uma jogada de ação do governo sobre a economia”.
    Ou seja, um diálogo de surdos.
    Ambos estão certos, mas não enxergaram com a visão ampla dos fatos.

    1 – Não li a matéria, mas é fato que a jogada foi especular pesadamente em cima da própria recuperação via “socorro dos co-irmãos” e ganhar bastante com a rolagem da dívida interna pública. Emitir dólares e jorrá-los pelo mundo afora é que faz a economia norte-americana (ainda) ser imbatível. Eles jogaram sujo, e irão jogar empre que puderem. Quando não, podem ter certeza quem vem invasão do Irã por aí…

    2 – Não há como não perceber o quão ferozmente isso vai (ou, no caso, iria) nos afetar. Ao se voltarem para as suas economias, principalmente os ingleses, que tem suas econoimas quase que totalmente baseadas em bancos (ou vcs acham que só whisky e a Rover que mantém aquilo ali?), iriam sobrar dólares à rodo. Que, obviamente, iriam voltar como agua pro ralo de volta pros EUA. Uma coisa é gerar inflação no mundo todo emitindo moeda de referencia; outra é um país só sofrer as consequências. Todos quebrariam em sequencia com suas dívidas públicas, e o Brasil não se salvaria de forma alguma.

    Enfim… pontos 1 e 2 corretos. Vamos discutir se dará certo uma corrida noturna na F1?

  9. Ricardo Gualda says:

    Daniel, faço minhas suas palavras.

    Até que enfim!

  10. Daniel says:

    Quando o Gomes se mete a falar sobre política, soa como um jovem que ainda não saiu do colegial.

    Sérgio, você disse tudo, até deixei de ler os demais comentários. Espero que o Gomes tenha entendido o que você disse.

    Infelizmente, neste blog as discussões são muitas vezes infantilóides. O mundo, aqui, parece uma grande disputa entre esquerda e direita, Veja e Carta Capital, Azenha e Reinaldo Azevedo, PSDB e PT, Senna e Piquet, Massa e Barrichello, Corinthians e Palmeiras, etc.

    Todas as discussões são feitas sobre essa ótica, o mundo é dividido em dois lados, como naqueles bailes funk, e temos que escolher um deles e defendê-lo incondicionalmente.

    Para isso, prefiro ver novela. Nas novelas é que temos pessoas totalmente boas e totalmente más. Heróis e Vilões. Mas no mundo real as coisas não são assim tão simples.

    Não importa qual seja a razão. Aqui, os vilões serão sempre vilões. Os EUA, a Globo, Galvão, Barrichello, Veja, o PSDB…

    Gomes, apenas uma informação: essa quebradeira nos EUA pode influenciar fortemente o mercado de crédito. Crédito que está ajudando pessoas das classes menos favorecidas a comprar carro e casa aqui no Brasil.

    Você pode não ter ações na Bolsa e não precisar de crédito para comprar seu Subaru azul ou qualquer outra porcaria, mas tem gente que sonha em comprar o primeiro celtinha sem ar nem direção em 72 vezes e pode ter o sonho adiado pela simples falta de crédito.

  11. Nilton lopes says:

    Um cara com seu cachorro passam por minha calçada, o cachorro faz cocô na mesma, o dono pega o saquinho, limpa e toca a campainha e me diz: Ó, te fiz um favor, limpei a merda que meu cachorro fez, te salvei de pisar nela, se sujar o seu sapato, imagina se você entra no seu carro ou sua casa assim. E se escorregasse na merda do meu cachorro e batesse a cabeça no chão, o que seria. Ainda bem que fiz o favor de limpar a merda que o meu cão fez na sua calçada, salvei seu dia, sou um herói. Como é que se fala agora? Ande, me agradeça.

    É quase isso, e tem gente que ainda justifica a capa da Veja dizendo que se não fossem o o tiozinho a economia brasileira, mundial iria para o buraco. Ok, iria, mas não é possível que tem gente tão tacanha que os achem salvadores, meu Deus!
    Quem faz merda tem que limpar e pedir desculpa, não está salvando Bolsa porra nenhuma, tá é consertando cagada e pronto!
    Se a capa fosse o tiozinho de pazinha na mão limpando cocô na calçada, “Desculpa aí, tô limpando”, receberia aplausos.

  12. Arthur says:

    Caro Flávio,

    No começo, discordava de você a respeito de sua ogeriza à revista Veja. Porém, seus comentários me chamaram à reflexão, me levando a analisar a linha editorial da publicação. Vejo que tinha – e tem – razão. Qualquer revista que erige Daniel Dantas a mártir do estado “policialesco” e Gilmar Mendes a defensor de vítimas do arbítrio estatal não merece crédito algum. Alinha-se à Veja, infelizmente, a maior parte da imprensa nacional, que um dia, ingenuamente, pensei que fosse isenta.

  13. Luiz says:

    A terceira revista do mundo “Chinfrim”?
    Que despeito!!!

  14. Luiz Guima says:

    Obrigado pela resposta. Entendi sua posição. Relí o comentário dele e, realmente, você foi ofendido. Só que continuo achando que você poderia exercer seu legítimo direito, sem se nivelar no palavreado a quem te ofendeu.

  15. Luiz Guima says:

    Flávio, respeito e muito, suas opiniões e posições quanto ao automobilismo. Respeito, mais ainda, seu direito de se pronunciar sobre qualquer assunto. Mas acho que você não deve e não pode faltar-se ao respeito, quando ofende um blogueiro que se contrapõe ás suas posições (quer no campo automobilístico ou em qualquer outro). Refiro-me à sua resposta ao Ricardo Gualda, mandando-o “à m****. Acho que faltou, no caso, uma “auto-moderação”.
    Abraços.

    RESPOSTA DO FG:

    Não foi o primeiro, e não será o último. Não dou a ninguém o direito de vir aqui me ofender. Leia o comentário dele e você entenderá.

  16. Concordo em tudo e só faria uma correção.: os caras são também americanos, porém, neste caso sei que você está se referindo à parcela estadunidense dos americanos.

  17. mp4.87 says:

    Boa Gomes. Muito boa.

  18. Gustavo Soares says:

    Boa! Foi a mesma coisa que eu pensei quando vi a revista no supermercado… eles fizeram a merda que limpem… é como se a VW lança um carro que corta os dedos das pessoas e depois faz um recall… aí vem a 4R(pra ficar no grupo abril) e coloca na capa… agradeça a VW por ter te salvado!!!
    Pior é que essa revista nem é feita com um papel macio… assim pelo menos ia ter alguma utilidade…

  19. Edgar says:

    È isso ainda vende…
    como é que pode.

  20. Ubaldir jr. says:

    Essa discução de “produto jornalístico legítimo” chega a ser risível. Me mostrem onde existe um produto jornalístico legítimo e eu darei o braço a torcer. Algumas pessoas ainda não entenderam que o que existe são meios de imprensa que se alinham com sua opinião ou não. Quem tem o viés de esquerda abomina Veja. Quem tem o viés de centro-direita encontra naquela publicação opiniões que se alinham com as suas. Qual é certa ou errada? Nenhuma das duas, muito provavelmente.
    A única diferença entre as pessoas que se dizem de esquerda e as que se dizem de çentro, é que as primeiras tendem a ser um tanto quanto agressivas quando vêem suas opiniões confrontadas. Uma amostra perfeita disso está nos posts acima. Nisso, a extrema esquerda e a extrema direita são incrivelmente iguais.
    Revistas e jornais são feitas por Gente galera. E onde tem gente, o que se tem é opinião disfarçada de notícia.
    “A história é nada mais que a versão dos fatos contada pelos vencedores”.
    Abraços a todos.

  21. babla says:

    por essas e por outras que tem aquele provérbio: LEU NA VEJA? PROBLEMA É TEU!!

  22. Auricchio says:

    Flávio.
    Você é o cara!
    Como é duro ‘ver’ a ‘Oia’ e ter que aceitá-la como um dos principais ‘meios de comunicação’ do país.
    PNC dos sobrinhos do Tio Sam, uma hora a casa ia cair……
    Mudando completamente, a Lusinha vai se salvar?
    Estamos torcendo……
    Verdão campeão e fuck off americans motherfuckres!!!!!
    Saudações e boa noite…

  23. Beto Albuquerque says:

    Alguém leu a reportagem?? 104 comentários sobre a “capa” de uma reportagem que ninguém leu…..

  24. Ricardo Gualda says:

    Flávio, acho interessante o fato de vc publicar comentários que te enalteçam e evitar os comentários que te questionem. O blog é seu, de fato, mas seria no mínimo coerente dar voz ao pessoal que discorda de vc, polidamente.

    Tem muita gente que escreveu concordando comigo e vc recusou. Porque? Será que se vc começar a escrever só sobre política seu blog vai dar uma esvaziada? Acho muito provável, apesar de sua censura aos comentários camuflar isso.

    Triste.

    RESPOSTA DO FG:

    Não foi embora ainda?

  25. Nilton says:

    Olha, posso até estar enganado, mas na minha opinião esse dedo em riste não é para os brasileiros… Trata-se de uma sátira a uma ilustração famosa da época da guerra em que o Tio Sam aparece dizendo algo do tipo “I WANT YOU”, ou seja, “EU QUERO VOCÊ”… Trata-se de uma caricatura muito conhecida pelos americanos, e voltada aos americanos, convocando-os a se alistarem para a guerra… Talvez não deve-se estar na capa de uma revista brasileira, afinal um brasileiro não precisa saber de tudo isto, e pode perfeitamente, como aconteceu, achar que o dedo em riste é para ele, hehehe…

  26. MSM says:

    E ainda tem gente que assina essa vergonha. Os EUA fizeram e fazem tanto mal a vários países, são uns verdadeiros sanguessugas, a política deles é predadora. Ainda bem que estão levando um susto e tomara que melhore a sua política em relação a os outros países.

  27. Mauricio Camargo says:

    Flávio, tive a mesmíssima sensação que você. Quando olhei a capa pensei “E o kiko?” O que é que eu tenho a ver com isso????

    Mauricio Camargo

  28. Roberto says:

    Corrigindo o PIB a valores de hoje.
    1,7 trilhões de dolares

  29. Roberto says:

    Em resposta ao Sr. The Quiet Storm.
    Visão tosca?
    Talvez você não tenha entendido meu post.
    Eu não comento a economia dos USA porque não sou do Federal Reserve.
    Posso opinar sobre a economia brasileira a qual tenho relativo conhecimento. E olhe que conheço a economia americana.
    Então a minha opnião tosca não é embrenhada de vicios ideológicos. Eu não sou político, sou técnico.
    Com relação a economia americana não cabe a mim comentar.
    Só sei que as caga… deles refletem no mundo todo.
    Nós temos um PIB de 1,1 trilhão de dolares, eles tem 14,4 trilhões.
    O socorro deles foi de apenas 700 bilhões (3,5 vezes as nossas reservas).
    Deve ser alucinação minha.
    Eu devo ser realmente tosco mesmo.

    Abraços do amigo tosco.

  30. Muchacho says:

    E essa merda ainda vende mais de 1 milhão de exemplares !!!! como tem trouxa nesse mundo !!!

    abraços, muchacho

  31. Rubem R. Gonzalez says:

    YUHUUUUU!!!!!!!!!!!! DESCULPA AS LETRAS DE CAIXA ALTA, FLÁVIO, SEI QUE VOCÊ NÃO GOSTA POIS PARECE QUE ESTAMOS GRITANDO, MAS ESTOU GRITANDO MESMO!!!!!! LENDO TODAS AS OPINIÕES , PRINCIPALMENTE AS MAIS COERENTES É O FIM DO IMPÉRIO YANQUE, quis imitar o império romano que durou quase 2000 anos e vai durar apenas 30 ( só conta de 90 para cá, quando aquele traidor de cabeça manchada acabou com a antiga URSS, nem o nome dele vou citar, não é digno para isso, agente da CIA infiltrado) QUE VENHA LOGO ESSA CRISE PREVIDENCIÁRIA!!!!!!!!!!!!

  32. Rufus says:

    Metade da receita vem de bancos.
    As vezes um deles, os bancos, nos dão a revistinha por alguns meses gratuitamente. Eles devem achar que seremos seduzidos pelas ofertas de cartão de crédito que levam mais de 5% dos estabelecimentos. Mais de 3% se for só débito: zaap, já era. Nos EUA é 0,8% no max. Bem, nesses períodos que recebemos a revista, depois de gastar 2 min lendo o que tem de razoável, vai para o quartinho: é ótima para catar caca do cachorro.
    Sorte mesmo têm os governistas com uma revista dessa tendo feito papel de oposição como fez. Talvez sejam governistas geniais…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *