MENU

domingo, 11 de abril de 2010 - 19:44Arquitetura & urbanismo

ENCHE O TANQUE (19)

SÃO PAULO (coisa mais fofa) – O blogueiro Carlos, só assim, sem sobrenome ou apelido, mandou a foto. O encantador Auto Posto Redentor fica em Andrelândia, no sul de Minas, próximo à Serra da Mantiqueira. Conta o Carlos que é o mais antigo da cidade, e que ficou fechado por muito tempo nos anos 80 e 90. “Reabriu recentemente sem nenhuma reforma e, atualmente, não tem bandeira”, diz o blogueiro. Era Texaco. Hoje não tem bandeira.

Dá para ser mais gracioso? Como sempre, algum blogueiro já terá passado por aí, abastecido, tomado um café e, quem sabe, comprado um filtro de ar na Autopeças Nossa Senhora Aparecida, integrante da holding Redentor.

ATUALIZANDO…

O Mário Buzian me mandou um e-mail logo depois da publicação deste post para contar que seu amigo Nikollas Ramos, do blog Carros Antigos, recebeu umas fotos antigas de Andrelândia. “E olha lá o mesmo posto numa foto dos anos 50!”, espantou-se o Mário. Demais, não? Coloquei no alto à direita a foto de época.

33 comentários

  1. Vicente josé da Silva disse:

    Gostei dos comentários sobre o antigo posto de gasolina na cidade de Andrelândia, inacreditável, todo o resído gerado naquele posto é despejado no pequeno rio turvo, sem nenhum tratamento, pois tal situação ocorre na maioria dos munícipios brasileiros, que pena!. Mas, Andrelandia, nos dias de hoje pode ser vista como à cidade mais simpática de sua região.

  2. luiz dellano disse:

    como faço para mandar uma foto para o blog de um posto aqui ao lado da minha cidade? abraços,

  3. Rafael Krauss disse:

    Minha memória fotográfica é bem melhor do que a que guarda os nomes, seja lá qual for o nome desta memória.

    Lembrei na hora de ter parado lá, voltando de uma aventura que fiz em estradas pouco conhecidas e até de terra, no meu caminho de volta entre Viçosa e o sul de minas. Pouco depois de ter saido da belíssima vila de Lima Duarte e do inacreditável parque ecológico de Ibitipoca.

    Fica a dica a todos aqui. Vale a visita ao posto, já que a cidade não me inspirou muita coisa, e principalmente a Lima Duarte e Ibitipoca.

  4. luis antonio da matta machado disse:

    O postinho é lindo, mas o filme Veraneio em Caxambu 1952 é simplesmente fantástico. É um instantaneo de um tempo maravilhoso, as ruas, os hotéis, as pessoas felizes na piscina. Me emocionei demais com as imagens, pensei nas pessoas que aparecem no filme, nesse tempo perdido.
    Os carros, as roupas, os planos de cada um.
    Grande barato Flávio.

  5. Guto disse:

    Só não sei como esses postos conseguem reabrir, principalmente em Minas. Hoje a receita estadual, anp e o diabo a quatro cobram uma série de coisas para um posto de gasolina funcionar, incluindo aí a caixa de resíduos, o que praticamente tiraria toda a caracteristicas de um posto antigo!

  6. fernando carvalho disse:

    Conheço sim e como : E 1986(?) lá parei a trabalho( Trabalhava numa revenda Massey Fergunson de Juiz de Fora ) e fui abastecer (Fusquinha da empresa ) e o frentista encheu o tanque com alcool , só que o carro era a gasolina…..kkkkkk
    Foi ” dantesca ” a cena : Eu pedindo para ele desligar a bomba e ele , frentista , na maior calma …. Só parou a hora que eu gritei que não ia pagar …….
    Resultado : Retiramos parte da ” batida gasalcooleira ” , completamos com gasolina e saiu o serelepe fusquinha a pipocar por alguns km…..

  7. Fantástica foto. P’ra completar a Sagrada Família, São José é o frentista. Legal é perceber que nos anos 50 não havia o bosque de bambus (?) atrás do posto. Gasolina F-1? Muito legal.

  8. Antonio Falcao Neto disse:

    E ainda reclamam dos desmatamentos. A 50 anos atrás tinha apenas umas plantinhas. Hoje tem uma floresta por trás.

  9. Willian disse:

    Simpático, hein… Não sei porque, mas a primeira vez que o vi imaginei um posto feito com Lego.

  10. @celsovedovato disse:

    E não é que ao contrário de tudo que é foto que vemos de cidades com intervalo de 50 anos, este local está muito mais arborizado. Muito bom!

  11. sérgio castro disse:

    Será que a casinha de madeira ao lado é um “defecatório” caipira?

  12. Gustavo Mello disse:

    21°44’25.76″S 44°17’56.48″W
    21°44’17.16″S 44°18’20.77″W

    Identifiquei estes dois lugares no googleearth como possíveis localizações deste posto. Alguém pode confirmar? Dezcobri também que a cidade tem um cristo redentor e belas casas coloniais….

    Gustavo Mello

  13. Clenio Vilela disse:

    Bonitinho o postinho. Mas olhem só a gambiarra elétrica. Fios passando até a casa do compressor em baixissima altura.

  14. Felipe Menhem disse:

    Vale ressaltar que Andrelândia faz parte da Região Metropolitana de Arantina, o maior pólo cultural e econômico da região, com seus 2,3 mil habitantes.

  15. Tio do Posto disse:

    Faz o contrário, a foto antiga em primeir plano e a atual no quantinho … De enlouquecer é a bomba ‘coqueiro’ da foto antiga …

  16. Pela foto menor dá pra ver que o posto era Shell. Agora se não me engano estas placas de Álcool e de Gasolina eram de postos Atlantic não?

  17. Fernando disse:

    Flavio, meu pai (o Bebeto da Nágila, como é conhecido por lá) e toda sua família são de Andrelândia, é um orgulho ver a terrinha boa, representada aqui. Apenas para completar o cenário pitoresco do posto, a “estação” de troca de óleo e lavagem dos carros, à esquerda da moto, se escora sobre o barranco do rio que corre atras. E a 50 metros deste (a noroeste da foto), está outro posto charmoso, de bandeira Petrobrás, que é vizinho da linha do trem e da mercearia do meu falecido Tio João…pô, muito legal ver isso, meu pai e os primos vão gostar, demais da conta…

  18. Jonny'O disse:

    Já abasteci neste posto em Andrelândia , acho que em 2004 quando uns batateiros estavam conhecendo e avaliando a região .

    Andrelândia é uma cidade bem a moda antiga ,tem uma linha de trem que corta a cidade ,ainda este mês vou passar por lá novamente e é claro ,abastecer no posto.

  19. Felipe Olivani disse:

    Olha só, sem GNV nem modernidades fúteis, apenas o simples.

    E tenho certeza que um posto tão gracioso desse deve haver da mais rica e nobre gasolina, nada adulterada.

    E na loja de conveniência, nada mais que duas mesas e uma geladeira, com Cocas de garrafa, como preço antigo.

  20. Luis Nunez disse:

    A empresa em que trabalho tem uma filial em Andrelandia / MG. Nunca fui lá, nem a trabalho, nem a lazer, mas se algum dia eu for, com certeza irei prestar atenção a este posto de combustiveis.

  21. Moncho disse:

    Engraçado que sempre é de Minas que aparecem esses postos diminutos. Não seria de espantar surgisse um dia uma mera bomba solitária com um frentista sentado num banquinho debaixo de um guarda-sol…

  22. Edson - Cambuquira/MG disse:

    Flávio, repito o meu comentário de outrora.
    O sul de Minas é um celeiro para o antigomoblismo.
    Abraços , sou seu fã!

  23. petrafan disse:

    nos anos 50 o posto era Shell, não tinha uma casinha atrás dele (ver o telhado na foto maior) e o arvoredo por trás não existia.

  24. Silvio Rodrigues disse:

    Que beleza Álcool em vez de Etanol. Coisa linda a simplicidade.

  25. Lott disse:

    Bom, eu já passei… abasteci, não tomei café e nem comprei qualquer peça. Era, se a memória não me falha, uma quarta-feira fria e triste. Sai de BH para levar uma amiga e colega de trabalho a Andrelândia que perdera seu sobrinho de apenas 05 anos de idade. Deixei minha amiga na casa de sua mãe, tomei um café e retornei para BH. Me lembro que o que chamou a atenção foi o preço da gasolina, bem maior do que aqui em BH, mas como precisava abastecer para retornar, aternativa não restou, coloquei R$ 70,00 de gasolina no Vectra que eu tinha e caí naquela estrada escura e fria, pensando que crianças não deveriam morrer, chegando em BH, já dentro da cidade, o pneu do carro fura, era mais ou menos uma da madrugada. Meu carro tinha cinco parafusos em cada roda, quando fui desapertar o último, a chave espanou… tive vontade de chutar aquele carro todo.. Fui a um ponto de taxi perto e pedi o motorista que me emprestasse a chave de roda dele, o que me foi negado. Diante da negativa falei pra ele: “Faz o seguinte, liga o taximetro como se o carro estivesse rodando, me empresta a chave de roda, quando eu terminar vc desliga o taximetro, o preço que marcar eu pago. Paguei 7 reais pelo aluguel da chave, agradecendo a Deus pelo pneu ter furado dentro da cidade. Pretendo voltar a Andrelândia, mas em outra circustância. E, quando for, me lembrarei deste post.

  26. arnaldo disse:

    bela imagem,porem sem frentista que com certeza deveria estar pescando num rio limpido que escoa na mata aos fundos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>