BRASÍLIA, 50 (5)

SÃO PAULO (beleza pura) – Desconfio que o entorno (e o interno…) do Congresso Nacional esteja um pouco diferente. Não sei exatamente de quando é a foto, certamente início da década de 60. As linhas de Niemeyer no auge de sua exuberância.

Subscribe
Notify of
guest
46 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
sergio
sergio
12 anos atrás

O que não mudou muito é a podridão que vem daí….

Leonardo
Leonardo
12 anos atrás

Um detalhe que só pude perceber quando vi o Congresso pessoalmente é que os dois prédios não ficam exatamente no meio dos “pratos”. Pela TV só via pela frente.

Moncho
Moncho
12 anos atrás

Aquela manchinha negra às 14:00 h, seria, acaso, um urubú – desfocado – circulando térmica sobre o emblemático palácio?…

Pedro Jungbluth
Pedro Jungbluth
12 anos atrás

Eu tenho que falar a verdade. Acho Niemeyer breguíssimo. Não consigo imaginar um prédio dele na Europa, pelo menos não com esse estilo, ele é teimoso e não evolui. Mas Brasília funcionou, afinal, é tudo dele ali, então as coisas combinam, fica algo bem moderno, etc. Moderno no sentido sessentista, deixo claro, pois acho que a definição de algo mais cutting edge de hj em dia passa longe do estilo dele.
O Museu do Olho, aqui em Curitiba, é de uma breguice, e construído sem noção prática, aquilo hj é um fumódromo de maconha toda noite, mesmo com muitos seguranças, a quantidade de cantinhos escuros que Oscar deixou por lá é assombrosa. Pra mim desing bom é forma X função, se tira a função da equação é o cúmulo do brega.
Pra mim chamar os prédios dele de lindos é como olhar pra roupa do Flcão e dizer “que elegante”.
prontofalei

gustavo giroti
gustavo giroti
12 anos atrás

pelo que observei no estilo dessas fotos com esses filtros, ressaltando certas cores, era be da moda dos final dos anos 60 (68 em diante) e começo dos anos 70….

Clébio Júnior
12 anos atrás

E repararam que o acesso ao estacionamento privativo do Senado ainda tá no barrão?

Em tempo: Já brinquei de esquibunda com papelão no granado do congresso, isso a caretice dos dias atuais não vai acabar.

Clébio Júnior
12 anos atrás

Ah, o entorno estar um pouco diferente foi um eufemismo daqueles. Só para constar:

– Anexo do Senado
– Mastro da Bandeira
– Panteão da Pátria
– Anexos do STF
– PGR (vulgo bolo de noiva)
– STJ
– TCU
– Anexo 4 da Câmara

Isso porque citei apenas da L4 pra cá. Pra lá ainda teria todo o Lago sul do outro lado do lago, a Ponte do Ror… ops. JK, o CCBB e todos os clubes que margeiam o acesso a ponte.

E é isso.

Clébio Júnior
12 anos atrás

É incrível como se fez de tudo para afastar o povo da utopia criada n.a década de 60.

Além de fecharem a rampa do congresso impedindo o povo de andar ali em cima, na época em que o presidente do congresso era o toninho malvadeza ele mandou fazer um espelho dágua na frente do congresso, no melhor estilo fosso de castelo medieval. Cujo objetivo era impedir que o povo chegasse perto do congresso quando houvesse manifestação.

Moncho
Moncho
Reply to  Clébio Júnior
12 anos atrás

Seja quem for que tomou a medida, tomou tarde. Qualquer prédio público nessas condições tem que ter proteção de algum modo. Não fosse o lago, seriam cercas, guardas, cameras. Não se esperaria deixar à mercê de todo tipo de malucos a segurança dos usuários, certo?

Não lembro qual palácio foi uma vez invadido por um doido pilotando um onibus(!). Só não causou mais danos porque ficou entalado pelo teto…

Aliás, mesmo em sendo caso de “manifestações”, seria um absurdo estarmos sujeitos a que qualquer grupelho descontente saísse de paus e pedras para cima da propriedade pública só porque representa aquilo que momentaneamente lhe desagrada. Veja que mesmo com laguinhos, algum tempo atrás uma horda tresloucada invadiu tudo aos berros, virou carros, destroçou estátuas, vidros e agrediu gravemente funcionários à tijoladas.

Não creio que o seu Zé, segurança que teve lesão cerebral no caso, tivesse algo a ver com as feituras e desmandos políticos de alguns dos senhores – eleitos pelo povo – que ali se encontram.

Henrique Valverde
Henrique Valverde
12 anos atrás

Hoje em dia a molecada fica aí perto do congresso tocando violão, comendo cachorro-quente, enchendo a cara e jogando conversa fora.

Rodrigo Font
Rodrigo Font
12 anos atrás

Reparem numa sutileza…..Nessa foto e ,caso for, coloque uma foto da fachada do Palácio do Planalto, não há os laguinhos artificiais que agora tem….Ou seja,fizeram isso, para se isolarem de possíveis mobilizações e protestos das sacanagens que os ocupantes dos referidos endereços praticam (não só os atuais,como os ocupantes anteriores)

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
Reply to  Rodrigo Font
12 anos atrás

O fosso foi construído pelo Collor, pq um ônibus da Viplan entrou no Palácio do Planalto, no final do governo Sarney.
Quem lembra disso?

Marcos Reis
Reply to  Rodrigo Font
12 anos atrás

Eu lembro.. Foi no Palácio da Alvorada!!!

Earth Dreams
Earth Dreams
12 anos atrás

Na boa, sem querer desmerecer o Niemeyer, eu não vejo nada de mais nisso aí tudo.

PH di BH
PH di BH
Reply to  Earth Dreams
12 anos atrás

To contigo! Meia bcca e nada funcional

Paulo
Paulo
Reply to  Earth Dreams
12 anos atrás

Se matem os dois então

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
Reply to  Earth Dreams
12 anos atrás

Pra deixar claro: Niemeyer projetou os prédios. Lúcio Costa fez o projeto urbanístico.
Realmente é diferente morar (e locomover) numa cidade planejada e fiel ao projeto. Antes de construir, foi tudo pensado para a destinação e o uso. É diferente pq as pessoas fazem o uso do espaço público em outras cidades de maneira desordenada. E quem tem o privilégio de morar e entender como funciona a nossa cidade, reclama da maneira de ser de outras cidades que não tiveram um plano urbanístico que (ainda) está sendo respeitado. Aproveitem o feriado do dia 21, e vistem Brasília com um olhar cosmopolita e procure entender o que é viver numa cidade com qualidade de vida e organização urbanística.

Carlos Pimenta
Carlos Pimenta
12 anos atrás

Uma vez li uma belíssima crônica onde falava que Brasilia tem sim comida típica, é o pastel com caldo de cana da rodoviária, todos os profissionais hoje com mais de 45 anos que nasceram ou cresceram em Brasília com certeza passavam pela rodoviária em direção a UNB, duros usando uma calça Lee ou Levis, camiseta hering branca, e com o dinheiro contado do onibus, e aproveitava e comia aquele pastel que naquela época se tornava um manjar dos deuses. Época dura viu. rsrsrs. Tempos dificis, exército na rua, tensão no ar. Ideais, vontades, e muita energia

PedroS
PedroS
12 anos atrás

Vixe. Essa é das antigas. Hoje quem lolhar do mesmo ângulo, vai ver muito mais coisas: o Panteão, a Pira, o STJ, o TCU, o Setor de Clubes, o Lago Sul apinhado de casas, e piscinas, e principalmente a belíssima imagem do mastro da bandeira Nacional. Eu sou mesmo um apaixonado por essa cidade maravilhosa. Agora prá completar, só falta você mandar uma foto do céu de Brasília, que é o mais bonito do Brasil.

Venax
Venax
12 anos atrás

A Praça dos três poderes está bem diferente. Além do Mastro da Bandeira que foi construido no início dos anos 70 ainda tem o Panteão da Pátria. Aqueles coqueiros ao lado do estacionamento e do laguinho hoje são enormes também.

nelson
nelson
12 anos atrás

Alem do mastro da Bandeira, foram construidos o anexo do Supremo Tribunal Federal a direita da foto, o Panteon e ao fundo atras do STF tem o predio da Procuradoria Geral da Uniao.

Luis Albertyn
Luis Albertyn
12 anos atrás

Quero ver vocês identificarem todos os carros.
Eu vi uma Kombi!

Gustavo Rocha
Gustavo Rocha
12 anos atrás

Até que o congresso não mudou muito nesse anos todos. Na frente, onde tem a rampa, existe hoje um espelho d’água.

Foi construído o Panteão da Pátria Tancredo Neves na praça dos três poderes, além do pombal (ou seria pombeiro?), no início todas as pombas eram brancas, agora são quase todas pretas!

Do lado direito do espelho d’água dá para ver as palmeiras ainda pequenininhas, hoje elas estão gigantescas. Uma das características mais marcantes de Brasília é a arborização.

em frente ao STF podemos ver um estacionamento vazio meio trangular que hoje vive abarrotado de carros.

Bela paisagem, o pôr-do-sol na praça dos três poderes é simplesmente fantástico!

Fabio Souza
Fabio Souza
12 anos atrás

Duvida para os arquitetos de plantao….o ultimo andar é um falso andar? Pois se for verdadeiro, aonde se encaixa a caixa d’agua e a casa de maquinas dos elevadores?

Bruno
Bruno
Reply to  Fabio Souza
12 anos atrás

Não sei te dizer se é regra, mas trabalho no ultimo andar de um desses prédios e não tem elevadores no ultimo andar. Nâo sei dizer exatamente o porque.

Ronaldo
Ronaldo
12 anos atrás

Nas laterais do Congresso, onde há as rampas de grama, a molecada adorava descer sentada no papelão.

Me disseram uma vez, não sei se é lenda ou se verdade, que o desenho do Congresso foi planejado de tal forma que no dia 21/04, quem está na plataforma da Rodoviária perceberá o sol nascendo exatamente entre os dois prédios do Congresso.

LBM
LBM
Reply to  Ronaldo
12 anos atrás

É verdade poderia ser chamado Brasiliahene. Vejam o Manhattanhenge (http://en.wikipedia.org/wiki/Manhattanhenge). Ocorre tamb´m em outras cidades…

Mellotone
Mellotone
12 anos atrás

Maravilhosa a série. Muito bacana mesmo a homenagem. Pena que algumas pessoas não deem o devido valor a nossa capital federal, uma das mais belas cidades do planeta.
Caro FG, sugiro fotos atuais também. A Brasília atual possui recantos espetaculares, como o Pontão do Lago Sul, a Ponte JK, Parque da Cidade.

Fabrício Martins
Fabrício Martins
12 anos atrás

Ali atrás do congresso, hoje há palmeiras enormes, acho que se prestarem atenção na foto vcs vão ver elas com jeito de recém plantadas.

Wesley
Wesley
12 anos atrás

Quem já pegou um pedaço de papelão e escorregou naquela grama ao lado do congresso quando ainda era moleque, levante a mão!!
\o_

Clébio Júnior
Reply to  Wesley
12 anos atrás

\o_ E não foi só lá não.

Gustavo Mello
Gustavo Mello
Reply to  Wesley
12 anos atrás

\o_ . Muito!!

E na época do collor quem frequantava aquele barzinho semi-enterrado carinhosamente apelidado de “buraco da Dinda”. \o_

almeida
almeida
12 anos atrás

Fico me perguntado pra que essas rampas se agora é proibido subir la. Quando criança subi inclusive nesse “prato” de cabeça pra baixo pra tirar foto.

Henrique Valverde
Henrique Valverde
Reply to  almeida
12 anos atrás

talvez seja fechado pq senão teria carro tentanto usar essa “laje” como estacionamento.

RG
RG
Reply to  almeida
12 anos atrás

Mas para que serve esta rampa se não há nenhuma entrada?

Eugene
Eugene
Reply to  almeida
12 anos atrás

Concordo em GNG. Niemayer como arquiteto era um grande escultor… Enviei um comentário assim mas o FG censurou pq falei que além de tudo ele ainda, com 100 anos não aprendeu que fidel come criancinhas.

Fulgêncio S. Jr.
Fulgêncio S. Jr.
Reply to  almeida
12 anos atrás

Também subi lá, com uns amigos,
nos idos de 1978 e nesse mesmo
dia escalei o Teatro Nacional.
Que loucura, mas valeu.

Heberson Haase Pinheiro
Heberson Haase Pinheiro
12 anos atrás

Flávio, boa noite!
Tem vídeos sobre a construção de Brasília, São Paulo e toda a indústria automobilística no:

http://www.dana.com.br/história.

Abraço!

Anderson
Anderson
12 anos atrás

Mais uma vez, reparem no céu: que pintura!

Tiago Viegas
Tiago Viegas
12 anos atrás

Agora a área atrás do STF está tomada pelos edifícios do STJ e da PGR. Próximo ao Lago construíram clubes e há também o Shopping Pier 21. A via L4 que aparece cortando o mato é hoje uma via larga, com três faixas em cada sentido, que levam ao final da Asa Norte em um sentido e no outro às cidades satélites Guará, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Taguatinga, Ceilândia, Park Way, Gama, Valparaíso e Luziânia. Perto das 18h há baita engarrafamento que se estende desde o Shopping mencionado ao viaduto próximo ao Park Shopping.

Um outro detalhe interessante de Brasília que pode se ver na foto é a cor da terra.

A cidade é muito bem arborizada, mas onde não há vegetação tem essa terra aí, bem avermelhada. Dizem que é por causa do ferro… Mas o que sei mesmo é que o solo é bastante ácido.

Na primeira vez que usei o Google Earth para achar Brasília foi no mínimo cômico. Olhei pro centro do mapa do Brasil e vi um ponto vermelho. Fui me aproximando e voilá: Brasília-DF! hehehe

Na pesquisa que fiz sobre a história de Brasília, mais especificamente da Cidade Libre, a terra da capital chamou a atenção dos repórteres da mídia internacional que em seus primeiros relatos chegaram a relatar que nesse “far west” acontecia o surgimento de um monumento no meio do nada. Outro jornalista observou a Cidade Livre e contou que entre os muitos homens que habitavam ali notou de atípico apenas um gato se espreguiçando em frente a uma loja de peixes e um cachorro da cor do caminho (lembrem-se da cor da terra…)

Mas voltando à foto e saindo da pesquisa, há algumas histórias bem cabeludas sobre o projeto da cidade que correm por aqui. Dizem que a Esplanada dos Ministérios tem estratégia militar. Reza a lenda que as pistas poderiam ser usadas para pousos de helicópteros. O Eixão seria utilizado para pouso de aviões, por isso não ter passarelas ou semáforos em sua extensão. O grande campo da Esplanada seria aproveitado para abrigar as tropas e os estacionamentos subterrâneos – existentes em vários prédios do Plano Piloto – serviriam como abrigo e proteção contra bombas.

É, Brasília e suas histórias… rs

Junior
Junior
12 anos atrás

Essa é antiga mesmo, nem o mastro da bandeira atrás do Congresso tinha ainda.

Bruno Reis
Bruno Reis
Reply to  Junior
12 anos atrás

Mastro da bandeira que causou muita polêmica na época, assim como a Ponte JK, que eu particurlamente não gosto…

Para mim, não combina com a cidade…

Abraço a todos!

Gustavo Mello
Gustavo Mello
12 anos atrás

Essa me lembrou, por causa do cerradão onde hoje é o lago sul (como bem percebeu o Aléssio), da época em que morei nesse bairro, na altura da QL 18. Eu tinha uns 8 ou 9 anos e, juntamente com meu irmão, brincava na obra de pavimentação da pista do Lago Sul, EPDB (estrada parque Dom Bosco), se não me engano. Nós gostávamos muito de passar por dentro da tubulação de águas pluviais já estava colocada embaixo do aterro para a passagem da pista. Ainda bem que por aqui não chove muito!!! Nessa época dava para criar as crianças com essa liberdade, nós íamos para essa obra, para a casa dos nossos vizinhos, andar de bicicleta na beira do lago, e muitas outras coisas, totalmente sozinhos, sem nenhum adulto. Muito bom.

15°47’59.21″S 47°51’49.08″W

Recortar e colar no googleearth para quem quiser conhecer mais o entorno do congresso.

Humberto Corradi
Humberto Corradi
12 anos atrás

Essas fotos antigas das cidades me fazem lembrar daquelas que apareciam nas enciclopédias (antigo google).
Foto legal demais.

Valeu

Aléssio Marinho
Aléssio Marinho
12 anos atrás

Flávio,

Essa foto deve ser do início da década de. 1970. Pelo ângulo e altura foi tirada de um avião, pois o prédio mais alto da esplanada é o congresso. Curioso como o lago paranoá está azul e onde hoje é o Lago Sul e condomínios só há cerrado.

Joca
Joca
Reply to  Aléssio Marinho
12 anos atrás

Que 70 o que !
Essa foto é de logo depois da inauguração, 1960.
O lago estava azul porque o céu estava azul, oh gajo !