MENU

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013 - 13:02F-1

SCORPION NO BOLSO

SÃO PAULO (chegou o verão) – A possibilidade de uma nova equipe, a Scorpion, erguida sobre os escombros da HRT, já era de vez. A equipe falida vendeu o que sobrou para uma empresa de reciclagem. Os carros deverão ser preservados e vendidos a colecionadores.

Coisa mais melancólica, essa HRT. Mas outro dia li, acho que aqui mesmo, nos comentários, uma análise mais numérica e fria que mostra que, no fim das contas, o time nem foi um fiasco tão grande, uma vergonha sobre rodas. Se classificou para quase todas as corridas, não protagonizou nenhum acidente por deficiência técnica, fez o que pôde, dentro dos seus limites.

Tendo a concordar, mas seu final não deixa de ser melancólico. Como melancólico é entrar no site da equipe, mais uma página que vai virar escombro virtual, abandonada como uma fábrica velha, uma cidade-fantasma. Sites de coisas e pessoas que não existem mais são uma nova modalidade das ruínas que no passado eram descobertas por arqueólogos vestindo roupas cáqui.

imgasahrt

13 comentários

  1. sinvas disse:

    Dentro dos parametros e varios fatos
    que ocorrem hoje na Formula 1.

    talvez fosse possivel instalar uma
    especie de CPI para apurar , estes pontos
    falhos que hoje fica cada vez mais visivel
    na categoria , existe uma certa falta de “estrutura”
    de regulamentos ou determinaçoes que ja
    estao acumulando ano a ano.(financeiro)

    Dentro do que se sabe e conforme entrevista
    de um dos tops da equipe McLaren , que boa
    parte das equipes “deteriora” na questao financeira
    e estao proximos de uma crise,
    para o suporte de se continuar o campeonato,

    pergunto .
    porque nao se tem uma formula que
    cabe dentro do bolso dos investidores , para que
    estas equipes possam continuar o trabalho ,
    ou seja “ser pequeno hoje , e ser grande amanha”.
    é claro que muitas equipes que estiverao no auge
    antes , hoje nem estao ai , mas fizeram a sua historia
    na categoria com determinados pilotos ou carros inovadores.
    hoje infelizmente nao existe estas possibilidades , pois
    ja entrao “falidas”.

    ou pelo menos ,seria possivel , como uma especie de
    alavancar “o grid” da formula 1 , impondo a obrigatoriedade
    das equipes que estiverem em uma determinada posicao
    no campeonato , que coloquem o terceiro carro para os
    possiveis “locadores” que poderiam ser equipes ou ate
    mesmo pilotos . se nao me engano , e me corrigem , me
    lembro de algumas corridas de Formula 1 da decada de 70
    onde se via claramente o terceiro carro da Lotus , Brabham,
    McLaren,March e tambem nas corridas de longa duraçao
    existia algumas equipes que nao eram oficiais de fabrica,e
    que em algumas oportunidades , tinham seu desempenho
    melhores que as oficiais.
    Acho que alguma coisa tem que ser feita , antes que o grid
    da Formula 1 esvazie de vez , a maioria dos pilotos que nao
    ficam na formula 1 estao procurando carreira em outras ,
    isto pode ocorrer uma debandada do seu publico cativo.

  2. aldo gomes disse:

    Flavio, no mundo capitalista o pequeno nasce para não crescer e o grande nasce para ser maior. Aqui no Brasil acontece os mesmos com os times pequenos, a disparidade do dinheiro rateada pela CBF faz vergonha. Na F1 deve ser a mesma coisa. Um time pequeno conseguindo se manter por mais um ano numa série “A” do brasileirão pode ser considerado um milagre, a HRT, pra mim, foi um milagre ter corrido três temporadas. Acho que no final dessa a Marussia pede o boné, infelizmente.

  3. Vinicius Batista disse:

    Eu tenho uma camiseta da HRT que troquei com um meca no final da corrida do ano passado. (Fui fiscal de sinalização, posto 14).

    Vai ficar como relíquia aqui na coleção!

  4. Durvaldisko disse:

    E o escorpião estilizado vai fazer o que com ele?
    Vender pruma astróloga?

  5. roberto disse:

    Vejam a parte de empregos!

  6. Edgar Xavier disse:

    Bem que podia pintar uns posts com os sites dessas equipes que ficaram pelo caminho….

  7. Carlos Amaral disse:

    Quem deveria ter comprado tudo da Agarretê eram as montadoras de automóveis da Índia. Afinal, a equipe abrigou os dois pilotos indianos que surgiram na F-1 até agora… rs…
    Fim melancólico, realmente. Mas pelo menos foi (quase) sempre minimamente digna enquanto durou. Só foi realmente braba no começo, quando o Bruno fez o crash-test, acerto do carro, ajuste do banco, retrovisores, pintura, lanternagem, troca do óleo, tudo no treino de sexta e de sábado da primeira corrida… Aí pareceu equipe de várzea dos anos 70. Depois melhorou o suficiente pra só ficar na rabeira, mas pelo menos o lugar cativo na última fila estava garantido, isso quando a Manor-Virgin-Marussia, com seus carros feitos no Paintbrush e testados no túnel de vento da Arno, não dava mole ou alguém do meio do pelotão tomava cartão amarelo e ia pra rabeira.

  8. Lucas Carioli disse:

    Espero que o site fique no ar pra sempre, como o da Pacific.

  9. disse:

    O Christian ao menos ficou com uma Minardi.

  10. Edgar Xavier disse:

    Nessa onda de sites de equipes que não existem mais, aos que se interessarem, segue o da Jordan: http://www.f1jordan.co.uk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *