MENU

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 - 22:23F-1

MAIS UMA DO BAÚ

SÃO PAULO (bacana, também) – Mais um vídeo legal do acervo do Alessandro Neri. Um pequeno especial com Piquet depois do título de 1981, conquistado em Las Vegas — para mim, uma das pistas mais ridículas da história da F-1. De novo, imagens raras que merecem ser vistas.

23 comentários

  1. Giba disse:

    Esses “PITIS” de Piquet sempre afastaram ele de alguns fãs. Por isso ele nunca teve o carisma de Senna, é so lembrar da vitoria de Senna em Interlagos, quando o seu carro foi cercado por torcedores e ele levanta com os braços para cima comemorando junto com a torcida. Piquet jamais terá o amor dos brasileiros como Senna teve.

    • Fernando disse:

      O que você chama de carisma eu digo que é hipocrisia pra parecer bonzinho; o que você chama de Piti eu digo que é ser autêntico e não dar a mínima para o que os outros pensam.

    • augusto proença disse:

      O vídeo não é sobre o Piquet Campeão em 81 ? Que diabos Senna tem a ver com isso? E só para constar: Senna não tinha carisma, tinha marketing…

      • jovino disse:

        Tem cada idiota. Ontem mesmo encontrei-me com o Piquet e ele não conhecia o video que publiquei também no meu blog, Mocambo Blog. O que aconteceu é que ele tinha dores horríveis nas costas e contratou, não sei porque, um lutador de boxe e que fez as massagens nele. Acontece que as massagens do cara acabou por piorar e muito as suas dores. Ele chegou até a colocar aqueles adesivos que se usavam muito para aliviar dores, mas não adiantou nada. Quando ele parou o carro estava quase desmaiando com as dores que sentia, e aí vem uns caras, balançam a cabeça dele, dão tapas onde ele mais sentia dores e ainda mais, a Globo, oportunista como sempre, queria usar as imagens de um piquet emocionado e que estava chorando de emoção para tirar os seus louros. E é isto que eu gosto da personalidade do Piquet, ele nunca deu a mínima para o sensacionalismo da rede globo. Isto é personalidade forte de um cara que saiu mecânico aqui de Brasília e ganhou o mundo na base do seu talento, esperteza e conhecimento técnico naquilo que ele fazia. Jovino.

  2. Pablo Habibe disse:

    Que corrida foi essa da qual ele iria participar de F Atlantic na Austrália? alguém sabe alguma coisa?

  3. PedroL disse:

    Alguém consegue imaginar um Piquet da vida na F1 atualmente, seria o Raikkonen³, um mito sem papas na língua.

  4. Seinfeld disse:

    “Nelson Piquet é uma pessoa estranha”.

    kkkkkkkkkkkkkkkk

    Velho mestre. Nosso campeão indiscutível, talentoso, marrento, um “garoto enxaqueca” em matéria de humor e paciência…mas sem igual.

    Acham o Kimi Raikkonen marrento? Ele não chega aos pés do Nelsão.

    Campeão com 3 motores diferentes (Ford, BMW e Honda), Turbo e Aspirado. Em menos de 3 anos de sua chegada na F1 já estava disputando o título.

    Tricampeão e dois vice-campeonatos.

    E um título, o primeiro, em cima de um argentino!

    O cara é um MITO.

  5. Alberto disse:

    Esse era um tempo que se vencia pela capacidade e o Nelson foi talvez o maior representante deste tempo; sem superpatrocinadores, managers, pais, tios ou avôs envolvidos, marketing, assessores…. foi talento, esperteza, capacidade e paixão por automobilismo… apenas isso.

    • Adepto disse:

      Tinha o pai ministro tbm! Ajuda um pouquinho né!

      • Alberto disse:

        Esse não foi o caso dele. O pai dele foi ministro quando o Nelson estava na adolescência, depois em 1969 foi cassado pelo AI5, a esta época o Nelson corria de kart com dinheiro que ganhava trabalhando da oficina Camber. Os patrocínios da Gledson e da Brastemp em nada tiveram com a participação politica do pai, inclusive porque ele morreu em 74, quando o Nelson ainda começava a dar os primeiros passos no automobilismo.
        abraço

      • jovino disse:

        O pai dele não ajudou em nada. Muito pelo contrário, o Piquet corria escondido dele e ainda quando disputava a formula super V o seu pai faleceu numa das provas em que ele disputava e ele foi substituído pelo Ricardo Achcar pois teve que vir a Brasília para o enterro de seu pai.
        Quanto ao seu, quando ele era ministro da saúde, nunca pode ajudar o filho porque era uma época em que ministros andavam até de ônibus aqui em Brasília. Não houve mazelas, e o pai do Piquet era contra ele correr porque queria investir nele como jogador de tenis. Jovino

      • José Brabham disse:

        Ministro cassado. E na década de 60. Não teve nenhuma influência na carreira de Piquet. Pelo contrário, queria que ele fosse tenista.

  6. PedroL disse:

    Alguém imagina um piloto na atualidade com a coragem que o Piquet tinha em falar sem se preocupar com que os outros iriam pensar?
    Nunca se importou com a mídia ou com a maneira que deveria se comportar, parecia um cowboy muito nervoso.
    “Ser campeão do mundo não muda nada na sua vida, vc acorda no outro dia com fome, com dor de barriga, peida.”

  7. Depois o Piquet contou que, na verdade, seu ombro direito estava extremamente dolorido. Parte do “mau humor”, na verdade, era dor. Tem uma hora que alguém sacode o ombro dele, “comemorando”…

  8. Nilton Marcelino disse:

    ESPETACULAR ! Tinha de 10 anos e me lembro desse dia como se fosse hoje.

  9. Apache disse:

    Quanto ufanismo e que narração babaca “o carro era uma espécie de prisão” kkkkkkkk.
    Que cara educado esse Nelson

  10. Ron disse:

    No Youtube tem a corrida completa.
    PS. Se pegarem o mesmo vídeo que eu, o som só surge aos 4:32 (segundos após a largada).

  11. Hein? disse:

    A Globo já queria que ele chorasse… só faltou colocarem uma musiquinha triste de fundo, exaltando a superação… Acho que por isso o Piquet saiu correndo e gritando feito louco, kkkkkk, tipo “sai fora que isso não me pega!”.

  12. Ricardo disse:

    A hora que o Piquet fica de saco cheio e dá um berro… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri de rir

  13. Carlos D. disse:

    Por que ridícula? Não era nascido ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *