Comentários

  • Retirado da reportagem do G1: “Por isso, o apelido “Velhoster” dado ao carro, uma brincadeira com sua Brasília e o potente carro sul-coreano.” A piada NÃO é a Brasília, fica a dica.

    Admiro essa galera que toma coragem e encara aventuras assim. Vontade sobra, mas disposição falta.

  • A Brasília foi o primeiro carro no qual eu entrei. Nasci em 79, meu pai tinha uma Brasília branca 75. Ela foi furtada em 1991. Era um carro excelente; mesmo com uma boa idade, bastavam alguns cuidados mínimos para que ela permanecesse com a forma de zero km. A placa era KJ-6770. Se alguém tiver notícias, entre em contato! rsrs

  • Brasilia, o melhor VW de todos os tempos!
    Tive uma, como a dos Mamonas, amarela e com todos os trecos que cantam na música..
    Podia não correr muito, chegava mal e mal a 130km/h e tinha uma estabilidade mais ou menos no asfalto, que eu compensava no braço (cheguei a dar pau em Fiat 147 1300cc e só não alcançava Passat).
    Porém tinha um motor 1600 dupla caburação com um torque que até hoje sinto falta.
    Andava em estrada de terra que nem notícia ruim. Ninguém alcançava, nem mesmo jipe.
    Lembro uma vez que consegui superar um trecho de estrada de terra após uma chuva onde até trator tava atolado, para assombro e raiva da turma de uma kombi, dois ônibus, um trator tipo motoniveladora, um trator tipo agrícola e uma rural willis. Todos muito bem agarrados na lama.
    Foi meu primeiro e inesquecível carrinho.
    Quanto ao Ney parabenizo-o pelo feito e creio que tenha se divertido muito fazendo esse passeio pela América do sul. Parabéns pela coragem.

  • Para esse tipo de aventura com pouca $$ ainda é a melhor opção, veiculos que tem o conjunto mecanico como , Brasilia, Fusca e seus derivado ano passado fizeram o mesmo a bordo de Variant 1972 e tenho um amigo que mora em Natal que fez melhor a bordo de Br 800 chegando a Val Paraiso e retornando para Natal.