MENU

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011 - 17:03Publicidade

ENTREGA QUANDO?

GUARUJÁ (simples e bonito) – O Lio de Campos mandou o comercial da Renault que fez sucesso neste ano na França. Legal mesmo. Mas seria mais legal ainda se as concessionárias de verdade tratassem assim donos de carros antigos de suas marcas. Já passei por isso levando um Karmann-Ghia, uma vez, e um Gol, outra, em concessionárias Volkswagen. O que deveria ser motivo de orgulho para os funcionários, que deveriam receber esses carros com respeito e reverência, virou chacota e má-vontade. As fábricas, no Brasil, deveriam treinar melhor seus funcionários.

40 comentários

  1. Nikolas Spagnol disse:

    Na Carbel em Belo Horizonte (MG), já quiseram me cobrar acho que uns R$ 200 para trocar o “sensor da luz de ré”, porque a luz de ré não tava funcionando. Não paguei, e depois descobri (sozinho) que a luz não funcionava porque um retardado lá mesmo havia trocado os fusíveis de lugar.

    Concessionária vive é de vender carro novo, se você aparece com um usado, eles querem ridicularizar seu usado pra você levar o 0 Km. É triste, mas é verdade.

  2. Luiz Antonio disse:

    Sempre ando de carro usado, entre 8 e 12 anos, só assim posso manter um carro que atenda minhas necessidades, já tive um Laguna e fui muito bem atendido na Renault, já atualmente com o Suzuki Baleno…
    Levei o Suzuki a concessionária e o espanto, só aceitam carros “velhos” (palavra usada pelo consultor) até 2009.

  3. Nelson Weiss disse:

    flavio:obrigado por nos brindar sempre com ótimas novidades.este comercial é primoroso.Quanto ao atendimento,infelizmente a maioria do povinho é assim mesmo,pouca educação menos cultura e nada de respeito com os antigos.Mas todos se não morrerem cedo,ficarão velhos tambem.

  4. Tiago Mio disse:

    Tinha uma Corsa Wagon 1999/1999 queria trocar ela por um carro mais novo. Ai eu passei em frente a uma concessionária da Chevrolet a tal da Vigorito na Martins Francisco, tentei comprar um Corsa Classic 2010 0KM, eu pago a diferença. O meu Corsa na tabela valia uns R$15,000,00 pessei se o vendendor fala que paga pelo monos uns R$9,000,00 a R$10,000,00 nele tudo bem. o vendendor chega ali mau olhou o carro e disse: R$ 4,000,00 si quisé se não procura outro lugar.
    Eu respondi o Carro dá novo na tabela ele vale no máximo R$15,000,00 .
    Ai ele respondeu: Carro assim eu vendo rápidinho, nem vale a pena pega.
    Caramba a própria Chevrolet fazendo pouco caso, com próprio carro fabricado.

  5. Estou de férias e aproveitando o tempo para procurar peças para o meu Monza S/R que estou restaurando, o segredo para não ouvir no balcão de peças “Não existe mais” antes do vendedor consultar o estoque é: Nunca fale o modelo do carro, diga por favor quero 1 peça numero 94123456 e eu sei que vc tem 3 no estoque pois consultei pela internet.”
    Abraços e feliz ano novo a todos.

  6. Digo Garcia disse:

    Tenho um 1.6R 1990, e é incrível como os consultores de concessionárias acham que Uno se limita ao Mille.
    Outro dia, um destes teimou comigo que não existiu 1.6R com vidros elétricos originais, e simplesmente desconhecem as diferenças de suspensão entre o meu e um outro modelo de Uno.

    Entre várias outras coisas, como achar que 1.6R só saiu com a frente “baixa’ em diante e por aí vai.

  7. Showww… um dia eles serão muito respeitados! Bom se meu Gol Bx de 45 mil km, e atuais Voyage de 75mkm e Parati de 150mkm tivessem o mesmo tratamento! Na verdade, ja foi pior, hoje as marcas se aproveitam do status dos antigos de uma forma ou outra. Mas triste mesmo é a Laika, nem concessionaria pra ser esnobado tem :(

  8. Clezio Soares da Fonseca disse:

    Em 1998 quando o rodízio de veículos se estendia até o ABCD paulista, nessa época eu trabalhava com uma kombi cabrita e fazia entregas de materiais de manuntenção (válvulas pneumáticas) nas montadoras , como ganhava por entrega não podia me dar o luxo de folgar no meio da semana. No dia do rodízio da minha companheira de labuta, eu simplesmente ia trabalhar com o carro do meu avô, uma Brasilia LS 1980, colocava os pacotes em seus porta malas e tudo bem. O Gozado era ver as caras dos “peões” quando entrava na antiga Ala 4 da VW onde era montadas as carrocerias dos Gols e Saveiros e andava com a Brasilia pelos corredores próximos das faícas das ponteadeiras para poder chegar ao setor de recebimento, abria o capô e retirava o produto para entregar ao conferente.. Era uma cena inusitada porque só as kombis faziam aqueles serviços de entregas, teve até um dos funileiros que disse estar feliz por não fabricar mais as Brasilias porque era muito trabalhosa. Talvez seja por isso que desprezam os antigos, hoje em dia só querem molezas de colarem esses recicláveis sem tanto trabalho.

  9. Christian Melo disse:

    Eu tenho um Monza 88 com 14.000 rodados e sei bem o que e o tratamento de alguns lugares. Já fui recusado em uma conceituada oficina independente de Campina Grande/PB, bem como por uma concessionária Chevrolet! Disseram que ‘não existiam mais peças’ para o meu carro… No final achei outra concessionária (Aluísio Silva) que ‘aceitou’ meu carro. Como bem falou o Rodrigo Moraes, quando chegamos com um carro antigo parece que temos uma doença contagiosa.

  10. Marcelo disse:

    Meu Fusca 76 foi bem tratado na concessionária Delta Veículos aqui em Joinville, durante um evento de promoção com carros antigos da marca.
    Inclusive há um Fusca 1976 de propriedade da loja que fica exposto em um canto do showroom.
    Já meu Gol foi maltratado na concessionária Servopa em Ponta Grossa, PR. Usaram um produto para limpar o painel e o excesso causou deterioração do plástico…

  11. Edson Del Rio disse:

    Qual das cinquenta e tantas montadoras atualmente instalada em território nacional mantém, ao mínimo, um único museu? Nenhuma delas preocupou-se, ao menos de registrar seus heróicos feitos em nosso país. Se tais predadores modernos não se preocupam com sua própria história guardadas em um museu estariam preocupados com clientes de décadas passadas e seus ultrapassados e obsoletos modelos? Afinal eles querem é vender a modernidade em suas linhas graciosas e lucro certo. Tais monstros devoradores preocupam-se unicamente com o balancete de fim de ano, com os lucros crescente e seu único deus é o dinheiro !

  12. Paulo Mina disse:

    Minha esposa tinha uma C4 Grand Picasso, quando fui buscar aquela merda daquele carro em uma revisão, falei pro funcionário da Citroen: “Posso trazer meu 2CV paraa revisão também?: e o cara me responde “dois o que?” tentei explicar mas não deu certo, vendi aquela merda de C4 sem remorso.

  13. Breno Peixoto disse:

    Minha querida Saveirinho 1994 também já sofreu esse tipo de preconceito em concessionária autorizada.

  14. Carlos Trivellato disse:

    É, a mania de tirar sarro de tudo existe no brasileiro ( e na Itália também, ” ti prendono sempre in giro… ” ), então, é melhor respeitar o cidadão e sentir antes o clima.
    Já imaginou um cara chato como o FG, encostando um de seus carros em uma concessionária e o atendente dizendo que o ferro-velho é no outro quarteirão? Deus me livre! Sai de baixo! O cara é capaz de espumar e agredir o “humorista”.
    Sou da opinião que o bem alheio deve ser sempre respeitado mas, convenhamos, Karmann-Ghia em concessionária, é sinal que o humorista mudou de lado.

  15. Cláudio Orestes do Nascimento disse:

    É uma triste realidade. O pessoal das concessionárias está muito mais intere$$ado na venda e revisões de carros 0K, são tão ignorantes que nem desconfiam que um dia deterrminado modelo foi produzido pela marca que representam.

  16. Leonardo disse:

    A Avó de um grande amigo possui um Corcel 73 vermelho 4 portas desde zero km. O Corcel é impecável e mostra 80 mil km no velocímetro. Ela exige que todas as revisões e consertos sejam feitos na concessionária que ela comprou o carro em 73, no caso, a Ribeiro Jung em Porto Alegre. Eles atendem o Corcel normalmente, já que em uma das vezes fui com meu amigo retirar o carro, ele é tratado como rei pelo gerente da loja. Uma pena que a avó não dirige mais e o Corcelzinho esteja apenas acumulando poeira na garagem já a uns 3 anos.

  17. Fabio disse:

    Mas vira e mexe esta mesma montadora precisa de um carro antigo para algum evento. É aí que eu me vingo dela.

  18. Sem contar o fato que no próprio trânsito já estaria rolando um buzinásso pela “lentidão” do modelo. Mas é o mesmo desrespeito que a gente vê dentro dos ônibus, onde o lugar dos mais velhos sempre é ocupado com gente “com sono”. Enfim Flavio, é questão de educação e respeito, até mais que treinamento, que é um estágio posterior… e que infelizmente não se restringe aos carros, mas às pessoas.

    E o comercial é excelente. Um abraço!

  19. Leandro disse:

    Respeitar a história não é com a maioria do povo brasileiro mesmo Gomes… uma pena.

  20. Edson Del Rio disse:

    De uma maneira geral, o atendimento as pessoas em solo brasileiro é muito ruim, beirando a péssimo. Os clientes são, na maioria dos casos, desprezados e mal tratados. Começa pelos serviços públicos e amplia-se por todas as áreas possíveis. O atendimento pode ser melhor em algumas regiões do país, como por exemplo, no sul em cidades como, por exemplo, Gramado e ficar muito a dever, em outros lugares, onde turista passa o significado de explorado. Nas revendas autorizadas, você pode ser explorado, desprezado, humilhado, reprovado, motivo de piadas feitas na sua cara e sofrer toda espécie possível de desgaste emocional, mas deverá sair contente e feliz da vida. Se tentar reclamar, a única via possível é a oral, geralmente por meio de telefone. Tente fazer uma reclamação por escrito e será impossível de ser realizada. As pessoas simplesmente se esqueçem que saindo de seu trabalho ela muda de posição do balcão e passa de atendente para cliente.

  21. Lio Campos disse:

    Condordo plenamente com Flavio que aqui no Brasil existe falta de respeito por parte de Autorizadas, mas o fato da gente e Vc divulgar e ter ganho premio como um dos melhores propagandas de 2011 sempre ajuda à mudadrem de atitude um dia .
    Mas mudando de assunto é muito gostoso assistir …a gente se transporta para a época e fica imaginando o carrinho andando por ruas não tão modernas como hoje, mas muitas coisas eram iguais …como as pessoas nas ruas,certos predios..é como o Flavio fala a gente volta no tempo ..abs Lio

  22. Jaime Boueri disse:

    Tenho uma Fiat 147 (1985) e tô precisando de muitas coisas… O último lugar que quero bater é numa concessionária FIAT. Infelizmente.

  23. Nelson Fernandes disse:

    Caro Flavio,
    Parabéns a Renault, pelo belo comercial, mas pena que é só comercial.
    Eles deveriam cuidar melhor dos carros que fazem no Brasil.
    Minha namorada tem um Sandero com pouco mais de 5.000 KM e oito meses de uso.
    Que faz um barulho na embreagem, quando você pisa o barulho para. Ela foi a uma concessionária para saber o porque do tal barulho, o consultor disse que todo Sandero faz esse barulho até um zero KM.
    Se fosse meu eu deixava lá na porta, porque parece barulho de colar de embreagem cantando, como está na garantia, eles com certeza não querem fazer.
    Efim um carro de Merda.

  24. Thiago Azevedo disse:

    O som da usininha do carro é ótimo.

  25. Wart disse:

    É por aí. Uma vez mandei um mail para a Ford perguntando sobre peças para o jipe (Jeep Ford!). Eles me mandaram entrar em contato com o fabricante. O serviço de “atendimento” da Ford simplesmente não sabia que tinha fabricado o Jeep no Brasil por mais de uma década.

  26. Beto Polo disse:

    Além do bando do Mobral, que chega prá trabalhar nos seus Gol quadrados com motor turbo e freios originais, temos gerentes de oficina que não sabem nada do universo do automóvel. Concessionária só serve para vender carro 0km. E olhe lá!

  27. conde disse:

    Se nem as montadoras se preocupam em preservar a sua memória , como acham que tratam alguém que tem um antigo ?

  28. JP disse:

    É um círculo vicioso que começa com o próprio povão, já que aqui, carro com pouco mais de 10 anos é tido como “lata velha”.

    • Fernando Bento disse:

      O problema é que os carros produzidos nos últimos 10, 15 anos não duram nada. Há pouco tempo visitei algumas lojas de usados e os carros com mais de 5 anos estavam lamentáveis: acabamento soltando, volante e bancos gastos,”grilos” por todos os cantos, pintura queimada, fumacinha suspeita saindo do escapamento, barulhos estranhos no cabeçote…
      Lembro que lá pra meados dos anos 90 um Golzinho, Monza ou Escort com 8 ou 10 anos de estrada eram ainda carros para rodar bons quilômetros sem dar dor de cabeça para quem mantinha a manutenção em dia.
      Já um carro “atual” – fabricado de 98 pra cá – quando bem tratado dura 10 anos. Depois disto os custos para repara-lo e o número de itens a serem reparados tornam-os inviáveis.
      A exceção, talvez, sejam aqueles carros que estão ha muito com o mesmo dono.

  29. ags disse:

    FG.Du cacete…o que uma excelente equipe de markting e publicidade podem fazer….ma ra vi lhosooooooo..

  30. BullittKowalski disse:

    As Concessionárias tão chafurdando em dinheiro mas não conseguem dar conta da demanda dos carros para revisão e manutenção. Então contrata gente com pouca experiência, nem curso do SENAI tem. Fora o atendimento horroroso, tem gente que mal tem base pra ter um mínimo de respeito com as pessoas.

    Isso não acontece só em Concessionárias de carros. Infelizmente acontece em tudo quanto é comércio. Sorte que não sou rato de loja nem de shopping, mas as vezes é inevitável trombar com um vendedor escroto.

  31. Rodrigo Moraes disse:

    Eu tenho um Corolla e um Bandeirante. Quando eu vou na concessionária de Corolla, é tranquilo. Quando eu vou de Bandeirante, parece que tenho alguma doença contagiosa. A Bandeirante parou de fabricar em 2001, eles deveriam ter peças até 2011, mas já há uns 5 anos não se acha nada. A Toyota mundial tem o maior orgulho do Land Cruiser (nosso Bandeirante), tem site exclusivo e tudo o mais. Mas a Toyota do Brasil tenta esquecer que já produziu o valente jipe. Uma pena, uma vergonha.

  32. fabrício Jabur disse:

    Vae lembrar que os fucnionários de autorizadas, são fuincionários da autorizada e não da fábrica em si. A carência de bom atendimento, quando se trata de respeito aoconsumidor, é coisa do Brasil em 100% das áreas.

  33. Jeambro disse:

    Ah Flavio, esquece. Aqui no Brasil nem na garantia dá pra levar carro em consessionária. Tenho uma F1000 90, agora que acabou de fazer 100 mil kms, um dia, passando em frente uma consessioária Ford, parei e perguntei quais peças eles teriam para ela. O vendedor consultou seu estoque pelo computador e respondeu em alto e bom som, – Nenhuma.
    É brincadeira? Nem filtro de ar tem mais.
    Esse país não é sério.

  34. RL disse:

    Prezado Flávio, Isso acontece no Brasil porque não temos cultura automobilística… pensando bem, a grande maioria não tem cultura nenhuma. Andar de Fusca e carros antigos em geral, mesmo que em estado de conservação impecável, é demonstração de ser
    mau-sucedido para a maioria. Aqui o legal é andar de carro super rebaixado com o funk no último volume. Grande abraço e felicidades em 2012 pra vc e sua família.

  35. Levi Davet disse:

    Eles ainda consertam Karmann-Ghia?

    A maioria do pessoal que trabalha em concessionárias hoje em dia mal entende dos carros novos, que dirá dos antigos! Melhor levar num mecânico de confiança.

    E eu queria ter um Karmann-Ghia… Sou louco por esse carro.

  36. Paulo Braganholo disse:

    Tentei conseguir (comprando claro) um manual da Parati Surf 1985 para a VW faz uns 3 anos e também virei motivo de chacota. Eles não trabalham ali porque gostam de carros, mas pelo $$$ puro e simples. Devem existir centenas de casos assim.

  37. Danilo Candido disse:

    Isso sempre acontece com meu pai, toda vez que ele leva sua Escort SW 1997 (com 19 mil quilômetros originais e aparentando ter saído da concessionária há poucos dias) à uma concessionária Ford. Às vezes, dependendo até de quem atende, a coisa flui normalmente, como deve ser. Mas na maioria das vezes, o chá de cadeira e a má-vontade são inevitáveis. E para piorar, o excelente motor Zetec da dita-cuja (anda que é uma beleza, além de ser muito econômioca) tem manutenção cara e complicada…
    Por várias vezes ele viu proprietários de Fusion e Ecosport serem passados na frente na entrada da oficina…

    • Thiago disse:

      Eu só levo carro em concessionária enquanto está na garantia, os caras enfiam a faca mesmo em serviços totalmente simples. Seu pai deveria levar o carro dele em um mecânico em que ele confie, não numa concessionária. Além disso, certamente seria mais bem recebido. Agora, o que impressiona mesmo são 19 mil km em 14 anos! Ele praticamente não usa o carro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>