MENU

segunda-feira, 27 de setembro de 2010 - 16:22Antigos em geral

SALVE, MARACANGALHA!

SÃO PAULO (todos juntos, vamos…) – Seguinte, macacada. Lembram do Galaxie que foi de JK, restaurado pelo Exército em Brasília com a ajuda de Dino Dragone e seus Amigos do Galaxie? Pois agora o 16º Batalhão de Logística, sob o comando do coronel Eleazar de Moraes, vai assumir outro abacaxi. Mas igualmente valioso. Trata-se do “Maracangalha”, como foi apelidado esse simpaticíssimo jipe Willys da foto, que pertence ao Museu do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal.

Pelos dados disponíveis, o Maracangalha foi o primeiro veículo que circulou pelo Planalto Central antes da construção de Brasília. “O bichinho está muito deteriorado”, diz o coronel. Que pede a ajuda de jipeiros de todo o Brasil para iniciar sua restauração.

São necessárias muitas peças, ele mandou até uma lista, mas quem se dispuser a ajudar deve pedi-la diretamente ao coronel, pelo e-mail [email protected] Jipe é algo relativamente simples para fazer, tem muita coisa ainda no mercado. E o carro merece.

Como é por uma ótima causa, portanto vamos colocar a mão na massa! Escrevam para o coronel diretamente e ofereçam o que puderem.

E já que estamos falando de Brasília, alguém pode nos dar notícias sobre o Museu do Automóvel mantido pelo Roberto Nasser? O Ministério dos Transportes queria desalojá-lo de lá para encher o galpão de papéis velhos. E parece que o prazo iria até o fim do mês. Pessoal de BSB, precisamos de informações!

21 comentários

  1. Nicolas disse:

    Olha, compreendo a importancia dos dois veiculos reformados pelo 16 BLog, mas venhamos e convenhamos que, qualquer pessoa que tenha um minimo de noção do que é uma RESTAURAÇÃO ve de longe que ambos não foram RESTAURADOS, e sim reformados, a meu ver, numa restauração gasta-se tempo para ser feita uma coisa bem feita, o Galaxie por exemplo, vi o carro antes durante e depois, e na minha opnião, deixou a desejar….. foram usados exelentes materiais, e peças vindas de todos os cantos inclusive muitas raridades originais, porem quem olha o carro de perto e tem um bom olho critico, ve que o carro foi feito na correria, a exemplos da funilaria que não ficou bem feita (muita massa) alguns escorridos na tinta, partes visivelmente desalinhadas (como o vinco que corta o carro de fora a fora que esta completamente torto) foi feito um serviço que em qualquer oficina do mundo, trabalhando só para o carro, (como foi o caso dele) não ficaria pronto em menos de 5 meses de maneira nenhuma, eu tenho um binquedinho que quero restaurar ja a quase 4 anos (uma Caravan Diplomata 88) e até hoje não fiz o serviço por medo de gastar dinheiro para ficar como ficou o Galaxie, apenas VISTOSO, pois como disse, quem de fato conhece RESTAURAÇÃO ve que ele não teve um serviço tão criterioso assim, que todos que olham o carro fingem uma admiração que é NOTAVEL que não é sincera, porem parabenizo a iniciativa e principalmente A GARRA DOS PROFISSIONAIS E MILITARES ENVOLVIDOS NA REFORMA DO CARRO!!!
    Quanto ao Willys, esse não acompanhei muito a historia dele, mas sei que para inicio de conversa, o original não tinha portas, o que ja começa descaracterizando a restauração, e como não pude ver o resultado final, temo que ele tenha ficado como o Galaxie, apenas um banho de loja

  2. Prezado Flavio Gomes,
    Quero deixar registrado que:
    Os estagiários do XVI Curso de Estudos de Política e Estratégia da ADESG – Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – Delegacia de Uberlândia, realizou uma visita técnica ao 16º BLog onde conhecemos o projeto de recuperação desta relíquia, e o adesguiano e jipeiro Everton Vieira de Cabral fez a doação em nome da ADESG de várias peças, pneus, óleo motor etc., no valor total de R$ 8.750,00 (oito mil setecentos e cinquenta reais) para a recuperação do jipe maracangalha, tendo adquirido estas peças na JEEPAUTO em Belo Horizonte e já enviado ao 16º BLog
    Eduardo Luiz da Mata Gonçalves
    Delegado ADESG Uberlândia

  3. Cel Eleazar disse:

    Um twitter foi criado para manter os interessados ligados no andamento do serviço. O endereço é o seguinte e a partir de amanhã ele será atualidade com periodicidade:
    http://twitter.com/MaracangalhaJW

  4. Cel Eleazar disse:

    Pessoal, quem puder ajudar na doação de peças a lista é a seguinte:
    Jogo de anéis de segmento 0.40 (Kit completo)
    Kit jogo de pistão 0,40 (com pino)
    Jogo de bronzina de biela 0,20
    Jogo de bronzina de mancal 0,20
    Cabeçote (culatra)
    Jogo de juntas
    Elemento filtrante do filtro de óleo do motor
    Calço do motor
    Correia do gerador de corrente (dínamo)
    Óleo para motor gasolina 20w50
    Mangote inferior do radiador
    Tampa do radiador
    Bomba d água (ou reparo da)
    Cabos de velas 4cc
    Velas 4cc
    Tampa do distribuidor 4cc
    Rotor 4cc
    Platinado 4cc
    Condensador
    Bobina de ignição 6v
    10 m de Fio automotivo de 2mm vermelho
    10 m de Fio automotivo de 2mm preto
    06 Lâmpadas de 6 V 1 pólo
    Bateria 45 hp 6 V
    Cabos para bateria
    Terminal para bateria
    Chave de seta
    02 Lanterna traseira
    Bóia do tanque de combustível
    Tampa do tanque de combustível
    Filtro de combustível
    Bomba de combustível (reparo da)
    Pedal de embreagem (parte interna da carroceria)
    Sapata do pedal de freio (parte interna da carroceria)
    Garfo da tampa seletora da caixa de mudanças
    Colar de embreagem
    Disco de embreagem
    Platô de embreagem
    Tirante da embreagem
    Garfo da embreagem
    Semi árvore dianteira direita (bengala)
    Semi árvore dianteira esquerda (bengala)
    04 Cruzeta dos cardans dianteiro / traseiro
    Rolamento de roda dianteiro ref 2809
    Retentor de roda Ref 10032
    04 Pneus lameiros 600×16
    Roda para o estepe aro 16
    Suporte do estepe
    04 Buchas do feixe de mola dianteiro/traseiro
    Amortecedores dianteiros / traseiros
    24 Prisioneiros 19 mm com porca para as rodas
    04 Jumelos dos feixes de mola dianteiro / traseiro
    Tambores de freio dianteiro / traseiro
    Cilindros de roda dianteiro
    Cilindros de roda traseiro
    Flexível de freio dianteiro
    Lonas de freio dianteiro /traseiro
    Kit de mola de reação da sapata de freio dianteiro
    Kit de mola de reação da sapata de freio traseiro
    Cilindro mestre de freio
    Conduites de freio (tubulação rígida)
    Plástico transparente Nr 6 para capota
    Parafusos 10 mm p/ fixação da carroceria c/ porca e arruela
    Navalhado creme para estofamento automotivo
    Velocímetro ( o existente é o do CJ5 mais moderno)
    Cabo do velocímetro
    Marcador de combustível

  5. Dino Dragone disse:

    FG, muito obrigado novamente pela ajuda, meu amigo! Sem palavras! Abração

  6. Edilson Vieira disse:

    Caraca! Quem já fez trilhas com um desses (eu! eu!) sabe que é uma experiencia antropológica guiar um autentico herdeiro da 2a. guerra. Nada de eletronica, nada de cambio sincronizado, nada de direção hidraulica… ou vc sente a mecanica para tirar o melhor dele ou…nada feito. Se serve para alguém a informação, aqui em Pernambuco temos uma oficina especializada em restauração de veiculos militares – a American Jeeep, na cidade de Vitória de Santo Antão. A oficina pertence ao figuraça Sargento Urbano que, apesar do nome, sabe tudo sobre jipes e Jeeps. É um artesão da mecânica o cara, e um grande amigo.

  7. Irapuã disse:

    Maracangalha é um nome simpático para o jipinho.
    Reforço a idéia de que se crie um blog ou site para podermos acompanhar seu renascimento.
    Parabéns e votos de sucesso!

  8. alexandre disse:

    Pessoal,esse jipe aí é uma beleza.Também estou pensando que seja um 49,e eu gostaria que alguem do ramo diga afiinal de que ano ele é.Lembro ainda que em 51,haviam 3 cores de jeeps Willys:este cinza(mas as rodas não seriam de outra cor?)um verde escuro e um vermelho escuro,meio que grená(lembram dessa cor?)E a ultima:E a placa dele?Do governo?De onde???

  9. Jorge Diehl disse:

    Quem sabe o Exército fica com os carros do Museu do Automóvel…O Exército pode mantê-los, expô-los e, com certeza, vão tratá-los com todo o carinho. Afinal, estão mais que acostumados a lidar com verdadeiras relíquias – os nossos veículos de guerra.

  10. Bruno Moritz disse:

    Eu tenho peças de Cj3a em casa pois meu pai tem um desses a mais de 30 anos. Gostaria muito que o exército realmente tivesse mais desse modelo pra leiloar. Hoje em dia eles estão ficando raros mesmo.Apesar da intenção duvidosa do nosso amigo Jayme ( não sei se está brincando ou é um babaca mesmo ), o comentário dele infelizmente reflete a postura brasileira em relação aos carros antigos. Se vc não gosta, fica na sua. Vai andar com seu carro novo ( nada contra heim ) e deixa de quem gosta dos “véinhos” em paz.

  11. Joaquim disse:

    O jipinho da foto tá com cara de ser um 49, aqui conhecido genericamente como “51″. Foi o meu primeiro carro, quando tinha 16/17 anos. Se alguns se recordam das colunas Retrovisor, faço menção a ele na intitulada “O Caipira Americano”.

    Mas voltando ao mote do post, é simples, sabem quem é um dos maiores especialistas em jeeps militares no Brasil e tem até uma pequena coleção razoável?

    Barone, aquele baterista do Paralamas do Sucesso.

  12. Cel Eleazar disse:

    Estimado Flávio Gomes,
    Obrigado pelo apoio. Já começei a receber e-mails oferecendo ajuda, o que possibilitará, sem dúvidas, a conclusão de mais este projeto em alto nível. Por oportuno, esclareço que o Exército apóia as iniciativas de preservação da memória nacional. Neste caso, estamos oferendo mão de obra e instalações para a realização da manutenção e contamos com apoio de colaboradores com peças e materiais. Nesta iniciativa a Glasurit/Basf já entregou, no dia de hoje, o material necessário à pintura deste patrimônio. Mais uma vez, muito obrigado pelo apoio.

  13. O Galaxie ficou lindo! E o jpinho também deverá ficar. Vamos aguardar o resultado.

    E o Dú deu uma ótima sugestão. Um museu com os veículos, não só os das forças armadas, mas até os automóveis governamentais seria muito bacana. E a galera tem disposição em ajudar.

    Só não podem é abandonar depois.

  14. jovino disse:

    Flávio, a última notícia que tive em relação ao museu foi do próprio Nasser que se reuniu com o Governador para tratar do assunto, mas não fiquei sabendo o resultado.
    Jovino

  15. Jayme, como vc é estranho…. deve ser um lambe-saco q anda de ratoeiras rebaixadas com som auto e cara de salame.

    História é história e você pelo jeito não entende picas disso.

    Foi pra vala cibernética…uahshuas

    Abraços,
    Felipe Montanheiro.

  16. disse:

    Deveria o Cel. Eleazar começar a pensar em um museu próprio. E colocar umas Harley tbm. na parada.

  17. ALEXANDRE MAZZEI disse:

    Que legal! Vamos ver se pelo menos os automóveis ficam p/ a memória neste país tão desleixado!

  18. Jayme disse:

    Pra que restaurar? O exercito tem montes desses Jeeps, em uso ainda, aliás até as forças armadas foram sucateadas nesse país. Eles não tem algo melhor a fazer? Viraram uma oficina de funilária?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>