ESQUISITICES

SÃO PAULO (eu, hein…) – A Carolina Mendes mandou o link com uma curiosa reportagem sobre as placas de carro mais caras do mundo. Um doido em Abu Dhabi pagou mais de US$ 14 milhões pela placa 1. Tem um outro na Inglaterra que pagou US$ 870 mil pela placa F1, que foi registrada pela primeira vez em 1904.

Tentei lembrar de algumas placas antigas de carros meus. A primeira foi CA-4343, num Golzinho. Hoje, não lembro da maioria. Mas na época da troca das amarelas por cinzas, eu arrumava umas legais, porque tinha um amigo no Detran. E você aí, tem saudade de alguma placa? Pagaria quanto para tê-la de volta?

Comentários

  • Ola pessoal,
    Meu pai teve uma Brasilia ano 77 bege, e me lembro da placa que era BR 4332 (Amarela).
    Ele teve que vender o carro pois estavamos em dificuldades financeiras na época.
    Gostaria de saber se há alguma maneira de eu descobrir qual é a placa dela hoje para poder procurá-la e quem sabe compra-la de volta. Meu pai faleceu há 6 anos, mas mesmo antes disso já tinha o sonho de compra-la e dar de presente a ele. Se puderem me ajudar ficarei muito grato. Podem me responder por email: meutaxista@uol.com.br

  • Parabens pelo Blog, excelente. É bom saber que existem muitas pessoas com a “veia enferrujada”, que curtem as antiguidades de placas de veículos, que ainda guardam parte da história, cada um com sua coisa para contar, com suas lembranças dos bons momentos vividos com as raridades que estiveram algum dia um carro que rodou por esse Brasil a fora…me lembro do meu opalão prata ano 1979, teto solar, roda gaúcha, 4 luzes de freio, farois de milha, bons tempos…dele só fiquei com as fotos e com a placa da frente VV-6464, quando ele foi vendido em 1993.
    Abs.

  • O Flávio será que o seu amigo era o Celso Russomano, pois ele começou a vida trabalhando lá no Detran, sabe qual era o cargo dele?
    Ele vendia estes números de placa, ele sobrinho do delegado da DET 4 que fazia os licenciamentos e a função dele era negociar a numeração da placa, tinha até tabela de preços, uma dobradinha, tipo 1144, custa 50 paus, uma 1111 custava uns 500 paus, uma 0001 era só para os amigos ou gente de pica grossa.

  • Excelente post, concordando com o amigo Flavio Gomes (infelizmente apenas virtual), qual é a vantagem. Não entendi as críticas dirigidas a ele. Não tenho amigos no DETRAN, mas mesmo assim consegui escolher a placa do meu carro atual, pois pedi uma que tivesse só consoante nas letras (uma mania que tenho heheeh).

    Algumas placas que tive:

    Meu primeiro carro: VH 5383 (Escort XR3 conversível)

    LS 5445 – Voyage LS 1982

    UW 0279 – Caravan 1980 verde

    SG 0303 – Caravan Comodoro 87 preta (esse esta com meu pai até hoje, com placa cinza evidentemente).

    CDB 7712 (corsa wind beringela)

  • a mais famosa das minha é a do diplomata 87 CAR 3334, perto de casa havia um corola que a tinha invertido CAR 4333, as outras são as outras. nunca precisei de amigo no detran, (nem condeno que os tenha), bastava pedir p,ara o despachante descolar uma placa legal.

  • tenho um gol bolinha com a placa LBJ – 6996… vai ser dificil esquecer essa placa, acho que por isso curto bastante o meianov, saudações ao melhor blogueiro de automobilismo

  • WB 5005 Brasilia 79 verde metélica…WA 7000 Fuscão 71 preto do meu irmão fora essa todos os carros do meu pai tinham as tais placas “campeãs” … despachante influente no DETRAN em Santos , mas não sei pq tanto espanto : é pratica normal até hoje .

  • Amiguinho no Detran ? Claro, pra vc pode, pros outros não podem.

    Se os babacas das Motos ou Porches na Anhanguera tem amiguinhos no Detran, aí não pode,

    É o tal jeitinho brasileiro….

    • Ô idiota, eu não posso conhecer ninguém no Detran? Por acaso é proibido ter amigos em órgãos públicos? Ou em empresas privadas? Ou em qualquer lugar? A propósito, meu amigo, ex-repórter da Jovem Pan, já morreu. Respeito à sua memória, palhaço. Cretino funcional.

      • Como já havia dito, eu, particularmente, ficaria constrangido em, com o auxílio de um amigo em órgão público, garantir uma exceção, fosse para obter um número de placa ou fosse para obter vantagens em uma licitação internacional milionária. Não vejo como tais coisas não necessitem ser submetidas ao mesmo critério moral.

      • inveja é foda.. se o cara tem amigos dentro de DETRAN, qual o problema dele? eu tenho mtos amigos trabalhando no ciretran aqui da minha cidade, guardas de transito e policiais.. ah algum problema em ter amigos desse nivel??? se vc nao tem o problema e seu. e nao venha se entrometer nas amizades dos outros.

  • Placas, são memoraveis, pelo menos pra mim.
    Com 4 anos de idade comecei a guardar algumas que me marcaram.
    BV 0077 – Dodge Dart 71 Verde da minha mãe.tinha 4 anos e ainda lembro…rs
    FA-0206 – Opala verde 75 do meu pai.
    DJ-7420 – TC 73 do meu avô, que quando fiz 18 anos ficou pra mim.
    UM-3006 – Opala 79 da minha mãe.
    OD-4008 – Voyage Super 88 da minha mãe.
    RA-0045 – Escort XR3 85
    DZ-2020- Monza Verde 86
    Com tres letras.
    CKK-7320 – GOL 97 Preto, um foguetinho…rs
    FLA-2020 – Uno mille 91- turbo
    FLG-2022- Peugeot 305 95
    FRK-2020 – Zafira
    FRK-2023.- S10

    Pois é o n° 20 faz parte de todos…a mais saudosa sem duvida, DJ-7420 e DZ 2020.

    Claro, todas compradas….adoro o Detran de SP.

  • Era legal pra caramba mesmo. Quando das placas amarelas minha cidade no interior do Pr tinhas as letras II e adivinhem a placa mais disputada II-1111. Meu pai bem que tentou mas sempre ficou com um médico da cidade, aí ele pegava para nossos carros a II-1011 e a II-1101, uma vez me presenteou com uma cg 125 ano 78 e a placa era II-001. Coisas simples que a gente não esquece. hehehehehehe

  • Me lembro de todas as minhas placas, o curioso é que dos primeiros carros as placas tinham números sequenciais e eu não pedi nada a ninguém… :)
    KCE 9292 Corsa Wind 95
    KCO 8811 Tempra 16V 97
    AKH 9641 Celta Spirit 02
    MFA 7881 Peugeot 206 06
    CNQ 8710 Vectra 97 meu xodó…
    JGD 5604 Peugeot 206 quicksilver 03

  • Na década de sessenta, em Goiânia, as placas eram amarelas e continham só algarismos.
    Os donos das placas com tres algarismos normalmente mantinham as placas qdo transferiam os carros. Meu Pai teve duas placas nrs 267 e 366, Eu conhecia os donos (de vista) das placas de nrs menores que 100.

  • ??-8869 – (não consigo me lembrar das letras) Caravan Comodoro 83 Prata (na verdade devia ter uns 200 tons de cinza na pintura queimada) à alcool – Meu primeiro carro
    DO-8538 – Premio 87 Branco a àlcool – o segundo, que troquei na caravan
    CED-5044 – Voyage GL 88 Marrom Metálico (lindo!!!!) à alcool – o terceiro, que troquei no prêmio
    Depois disto, como só tive carros sem “personalidade” não consigo me lembrar (nem do atual me lembro!!!)

    Mas me lembro que, toda vez que alguém da família trocava de carro, meu avô vinha anotar a placa para fazer uma fezinha no jogo do bicho.

  • Variant do meu pai – RA1666 – Campinas
    Caravan RE4397 – Campinas
    Meu Fusquinha 77 – RM3234 – placa do Rio

    Um dia desses vi um Corsa Sedan aqui em Campinas e a placa do mesmo era 2424…o coitado colocou um adesivo no vidro para dizer que era só a placa…

  • RZ-0606, de Porto Alegre, do Passat GTS 83 azul cristal do meu pai, carro que aprendi a dirigir em 91, aos 12 anos… ou CY-5550, de Canoas-RS, do TS 82 branco, comprado do segundo dono e roubado em Esteio-RS, no final de 1997, nunca mais sendo visto… esses dois Passats eram lindos…

    Hoje, nenhuma delas eu escolhi, tenho um LS 3 portas 80 cinza granizo, IHN-4474, e uma Caravan 79, IIk 4664. A do Opala 77 é legalzinha, IKZ-7884. Adorava também a do saudoso Omega 93 impecável: IBC-0607.

    Sempre tive essas repetições e sequencias nos carros mais especias, coincidentemente nenhum deles teve uma placa feia…rrss

  • Alguém aqui sabe se é possível saber a placa atual de um carro antigo??
    Na verdade eu sei a placa do carro quando ela era amarela (duas letras-4 números), e gostaria de saber se é possível descobrir a placa do carro depois da mudança para as placas cinzas…. Se alguém souber, dê um toque aqui mesmo.

  • Duas:
    OA 3904 – Caravan do meu avo. Gostaria muito de arranjar um jeito de rastrear o que aconteceu com ela, mas nao consegui
    CX 6218 – A antiga amarela do meu Aero. Anos atras quando trabalhava na GM peguei um carro da frota com a placa CXV 6218. Fiquei o dia todo tentando descobrir o que era que me parecia tao familiar nesse carro, So me dei conta quando devolvi ele no fim do dia.

  • Na boa época das placas amarelas era possível ficar com a placa e transferir para outro carro. Isso durou até final dos anos 70, mas após isso ainda era possível trocar as placas de um carro já emplacado. Agora com essa estória de a placa ficar vinculada ao número do chassis fica impossível, por exemplo, deixar um carro antigo de coleção mais personalizado colocando uma placa escolhida.
    E, para completar, a nova regulamentação para a confecção das placas as deixaram ainda mais feias, com a pintura anti refletiva e as letras e números com grafismo de gosto duvidoso.
    Cada dia tenho mais saudades daqueles anos…

  • “A primeira foi CA-4343”

    Tá, 43-43 esta anotado aqui, agora me manda mais 5 números diferentes para eu jogar na mega sena.

    “E você aí, tem saudade de alguma placa? Pagaria quanto para tê-la de volta?”

    Olha Gomes, não me lembro de nenhum número de placa de carro ou moto que tive, mas gostaria muito de ganhar na mega sena.

    Vc mandando o resto dos números(e eu ganhando)…racho” meio a meio com você!!!

    Muito rico, depois eu mando alguém procurar os veículos que tive, se gostar de alguma placa…agora milionário, compro o veículo de volta!

  • Dodginho Polara daqui de casa: GD-9970.
    Ainda temos as placas guardadas, com aquela tarja lateral na esquerda, com a cidade de Ouro Preto em alto relevo, e cor verde. Placa linda.

    Aí agora tá com placa cinza, escrota, feia, morta.

    Parece que iriam voltar com a cor amarela….será?

    Abras!

  • BUL-9372 era a placa do meu primeiro carro, Uno Mille, que comprei com meu dinheiro. Sempre dei apelido pros carros e esse era o Bull. Tive outros carros, inclusive outro Mille, mas não tinha mais aquele sabor de aventura do primeiro carro. Meu pai teve um Fiat 147 que, quando ganhou placa cinza, virou BOI alguma coisa. E o apelido ficou Pé de Boi. Hoje, por sorte, a placa do meu é FN61 WRC (moro na Inglaterra). Tem gente que paga uma baba pra escrever WRC na placa e eu levei de graça. Nunca me interessei por escrever algo numa placa, sempre penso que um dia o carro vai e com ele vai a placa, então pra quê me importar?

  • “… eu arrumava umas legais, porque tinha um amigo no Detran.”
    Tem que se ter uma vantagenzinha em tudo. Se não, num vale …
    Mas deixa isso pra lá e reclamemos do governo, dos corruptos, do povo mal educado, do país que não anda …

      • A questão na reside no valor da vantagem, mas no princípio da equidade. Essa é a minha opinião, eu ficaria constrangido em, com o auxílio de um amigo em órgão público, garantir uma exceção, fosse para obter um número de placa ou fosse para obter vantagens em uma licitação internacional milionária.
        Aliás, sobre as placas… sei que não é ilegal, mas não toparia. Acredito que tal privilégio, inclusive, poderia ter um ônus financeiro regulamentado. É a minha opinião.

      • Ah, sim, houve um problema na digitação… eu deveria ter digitado “a questão não reside no valor da vantagem”. Se o direito de escolher a placa fosse universal, não seria ferido o princípio da equidade. Como não é, estabelece-se o privilégio, que pode advir de proximidade nas relações pessoais e/ou familiares. Alguns privilégios desta natureza são permitidos; outros, como o nepotismo, são ilegais (como o nepotismo, só recentemente colocado na ilegalidade). Mas todos têm a mesma origem.