CHIQUE DEMAIS

SÃO PAULO(será que é assim até hoje?) – Muito legal o vídeo enviado pelo Maurício Canzian. Pelo que entendi, cada emblema da Porsche é feito com esse cuidado todo. Chiquérrimo.

Comentários

  • Taí a explicação, no site da Porsche – é um acessório especial para modelos clássicos, aí faz sentido ser tudo artesanal. Quer dizer então que a gente pode comprar um emblema desses? Deve ser baratinho….

    http://www.porsche.com/brazil/pt/accessoriesandservice/classic/genuineparts/crest/

    An essential and much-loved detail of the Porsche 356 and the early Porsche 911 is now available again. Following extensive research, the experts at Porsche Classic have reproduced the original Porsche crest. (…) . The new Porsche Crests are available for the front hood handle of all Porsche 356 (model year 1954 – 1965) and for the hood of the early 911 models (model year 1963 – 1973). As of August 2012, you can order them via your local Porsche centre.

  • Você pode comprar um destes em uma caixa requintada no museu em Zuffenhausen, se não me engano custava uns 50€.
    Só a título de curiosidade, o brasão em segundo plano, é o brasão do estado de Württemberg (Estado onde se encontra Stuttgart antes da unificação com Baden) e o brasão em primeiro plano é da cidade de Stuttgart.

  • João… o trabalho manual envolve não só a soldagem dos pinos, mas o polimento, o banho e, ao final, a esmaltação (pintura – como vc ressaltou).

    Não duvido que a Porsche os façam assim até hoje, pois pela quantidade de carros vendidos anualmente (imagino que não seja nenhum absurdo de quantidade) não se torna algo inviável a produção manual e, no mínimo, garante uma certa exclusividade e preocupação com a qualidade final do produto.

    Tem uma empresa de brindes metálicos em São Paulo (Impacto Brindes) que realiza este tipo de trabalho personalizado para quem necessita de um ou mais emblemas para automóveis. Já utilizei os serviços e recomendo.

    • Nem isso eu acredito que seja feito à mão.
      Ainda se fosse na época da Duesenberg, ou das Buggati, carros luxuosíssimos e de minúscula série, pode ser…
      O Porsche hoje é feito numa escala alta demais para permitir esse requinte.
      Acho que é (apenas) um bom filme publicitário, passando a imagem de que o Porsche é um carro feito com extremo cuidado e atenção – o que não deixa de ser verdade.
      Se o filme tivesse sido feito aqui, teria fumaça, porrada, um cara falando rápido e uma oitava acima, e o preço terminaria em 0,99. Um saco!

      • Concordo. A não ser que seja para algum modelo exclusivíssimo. De toda sorte, tenho um broche comprado no museu da Porsche. E garanto que ele tem uns 1.000 irmãos produzidos pela mesma máquina… :o)