TRÊS ANOS PARA VETTEL

SÃO PAULO(até que enfim) – O dia começou com a Ferrari se despedindo oficialmente de Alonso, às 7h54. Agradecimentos de ambas as partes e um sentimento de frustração do espanhol depois de cinco anos de casa e nenhum título.

Pouco depois, 8h20, pinga na caixa de e-mails o comunicado do time italiano confirmando o que todos já sabiam, mas que sempre tem algum impacto quando é oficial, com papel timbrado e tudo: Vettel será o substituto de Alonso, num contrato de três anos.

Sebastian já ganhou uma corrida de Ferrari em 2008, em Monza (foto acima). OK, era só o motor da Toro Rosso, mas era Ferrari, e deu para sentir a força da torcida e a paixão pela marca. Disse que sempre sonhou em guiar para o time de Maranello desde os tempos em que era molequinho e via Schumacher, seu grande ídolo, brilhar no carro vermelho.

Sonho realizado. Serão anos difíceis, mas ele pode exercer o mesmo papel que Michael, por que não? Alonso não conseguiu e jogou a toalha. É a vez de Tião Alemão. Sorte para ele, que ele merece.

A cobertura do dia agitado da F-1 em Abu Dhabi está no Grande Prêmio. Corre lá. E façam suas apostas: Vettel será campeão pela Ferrari?

Comentários

  • Me desculpem os fãs, mas a máscara do Vettel caiu….

    Acho-o superestimado por muita gente, e o fato de ter andado bem atrás do Ricciardo com o MESMO carro foi a prova cabal disso… Não tem desculpas!

    E acho que ele na Ferrari, vai comer o pão do capiroto… Primeiro pq a equipe não está essas balas todas, e segundo que o Raikkonen, quando se acertar, vai ser osso duro.

  • Olá Segafredo, tudo bem? De tudo que eu escrevi, você só se atentou a este final? Rsrsrsrs. O final é uma ironia. Tipo: mas nem com o Vettel sem o carro perfeito o Alonso consegue ficar à frente dele, heim!! Sacou? É uma brincadeirinha, porque na real você tem toda razão. É claro que a Red Bull, mesmo sem ser a melhor do ano, está melhor que a Ferrari. Portanto, Vettel não faz mais que a obrigação ao ficar na frente de Alonso, algo que, como você observou, ainda pode mudar.

    Não estou discutindo aqui os méritos de Alonso como piloto, até porque escrevi no primeiro texto que o considero incrível, talvez o melhor na pista. Contexto as pessoas que insistem em afirmar, baseadas no desempenho de um único ano, no qual andou atrás do companheiro, que o Vettel é “uma farsa”, “medíocre”, e daí para baixo. Se um cara com as características citadas na frase anterior é capaz de ganhar quatro títulos seguidos, medíocre seria o nível da Fórmula 1, não? Contexto, principalmente, o imediatismo, e cito situações de anos anteriores para mostrar que situações assim já ocorreram antes. E foram apenas ocasionais.

    Enfim, o que espero, mesmo, é uma bela disputa no ano que vem. Entre as equipes e entre os próprios companheiros, a exemplo de Rosberg e Hamilton e Raikkonen e Vettel. E, quem sabe, com um certo exagero de otimismo, Massa x Bottas?

    • “Se um cara com as características citadas na frase anterior é capaz de ganhar quatro títulos seguidos, medíocre seria o nível da Fórmula 1, não?”

      ….perfeito Fernanda, acertou em cheio!! E piloto bom não toma pau de estreante…….kkkk, brincadeira. Agora vc já imaginou se fosse Alonso sentado no lugar do Ricciardo? Teríamos um verdadeiro chocolate espanhol, e daí sim, em igualdade de material, pense nisso. Por isso que volto a insistir que nrs. não valem nada na F1(Vide Schumi e agora Vettel).

  • Sobre atribuir o tetracampeonato de Vettel exclusivamente a Newey, algo a observar. Existem carros infinitamente superiores a outros. A McLaren do fim dos 80, com Senna-Prost, era. A Mercedes de 2014 é. Garantiu um-dois já há algumas etapas. Tem 651 pontos, pouco menos que o dobro da segunda colocada, Red Bull.

    Sebastian Vettel foi campeão em 2010, 2011, 2012 e 2013. Aí pergunto: quando, nestes quatro anos, seu companheiro, Mark Webber, foi vice? Jamais!

    Alguém poderia atribuir a falta de vice-campeonato do Webber à genialidade de Alonso, que foi vice em 2010, 2012 e 2013. Eu poderia até concordar, se Webber tivesse sido terceiro colocado nestas exatas três ocasiões. Não foi.

    Em 2012, pasmem, Webber foi apenas sexto colocado. no campeonato. Além de Alonso, ficou atrás da Lotus de Kimi e das duas McLaren. A Red Bull estava, mesmo, tão superior assim?

    Em 2011, quando Vettel conquistou o título com extrema facilidade e mostrando grande superioridade da Red Bull, Webber foi terceiro. Na segunda posição, não ficou Alonso, e sim Button. Button é gênio? Com certeza, não. Um grande piloto e campeão mundial com um carro que foi durante metade do campeonato – e não durante a temporada completa – muito superior aos demais. Mas gênio, convenhamos, ele não é.

    Então, uma coisa é um carro de “outra categoria”, como a Mercedes deste ano. Outra coisa é um incrível conjunto carro-piloto. Porque ninguém ganha campeonato sem um carro vencedor. Mas este carro não precisa ser, necessariamente, tão superior aos demais. Em temporadas mais equilibradas, o que se sobressai é o conjunto formado por homem e máquina.

    Senna nunca ganhou campeonato de Lotus. Schumacher, com a Ferrari de 96 a 99, também não. Alonso, na Renault de 2008 e 2009, não chegou nem perto.

    Vettel e Newey formaram um imbatível conjunto homem-máquina. Newey projetou grandes carros e Vettel conseguiu, por quatro anos seguidos, tirar deles o melhor desempenho, fazendo com a máquina parecesse perfeita quando, na verdade, o conjunto era imbatível.

    Se a Red Bull fosse tão perfeita quanto é a Mercedes, pela lógica o gênio Alonso, ou quem sabe o admirável Ricciardo, teriam ficado com o vice neste ano. Mas não: a Mercedes fez um-dois sem dar chance a ninguém. Ricciardo venceu três corridas com muito mérito, mas sempre porque houve algum tipo de contratempo com a Mercedes. Pois, em condições normais, o carro da equipe alemã é imbatível.

    Então o Vettel perdeu para o Ricciardo neste ano? Sim. Para ficar nos considerados grandes nomes atuais, pela ordem: Alonso comeu o pão que o diabo amassou para conseguir terminar 2007 empatado, em pontos, com o então ESTREANTE Hamilton, que só conhecia os circuitos por meio de simulador e, na somatória dos resultados, ainda garantiu o vice. Hamilton perdeu para Button em 2011. Kimi, então campeão do mundo, perdeu feio para Massa em 2008 e provavelmente teria perdido em 2009, não fosse o acidente do brasileiro.

    Então, eu repito o que já disse: ninguém é tetracampeão por acaso. É até possível vencer um único título por sorte + grande carro. como fez Damon Hill, por exemplo. Mas quatro, e seguidos, jamais.

    Alonso, na pista, é provavelmente um piloto superior a Vettel. Mas não é, na somatória de fatores, um piloto mais completo. Individualista e de temperamento difícil, ele jamais conseguiu ser o líder para levar o time à vitória. Ele cobra muito de seu time, e entrega na pista um desempenho que o credencia a cobrar, mas nada faz para desenvolver a equipe, para transformar um carro em vencedor. Alguém consegue citar uma única vez em que Alonso tenha desempenhado este papel?

    Agora ele vai para a McLaren e, sem uma mudança de atitude, sem enxergar a competição de uma maneira cooperativa, provavelmente amargará mais alguns anos sem título, até se aposentar. A não ser que a McLaren entregue a ele, de cara, um grande carro, o que não é totalmente impossível.

    Vettel chega à Ferrari na mesma situação que Alonso à McLaren. Possivelmente, sem um carro vencedor. Mas, pelo que mostrou na Red Bull, tem grande chance de ser uma peça chave para levar a equipe de volta a seus melhores tempos, algo que Alonso não conseguiu fazer.

    Para finalizar, o Alonso sempre disse, ironicamente, que esperava o dia em que o Vettel não tivesse o carro “perfeito”, para ver se ele era mesmo tudo isso. Agora, diante do triunfo de Ricciardo, Alonso pode estar pensando que tinha razão. Mas, na tabela do campeonato de 2014, mesmo sem o tal carro dito “perfeito”, o Vettel está à frente do Alonso. Só para não perder o hábito!

    • Ué…….o que tem a ver ele estar na frente de Alonso na tabela? Não deveria estar á frente de Ricciardo?? Depois das Mercedes a RBR ainda é o melhor carro, o que realmente significa alguma coisa é a chapuletada que tomou do Sorrisão em 2014. Ainda temos que esperar esta última corrida, pois, nem na frente de Alonso ele pode terminar o ano! Alonso sempre teve razão quanto a capacidade do alemão……isso comprovou-se nesta temporada!

    • 1- Webber era muito ruim, fato.
      2- Mesmo sendo muito ruim, nos momentos em que o difusor não funcionou direito ele foi superior ao Vettel.
      3- Em 2011 a Mclaren foi um carro superior, fez frente a RedBull várias corridas, Hamilton bateu várias vezes e Button conseguiu capitalizar em cima.
      4- Hamilton não era estreante em uma época onde os testes eram livres e sempre foi considerado o melhor piloto britânico desde Mansell, um fenômeno da Meca do automobilismo e não um desconhecido do automobilismo australiano.
      5- Não me lembro do Alonso abandonando um teste e voltando pra casa quando foi com Vettel esse ano em Jerez. Na primeira dificuldade, deu chilique. Quero ver quando for pra pista na hora errada, sem Kers, etc.
      6- Alonso tentou desenvolver a Ferrari, mas foram para o lado errado. Alonso faz seus resultados parecerem fáceis, mas é só comparar com Massa e Kimi pra ter parâmetro.
      7- Vettel não tem o carro perfeito e está uma luneta atrás de seu companheiro. Na f1 você tem que comparar com seu companheiro de equipe, ou você acha que Alonso tem um carro perfeito? Pergunte pro Kimi…
      Acho hilário essas forçadas de barra pra enaltecer o Vettel, a verdade está aí, e o melhor ainda está por vir! Hahaha!

      • 1 – O Webber não era ruim não. Na média, com alguns bons momentos, como em 2010, quando disputou o título;

        2 – Superior ao Vettel em uma ou outra corrida específica, certo? É isso que você quer dizer? Se for, absolutamente normal. Ninguém derrota o companheiro em absolutamente todas as corridas. Eventualmente, ´é necessário um “faster than you”. Ou tirar o pé na última corrida do ano, para que o companheiro, uma posição e mais de dez segundos atrás, o alcance, ultrapasse e tente, mais uma vez (sem mérito), vencer o título;

        3 – Concordo. A McLaren foi muito bem em 2011. Talvez até melhor que a Red Bull. Ainda assim o Vettel foi campeão faltando quatro corridas para o fim do campeonato, no Japão. E o Webber foi apenas sexto colocado;

        4 – Com ou sem teste, Hamilton era sim estreante e nunca tinha andado de Fórmula 1 naqueles circuitos. Em algumas pistas, nunca tinha andado em categoria nenhuma. Sobre ser considerado o melhor piloto britânico desde Mansell, ele era considerado a PROMESSA de melhor piloto britânico desde Mansell. Não podia ser considerado melhor em coisa nenhuma, uma vez que ainda não havia andado ainda de F-1, oras. Inegável: a superioridade que demonstrou diante de Alonso no início do campeonato surpreendeu o mundo tanto quanto a superioridade de Ricciardo sobre Vettel. Não acredita? Busque notícias do fim da temporada de 2006, quando era inimaginável que o estreante fosse capaz de derrotar o então bicampeão. Em tempo: Ricciardo não é um desconhecido australiano. Ele está completando sua quarta temporada na F-1. Já é veterano;

        5 – Heim?

        6 – Sério? Não sabia. Por que você não explica a todos nós detalhes sobre esse tal “lado errado”. Como se deram esses acontecimentos?

        7 – E quem disse que o Alonso tem carro perfeito? Tá maluco? Não escrevi isso. Nem li no comentário de ninguém.

        E viva o debate construtivo!!

      • – Fernanda, Webber era ruim, nunca fez nada na f1 e em categorias superiores e até Silverstone em 2011, p.ex., Webber estava liderando o campeonato. Sem difusor eficiente, Vettel não andou na frente do Ricciardo.
        – Alonso foi superior ao Kimi em todas as corridas esse ano, Ricciardo fez o mesmo com o Vettel, mesmo com mais recursos, como foram os quatro chassis.
        – Vettel foi campeão, mesmo tendo o melhor carro, a Mclaren tinha um bom carro, foi ele que fez parecer difícil. Webber foi sexto, lembre-se quantas quebras de Kers ele teve durante o ano.
        – Estreante ou não, Hamilton é muuuuuito mais piloto que Ricciardo, sinto muito, mas quem era Ricciardo antes de ser companheiro do Vettel? Ninguém, e agora virou bom piloto? Hahaha!
        – Alonso abandonou os primeiros testes esse ano, reclamou do carro e se recusou a ficar na pista, pegou a mala e se mandou. Grande espírito de equipe…. Se informe.
        – Lado errado foi ter contratado o Kimi, pagando uma fortuna pra um cara que não só fez cagada esse ano, Alonso queria manter o Felipe, se você acha que a grana do Kimi foi bem investida…. Melhor ir lavar louça.
        – Qual a lógica de comparar Alonso com Vettel?
        Os dois estão quase empatados, enquanto o companheiro do Alonso é décimo, o do Vettel é terceiro, com três vitorias, faça-me o favor…

    • Concordo em gênero, número e grau com suas colocações, cara Fernanda.
      Reconhecer o talento de Vettel e questionar as atitudes de Alonso, duas posições lógicas e compreensíveis, acabam desencadeando certos problemas. Um deles é este que já se apresenta em seu comentário: o ataque simultâneo dos “advogados” do asturiano.
      Ambos não compreendem que a “causa” que eles defendem é perdida a cada ano que se encerra.
      E eles só desistirão quando o destino “bater o martelo” dando como terminada a carreira desse ídolo de barro.

  • Os próximos candidatos a campeão nesses 3 próximos anos serão mesmo o Hamilton, Rosberg ou o Ricardão… se a RedBull se aprumar. Se Alonso saiu da Ferrari, é porque ficou mesmo uma zona. A McLaren de Honda parece mesmo mais esperançosa para Alonso do que uma Ferrari sem cabresto, e bem diferente do tempo do Schumacher. Parece que Vetel fez uma péssima escolha, mas ainda é muito jovem para tentar outro título.