MENU

sexta-feira, 16 de abril de 2010 - 17:03Antigos em geral, ESPN Brasil

O CARRO DO CHEFE

SÃO PAULO (tea for three) – Ontem fui gravar para o “Limite” na Granja Vianna com essa coisinha fofa aí embaixo, um Xef da Gurgel. Foram feitos 120, mais ou menos, entre 1980 e 1986. Motor VW 1.600 cc, vidro elétrico, interior em couro e três lugares. Sim, três, todos na frente. Um banco individual e outro duplo. Não é demais. Vivemos a era dos minicarros, o Smart faz o maior sucesso, custa os olhos da cara, e 30 anos atrás João Augusto do Amaral Gurgel já percebia que o futuro era esse, de carros pequenos, ágeis, urbanos.

Vai ao ar na terça da semana que vem na ESPN Brasil.

61 comentários

  1. JULIO disse:

    Eu flagrei um G-800 em 2011 lá. Fiquei me perguntando como o mesmo foi parar naquela ilha se, até aqui, é raro de ser visto.

    Infelizmente perdi a câmera fotográfica no retorno ao Brasil, não sendo possível enviar a foto.

  2. Peixoto disse:

    Ola amigos
    Tenho o 129
    Totalmente restaurado.
    Quem quiser falar sobre me procurem
    Abraços
    [email protected]

  3. Walfredo disse:

    Olá Flávio,

    O XEF é um barato mesmo. Meu pai tá acabando de recuperar o de chassi 0001, que estava perdido em Sumidouro-RJ, muito mal tratado.

    Abração,

    Walfredo

  4. UM AMIGO TEM O CARRO CHASSIS 0001 SE QUISER ELE ESTA A DISPOSIÇAO PRA MATERIA
    ABRAÇO

  5. E as rodas estilo Mercedes, então? Coisa linda.

  6. Josef Prado disse:

    opa opa opa, muito numero na cabeça, foram feitos 147, o meu é o 129.

  7. Josef Prado disse:

    Ah, foram feitos 149, o meu é o numero 147.

    (O numero do Chassi é o numero de série deles)

  8. Josef Prado disse:

    Eita meu XEF…

    Tenho um XEF e nãodesfaço dele por nada!!!

    Abraços!

  9. DODGE V8 disse:

    So 120 carros !! Vou encher o saco do dono de um abandonado que tem em Santos !!!

  10. Rafael Prete disse:

    Meu vizinho tinha um desse. Não sei se ainda tem porque mudei – sempre achei que ele fez esse carro porque nunca vi outro igual nas ruas!

  11. heraclito disse:

    A história do gurgel é linda, por coincidência hoje cedo tirei meu supermini para ir a padaria, e no caminho fiquei pensando eu ainda vou a são paulo nele (eu sou paulista e moro no ceará).
    Pos Scritum falta uma matéria com o supermini, venha em pacajus-ce fazer uma matéria com o meu.

    viva a gurgel, se depender de mim e de vários todos por aí sua história nunca será esquecida

  12. Fernando disse:

    Flavio, o governo da época matou o sonho e a realidade do Gurgel. Era pra hoje a Gurgel ser uma potência em fabricar veiculos de baixo custo e adequados ao Brasil !

  13. André Scud disse:

    No prédio da minha sogra tinha Motomachine, agora tem um no prédio onde moro. Está chegando cada vez mais perto hehehe

  14. ALEX B. disse:

    Sabes que de frente, o bicho nem é tão feio! LIMITAREMOS na terça! Spasibo, tovarich!

  15. Luis Fernando disse:

    Tive a felicidade de conhecer o Sr. João. Minha mãe era costureira e fazia vários serviços para sua esposa, D. Carolina. Certa vez, o Sr. joão, presenteou sua filha mais nova, Cristina, com o primeiro (protótipo), Xef. O carro, anos depois foi vendido para que a mesma mobiliasse uma parte de sua nova casa. Imagina só se esse carro for achado o quanto não valeria só por esta curta passagem pela familia de seu criador. Cheguei a ver este carro, era um verde metálico claro, não sei informar exatamente a cor do carro.

  16. ALex disse:

    Impressão minha ou parece a frente do Fiat Uno .. sera que a Fiat copiou kkk

  17. Tohmé disse:

    O meu é o 112, conforme manual.
    Como curiosidade, o parabrisas é de Brasília. Tanto o dianteiro, como o traseiro.

  18. disse:

    E a visão dos elétricos também.

  19. Eudemar disse:

    É carro de exposição, dá dó jogar ele naqueles lameiros e com valas que atolam as quatro rodas precisando rebocar
    esta belezura…

  20. José Eduardo disse:

    Só 120 foram fabricados? tem certeza?
    Eu via um monte aqui em São Paulo…

  21. RafaAPH2010 disse:

    Alvaro, super legal o Impala vermelho.Chevrolet antigos são carros lindos e incriveis vamos torcer para o Flávio fazer uma matéria com ele.

  22. Max Mosley disse:

    Acho que o grande defeito dos Gurgel era o design. Eu admiro e respeito o que o Amaral Gurgel se propôs a fazer, mas ele subestimou muitas premissas básicas da indústria automobilística.

  23. Nissin Miojo disse:

    Flavio,
    I love you!
    :)

  24. Gringo disse:

    Presenciei uma batida de um Gurgel Xef e um Voyage. O VW ficou detonado, o Gurgel (de fibra) não teve nada!

  25. Varlei disse:

    Acho muito legal este carro, tem um colega meu que tem dois, o desenho era baseado nos mercedes inclusive a lanterna traseira que usava dois pedaços iguais da lanterna da brasilia, fora isto tinha uma particularidade, o vidro traseiro era igual o dianteiro, dizia o Sr Gurgel que em um caso de quebra de parabrisas em algum lugar longe voce poderia usar o vidro traseiro na frente emergencialmente, mas era caro pra caramba na época, se tivesse barateado ele acho que ia vender bastante, já que era um carro urbano,agil e tinha bom espaço interno.

  26. Sobre Gurgel disse:

    Carros de carroceria de Fibra de vidro só podem competir no setor dos veículos especiais. O custo é proibitivo. O plástico é termofixo, significa que não pode ser derretido. A carroceria não enferruja não deteriora mas também não é reciclável. São um absurdo econômico-ecológico.

    O Xef tinha o parabrisas dianteiro igual ao traseiro. Da Brasília. Os farois do Gol quadrado.

    Gurgel deixou de fazer os carros com motor a álcool, em pleno programa Roda Viva. Dizia que o balanço energético de uma usina de álcool era negativo. Publicou que a formula do álcool era a fórmula da bomba atômica em anúncios garrafais no Jornal (comparando a formula com aquela do Einstein). Conseguiu graças a esse case inédito de marketing dinheiro, do governo, para fazer o BR800. Que como o XEF era de fibra de vidro. Custava para fazer o dobro do valor de venda.(isso ele me disse pessoalmente).

    O ponto ótimo de toda a sua história foi o Xavante. Gurgel descobriu que o carro frequentemente substituía o Jipe Willys nas fazendas que tinham estradas longas de terra, devido a vantagem de gastar menos gasolina e ser mais rápido (o 4×2 que era um ponto negativo se tornou um ponto positivo). Depois quando ficou claro que ninguém tirava a capota de lona foi criado o TR (teto rígido) um sucesso, também no litoral devido a sua carroceria que para essa aplicação era indestrutível. Em todos os aspectos, inclusive no estético, foi a sua melhor obra.

  27. wellington disse:

    Ei FLÁVIO! MANDEI AS FOTOS DE UM AQUI DE VITÓRIA,ES HÁ UM TEMPÃO ATRÁS PRÁ VC PELO SITE DA ESPN. ACHO QUE NUNCA VIU…O DAQUI É DOURADO E TÁ LINDO TB.

  28. Daniel Bronzatti disse:

    Muito bom Indiana Gomes!!! Gosto de ver os exóticos especiais. Posso sugerir uma matéria? Gostaria muito de ver os fora de série dos anos 80, como o Dardo, os Dacon PAG ou 828, Hoffsteter Cortada, Miura Saga, entre outros… Abraços FG!

  29. Carlos Carrato disse:

    Eu preciso de uma explicação sobre essa roda. Sim, a roda que já vi em um monte de carros. Mas qual a origem? Antecipadamente agraceço.

  30. acarloz disse:

    Tem um vinho aqui em São Caetano que é a coisinha mais linda …

  31. Caique Pereira disse:

    Quando a Globo Gravava suas novelas na Hebert Richers, a Cassia Kiss tinha um Champanhe (Champangne) Metálico e sempre parava na porta do meu prédio.

    O Xef copiou o MATRA Bagheera, com seus tres lugares,

  32. 1V3N disse:

    João Augusto Conrado do Amaral Gurgel era um gênio. Desculpe, Gênio.

  33. Minoru disse:

    Se não me engano, ele também foi o carro da viúva Porcina na novela Roque Santeiro.

  34. josé carlos disse:

    tb vi em lauro de freitas dois ou três xef servindo como suporte para placa
    uma pena

  35. Walter Campos - Poa disse:

    Aqui em Porto Alegre acredito que o Smart não faça sucesso nenhum.

    Apesar da bela revenda, até hoje só vi um andando na rua.

    E mais fácil encontrar BMW Z 3 ou 4 do que smart.

    Por exemplo, não faz muitos dias na volta para casa, na zona sul cruzei com um Roll Royce.

  36. Carros pequenos, ágeis e movidos a combustível limpo. Devia haver uma lei obrigando a isso!

  37. Scarps disse:

    As ideias do engenheiro Gurgel eram muito interessantes e visionárias. Porém, afora os muito citados e discutidos interesses e problemas com as multinacionais, acredito que houve falhas do ponto de vista design e marketing.
    Se ele ocupasse o nicho ¨jipeiro¨ e a sequencia dos futuros a época SUV s estaria num nicho mais fortalecido.
    Tive um Gurgel(jipe) e sempre tive respeito pela marca.
    Pena que essas iniciativas nacionais nunca conseguiram ir em frente

  38. Mário Mesquita disse:

    Muito interessante. Nunca vi esse modelo pessoalmente…

  39. Jeambro disse:

    O meu é amarelo, 84, chassis 0060. Até hoje não inventaram nada melhor prá se estacionar, e por incrível que pareça possui um espaço interno bem generoso. Tem uma estabilidade fantástica, largo e curto, parece um kart, mas em ruas mal pavimentadas pula prá caramba.

  40. Tohmé disse:

    Vou te mandar a foto do meu. Inclusive, guardei o manual.

  41. Pedro Jungbluth disse:

    eu vi esses dias um, vermelho, e não sabia a marca, o que me agoniza. Se o carro não for chinês ou coreano e eu não souber a marca, modelo, etc, fico maluco correndo atrás.
    Corri atrás e vi, Gurgel. Me deu vergonha, não saber antes.

  42. Guerwin disse:

    Não me lembrava desse modelo da Gurgel. Muito lindo.

  43. Alvaro disse:

    Flavio, Nao sei se ja viu/publicou sobre isso. Mas você viu a reportagem abaixo? Segue o link:

    http://oglobo.globo.com/economia/carroetc/mat/2010/04/13/impala-mineiro-passou-mais-de-40-anos-numa-garagem-916327222.asp

    abs

  44. CLAUDIO AUN disse:

    este veiculo foi batizado de xef por que no tempo de prototipo o Sr.Gurgel utilizava o carro ainda sem nome,e toda vez chegava na fabrica sua secretária ao ve-lo entrar nas dependencias da fabrica dizia o chefe chegou,,,daí o carro ainda sem nome foi batizado de xef

  45. Sergio SP disse:

    Eu lembro que um Xef zero custava pouco mais que um XR3, então era bem caro também.

  46. Cersão disse:

    Pelo visto, esse aí tá quase zero, hein ? Lindo !

  47. Saleh Freitas disse:

    Flávio,

    Em Lauro de Freitas, cidade da região metropolitana de Salvador, existem dois Xef’s amarelos que servem de suporte para propaganda diversas. Assim que passar por lá e encontrar os pequeninos eu tiro uma foto e lhe mando.

    Um abraço

  48. Flavio Bragatto disse:

    Gurgel era um visionário mesmo!!! Ele não tinha a menor vontade de brigar com as grandes, então ele produzia seus carros em seguimentos de mercado onde não tinha ninguem.

    Sempre ficam as perguntas:
    - Qual carro concorria com o BR800?
    - Qual carro que concorria com o Carajás?
    - Qual carro que concorria com o X12 ou Tocantins?

    Respostas: Nenhum (se tinha algum, era chamados “fora-de-série”)

    Mesmo assim, arrumaram para ele. :(

    Gomes, já está disponível a materia sobre o 147 pela internet? Pode me passar o link? Isto muito me interessa!

  49. Augusto disse:

    É verdade, mas os minis de hoje tem uma tecnologia que não dá para comparar.

  50. Kleber Postale disse:

    Tem um tiozinho em jundiaí, no final da estrada velha de são paulo, que tem uma borracharia… ele tem 3 gurgéis… um deles é deste modelo aí, amarelo… os outros dois são os clássicos quadradinhos que não sei o nome… todos estão impecáveis… vou ver se tiro uma foto e te envio…

    Abraço…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>