MENU

segunda-feira, 12 de maio de 2014 - 12:08F-1

OS ALEMÃES

flagborradaSÃO PAULO (das fodden) – Ontem de manhã, quando observava o pódio em Barcelona e o hino da Alemanha sendo tocado de novo (no caso, graças à nacionalidade do time vencedor, a Mercedes), comecei a puxar pela memória qual tinha sido a última corrida sem que a “musiquinha do Schumacher” tivesse sido executada. Foi na Espanha mesmo, ano passado, com a vitória de Alonso e a dobradinha musical Espanha/Itália. De lá para cá, foram 19 GPs consecutivos com vitória ou de um piloto alemão, ou de uma equipe do país das salsichas.

E resolvi, num esforço estatístico, fazer um levantamento a partir de 1998, quando um motor Mercedes interrompeu a sequência de conquistas dos franceses da Renault, com a Williams e a Benetton, para levar o título com Hakkinen na McLaren. É meio arbitrário, claro. Eu poderia escolher como ponto de partida a primeira vitória de Schumacher, por exemplo, mas fiquemos com 1998. Faz sentido, por ter sido a primeira temporada efetivamente vitoriosa da Mercedes.

E vejam só que coisa incrível. De 1998 até ontem, foram disputados 288 GPs na F-1. Destes, 209 foram vencidos ou por um piloto, ou por um time, ou por um motor alemão. O que dá nada menos do que 72,5% de todos. Os pilotos alemães foram responsáveis por 115 vitórias, assim distribuídas:

- Michael Schumacher, 64
- Hein-Harald Frentzen, 2
- Ralf Schumacher, 6
- Sebastian Vettel, 39
- Nico Rosberg, 4

Já os motores alemães estavam nos carros vencedores em 103 provas, a saber:

- Mercedes-Benz, 92
- BMW, 11

Sim, se somarmos motores + pilotos, dá 218, e não 209. Mas é que algumas dessas vitórias aconteceram com pilotos e motores alemães juntos, e por isso esses GPs não devem ser contados em dobro (foram 5 vitórias de Ralf na Williams-BMW e 4 de Rosberguinho na Mercedes).

De 1998 para cá, temos 16 temporadas completas. Apenas três não tiveram como campeão um piloto ou um motor alemães: as de 2005 e 2006, dominadas pelo espanhol Alonso com os franceses da Renault, e a de 2007, com Kimi na Ferrari. Vejam:

1998 e 1999 – Mercedes (com Hakkinen na McLaren)
2000 a 2004 – Schumacher (Ferrari)
2008 – Mercedes (com Hamilton na McLaren)
2009 – Mercedes (com Button na Brawn)
2010 a 2013 – Vettel (Red Bull)

Acho que não há muitas dúvidas sobre o que representa a Alemanha para a F-1, não? É por isso que gosto de DKW.

79 comentários

  1. Thiago Muniz disse:

    É fato que os alemães dominam o automobilismo mundial !
    Principalmente nas principais categorias, dentre eles a F1 (Mercedes-Benz), WEC (Audi e Porsche), Mundial de Rali (Volkswagen), fora que possuem um dos campeonatos mais equilibrados, o DTM.
    Possuem tecnologia, know how e recursos humanos capacitado.
    Não é a toa que a Alemanha colocou os EUA no chinelo no quesito automobilismo.

  2. André Micheloto disse:

    Isso porque você não computou os que venceram com capacetes Schuberth… rs

  3. É isso, meu chapa disse:

    O futebol acabou em 1970, com a seleção do Tri, de Pelé, Tostão, Gerson, Jairzinho e Rivelino;
    A música acabou em 1976, com o disco punk arrasa quarteirão dos Sex Pistols, Anarchy in UK;
    A Fórmula 1 acabou em 1994, com a morte de Ayrton Senna, na pista, em Imola…
    Só restou o cinema, que produz filmes cada vez melhores, como o sensacional documentário Senna (2010) e os filmes da Marvel/Stan Lee, etc

    • Fabiano Lacerda disse:

      Até a parte da ‘F1 eu só achei que tu era um chato caga regra, mas depois dessa do cinema, exaltando os ‘maravilhosos’ filmes da Marvel/Stan lee, etc, perdi a fé na humanidade. Talvez esteja até certo no fim das contas. A humanidade se foi e só sobraram os bobos. rs

  4. Luciano M. Peres disse:

    Parabéns Flavio Gomes!
    Muito legal esta estatística! Bela idéia em fazê-la!
    Sou “fãzasso” dos resultados alemães, em tudo!

  5. Alessandro Barasuol disse:

    Esse domínio é apenas um reflexo do que a Alemanha representa para o mundo e principalmente para a Europa economicamente.

    Enquanto todos patinam, os chucrutes nadam de braçada, carregando a Europa nas costas.

    Isso para um país que há pouco perdeu duas guerras mundiais e é limitado geograficamente (se comparado com EUA, China, entre outros).

    Os caras são fodões mesmo!

  6. Luis Vieira disse:

    O mais curioso é que tudo isso ocorreu quando apareceu o “fenomeno Schumi”. Não que necessariamente a Mercedes entrou na F1 dos anos 90 pensando do Schumi, mas que coincide, isso ocorreu.

    Não tenho os numeros, mas até aparecer o Schumi a Alemanha que teve muita tradição e força no inicio do automobilismo (anos 20 até os 50) teve um hiato, desde os 60 até os 90. Com poucos pilotos (competitivos), equipes ou mesmo motor (lembro só de uma fase pequena da BMW na Bhrabam do Piquet). O Brasil nessa epoca foi muito mais relevante (principalmente em pilotos).

  7. João Leopold disse:

    Ótimo trabalho Flávio! Acho que um fator que destaca eles no automobilismo é os autódromos serem franqueados para uso com carro normal, além de rodovias sem limite de velocidade.

  8. Samuel Engel disse:

    Não é só na F-1 isso,veja os resultados das categorias de turismo e endurance onde a Porsche,BMW,Mercedes e Audi dão poucas chances aos rivais.

  9. Walter Borges disse:

    Automobilismo requer inteligência, educação. É física aplicada, onde se utilizam diversas fórmulas matemáticas para aprimoramento de desempenho nas mais diversas áreas – aerodinâmica, suspensão, motorização, pneus, etc. No quesito inteligência, os alemães dispensam maiores comentários. Já na pátria de chuteiras (na verdade, miseráveis descalços), o automobilismo, assim como os demais esportes sofrem um tipo de preconceito facilmente explicável pela necessidade de continuidade da política de “pão e circo”. Assim, seguimos adiante com nossos elefantes brancos, estádios superfaturados que, após o evento copa do mundo 2014 deverão ser mantidos por um povo que sequer consegue comprar um pão. Brasil – colônia de miseráveis sem esperança de dias melhores…

  10. alan disse:

    OK FLAVIO GOMES 100%=

    DEUTSCHLAND UBBER ALLES!!!!!

  11. Christian - Do Niva disse:

    Sinto saudades da dobradinha de hinos alemão e italiano, nesta ordem.

    Agora não duvido que a MB vá começar a privilegiar o Nico Rosberg para não dar o campeonato a um inglês.

  12. alemao é tao apaixonado por carro e automobilismo que fica difícil escolher uma revista na banca. sao várias opcoes só para Motorsport, outras tantas cobrindo Oldtimers, os antigos, fora motos, caminhoes, etc.. a mulherada entende bastante de carro também.

    quem já viajou pelo país e teve o privilégio de acelerar numa Autobahn comeca a entender essa paixao. sao as melhores estradas do mundo e nao cobram pedágio… ainda. a imensa maioria dirige muito bem dando preferência a quem tá mais rápido.

    quem tem VW, Porsche, BMW, Mercedes, Audi e as centenas de outras marcas menores e circuitos míticos como Nürburgring e pilotos que vao de Rosenmayer, passando por Schumacher e Vettel só pode se orgulhar mesmo. o orgulho que os alemaes tem da industria automobilistica é tao grande quanto a do próprio país e seu povo. o que nao deixa de ser um reflexo disso tudo.

    outra coisa engracada é a rixa entre Mercedes e BMW, agora acrescida da Audi. sao como times de futebol. cada um tem sua preferência e pronto. sao geracoes de famílias usando apenas mercedes pelas mais variadas razoes. já Porsche é uma outra liga.

  13. Segafredo disse:

    Flavio, isto comprova minha tese já colocada antes aqui no blog: A Mercedes foi quem colocou Schumacher em 1991 na F1 através de B.E. depois disso Bernie comecou, o que seria o início da maior negociação das ações da F1, a planejar a venda dos direitos fracionados da categoria. Em 1997 culminou vendendo 60% da F1 para um consórcio Alemão…………e depois no último capítulo em 2007 vendeu o restante para este mesmo grupo. Tem o banco alemão metido no meio com aquele escândalo de suborno do Bernie e tal! Tudo no livro de Bernie “Não sou um Anjo”.

    Repito: Schumacher é fake, Vettel é fake…….pilotos fracos quando confrontados com pilotos medianos com o mesmo equipamento., em toda sua carreira, basta olhar quando um ou outro não teve o melhor carro disparado.

    O que realmente não é fake? “Os motores alemães, os carros alemães, a qualidade de suas indústrias automobilísticas………isso temos que tirar o chapéu, mas seus pilotos não são e nem nunca foram brilhantes!

    Depois que a Alemanha passou a dominar a F1( falo do consórcio) em 1994 nenhum piloto fora da europa se tornou campeão até hoje. E enquanto mandarem na F1 será assim, pois o dinheiro compra os pilotos talentosos e fabrica pilotos medianos para ganharem campeonatos para registrarem recordes, e, com números extraordinários como esses que vc exibiu aparecerem como melhores na categoria!

  14. Pablo Canezin disse:

    Logo, para tornar o campeonato mais competitivo, basta deixar os alemães de fora!! Eles definitivamente não sabem brincar. É competência demais!!

  15. Chupez Alonso! disse:

    Pobre Alonso.

  16. José Brabham disse:

    Sou fã da Alemanha!

  17. Giuliano SPFC disse:

    Realmente, nas áreas de mecânica, química e engenharia os alemães sempre tiveram uma competência enorme, eles realmente são feras, tanto que depois da 2ª guerra, o maior espólio alemão, seus competentíssimos engenheiros e seus segredos foram disputados homem a homem por americanos e russos, o homem só foi a Lua em 69 graças a Werner Von Braun que encurtou o caminho em vários anos com seus foguetes, e vi que muitos criticam o Brasil na F1, mas na verdade é espantoso um país de 3º mundo como o nosso, ainda mais nos anos 70 e 80 em que estávamos numa merda sem tamanho, tenha produzidos tantas vitórias e campeões num esporte caro e tipicamente europeu.

  18. Rafael Ribeiro disse:

    E olha que a Volkswagen (ainda) não faz parte da festa… Poderia entrar com uma (ou mais) de suas marcas: Volks, Porsche, Audi, Lamborghini, Bugatti, só para ficar nas que tem maior sinergia com a F-1…

  19. Annibal Silva disse:

    Na f1, ainda teve a W196 da década de 1950 (campeã com Fangio). Quem leu sobre as corridas de Grande Premio da década de 1930 conhece o verdadeiro potencial alemão, com o domínio das Flechas de Prata da Mercedes e da Auto Union, conduzidas por exímios pilotos como Caracciola e Rosemeyer. Os ingleses se apoderaram dessa tecnologia alemã ao fim da Segunda Guerra. A preservação do Nurburgring Nordschleife é fruto do valor que os alemães tem pelo seu legado automobilístico.

  20. Fernando Monteiro disse:

    Muito interessante suas contas, ora piloto, ora carro, ora motor germânicos. Mas para um país que tem marcas como Porsche, BMW, Mercedes, Audi, MWM, dá para entender todo esse envolvimento.
    Ps: Se o ambiente na Ferrari já era ruim por causa do fraco carro desse ano, depois da corrida de ontem degringolou de vez, depois que Raikkonen desceu do seu carro furioso e questionou a estratégia da equipe. Ele parou duas vezes e foi ultrapassado por Alonso, que fez três paradas. Isso sem falar nas declarações irônicas do espanhol na sexta, dizendo que, ser mais rápido que seus companheiros de equipes não era surpresa nenhuma, por que ele sempre fez isso.

  21. Victor disse:

    E mesmo assim, ano após anos, lemos noticias que o GP’s realizados na Alemanha estão sobre risco.

  22. Rafael Chinini disse:

    os caras mandam bem demais!
    isso porque só tem a Mercedes praticamente, a BMW ficou menos tempo.
    imagina se tivessem mais marcas!

  23. sandro disse:

    Alguma chance de não ouvirmos esse hino no decorrer desse ano? Estava pensando nisso, em quantas provas desde a sequencia de titulos do schumacher e depois passando para o vettel e agora com o domínio da mercedes não tocou o hino da alemanha. Acho que só nas vitórias de Alonso, Kimmi e Webber né que foram poucas comparadas a de um alemão ou equipe alemã. Ah teve a do Maldonado que a equipe é inglesa.

  24. Reinaldo Bascchera disse:

    Além de DKW também gosto de VW e Porsche….

  25. Marcelo disse:

    Isso tem uma explicação, alemão investe em alemão(diferente de certos países que se lixa pra tudo, menos futebol). Antes, os germânicos só se interessavam pela parte técnica da Formula Um, principalmente a parte dos motores…e já mandavam bem nos anos 80 com motor BMW e TAG – Porsche. Quando decidiram investir em pilotos, a coisa não parou mais, e tudo começou na foto abaixo.

    Porque será que todos estão rindo a toa?
    http://4.bp.blogspot.com/-2nkaAFKG_Fk/UFXiwHpKn7I/AAAAAAAAADg/lh3CAW_9XM8/s1600/90nerce.jpg

    Abaixo, a performance dos pilotos alemães no mundial desde a primeira vitória de Schumacher na Bélgica 92, até o segundo lugar de Rosberg na Espanha 2014:

    011 – Títulos
    143 – Vitórias
    128 – Pole Positions
    126 – Melhores Voltas
    295 – Pódios

    Abaixo tudo que o Brasil conquistou no mundial:

    008 – Títulos
    101 – Vitórias
    125 – Pole Positions
    087 – Melhores Voltas
    288 – Pódios

    Dados: http://www.statsf1.com/pt/nations.aspx

    Sem mimimi, é a vez dos torcedores alemães se divertirem na Formula 1, e eles merecem muito porque investem em sua gente! Essa é a palavra chave, investimento! Brasileiros que se façam sua festa nos estádios bilionários, mas estou falando da elite, porque essa Copa não foi feita para o povo.

    Dilma: Copa do Mundo no Brasil será da “luta contra o racismo”

    Na foto abaixo, 99% nas arquibancadas só tem “loirinho de olho azul”…deve ser por causa do preço absurdo do ingresso. Só entra “bacana”, povão que se lasque, Brasil!!!

    Arquibancada da final da Copa das Confederações Brasil x Espanha – 2013
    http://www.portal2014.org.br/midia/noticias/copa_das_confederacoes_2013_e_sucesso_de_publico__804_mil_torcedores_172013-142739-1.jpg

    Brasil é um verdadeiro lixo…tomara que a Alemanha vença essa Copa!!! Pra mim, o que interessa é Educação, Saúde e Segurança padrão FIFA, esse ‘Hexa’ não significa nada!

    • Marcelo disse:

      Lembrando que, a Alemanha é um “monstro” na indústria automobilística, e também no esporte a motor, falo da parte técnica.

      E o “meu” Brasil como esta nessa área?

      Se os caras lá fora não inventam o carro, a gente tava andando de cavalo e jegue essa hora…

      Ó, só de falar no “meu” Brasil já me deu nervoso. Vou tomar meu remédio pra pressão alta e fazer minha caminhada de uma hora. Começo do ano deu “piripaque”, arritmia cardíaca, pressão alta, pré-diabete, e taxa de ácido úrico alta. Pedi 7 kg em dois meses com dieta(diminua sal e açúcar, conselho de amigo), remédios e exercícios…

      fui

      • Marcelo disse:

        Ahh, esqueci, refrigerante(principalmente Coca-Cola) é um veneno…cortei 90% por isso perdi 7 kg em pouco tempo. Também diminuí 50% massas e pães. Troquei por frutas e sucos!

        Chega, senão vão pensar que to no site do Dr. Drauzio Varella, mas eu estava caminhando para um infarte aos 45 anos…

        inté

    • Igor Soares disse:

      Esse Marcelo é prolixo. Não consegue escrever sobre o tema do post sem entrar em outros assuntos.

    • Eduardo disse:

      Marcelo,
      Concordo em todos os pontos.

  26. André Luiz disse:

    FG teve o cuidado em separar quando tanto o motor quanto o piloto eram alemães? Porque, senão estaria computado duas vitórias e a porcentagem ficou incorreta.
    abraço

  27. Arthur Luz disse:

    Flávio, e a Ferrari F2006 do Schumacher ainda está em Viracopos?

  28. AS disse:

    Indiscutivelmente as melhores cabeças e trabalhadores do mundo estao naquele país… o resto é armazém de secos & molhados.

  29. Tiago Oliveira disse:

    Mas isso se deve exclusivamente ao Herr Schumacher. Antes dele a alemanha estava atras de inglaterra, franca e italia. Isso e ciclico, e no futuro sera qq outro. Veja a Suecia q apesar de ter grana e tecnologia de ponta, pela falta de pilotos de ponta, nunca teve nada de relevante na historia da F1.

  30. @epsouza disse:

    E os links das matérias do Grande Premio, que estão todas trocadas, quando vão arrumar?

  31. Fabricio de Souza disse:

    Soh faltou fala da Oktoberfest!!!

  32. nelson disse:

    É, mas faltaram os motores Porshe, os melhores. Só não se pode esquecer que a maioria dos mecânicos, tecnicos e dos chassis, são
    ingleses. Sem Inglaterra é que não existiria F1

  33. Álvaro disse:

    Impressionante!
    Deutschland leben !

  34. Assim postei ontem a tarde numa mídia social….

    Vi o final da corrida da F1 hoje. Para não fugir ao script, deu Mercedes na frente com o melhor piloto na primeira posição.

    Isso é o que vai ocorrer até o final do campeonato com poucas variações.

    O que me chamou a atenção foi na hora do pódio, quando executam os hinos primeiro para o piloto (hoje hino inglês) e depois para a equipe (até o fim do ano o hino do Schumacher, quer dizer, hino da Alemanha).

    O impressionante é como nossa cabeça funciona, fiquei anos acostumado a ver o Schumacher vencendo, e ao final sendo executado o hino da Alemanha para ele. Ao ouvir o hino tocado para a Mercedes, sem prestar muita atenção(já estava longe da TV, fazendo um café), instintivamente eu pensei: deu Schumacher novamente. Não, não deu!

    Uma pena ele estar do jeito que está, mas Deus sabe o que faz!

    Vamos seguir em frente e torcer para que ele melhore. Não quer dizer que volte ao que era, mas que ele melhore.

  35. Valente disse:

    Bacana a compilação de dados e a conclusão que os alemães tem as usinas e são efetivamente bons de braço. Gostei do pitado do DKW, aonde tudo acaba em salsicha!

  36. jo lima disse:

    Acho que mais incrível que essa dominação alemã na F-1 foi a ausência de pilotos de ponta por quase 50 anos. Enquanto o Brasil, em 93, tinha já 8 títulos e 5 vices, a Alemanha, acho, que tinha só um vice! De 50 a 94, primeiro título de Schummy, foram 44 anos de espera – e quase nada de campeonatos. Eu não tenho a menor ideia da razão disso. Uma coisa semelhante aconteceu com a França antes do título do Proust – porém, depois dele, a França ficou ainda mais fraca em termos de piloto. Tanto que o único piloto francês hoje é um suíço de nascimento, o Grosjean.

    Enfim, os alemães já tiraram o atraso -rs.

    • Genesco Junior disse:

      Esqueceu que Vergne e Bianchi também são franceses fera…

      • Joel LIma disse:

        Verdade, Genesco. Me esqueci por completo. E isso mostra como safra pós-prost (rs) é fraquíssima. Aliás, é o consolo do Brasil (rs). Se a nossa situação na f-1 caiu bastante em 20 anos, a francesa foi pro abismo. Não me lembro, mas não deve passar de 5 vitórias de pilotos franceses nos últimos 20 anos. E olha que na parte de motor – leia-se Renault- eles se tornaram uma potência (vide os 4 últimos títulos mundiais).

  37. Leonardo disse:

    Boa FG, E isso para um pais que até o primeiro titulo do Schummy nao tinha nenhum campeao alemao, e se nao me engano a unica vitoria ate entao era de Jochen Mass em 75. Notavel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>