EU E A INDY

Em 1999, com Téo José no SBT. E Montoya ganhando a primeira. Legal demais.

Comentários

  • Eu assisti as temporadas de 95 a 2000. Depois desisti quando a Band começou a interromper as corridas pra passar São Paulo x Arranca toco ou Palmeiras X quebra canela no paulista. Em meio ao maior pega, cortavam a corrida e começava o comercial de cerveja… Era frustrante…
    Nunca mais acompanhei.
    Graças ao bom Bernie que a F1 é na Europa e Ásia. Não tem corrida a tarde.
    Pois, quando tem, nada vemos.

  • Ah, como era grande!

    O Montoya ainda era magro e o Moore ainda era vivo. Montoya entrou no lugar do Zanardi e conseguiu o quarto campeonato consecutivo da Chip Ganassi.

    E esses carros da Reynard com motor Honda eram sensacionais. É indescritível a sensação de ver e ouvir na arquibancada esses carros rasgando o retão de Jacarepaguá.

    Pena que acabaram Jacarepaguá e Indy – porque a Indy de hoje não é nem sombra daquela. Tony George deveria ser banido de Indianápolis.

  • O narrador: ” They touch wheels” aos 3:25 min. do vídeo. A uns 360 km por hora!!!!!!!!!!!!!. Alguém aí tem noção disso. Eu não tenho e jamais terei.. Abraços ao Flávio gomes e demais.

  • Sorry.. Guys!!!. Mas Isto é Juan Pablo Montoya !!!!!!!. Nunca tinha visto isso antes( vi em 2003)… nem em F1 nem em qualquer outra corrida de carros. Segue o Link. Assistam até o final. É coisa de doido: http://www.youtube.com/watch?v=sZQZ6MjtGPQ
    Obs: Dúvido que o maior JORNALISTA de automobilismo do Brasil tem essa ” “SALVADA ” NO SEU “‘ NOUTE”” Hehehehe…… Grande Flávio Gomes.

  • Em 2001, Montoya aportou na Fórmula 1. Venceu no ano de estreia, com Williams, numa corrida em Monza, na semana seguinte ao 11 de setembro. Teve bons momentos, como a bela ultrapassagem em cima do Schumacher, no Brasil. Mas comeu poeira do irmão mais novo do alemão, Ralf. Ganhou também algumas corridas pela McLaren, mas não chegou ao tão sonhado título. Para mim, ao menos na F-1, piloto mediano.

  • Era a época em que acompanhava a Indy também.
    Os carros, sem dúvida alguma, eram muito bonitos, inclusive era por isso que eu, fã da F-1, assistia Indy.
    Sempre achei que os regulamentos tinham que prezar pela beleza dos carros, isso atrai fãs, mas a F-1, com esses bicos horríveis (ainda bem que a Mercedes ganhou), faz o contrário, Os da Indy estão mais feios ainda, eu não entendo porque essa involução.

  • Hoje em dia, com todas as graçolas do Téo José, ia ser engraçada ver essa dupla. ” E agora, ele, o nosso comentarista danadinho. É com você Flavinho”.
    Acho que seria a primeira vez que um narrador levaria um croque ao vivo .

    Quanto ao vídeo, ótimo época. Embora achasse mais legais as corridas de 95-95. Tinha um bocado de carros e motores diferentes, laguna seca etc. Era bem legal.

  • Nossa, Fórmula Cart anos 90, categoria que mais curtia e sinto muito falta nos dias atuais. As corridas eram sensacionais, os carros possantes ( e em algumas ocasiões até velozes demais, como no Texas 20001…), pilotos bons com backgrounds variados, circuitos de rua, autódromos, aeroportos, circuitos em parques, ovais curtos, médios e longos chassis de várias marcas, os fabricantes de motores investindo os tubos…e claro, os carros eram lindos. Infinitamente melhores que os atuais Dallaras horrorosos que para mim que comecei a acompanhar F-Indy no final dos anos 80, sequer parecem com Indycars….

  • Para mim essa foi a melhor época da Indy, era mais legal do que a F-1. E eu ainda considero os carros dessa época de 1994 a 2000 os monopostos mais bonitos de todos os tempos. Só acho que deveria ter tido mais aventureiros, que nem a F-1 nos anos 60 e 70… e em 1989!

  • Poxa, Flavio. Eu nem sabia que você comentava pelo SBT nesta época. Não perdia uma corrida da Indy narrada pelo Téo José.

    Geralmente, meu pai torcia pelo Montoya, e eu, gostava do Gil de Ferran. Depois virei a casaca quando o colombiano foi para a F1.

    Bela lembrança! Poste mais vídeos deste período quando puder.
    Abraço!