BRASÍLIA, 50 (11)

SÃO PAULO (amém) – A Catedral, ainda em construção. Só da cabeça de alguém como Niemeyer, mesmo, dá para sair uma igreja de uma estrutura dessas. É a sequência de nossa celebração dos 50 anos de Brasília, uma das cidades mais incríveis do mundo. Até dia 21, dia do aniversário, vamos pingando nossas pequenas homenagens aqui. Mas, insisto, o melhor de tudo é ler as declarações de amor dos blogueiros candangos.

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Orlando Salomone
Orlando Salomone
12 anos atrás

Fantástico.

Cristiano Azevedo
Cristiano Azevedo
12 anos atrás

Eu tenho dó é dos engenheiros.

Gustavo Mello
Gustavo Mello
12 anos atrás

Moro na Asa Norte em Brasília.

Marcelo
Marcelo
12 anos atrás

Coitado do engenheiro que teve que executar a obra!

miolo
miolo
12 anos atrás

“vale a pena destacar também a espiritual, já que a entrada se dá por um tunel – a nave da catedral fica num nível abaixo do piso – totalmente revestido de preto, piso paredes e teto, que nos leva a um ambiente totalmente inundado pela luz. Não sou religioso mas essa experiência é fantástica.”

Niemeyer transformou a sua arquitetura em arte. Simplesmente magnífico.

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
12 anos atrás

Gustavo Mello,

Você mora aonde?
Desculpe pela indiscrição.

Vanusa
Vanusa
12 anos atrás

Sou amazonense, mas tenho um carinho absurdo por essa cidade candanga. Engraçado: só estive lá uma única vez na vida, por quase duas semanas. E hoje estudo para ser funcionária federal lá. Parabéns Brasília!!

Gustavo Mello
Gustavo Mello
12 anos atrás

15°55’55.57″S 47°58’46.28″W – recortar e copiar no googleearth

Quando eu passar por lá vou tentar tirar umas fotos.

Gustavo Mello
Gustavo Mello
12 anos atrás

15°47’54.33″S 47°52’31.56″W (recortar e colar no google earth se quiser conhecer melhor)

Para mim essa é a obra-prima de Niemeyer. Além da concepção estética e estrutural já mencionada aqui por outros blogueiros, vale a pena destacar também a espiritual, já que a entrada se dá por um tunel – a nave da catedral fica num nível abaixo do piso – totalmente revestido de preto, piso paredes e teto, que nos leva a um ambiente totalmente inundado pela luz. Não sou religioso mas essa experiência é fantástica.

Quanto aos vitrais, eu preferia quando era só vidro e podíamos ver o céu de Brasília, já elogiado aqui, merecidamente, tantas vezes.

Gustavo Mello

Gustavo Mello
Gustavo Mello
Reply to  Gustavo Mello
12 anos atrás

Ah sim, o efeito descrito pelo Tiago Viegas é verdadeiro, já experimentei e levei vários visitantes para impressioná-los. Funciona.

Tiago Viegas
Tiago Viegas
12 anos atrás

Um detalhe curioso sobre a acústica provocada pelas paredes internas da Catedral.

A parede circular e côncava, seccionada em quatro partes, que cerca todo o pátio, permite que duas pessoas possam conversar à distância se estiverem um em cada ponta e com a cabeça próxima a parede!

Eu mesmo fiz e fiquei boquiaberto! Quem tiver tempo e quiser fazer o teste vai se surpreender.

Vá até uma das pontas da perede e encoste-se nela de modo que fique com a cabeça e o ouvido próximos à superfície côncava, a pouco menos da largura de uma mão de distância. Peça para um amigo fazer o mesmo na outra ponta dessa secção de parede. Então, comece a falar no tom baixo, como se quisesse conversar com alguém que está do seu lado na hora da missa ou de um culto e… Voilá! É perfeitamente audível! Assim duas pessoas podem conversar perfeitamente e sem incomodar ninguém mesmo durante uma solenidade.

A distância entre as duas extremidades de secção é grande, talvez 50 metros de comprimento.

Ainda não descobri se isso foi planejado ou não, mas é algo inacreditável.

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
12 anos atrás

Até o início da década de 80, alguns moradores fizeram algumas construções estranhas. No Park Way, quase em frente ao posto da Polícia Rodoviária, existem umas 3 tendas de indios americanos em tijolo que o sujeito construiu para os filhos dele brincarem.
E fica a uns 2 km do Catetinho
Será que alguem que mora ou passa ali na BR 040 consegue uma foto?

Dynastes Neves Marinho
Dynastes Neves Marinho
12 anos atrás

Fala FG,

Em tempo , um pouco de história sobre Brasília. Estudei todas as estradas antigas da região
Tudo começou por uma estrada .. segue um resumo :

Um Resumo da história da Estrada Geral dos Sertões

1) A Estrada Geral do Sertão foi aberta em 1736, por ordem do rei de Portugual, com, aproximadamente, 3 mil quilômetros de extensão, ligando o Nordeste brasileiro ao extremo Oeste, na divisa com a Bolívia

2) Dom Luis da Cunha Menezes, saiu da Bahia no lombo de burros em direção ao que é hoje Mato Grosso. Em 1749, conhecemos o que foi o relato desta viagem como: “A Jornada a Góias de Luís da Cunha Menezes, desde Salvador”

3) Francesco Tossi Lombardi (1746 e 1751), explorador geógrafo, cartógrafo e engenheiro militar italiano no Brasil no século XVII foi contratado para fazer o primeiro mapa da região. O mapa foi identificado no livro de Ricardo Fontana: pesquisa histórica sobre a interiorização da capital do Brasil feita por Franscesco Tosi em 1746 e 1751.

4) A estrada de chão servia de caminho para comerciantes do século 18, mineradores, bandeirantes e autoridades, que iam do Oceano Atlântico até as fronteiras do Brasil, na divisa com a Bolívia, onde Portugal e Espanha haviam fixado novos limites por meio do Tratado de Madri, em 1750. (Português foi esperto !!! Ganhamos o centro-oeste, pantanal e Amazônia nessa jogada)

5) Relatório Cruls – Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil – Luiz Cruls
Em 1892, o Presidente Floriano Peixoto instituiu a Comissão Exploradora do Planalto Central, a fim de demarcar o local onde seria construída a futura capital do País. O relatório sobre a expedição realizada, denominado Relatório Cruls, do nome de seu autor, Luiz Cruls, constitui, além da mais completa reportagem sobre o Planalto Central, o primeiro Relatório de Impacto Ambiental (Rima) de nossa história. Seu autor é o engenheiro e geógrafo belga que veio para o Brasil no segundo quartel do século XIX, e que deu grande contribuição na área da cartografia e da astronomia em nosso País.

6) Relatório Belcher
Os estudos realizados pela firma de Donald Belcher abrangiam uma área bastante extensa do Planalto Central – 52.000 km2 – que compunham o Retângulo Belcher, envolvendo grande parte de Goiás (desde o Quadrilátero Cruls até regiões de Goiânia e Anápolis) e parte do território de Minas Gerais (envolvendo a cidade de Unaí). Os trabalhos abrangeram análises de clima, topografia, paisagem, facilidade de abastecimento d’água, material de construção, energia elétrica, constituição do solo e drenagem.
Os estudos foram concluídos em 1955. Belcher indica, dentro da grande área proposta, cinco sítios (Castanho, Azul, Verde, Vermelho e Amarelo), cada um com mil quilômetros quadrados. Estudos específicos foram realizados nos cinco sítios, destacando a preocupação de permitir a maior flexibilidade possível ao projeto de construção de uma cidade e com o objetivo de prover dados suficientes para a escolha correta do local, onde a futura capital deveria ser erguida.

7) JK – 1960
A capital é inaugurada e segundo relatos JK renomeou a estrada Geral dos Sertões como estrada de Intregação Nacional… Depois vieram as BR e começa outra história. Hoje sabemos que parte da Estrada Geral dos Sertões foi desativada por causa da BR 020. Mas a estrada geral serviu de referência para a construção da mesma.

8) Paulo Bertran
http://www.paulobertran.com.br/bertran/index.php
Principal contribuição para o Planalto Central o livro : História da Terra e do Homem no Planalto Central
Conta o relato do Dom Luís da Cunha Menezes e toda essa história que aconteceu.
Escreveu vários livros que influenciou por exemplo o livro que temos sobre a Estrada Colonial do Planalto Central, hoje já publicado, inclusive com a rota que iremos fazer

9) Chapada da Contagem
Toda essa galera passou por um ponto comum e conhecido na região de Brasília e aonde a Estrada Geral dos Sertões passa. Hoje ainda existe uma fazenda que retrata em forma de museo colonial toda a saga da Expedição Cruls. E por que o nome da Contagem ? Era aonde a colonial portuguesa recolhia os “impostos” e “taxas” das mercadorias e pedras preciosas retiradas de Góias e Minas. Todos que vinham do norte e sul , passavam pela contagem.. e aonde os portuguesas “contavam” seus impostos e taxas recolhidas.

De qualquer forma !!
Viva Brasília, cidade que escolhi para criar meus filhos
E isso foi há 26 anos atrás.

Abraços

Dynastes N. Marinho

Rodrigo Font
Rodrigo Font
12 anos atrás

Ela tem o formato de duas mãos em posição de oração (com as palmas próximas e os dedos,encostados…)

Lembro-=me,qdo criança..com uns 4-5 anos, fui com minha famailia assisitir uma missa de domingo…pois bem….as paredes são curvas,ou seja,nao há os 90 graus entre a parede e o chao….como nao tinha paciencia para assisitir a missa, comecei subir,parcialmente,e escorregar pelas paredes….rs….até o padre interromper a missa e perguntar quem era o pai daquele menininho da parede…heheheehehe

PedroS
PedroS
12 anos atrás

O mais impressionante da história da construção de Brasília, é a dos pioneiros anônimos, como o Joaquim Cardoso, um verdadeiro gênio que pouca gente ouviu falar, mas pergunto prá qualquer estudante de engenharia como é a dificuldade de se fazer um cálculo desses, mesmo nos dias de hoje. Como sempre, Brasília impressionando a todos quando se fala de sua história.

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
12 anos atrás

A Catedral é única. Combina a modernidade do concreto armado com a tradição católica dos vitrais.
E a igrejinha, na 108 sul. Essa mais simples, mas igualmente projetada por Niemeyer. Fica atrás da Escola Parque da 308 sul. Merecia um post também.
E menos badalada, existe o Templo da Boa Vontada, da LBV na 915 sul. Fica aberto a noite toda a visitação e o ambiente convida a refletir.

Lucifer
Lucifer
12 anos atrás

Joaquim Cardoso,calculista e poeta. Fica mais fácil entender o desafio de calcular com “régua” Arquimedes.Nem computador ,tampouco calculadora existiam à época.

Moncho
Moncho
Reply to  Lucifer
12 anos atrás

Muito menos em Roma ou no Egito havia eletronica. Mas nos 50’s havia algo raro hoje em dia: escola de qualidade. Tabuada, fração, porcentagem, álgebra, geometria, trigonometria, cáculo integral, infinitesimal. Tudo isso a seu momento e sob a batuta de professores de nível, com autoridade garantida pela hierarquia e eliminação de pupilos vagabundos ou renitentes através da lógica simples do mérito. Não aprendeu, bye bye, ceda o lugar a quem se esforça.

Ubaldir Jr.
Ubaldir Jr.
12 anos atrás

As formas da Catedral e de todos os outros imponentes marcos arquitetônicos de Brasília saíram da cabeça de Niemeyer. Mas tudo foi colocado “de pé” por um dos mais injustiçados homens da história da capital federal: o engenheiro Joaquim Maria Moreira Cardoso. Quem entende um pouco do ofício da engenharia sabe apreciar o trabalho deste brasileiro. Se considerarmos então que as obras foram concebidas a mais de 50 anos, nem se fala. Olhando a Catedral assim, ainda em construção, é mais impressionante ainda. Um show de cálculo estrutural. O que seria de Oscar se não fosse esse gênio tornando realidade as formas que saíam de sua mente…

wilbor
wilbor
Reply to  Ubaldir Jr.
12 anos atrás

Legal, Ubaldir! Sou engenheiro civil (imagino que você também), e não conhecia todas suas histórias. Sempre achei que o responsável tinha sido o Sussekind.

E pior que isso me deixa até com uma certa “raiva” do Niemeyer, o fato dele ter praticamente todo o crédito pelas suas obras. Não tiro seus méritos pela sua genialidade, mas há um grande erro em não dar crédito para quem definitivamente tornou sua genialidade uma realidade, de tirar do papel tudo o que ele imaginou.

arnaldo
arnaldo
12 anos atrás

sempre lembrando que nossa capital federal não so´ teve a mão do glorioso Oscar Niemeyer assim como Dr.Lucio Costa.sempre escutei duas versões sobre sua construção;que J.K. alavancou o grande progresso com a execução de Brasilia .a segunda versão que teve um grande descontrole de gastos,etc,sobre as vistas grossas de J.K.

Moncho
Moncho
Reply to  arnaldo
12 anos atrás

Acredite nas duas versões. Brasília desenhou o Brasil novo, tanto quanto sua dívida externa. Essa que vimos pagando desde então para que o mérito de enfim honrá-la fosse surrupiado por outro presidente – este, não bossa-nova, mas mais para forró…

Henrique Pinheiro
12 anos atrás

Não sei até que ponto a história procede, Flávio, mas reza a lenda que a Catedral de Brasília não foi consebida para ser uma igreja católica, mas sim para ser um espaço ecumênico, um símbolo das mais diversas manifestações de fé, onde todas as crenças seriam igualmente abraçadas.

Mas no Brasil “laico”, não é bem assim que a banda toca…

Henrique Pinheiro
Reply to  Henrique Pinheiro
12 anos atrás

conSebida doeu até aqui… malz ae! ;p

#Typo

Moncho
Moncho
Reply to  Henrique Pinheiro
12 anos atrás

Ainda que ecumênica, não seria acaso carente de laicismo, tendo-se em vista que nem todos “abraçam” crenças ou “manifestam” qualquer fé?

PH di BH
PH di BH
12 anos atrás

Agora sim! Qdo me falam que Brasilia é linda, isso e aquilo, a minha resposta é: “Bonito ali é a igreja do Niemeyer!” Realmente, a igreja é uma beleza…beleza mesmo.
E quarta feira q vem…dia de luto!

Lucius
Lucius
12 anos atrás

Se não estou enganado, era pra ser um templo ecumênico.

victor dariano
victor dariano
12 anos atrás

e a estrutura é muito interessante. tive uma aula da faculdade de arquitetura so sobre como essa estrutura para de pé…realmente impressionante…alias
palmas para niemeyer e seus engenheiros calculistas

Venax
Venax
12 anos atrás

E sem duvida a obra mais bonita de Niemeyer. Não deixa de ser intrigante como um ateu convicto projeta uma igreja como essa. Mas como sempre as obras dele deixam a desejar na questão da funcionalidade, o eco é tão grande que escutar a missa a mais de 10 metros do Padre é um desafio. Por ser uma igreja longe de tudo e praticamente nenhum estacionamento é pouco frequentada pela população servindo mais para os turistas que se encantam sendo mais visitada que qualquer outro ponto turistico da cidade.

wilbor
wilbor
12 anos atrás

Não sei o que é mais difícil, se criar a Catedral, ou calcular cada um dos seus pilares, a 50 anos atrás, quando uma calculadora com raíz quadrada era uma raridade…

Lucius
Lucius
Reply to  wilbor
12 anos atrás

Quem trabalhou como calculista de muita das suas obras foi o José Carlos Sussekind. Não sei se foi ele quem fez o cálculo da igreja.

Ubaldir Jr.
Ubaldir Jr.
Reply to  wilbor
12 anos atrás

Na época nem calculadora de + e -, meus caros. Era régua de cálculo mesmo. E o homem por trás da engenharia das obras de Brasília é o engenheiro Joaquim Cardoso. Impressionante como seu nome é praticamente desconhecido de todos os brasileiros. Mesmo no exterior, sua obra é mais admirada que aqui. Esse engenheiro era como “carne e unha” com Niemeyer até os anos 70. Entretanto, um acidente ocorrido durante as obras do Pavilhão da Gameleira em BH, onde um desabamento provocou a morte de vários operários, obra concebida por Niemeyer e com projeto estrutural de Joaquim, acabou com a carreira desse verdadeiro gênio brasileiro. Foram anos e anos de acusações contra ele, que acabou por entrar em estado de completa depressão, sem nunca mais se reerguer, apesar dos esforços de Niemeyer, seu amigo particular. Anos depois ficou provado que nunca houve erro em seus cálculos, e que a queda do Pavilhão Gameleira se deu por outros motivos. É o Brasili tratando bem seus notáveis, como é regra.
Ah, a tempo: Sussekind, nome totalmente conhecido de qualquer estudante de engenharia (os livros de teoria das estruturas mais utilizados nas faculdades são de autoria dele), substituiu Joaquim como engenheiro por trás da maioria das obras de Niemeyer.

Luis Albertyn
Luis Albertyn
Reply to  wilbor
12 anos atrás

Pra mim, o calculista do Niemeyer sempre foi tão genial quanto ele…

Moncho
Moncho
12 anos atrás

Onde se reunirem em meu nome, lá eu estarei…

Quando gurí, escoteiro, segui missa debaixo de sibipiruna, no meio do cerrado. Ainda que os preceitos da Santa Madre não me tenham convencido…

Gustavo Rocha
Gustavo Rocha
12 anos atrás

Essa Catedral é realmente impressionante, e olhem que Niemeyer é convictamente ateu.

Detalhe que até 1988 ela era no concreto exposto, só a partir daí a estrutura passou a ser pintada de branco.

Sem falar nos vitrais maravilhosos. A catedral está em reforma e está ficando ainda mais bonita.

Rafael Mundim
Rafael Mundim
12 anos atrás

Muito boa esta foto, ao fundo só mato. Hoje aquela região ali atrás tem os Anexos dos Ministérios, Setor de Embaixadas(quadras 800), Setor de Clubes Sul.