CAMELÓDROMO (5)

SÃO PAULO (aí sim!) – Tenho uma teoria. Em pista ruim, ou a corrida é muito ruim, ou é muito boa. Não tem meio termo.

Hoje foi muito boa.

E há algumas explicações para isso. Uma delas é que quando os pilotos estão dispostos, passam por cima da chatice de um traçado e vão buscar alguma coisa diferente. Hoje, muitos fizeram isso. Algumas ultrapassagens entrarão para qualquer antologia da F-1. Foi, mesmo, uma corrida excepcional.

Excepcional, também, porque ganhou quem ganhou: Raikkonen, o melhor personagem dessa F-1 plastificada e coxinha do século 21. Um cara tão diferente que quando David Coulthard, o entrevistador do pódio, perguntou a ele que dizer da corrida e da emoção da vitória, ouviu: “Not much, really”. Tem como não amar?

De fato, para Kimi, a vitória esteve longe de ser a mais emocionante das 19 que acumula em sua carreira — foi a primeira desde o GP da Bélgica de 2009, pela Ferrari. Ele largou muito bem e apareceu em segundo logo na primeira volta. O pole Hamilton, depois de atacado no início pelo Ice Man, estabilizou-se e estava tranquilo na liderança, quando, então, as coisas começaram a acontecer. Lewis quebrou miseravelmente (adoro “miseravelmente”) na 20ª volta e abandonou. Problemas na bomba de combustível, explicou a McLaren. Tive problema semelhante no meu Wartburg outro dia.

Assim, a ponta caiu no colo de Raikkonen, que teve como única preocupação, até o fim, dar coices no seu engenheiro pelo rádio. “Just leave me alone, I know what to do”, disse, uma hora, depois de uma instrução qualquer. Quando o cara pediu para Kimi cuidar dos pneus dianteiros, escutou: “É o que estou fazendo desde o começo da corrida, você não tem de me lembrar disso o tempo todo”.

É uma figura, esse finlandês.

No final, Alonso se aproximou e a diferença esbarrou em um segundinho, apenas. Ficou no ar a sensação de que se a corrida tivesse mais umas cinco voltas, passaria. Mas não tinha. E, se tivesse, os dois teriam de se preocupar mesmo com Vettel.

Esse rapaz fez uma daquelas corridas de encher os olhos. Largou dos boxes, e logo na primeira volta, apareceu em 20°. OK, normal, só nanicos à frente. Na quarta, já estava em 14°. Aí, na nona volta, aconteceu um acidente esquisitíssimo (e muito violento) de Rosberguinho com Karthikeyan. O alemão tentou passar por dentro do indiano e quase arrancou sua cabeça. Algo aconteceu com o carro da Mercedes, ou com o pé direito de Rosberg. Ou, será que ele estava arrumando o cabelo no espelhinho e não viu o pobre Narain?

Nada disso. O filhote de Curma contou que ficou sem a direção hidráulica, tirou o pé de repente e Nico encheu sua traseira. Culpa do representante do I dos BRICS, pois, assumida publicamente.

Durante o safety-car, Vettel, que já tinha perdido um pedaço da asa dianteira num toque com Bruno Senna, acabou indo para os boxes depois que a besta do Ricciardo brecou na sua frente, quase causando uma batida bizarra em fila indiana. Estávamos na 14ª volta. Vettel caiu para 21°, teria de remar tudo de novo, mas com uma vantagem: tinha calçado pneus macios (largara com os médios) e todo mundo na frente teria de parar também, em algum momento.

Depois que Hamilton abandonou, a corrida pegou fogo. Alonso passou Maldonado, numa vacilada do venezuelano, e assumiu o segundo lugar. Já tinha passado Webber de forma monumental no início, numa daquelas manobras de foder o pião (expressão usada em priscas eras pelo meu amigo Nivaldo Freixeda que eu nunca soube o que quer dizer, mas sempre me pareceu muito apropriada para certas situações). O australiano, aliás, foi o barbeirão do dia. Se deu mal quando tentou passar Maldonado, idem quando foi para cima de Massa, no fim da prova, e acabou sendo levado de roldão no acidente múltiplo que causou o segundo safety-car, na 39ª volta. Saiu desolado, o marsupial.

Antes disso, a janela de pit stops já tinha acontecido, entre as voltas 29 e 32. Vettel, àquela altura, por conta das paradas de todos à sua frente, chegou a ficar em segundo. Tá bom ou quer mais? E aí emergiu a pergunta que atormentaria todo mundo: o cara iria aguentar até o fim com esses pneus-chiclete? A resposta veio logo, na 38ª volta. Tião Alemão parou de novo, colocou pneus novinhos, voltou em quarto e já estava melhor que a encomenda, para quem tinha largado dos boxes.

O safety-car, desta vez causado pela imprudência de Pérez depois de uma briga linda e amalucada com Grosjean, Di Resta e Webber por quinto, sexto, sétimo e oitavo lugares, ajudou Tiãozinho mais uma vez, que encostou em Button e ficou dez voltas estudando o melhor momento de tentar a ultrapassagem, depois da relargada. Conseguiu a três voltas do final, de forma sublime, num ponto arriscado que poderia jogar seu campeonato no lixo. Mas era Button o adversário, um piloto limpo e decente, e assim o alemão foi ao pódio.

Raikkonen deu à Lotus sua 80ª vitória, a primeira desde o GP dos EUA de 1987 em Detroit, com Ayrton Senna. Alonso era o menos animado no pódio. Menos por seu resultado, excepcional — segundo lugar com essa carroça vermelha é para comemorar a qualquer tempo. Mas porque se ele tinha uma chance de voltar à briga com força, talvez até de reassumir a liderança, era essa, com Vettel largando em último.

E não adiantou muito. O carinha chegou em terceiro, e os 13 pontos de diferença viraram 10. Ficou praticamente igual, sua situação. Sebastian, com uma atuação exuberante, não deixou que o prejuízo fosse grande demais. E provou que além de ter um carro superior, possui também um talento acima da média, muito acima, porque não é qualquer um que faz o que ele fez hoje.

O pódio foi exemplar por isso. Nele estavam três pilotos que podem facilmente ser colocados entre os maiores da história. O Mundial, que viveu alguns meses modorrentos com a sequência de vitórias rubrotaurinas depois das férias, pega fogo de novo nas duas últimas provas.

Vettel segue sendo o favorito. Mas tem jogo, ainda. É difícil para Alonso, mas o espanhol não está com jeito de ter desistido da luta.

E uma vitória de um sujeito como Raikkonen é a melhor coisa que poderia ter acontecido no ano. Kimi é aquele cara que nos lembra, a todo momento, que para ser feliz e vitorioso não é preciso seguir cartilha nenhuma. Basta ser autêntico.

Subscribe
Notify of
guest
251 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Cléber Fabbri
Cléber Fabbri
9 anos atrás

Resultado do “2º turno” até aqui:

Vet – 133
Rai – 82
Alo – 81
But – 77
Mas – 70
Ham – 48
Web – 43
Hul – 30
Kob – 25
Per – 19
Dir – 19
Ros – 16
Gro – 14
Mal – 14
Msc – 14
Ver – 8
Ric – 8
Sen – 6

Zeno
Zeno
9 anos atrás

e se o Fettel largasse em último toda corrida , qual seria sua posição atual no campeonato? 2º?

Burrinho Batiquebra
Burrinho Batiquebra
9 anos atrás

Só existe uma maneira do Massa conseguir ajudar o Alonso no campeonato: largando uns 30 minutos antes que o resto do grid. Ainda assim é capaz das duas RedBulls alcançarem este arremedo de piloto. O que foi aquela rodada ontem? Ridícula, patética, grotesca. Em toda equipe temos um piloto predominante, mas o que acontece na Ferrari é um descalabro. Só falta o Massa bater no Alonso em uma das duas corridas que faltam, para completar seu ano deplorável.

Por falar em deplorável, vimos lá pela metade da corrida uma STR literalmente saiu da pista e entregou a posição para o Vettel. Não sei se foi o Ricciardo ou outro. A turma da pachecagem, tão alerta e policialesca quando da ocorrência de jogo dentro da equipe (coisa que todas, atenção, todas as equipes fazem), não se incomodou nem um pouco com este jogo interequipes. Uma vergonha, que a imprensa especializada ignorou. Ah, se tivesse um brasileirinho envolvido… Ah, se fosse o Massa lutando pelo título e uma STR entrega a posição para uma RBR. Lembram de Interlagos, 2008? Uma Toyota, já sem pneus, permitiu uma ultrapassagem do Hamilton porque simplesmente não havia o que fazer, tração zero. E o mundo quase acabou! Quatrocentos pesos e quatrocentas medidas.

De mais a mais, concordo com a análise da prova, ótima corrida. E cá entre nós… o El Fodón é chato, marrento, reclamão, mas vai pilotar assim mais pra lá, camarada. O homem leva o carro nas costas. Não é a primeira vez que me pego, inebriado, vendo a munheca e a raça desse cara. Nas voltas finais, quando perseguia o Raikkonen, não foram poucas as vezes em que o malandro colocou o carro simplesmente de lado naquelas curvas de 90º, e ainda conseguia reduzir a diferença. Se fosse qualquer outro José Arroela, eu daria o campeonato por acabado, mas com esse cara na luta, só esperando até o último segundo.

Francisco M
Francisco M
Reply to  Burrinho Batiquebra
9 anos atrás

Sem falar na ultrapassagem do Vettel no Grojã, por fora da pista, na zona azul, o que é proibido desde o Bahrein… Ninguem falou nada, o francês reclamou, foi ao ar, e a FIA fez que não era com ela.

Jr.
Jr.
Reply to  Francisco M
9 anos atrás

O Vettel devolveu a posição pro “granja”, depois.

Marcos Araujo
Marcos Araujo
Reply to  Francisco M
9 anos atrás

Como assim ninguem falou nada? o Babão Buenno falou no momento que aconteceu a ultrapassagem. E não poderia haver punição porque o Vettel devolveu a posição para o Grojean e na volta seguinte fez nova ultrapassagem.

nelson maciel filho
nelson maciel filho
9 anos atrás

Tudo indica que o Vetel será o campeão, mas o Alonso é genial. O maior piloto da fórmula 1 dos últimos 15 anos. É um piloto excepcional, veloz, inteligente, apesar de ter um carro ruim. O Vetel tem a obrigação de ganhar o campeonato. Na época da Ferrari até Rubinho Barriquello cortava 20 carros. Gostei muito do que o Reginaldo Leme falou: Alonso representa 90% e o carro e a equipe 10%. Mas não podemos tirar os méritos do Vetel que é um grande piloto, ainda que o seu carro seja extraordinário.

Carlos
Carlos
9 anos atrás

Que o Vettel é muito bom, não há dúvida, mas no dia que a NASA resolver voltar a mandar macacos para o espaço, vai contratar o Newey pra projetar as espaçonaves. Se a FIA quiser equilibrar o campeonato sem precisar fazer marmeladas de improviso, é só baixar uma regra determinando que carro projetado pelo Newey tem que pesar 100 quilos a mais que os outros.

LUZ PRATA
LUZ PRATA
Reply to  Carlos
9 anos atrás

ai caro Carlos…e o botao que para o carro do Negao n 1 do Grid ??? quantas vzs esse ano ja o apertaram ???

Alan Borghini
Alan Borghini
Reply to  Carlos
9 anos atrás

Alonso fazendo melhor volta volta em cima de melhor volta no final, Hamilton fazendo pole colocando quase meio segundo no Vettel, e a RBR é que é de outro planeta? Tem certeza?

Francisco M
Francisco M
Reply to  Alan Borghini
9 anos atrás

Taí, esse é um bom ponto. Dos segundos pilotos, o melhor pra mim é o button, o mais rápido é o Webber e o mais fraco o Massa. Dos primeiros pilotos, o melhor é o Alonso, depois o Hamilton e Vettel, veja que é minha opinião, mas a diferença entre os três eu diria que são detalhes. Nesse raciocínio, acho que button e webber se trocassem de carro não fariam muito diferente. O Hamilton no lugar do Vettel teria mais poles e o alonso já seria campeão. Se você acompanhar os tempos de volta durante a corrida pelo livestream da f1, vc vai ver que a Ferrari tem seu melhor desempenho nas ultimas voltas do stint, ou seja, com pneus gastos.

Carlos Ribeiro
Carlos Ribeiro
Reply to  Alan Borghini
9 anos atrás

Bem observado, Sr. Lamborghini.
O Alonso faz volta mais rápida em cima de volta mais rápida na corrida e o carro é ruim?!! Vai nessa.
Acho é que falta piloto ali. Põe o Vettel para ver como o carro anda!!
‘crazy frog’ neles rin din di din din din din din

Carlos
Carlos
Reply to  Alan Borghini
9 anos atrás

Alonso, desesperado e de tanque vazio, fazendo melhores voltas quando Kimi “Sorriso” e Tião Vettel apenas administravam suas posições. Tem este detalhe, certo?

Paulo F.
Paulo F.
9 anos atrás

Quase todos os campeões venceram este ano. Menos aquele que tem um equipamento visisvelmente pior que o resto.

Micromax
Micromax
Reply to  Paulo F.
9 anos atrás

O Rosberg venceu……e aí??

Carlos
Carlos
Reply to  Paulo F.
9 anos atrás

Uai, mas não diziam que o cara ganhava tudo porque era o bom e não por que tinha o melhor carro? Concordo com o cara aí: o Rosberg ganhou corrida este ano, até o Maldanado ganhou uma com carro pior ainda que a Mercedes.

Zeno
Zeno
Reply to  Carlos
9 anos atrás

ixixix….. Paulo F. falou bobicia….

Paulo F.
Paulo F.
Reply to  Zeno
9 anos atrás

Falei não. Ou o heptacampeão venceu e não foi divulgado?
A Mercedes é a 5ª colocada no mundial de construtores , com 136 pts. A 6ª é a Sauber com 124 pts. A 4ª , Lotus tem 288 pts. Nem a Sauber ou a Lotus tem o orçamento da MB.

Paulo F.
Paulo F.
Reply to  Paulo F.
9 anos atrás

O alemão é o único heptacampeão (por enquanto, Vettel é promissor). Tem um monte de defeitos também. Como a maioria na F1 moderna se dá bem quando tem o equipamento a altura. A MB é inferior aos outros quanto ao orçamento investido, Quando compraram a Brawn achavam que estavam comprando um campeonato pronto, Schumacher incluso. Deram com os burros n`água. O critério é campeões vencedores na temporada. O Rosberg não possui título (só o papai dele). E quando se responde com o fígado dá nestes coméntários “construtivos”. Já fez sua perigrinação de finados?

Carlos
Carlos
9 anos atrás

Postaram ontem no youtube, provavelmente passou ontem tbm na tv. Sabendo que o Toto mandou o Bruno embora, fica meio falso as palavras dele no video, quando ele diz “Vejo a mim mesmo no Bruno, alguem que se cobra demais…” http://youtu.be/id2AO3BxN0E

Mauro Batera
Mauro Batera
9 anos atrás

A coisa mais ridícula desta corrida foi o Vettel ter que entregar a posição para o Grosjean, após uma bela ultrapassagem, conquistada na raça.

Hoje os critérios são cada vez mais chatos!

Em 1988 em Suzuka, Senna foi espremido pelo Prost, e teve que praticamente anda fora do limite da pista, e aí eu pergunto, nos dias de hoje, ele teria que entregar a posição?

Um fiasco, este critério!

Zeno
Zeno
Reply to  Mauro Batera
9 anos atrás

concordo….., frescura demais…

Gislene
Gislene
9 anos atrás

“ARE YOU GOING TO HAVE A LEGENDARY KIMI PARTY TONIGHT?
Well, to be honest it’s usually the same, it doesn’t matter if I lose or win, it doesn’t change the parties!””

Esse cara é o máximo!

Alan Borghini
Alan Borghini
Reply to  Gislene
9 anos atrás

Traduz aí pros brasileiros.

Francisco M
Francisco M
Reply to  Alan Borghini
9 anos atrás

Tradução livre: E aí Kimi, vai ter uma festa memorável essa noite?
_Bem, pra ser honesto é normalmente o de sempre, não importa se é uma vitória ou uma derrota, isso não vai mudar as festas!

Nilton
Nilton
9 anos atrás

Ia me esquecendo do Babão Bueno, só piora com a idade, bateu todos os recordes de falta de educação, falta de conhecimento e falta de humildade.