ONE COMMENT

Está na hora de incorporarmos ao léxico os vocábulos “pilota” e “ídola”.

Comentários

  • Bom. Mas já vi melhores.

    O detalhe é, se fosse no Brasil, seria criticado por incitação à imprudência e ao excesso de velocidade.

    Mas como é uma ex-pilota, é um Audi e são europeus, mais educados e mais civilizados que nós, daí pode!

  • Duas coisas

    1º) Michèle Mouton é a maior pilita de todos os tempos. Fala-se muito na marrentinha da Danica Patrick, mas ela só não foi campeã do Grupo B com a Fabrizia Pons de co-pilota porque a transmissão do Audi não era confiável e quebrou a menos de 1 km da última especial do último estágio da última etapa do campeonato. Com a folga que ela tinha, ganharia o rally e o campeonato. O tal de Destino gosta de pegadinhas!

    2º) Tenho medo da humanidade. A quantidade de imbecis aumenta exponencialmente. Falar que um vídeo desse homenageando a sra. Mouton é comparável ao do débil mental a 200 km/h na Imigrantes é de um nível de imbecilidade em alto grau!

    • Pois é Edilson, foi um dia inesquecível. Michele era uma morena linda, rostinho angelical, cabelos pretos e encaracolados, corpaço naquele macacão apertado na cintura, uma bela bunda (cá entre nós), uau !!!! Era sensacional, e “pisava” que era uma barbaridade!!!!! rsrsrssssss.
      Vc não acredita o que aquele Audi berrava nas mãos dela !!!!! E ela ainda deu aquele baita sorriso para minha namorada e eu.
      Estavamos olhando o motor da fera quando um mecânico fechou o capô, Foi quando a ví entrando no carro, Ela sorriu para nós, sentou lá dentro, sorriu de novo e “deu na partida”. Aquela marcha-lenta nervosa, deu uma aceleradinha bem suave, nos olhou de novo e deu um sorrisinho, saiu do carro e ficou conversando com o mecânico que regulava alguma coisa nos pedais.
      Não teve como não me apaixonar instantaneamente por ela.
      Chorei (de novo) quando vi esse vídeo.
      É engraçado como nos ligamos fortemente em algumas pessoas de realidades tão distantes.
      Sempre me lembrei dela ao longo de minha vida! Impossível esquecer.

  • O policial “bateu continência”: reconhecimento e respeito, pelas pessoas, sua história e seus feitos, é isto que se encontra na Europa, Japão e Argentina. Civilização e cultura.

  • Acho que a Michele é um ícone e, a propaganda, muito bonita e bem feita.
    Mas se fosse um brasileirinho… Num Audi ou Porsche… Um policial brasileiro negligente…
    Ainda assim não devemos esquecer que é uma propaganda e que essa propaganada não isenta os idiotas irresponsáveis que causam acidentes por excessos.
    De qualquer forma, não gosto de Audis mesmo…rs.

      • Só lembrando que essa senhora de 60 anos já ganhou no WRC, aliás sendo a única a mulher a ganhar etapas, tendo ficado em segundo lugar no campeonato de 1982 (sendo a sua última vitória aquí. no Rally do Brasil) e ainda por cima pilotando um carro do lendário grupo B e, em 1985, quebrou o record de Pikes Peak com mais de 13 segundos de vantagem.

        Sempre digo para as minhas amigas barbeiras ( e para os barbeiros também, é claro ) que eu gostaria de pilotar tão bem como algumas delas e Michelle está no topo da minha lista!

    • Olha com quem ela estava dividindo as atenções naquele dia, e o nome da competição, alias no dia em que conseguir sentar em um carro de corrida e ao menos ser lembrado de quem foi um dia, diga algo, senão apenas aprecie e não fale bobagens pois são digna de pena comentarios sem base.

  • Meu caro Flávio
    Me emocionei, vi essa mulher pilotar pessoalmente no começo dos 80 (81 eu acho). Certa vez o mundial de Rallye passou por aqui, em Paraibuna – SP, eu morava em São José dos Camposm, fui na estrada ve-la passar com seu Audi Quatro, em uma curva de terra aberta e longa, escolhida a dedo dois dias antes, entre Paraibuna e São Luiz do Paraitinga. Estava com minha namorada (hoje esposa) sobre um morro de grama, bem próximo da “pista”, na parte interna da curva, chegamos lá no meio da madrugada. Aqueles “cinco cilindros” turbo, roncando alto, com o pé daquela garota “fincado” na tábua em contra-esterço, altíssima velocidade, desafiando as leis da física, me fez chorar. Por lá passaram também Shekhar Mehta em seu Datsum, Ari Vatanen em seu Escort RS 1800, mas Michele foi espetacular! Lembro-me de ir ver os carros de perto no final da tarde, eles estavam utilizando o posto e restaurante “Castelinho”, na Rodovia dos Tamoios, como base para os boxes. Naquela época era fácil e “permitido” entrar nos “boxes”. Lembro-me que o Audi parado, capô aberto, cheirava “doce”, uma mistura de WD 40 com açucar. Além “daquilo” ser um foguete, com aquele ronco demoníaco, era “cheiroso” …. foi aí que vi Michele bem de perto, mulher linda, nos olhou e deu um longo sorriso, nunca mais a esqueci, acompanhei sua carreira toda, torcia por ela.
    Estou aqui com os olhos cheios d’água, tudo isso me veio agora, todo esse privilégio que só o tempo proporciona.
    Homenagem muito merecida da Audi, certas pessoas são inesquecíveis, para mim, ela é uma delas, bastou aquele sorriso, domando aquele “demônio” cheiroso!

    • Cara tanto video quanto seu comentario me levaram as lagrimas, não sei se estou meio sentiemntal demais, mas reconhecer as pessoas ainda em vida me enchem de orgulho, pois estou cansado de ver as pessoas somente apos elas partirem desta para uma melhor, valeu pelo comentario parabens por ter tido o previlegio de ver uma corrida de rally, pois este e um dos grandes sonhos que tenho na vida, qualquer pais furreco da europa tem todas as categorias a disposiçao, rally, F1, moto gp, trail, motocross, etc… enquanto nos aqui temos que dividir com a argentina, um recebe a F1, e o outro o mundial de Rally, isso não existe ou somos um pais que exige as coisas ou nos aceitamos tudo que e empurrado goela a baixo.

      • Marcelo
        Ter mais de 50 anos tem lá suas compensações, poucas, mas algumas experiências a gente “salva como” e ficam fixadas nas memórias sentimentais, auditivas, olfativas … Tenho o maior carinho por essa mulher, aquele sorriso me marcou, sem falar de como ela fazia aquele Audi berrar …. rsrsrssssss. Ela “pisava” sem dó!!! Era linda (ainda é), e muito gostosa, cá entre nós!
        Quanto a eventos desse porte, vão vir todos para o Brasil. Nossa economia é uma das mais saudáveis do planeta, nosso “mercado” está entre os 10 maiores do mundo em todos os setores. Quem não vier para cá promover eventos desse porte é uma besta.
        Todas as fábricas de automóveis que participam do WRC estão no Brasil, vendendo pacas! Se estamos comprando delas, pagando muito caro por sinal, os carros mais caros e mais taxados do planeta, onde estão as contrapartidas? Será que as fábricas e o “Governo” são tão fdp assim? Será?

  • Pilota e Ídola sim Flávio, mas deveria permanecer assim apenas dentro das pistas que ela já frequentou pois, se começarmos a encarar propagandas como essas uma coisa louváveis, tbm não deveremos ficarmos perplexos e indignados quando assistirmos vídeos como o do “Piloto” e Idiota andando a duzentos e tantos km por hora em plena Imigrantes. Se a Michelle pode então todos podem tbm.

  • Ah sogra, sogra! Essas peraltices ao volante hein?….mas tudo bem; você, eu deixo dirigir para mim…

    P.s: monumental homenagem; uma marca que lembra dos seus ídolos, sempre terá o respeito do público.