MENU

sexta-feira, 23 de abril de 2010 - 20:06Arquitetura & urbanismo

ENCHE O TANQUE (27)

SÃO PAULO (alguém lembra?) – O colaborador de hoje é Eduardo Britto, que diz ter batido a foto sobre a original, que está num quadro na parede de seu mecânico em Santana, na zona norte de SP. “Curioso mecânico, tem fotos de trens e carros antigos em vez de mulher pelada…”, diz o Britto. “Ele acredita que seja um posto de gasolina no bairro do Pacaembu. Pelo que entendi ficava (fica) na av. Arnolfo Azevedo, próximo ao estádio. Sei lá.”

Também não sei. Mas alguém saberá. Agora, os carros… Eles são um caso à parte nessa foto. Um festival de cores, com o detalhe: só tem Willys — Gordini, Rural, Interlagos, Aero…

77 comentários

  1. Wilson disse:

    Interlagos, sonho de consumo na época, e agora também.

  2. Fabtástica a foto , muita história inserida nela !

  3. Ricardo disse:

    O que eu e mais uns e outros que andam por aquí , já fizemos nesse posto , até Deus Dúvida . rsrsrsrsrs

  4. Ricardo disse:

    Postinho do Pacaembú , passei metade de minha vida aí . Isso era um anúncio da Willys que foi vinculado nas contra capas das grandes publicacões da época . Tem até o BUZÃO 216 Pacaembú – Pça.João Mendes . Era meu onibus de voltar da escola . Saudade mata ????????????????????????

  5. Orlando Salomone disse:

    É isso mesmo, Moncho, contra-golpe. Tá na cara que é foto promocional da Willys. Todos os carros estão impecavelmente limpos e os ocupantes fazendo pose. Muito legal.

  6. Samuel Santos disse:

    Demais, os carros coloridos na foto, atualmente só vemos cores escuras e o prata!! Ninguem merece tão poucas cores!

  7. Biggode disse:

    Me lembro desse posto. Na época em que morei por ali (anos 70) ele já tinha sido reformado, mas ainda deve estar com o mesmo layout até hoje. Vejo que a linha de trólebus, passando pela avenida, já existia na época da foto.
    A diversão era descer o morrinho em frente, sentado em caixas de papelão. Bons tempos…

  8. chambel disse:

    Realmente é o postinho do pacaembú. Ali todo pessoal que gostava de gasolina se reunia e aconteciam coisas hilarias.Tinha um cara, o Oswaldinho Sangiorgi que “roubou um troleibus” pra dar umas bandas e ele mesmo fez despencar do morro na frente do posto, um fordinho modelo T.

    • Victor disse:

      Não era um modelo T, era um Flint dos anos 20 que hoje valeria uma nota, mas na época estava decrépito. O Osvaldinho chegou depois, deu um trabalhão para virar o carro, pois mesmo andando em círculos o carro não tombava, foi na mão mesmo. Tacamos fogo e arrumamos jornais cobertos de catchup comprados no Pão de Açúcar para simular cadáveres. O Oswaldinho ficava falando para os guardas procurarem a mão do irmão dele que estava fazendo uma rosca quando foi supostamente decepada e fazia rosca para os guardas. Depois roubou uma Lambreta da polícia e ficou fazendo motocross no barranco.

    • Ricardo disse:

      E aí Toninho , eu estava em todas essas , pois morava muito perto e não saía de lá . O postinho tem muitas histórias e muitas delas IMPUBLICÁVEIS mesmo .

  9. Mauro Oliveira disse:

    tá mais com cara de “os carros da Wyllis só abastecem shell” parece um comercial de revista

  10. João Carlos disse:

    Não podia ser por acaso que só tenha carros Willys na foto. Tinha que ser propaganda. De qualquer forma é muito interessante a foto.
    Cores de carros: vejam que beleza esta foto colorida por carros em Copacabana no início dos anos 70:
    http://fotolog.terra.com.br/luizd:2138

  11. luis antonio da matta machado disse:

    Não sei não, mas a foto foi produzida pela Willys. Acho muito difícil essa coincidencia, de toda a linha em cores diferentes e nenhum exemplar da concorrencia.
    Mesmo assim a foto é linda.

  12. Júlio Previero disse:

    Que diferença dos carros pretos, e pratas de hoje em dia…

  13. Jason Vôngoli disse:

    A foto é de uma folhinha que a Willys distribuiu em 1964.

    Tenho um aqui – o engraçado é que o calendário começa no 1º de abril, dia do golpe militar.

  14. Ainda prefiro a “Cars & Girls” mas este posto está realmente muito lindo, apesar de ser foto de propaganda… vi abaixo o post da sua infame ultrapassagem.. o Tranjan foi bonzinho. Semana que vem já tem a 3ª etapa e espero finalmente vermos a nova pintura em ação… []

  15. Zé Dirceu disse:

    Se tirar a foto hoje as cores que saem são preto e prata.

  16. Aylton Hoenen disse:

    O amigo Romeu,acertou.
    É realmente o Postinho do Pacaembu,que está lá até hoje,
    modernizado claro,mas com o mesmo charme da época,anos
    60 se não me engano.Realmente os rachadores da época,se reuniam para falar do que mais gostavam,que era automobilismo.Entre eles estavam o Wilsinho Fittipaldi,o saudoso Moco,Cacaio,Lian Duarte e alguns outros visitantes ocasionais,não menos famosos.
    O menos famoso,mas entusiasta rachador,éra EU.
    Tenho até uma história engraçada que aconteceu nesse Posto:certa manhã de domingo,por volta de 6 hrs,eu e o Moco iamos abastecer nossa F-100 para irmos para uma prova de Kart em Interlagos com toda a “tralha”,na caçamba.
    A fte. da F-100 ficou muito leve,e o Moco esqueceu disso,e entrou meio rápido na bomba de combustivel,só que tinha um frentista lavando com sabão,a pista…..resultado:,a F100
    saiu de frente, e nós enchemos a parede divisória de um dos box de lavagem.Precisa continuar???
    Tivemos que pagar,a parede,e o estrago da pick-up.
    Mas como sempre, demos muita risada da cagada.

    Abraço

  17. Rodrigo Font disse:

    monotomia=monotonia

  18. Rodrigo Font disse:

    Se fosse hj em dia, apenas viriamos a monotomia de carros pretos e pratas…e alguns brancos, por serem táxis…
    (em casa, os 4 carros são…pretos…rs)

    Não sei o motivo de determinadas cores “coloridas” pegarem na Europa e aqui no Brasil,não, já que é propagado ser um país tropical com o povo alegre e outras coisas mais…

    • Moncho disse:

      Preto começou por ser cor “de elite”. Carro “executivo”. Daí hoje brasileiro cozinha dentro de Mille preto. Pra compensar só anda de bermudão, camiseta nas costas e sandália havaiana…

    • Mário Salustiano disse:

      caro Rodrigo

      alguns anos atrás foi feita uma pesquisa e o que ocorre é que o brasileiro compra seu carro já pensando em quanto vai ganhar na revenda, por essa razão o preto e o prata começaram a proliferar na preferência , as pessoas acham que essas cores são mais “valorizadas” para se vender um carro, como europeu é mais evoluido nesse quesito ele compra o carro com sua cor de preferência pois lá diferente daqui carro não é sinônimo de investimento como aqui

  19. Rodrigo Font disse:

    Se fosse hj em dia, apenas viriamos carros pretos e pratas…e alguns brancos, por serem táxis…

    • Moncho disse:

      Táxis são brancos, em Sampa.
      Existe mundo fora de Sampa…

    • Daniel Bronzatti disse:

      A foto poderia ter sido tirada em Porto Alegre, os taxis seriam Vermelhos alaranjados.
      A fotos poderia ter sido tirada em Vitória, logo os táxis seriam Brancos com faixas laranjas.
      Poderia também ter sido tirada em Curitiba, onde os taxis são Laranjas.
      E também no Rio, onde são amarelos com listras azuis.

      MAS como a foto foi tirada em Sampa… logo os táxis seriam….

      Deixa de ser chato.

  20. Mário Salustiano disse:

    pois é entrei para comentar também sobre as cores dos carros, mas não me iludo sobre essa questão de cores preto e prata se o consumidor é quem quer, ficamos escravos dessa coisa de comprar já pensando em quanto vou ganhar na revenda, além do mais essa sociedade “politicamente” correta retirou a ousadia da palavra de ordem, já notaram que essa palavra só é usada em discursos de empresas e nada mais

  21. Teo disse:

    Caros Kaio e Rubem, pega pega e piloto campeão!

    Que lembrança boa voces me trouxeram hoje. Às vezes a gente tem esses estalos e começa a recordar coisas tão enterradas.

    Lembrei claramente dos dois brinquedos, que amava mas não pensava mais neles há uns 25 anos. Doces lembranças. Só faltou o vertiplano pra fechar a coleção dos brinquedos mais legais dos anos 70.

    Obrigado pelo ótimo flashback!

    Teo

  22. Mário Mesquita disse:

    Eu sou fã de Willys. Meu primeiro carro antigo foi um Aero 1961. Tinha motor de Opala e era meio sambado, mas gostava dele. Tive outros, um Gordini, e hoje tenho um Aero 1960. São duráveis, quase indestrutíveis.

  23. zé clemente disse:

    É na Arnolfo Azevedo sim. Eu trabalhei bem perto desse posto num escritório de engenharia civil. Mas bem depois dessa época da foto, final dos anos 70. Meu carro era um TL verde.
    Tempo bom, tenho saudade. Eu acreditava no mundo. O mundo era legal.

  24. Reynaldo disse:

    Não tinha prata e preto mas em compensação, 6 dos 10 carros são azuis…

    • Moncho disse:

      Prata pareceria um carro sem pintura, acabamento, na lata. E preto, era cor de carro fúnebre.

      Eram os preconceitos da época. Mas, havemos de convir, não limitavam tanto como hoje…

  25. Willian disse:

    bacana a foto. se fosse uma atual, só veriamos carrinhos nas cores preta e prata

  26. Evaristo Sa disse:

    Nessa serie “Enche o tanque” o incrivel que raros sao os carros pretos, branco e cinza entao nem pensar, as ruas eram mais coloridas e animadas sem essa onda atual de cor de carro sem sal…

  27. Edson disse:

    Gomes, o comentário nao tem relacao com o post, o objetivo é cobrar a coluna do Máximo Bueno. Coloca esse cara pra escrever. rsrs

    Parabéns pelo blog.

  28. Carlos Pimenta disse:

    Engraçado como a vida antigamente era bem colorida, hoje anda meio cinza, preta, sei lá, meio monocromática.

    • Douglas disse:

      É o monopólio do preto ou prata.

    • geraldo nunes disse:

      É a ditadura do preto/prata/cinza, colega… O Kamarada Gomes poderia falar mais a respeito, mas tenho as minhas teorias:
      – Redução da cartela de cores, para reduzir os custos de produção (a fase de pintura é uma das mais longas do processo, e quanto menos cores, melhor para reduzir tempo de troca de tintas e máquinas) e venda (menos cores, menor risco de alguma cor “encalhar” ou não ter disponível na concessionária – eu mesmo, que gosto de carros vermelhos ou brancos, tive dificuldade de achar vermelhos nas últimas compras);
      – A vinda do Civic (hum…) e do Corolla (ugh! ugh! ugh!), ligando o prata à sofisticação;
      – A “lenda urbana” de que “prata não desbota e é mais resistente” (sic) essa já ouvi muito em revendas, mas não engulo;
      – $$$ – a diferença de custo na pintura é mínimo, mas ganha-se mais $900 a $1500 numa pintura metálica.

    • Duque disse:

      A HONDA e a TOYOTA são as campeãs mundiais de carros cinzas e pratas ! Parece que os japoneses levam uma vida meio cinzenta, sabe-se lá !!! Já a coreana KIA é a que apresenta o maior e mais variado catálogo de cores !!!

  29. Ladis disse:

    O interessante mesmo é notar a completa ausência de carros nas cores prata e preto (modismo atual). Para mim, o que torna a foto especial é justamente a diversidade de cores dos automóveis. Bem que poderia ser assim hoje em dia…

  30. Flávio Bragatto disse:

    Só pode ser foto comprada. Não é possível que não tenha nenhum carro “não-willys” na foto!

  31. GERALDO CASSELLI JÚNIOR disse:

    Me lembra um posto da Estrela que ganhei num Natal qualquer aí …… .Enorme de eucatex , com bombas de gasolina amarela e azul (que esvaziavam quando movimentava uma peça) , estacionamento acima com rampa , só que era da Esso , uma beleza …. (pronto , viajei nas idéias….)

    • Moncho disse:

      Foi meu último brinquedo, assim, em sentido estrito…

    • geraldo nunes disse:

      É, tinha um destes nos anos 60/70, também brinquei com estes… É, dá para saber a idade dos comentaristas pelas fotos postadas, e o que escrevem aqui…

    • GERALDO CASSELLI JÚNIOR disse:

      Se tem uma coisa fantastica nessa época em que estamos atravessando , é que , os marmanjões já estão perdendo a vergonha de admitir que curtem essas coisas . Não precisa de desculpa do tipo “nostalgia” , ou analises de psicólogos , antropólogos e todos ólogos para “justificar” por que isso ou aquilo . O Blog do Flávio como de outros por aí já dão mostra disso tudo , simpleste curte e acabou

  32. Mauro Brito disse:

    kkkkkkkkkkk, Posto de Gasosa a cèu aberto? È isso? então coitado dos frentista qdo São Pedro aparecia por ai!

  33. Johann Falbo disse:

    É nessa rua mesmo em frente a uma praça. tem um Pão de açucar atras dele mais ou menos da onde a foto foi tirada.

    Só que o posto hoje já não tem nada a ver com a foto, apenas a bandeira continua Shell.

  34. Moncho disse:

    O Willys Interlagos, sendo conversível ou berlineta, protagonizava os sonhos de consumo mais selvagens da molecada que ainda nem tinha “tirado carteira” em meados dos 60’s.

    Descer as curvas da estrada de Santos reduzindo marchas e cantando pneus sentindo a pressão aumentando nos tímpanos. Depois circular pela beira mar ainda quase deserta da Enseada no Guarujá. Poderia haver algo maior?…

  35. Romeu disse:

    É o “postinho” do Pacaembu, como era chamado na época.
    Local de reunião dos “rachadores” de então.
    Dali saiam grandes pegas pelas ruas do Pacaembu, principalmente do circuito sinuoso das ruas Itápolis e Angatuba.
    Tinha até gente com alguma fama nas pistas, que tambem aparecia por lá…

    • Victor disse:

      Boa lembrança, também frequentei muito o Postinho e fui um dos que tombou e tacou fogo em um Flint dos anos 20 bem no meio da pracinha, deu um trabalhão danado tombar, foi uma esbórnia total. Moleques bêbados sempre foram complicados. Tudo para fazer zona e atrair a polícia. Coitados dos guardas civis ficavam procurando as vítimas debaixo dos jornais cobertos de catchup comprados no Pão de Açúcar para simular sangue.
      Nesse dia, o filho de um famoso professor de matemática, o Oswaldinho, “roubou” a Lambreta de um Guarda Civil e ficou fazendo cross com ela no barranco do Pão de Açúcar. No final, ficou tarde e todo mundo foi para casa, até a polícia.
      Tempos inocentes onde até a polícia era amadora.

  36. alcides disse:

    O Gordini grenat da foto é meu, tv calibrando pneus….
    Tenho ele até hj….

  37. Renato Schmeling disse:

    Parece de binquedo. Eu quero !

  38. Smirkoff disse:

    A arquitetura do posto é quase igual a um posto de brinquedo que eu tinha nos anos 60…

  39. Humberto Corradi disse:

    O pessoal não deixa pedra sobre pedra. Em um minuto identifica o endereço do posto, a história da foto, etc.

    Valeu

  40. disse:

    As idéias do Greco, Mauro Salles com sua genialidade.
    E hj. as petroleiras fazem campanhas p/ descarregar IR, e não cativarem clientes.

  41. Zé Maria disse:

    meu pai tinha um Aero Willys de dois carburadores de fabrica “raro” e usava gasolina azul…….

    • sérgio castro disse:

      E o motor deste Aero do seu pai era o Willys 2600 (com 130cv de potência) e se fosse o Itamarati com os mesmos carburadores, seria o Willys 3000.

    • Mário Mesquita disse:

      Eu tive um Aero 1964 com dois carburadores. Não era muito bom, tanto que era normal desligar um e trabalhar o outro, ficar com um só. Igual Volks com dois carbs, desregula que é uma beleza…

    • sérgio castro disse:

      Acho que vc não dava sorte Mário, pois tenho uma F-75 1970 com o motor Willys 2600 com estes dois carburadores originais de fábrica, que funcionam extremamente bem, as vezes a pick-up fica parada três a quatro meses e é só jogar uns 100ml de pódium em cada carbura e é só girar a chave que pega na primeira, eta motorzinho bom. Agora, apesar da idade e da relação reduzida, o legal mesmo é dar aquelas tuchadas, pois o motor sempre responde.

  42. Fabio Farias disse:

    Complementado, Av. Arnolfo Azevedo com R. Dr.Acácio Nogueira. Pacaembu.

  43. Fabio Farias disse:

    Eu tenho esta propaganda da Willys, é em forma de cartão postal, e este posto é no bairro do Pacaembú realmente.
    Av. Arnolfo Azevedo.

  44. kaio Stadler - Curitiba - PR disse:

    Esta foto me faz lembrar o brinquedo PEGA PEGA, alguem se lembra também????

    • rubem rodriguez gonzalez disse:

      Claro que lembro, era um dos meus sonhos de consumo, só não se realizou…. talvez hoje eu seja tão azedo por causa disso….. se um dia por acaso virar viado vou procurar um analista para vêr se foi por causa disso…
      Brincadeira à parte, acho que era mais divertido quando existiam só meia dúzia de brinquedos disponíveis no mercado, eramos obrigados a apelar para a criatividade e no meu caso era criatividade em dobro pois além da falta de opção de brinquedos havia a falta de grana… mas não deixou traumas, além é claro da do bate-bate……

      Só para não sair do assunto, a foto é show e me faz lembrar das revistas Seleções, que era um primor em propagandas incluindo aí as anti comunistas, só que essas ultimas vinham disfarçadas como matéria, tal e qual as congêneres nacionais contemporâneas, mudam as moscas mas a merda continua a mesma…..

    • Luis Albertyn disse:

      Nooooooossa! Pega-Pega Trol, como não? Voltei décadas no tempo agora. Que lembrança maravilhosa!

      Adorava também o “Piloto Campeão”, também da Trol, em que o carrinho (um Ford GT 40, se não me engano!) ficava parado e a pista é que girava e você controlava os movimentos com um volante, passando pelos túneis e mudando de faixa.

      Como eu brinquei disso, meu Deus do céu.

    • Breno Peixoto disse:

      O Pega Pega era da Troll. Nas ruas de uma pequena cidade, dois calhambeques (polícia e bandido) ficavam em eterna perseguição.
      Era bem mais simples que o Autorama da Estrela. Os carros eram movidos à pilha, sem aceleradores, por um sistema de fenda semelhante ao do Autorama.
      Os moleques só podiam interferir acionando mecanismos de mudança de pista, semelhantes aos das linhas férreas.

    • Leonardo disse:

      Caramba Luis,

      Piloto Campeao! eu ja nem me lembrava mais disso, mas brinquei muito tambem e adorava!
      olha so o que eu encontrei….ta caro, mas pros nostalgicos,,,,

      http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-138882287-piloto-campeao-trol-completo-e-funcionando-_JM

    • Moncho disse:

      Ué Ruben, não entendi… Por que uma matéria não pode ser anti-comunista, sem ser tida como propaganda disfarçada?…

    • Duque disse:

      Colegas blogueiros, vcs agora me emocionaram pra valer ! PEGA PEGA TROL e PILOTO CAMPEÃO, eu e meus dois irmãos brincamos – e muito – com esses dois inventos geniais ! Tenho até hoje a Igreja Matriz da cidadezinha do PEGA PEGA, feita em cartolina, que a gente só encaixava os engates e fixava na plataforma (pista) !!! Até sozinho eu brincava com o PEGA PEGA ! ! O PILOTO CAMPEÃO tinha uma alavanca com três velocidades ! Os caras que inventaram esses brinquedos eram simplesmente GÊNIOS !!! E não eram brasileiros não ! A TROL era uma indústria de plásticos em geral, que tinha uma divisão especializada em brinquedos, a maioria de patentes estrangeiras ! Seu presidente era o Dilson Funaro, que foi Ministro da Fazenda no Governo Sarney e um dos pais do ingênuo e fracassado Plano Cruzado ! Foi a TROL que lançou no Brasil o PLAYMOBIL !!! Colegas, o meu sincero agradecimento por essas lembranças maravilhosas !!! VALEUUUUUUUUU !!!

    • geraldo nunes disse:

      Nossa, deu um flashback duca!!! Eu brincava com isto com meu irmão…

    • kaio Stadler - Curitiba - PR disse:

      Pega Pega você tinha que mudar de pista com o dedo.
      E o TCR serie Rally, lembram também?????

    • Julio Rubinstein disse:

      Quem é que não entrava pelo vãozinho entre o túnel e o guardrail…

    • Luis Albertyn disse:

      E dos Fiat 147 que acendiam os faróis da série especial do autorama da estrela? Até hoje me penitencio por não tê-los guardado com mais carinho…

    • rubem rodriguez gonzalez disse:

      Porque não existe o contraponto, Moncho. a diferença entre matéria e sectarismo está exatamente aí, não tenho nada contra veiculos de comunicação façam esa opção, quanquanto que seja explícita e não sejam canais concedidos,é normal pelo mundo civilizado ver que tal jornal é socialista e que tal revista é de direita, a diferença é que nenhuma delas tenta mostrar isenção e imparcialidade como por essas bandas.
      Eu achava a seleções uma delícia, na época p´re internet era uma boa fonte de diversificação de informação, mas o seu viés político americanista era de doer, as vezes chegava as rais do ridículo comprometendo uma boa matéria jornalistica,mas o gostoso mesmo eram as propagandas, essas eu não canso de admirar, principalment é claro as de automóveis, eu tinha alguns exemplares da época da segunda guerra mundial e existiam até propagandas de aviões de guerra, essas são imperdíveis.

  45. geraldo nunes disse:

    Deve ter sido alguma propaganda da Willys, dá para peceber que só há veículos dela, e que é tudo posado… Mas está lindo, já virou proteção de tela aqui!

    Ei, Kamarada Gomes, algum dia vc poderia começar uma série sobre como se iniciar no antigomobilismo, e também mostrar alguns dos carros de sua coleção – onde vc o viu pela primeira vez, como foi a negociação, a retauração, como vc conserva os carros, etc. Abreaços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *