8/12/1980

Há 30 anos, um louco matou Lennon. E o mundo, claro, só piorou desde então.

Comentários

  • Senhor, amado Senhor, por favor nos devolva John Lennon, Freddy Mercury, Bob Marley, Jimmy Hendrix, Jim Morrison, Janes Joplin, Roy Orbison, George Harrison. Entre troca pode levar o Justin Bieber, Eminem, Lady Gaga, Britney Spears, Ivete Sangalo, Restart, Fresno, Fiuk, todos os pagodeiros e todos os sertanejos. Posso aumentar a lista se necessário.
    Amém!

  • Eu era novinho. Tinha 6 anos mas lembro do pessoal em casa comentando, indignados, a notícia. Eu não entendia nada mas sabia que alguém muito importante tinha morrido. Cresci, me tornei músico e hoje com meus 36 anos tenho a certeza, como você, de que o mundo seria muito melhor com ele. Beatles 4Ever!

  • a primeira vez que ouvi a uma canção dos Beatles, meu pai me disse: e pensar que alguém teve a coragem de matar esse cara… a música era A day in life, eu tinha 7 anos e tinha falado “quando eu for grande, quero ir no show deles”… esse sonho nunca se realizou, ainda bem que temos as músicas e os vídeos pra sempre lembrarmos dele.

    Essa cover de Stand by me, é excelente!!! Vai rodar muito aqui no pc hoje!

  • É, o tempo passa rápido demais… 30 anos já se foram… mas a obra certamente será eterna, assim como as coisas que pregava… assim como será eterna a chama do fogo que vai queimar a alma do maluco desgraçado que fez essa insanidade de matar JL…

    A propósito, para não passar batido, hoje seria aniversário de Jim Morrison, estaria chegando aos 67… taí uma música do Doors que combina com a personalidade do assassino e, também, com esse mundo doido que vivemos: http://www.youtube.com/watch?v=JPPBAIjq2lk

  • Quando tive que usar óculos na infância, meu primeiro modelo era igual ao dos policiais do seriado “Chips”, mas quando cresci um pouquinho mudei de armação. Passei a usar óculos redondos iguais aos do Lennon. Meu cabelo era meio comprido e eu adorava ser chamado de Lennon na escola e nas ruas. Hoje, pelas fotos, eu me parecia mais com o Harry Potter (de quem faço questão de não ler uma só linha de livro, ou ver uma só cena de cinema).

    Eu não queria gostar tanto dos Beatles como eu gosto. Queria curtir mais as bandas da minha época, mas é difícil…

    Não penso que os Beatles teriam se reunido se Lennon continuasse vivo. A pseudo reunião do projeto Anthology nos anos 90 só teve o apelo comercial e a concordância dos remanescentes em função da própria morte do líder da banda. Não penso também que a Yoko Ono deixaria Lennon fazer turnês com McCartney. No fim dos anos 70 ela afastou até o Bob Dylan do convívio com seu marido, por causa das disparidades religiosas dela com o americano.

    Lennon hoje estaria aposentado feito Bill Wyman, baixista dos Rolling Stones. De tempos em tempos ele estaria relançando suas músicas, como Yoko faz com ele estando morto.

    • Só um comentário:
      A Yoko Ono quería a todo custo ser tao importante como Lennon (veja o video cirsus dos Rolling Stones) mas nao tinha nenhuma qualidade artistica, além de ser super insegura, por isso controlava ele daquele jeito. Por outro lado, Jonh necessitava de uma “mae”, por isso permitiu esse controle.
      Na minha opniao Yoko Ono é a responsável pelo fim dos Beatles.

      Abraços

  • Sugiro, com fez o Flavio Gomes, não mencionarmos o nome do assassino.

    Ele não merece nem a parte suja da publicidade que lhe é dada.

    “Surely you’re not happy now you no longer play the game…

    I’m just sitting here watching the wheels go round and round
    I really love to watch them roll
    No longer riding on the merry-go-round

    I just had to let it go…”

  • 8/12/1980
    Tinha 5 anos e lembro claramente do Cid Moreira no Jornal Nacional dando a notícia.
    Nove anos depois, comecei a ouvir e conhecer The Beatles e então tive a real dimensão da insanidade gratuita cometida por esse Mark David Chapman, ser desprezível.
    Quantas vezes imaginei o que seria da música e do mundo se essa escória humana não tivesse nascido e cruzado o caminho de John.
    A reunião dos Beatles, que se encaminhava pela reaproximação de John e Paul – que havia ligado para Yoko na véspera – Ringo e George com certeza viriam atrás, as tensões da separação há muito tinham acabado.
    Quais músicas que eles teriam composto e gravado nos anos 80 seriam hinos que estaríamos cantando hoje?
    Será que teríamos tido a chance de testemunhar ao vivo um show da maior banda da história com seus integrantes quarentões?
    Como John estaria hoje aos 70, com cara de tia velha? Estaria como Paul, arrastando multidões a estádios para terem a chance de testemunhar um beatle tocando frente aos seus olhos?
    Vou parar por aqui, a morte gratuita de John Lennon sempre me entristeceu profundamente.
    E claro, o mundo só piorou desde então. E vai continuar piorando até o fim da humanidade.

    • “Quantas vezes imaginei o que seria da música e do mundo se essa escória humana não tivesse nascido e cruzado o caminho de John.”
      Por isso sou a favor do aborto, porque muitas pessoas que nao têm condiçoes de gerar um ser, um cidadao a cada dia despejam no mundo futuros monstros para que a gente cuide.

  • Muita coisa melhorou de 1980 pra cá.
    A guerra fria acabou, o comunismo acabou, o muro de Berlim caiu e a Alemanha se reunificou, a União Soviética acabou, a Iugoslávia acabou. A ditadura acabou no Brasil.
    A música , essa sim, piorou.

    • Também não sou pessimista assim. O pessoal está começando a ter consciência ecológica, as pessoas mais novas evitam jogar lixo no chão, as mulheres têm mais direitos, as minorias têm mais direitos, estão começando a respeitar os animais e achar que talvez não tenham sido criados só para servir aos humanos, etc.

  • O que é mais engraçado a respeito de John Lennon é que, por tudo que vi, li e ouvi, ele era um cara extermamente normal. Apenas um cara que queria viver bem, se pai, ser músico, trabalhar, se divertir, ter responsabilidades, como qualquer um. Que tinha idéias próprias e ideais modernos. Um cara que tinha defeitos como qualquer um, que poderia ser grosseiro até, mas que ao mesmo tempo, era solícito com os fãs e amigável com todos. Lennon é gente como a gente. Morreu como ídolo, e faltou ser humanizado. Vida longa a Lennon, que seu legado deixe-nos pelo menos a sensaçao de que, apesar de humanos, podemos ser melhor.

  • No dia seguinte a morte dele, quando as notícias nos jornais só falavam disso, eu só conseguia chorar. Chorar e mamar e sujar a fralda de Recém Nascido.
    Nasci no dia seguinte a esse acontecimento. Na Verdade como eu nasci as 02:00 da manhã, posso dizer que algumas horas depois disso!

  • Grandes homens deixam um vazio enorme quando partem deste mundinho cão. Renato Russo, Freddie Mercury, Lennon etc. É terrível perceber que essas pessoas fazem uma falta … pois faziam o Mundo um lugar mais suportável.
    RIP John.

  • Sim…e esse cara, essa verve ainda continua por aí…
    matando alguns, esquartejando outros, ferindo aqueles,…
    o ser humano é assim…aqui nós vemos em alguns comentários…em caixa alta, falando palavrões (o famoso f…), desconcertando a opinião de colegas, se achando com “verdades absolutas”… sinceramente, não vejo diferença nos atos… Você, Flavio, percebi por alguns comentários e acompanhando o seu blog (participo pouco…falo pouco), que tens belas opiniões perante a mídia vigente (apesar de fazer parte dela), politicamente (somos todos) e, claro, culturalmente como o seu blog se propõe. Sempre se posicionando (como deve ser, acho eu), sobre questões cotidianas que nos afligem. Esse blog é de F-1 (e eu gosto muito…há 35 anos!!!!), mas não se torna inerente aos assuntos do nosso dia-a-dia (cadê o giramundo???). Por isso sim, acompanho sempre (e falo pouco), mas o prazer de ter um jornalista/pessoa com uma visão política e, julgo, independendente, me faz acompanhá-lo para ter essas “pérolas” interessantes sobre outros assuntos, que não automobilismo. Obrigado por fazer isso!

  • Caramba, como xinguei o Chapman! Cretino, FDP, @#%&¨¨#@, tudo que eu podia imaginar…
    Só torcia para ele não ser parente do Colin, a quem eu muito admirava.
    E passei muito tempo sem conseguir tirar aquilo da cabeça.
    Até hoje acho inconcebível que algo assim tenha acontecido.
    John foi um de meus grandes ídolos.
    Quando fui a New York, fiz questão de visitar o prédio, o local do crime e o espaço Strawberry Fields Forever.
    Aquele FDP tem que viver muito ainda, mas lá onde está…