DICA DO DIA

Berlim, 1945, em imagens coloridas. Impressionante.

Comentários

  • Prezado Flávio
    Em 4/7/45 o Cruzador “Bahia” estava fundeado junto aos Rochedos de S. Pedro e S. Paulo. Repentinamente explodiu, soçobrando em 5 minutos. Este fato foi atribuído a “incidente de tiro”, porém no livro “O Porto Distante” provo que foi obra do submarino alemão U-530 e explico porque os americanos encobriram esse crime. O livro fala de jovens marinheiros na guerra, culminando com o naufrágio. Está a disposição através do e-mail paivap50@gmail.com
    Att
    Paulo Paiva

  • Hitler era “O Cara” para os Alemães na decada de 30, o empresariado Alemão o venerava, Elle era a “esperança” para um povo que havia perdido tudo.

    O detalhe: “De poder a um Idiota e o mesmo acabara com uma Nação em alguns anos. De poder a um Idiota e aos seus Amigos que todos começaram a Governar sem medo de retaliação às barbaries que costumam fazer. De poder a um Idiota que o mesmo será capaz de deixar de legado a seu povo a destruição completa de um Pais.

    Isso aconteceu na Europa, na Africa, no Oriente, na Asia e até hoje em dia pelo nosso lado de cá do Atlântico.

  • Muito interessante o vídeo. Mostra uma Berlim completamente devastada pós guerra. O que mais me impressiona é como países que foram completamente devastados na segunda guerra, como Japão, Alemanha e Itália, se levantaram com tal velocidade a apenas setenta anos. E hoje, com exceção da Itália, são umas das maiores potencias do mundo. Já o nosso país que nunca recebeu uma bomba na cabeça, ainda continua no seu subdesenvolvimento.

  • O mais incrível é que vendo imagens tão tristes – porém belas e cheias de significados – ainda aparecem antiamericanos destilando seu ódio e ignorância, como se a derrocada do nazismo não fosse importante, como se não devesse ter sido subjugada completamente. Devem acreditar que o nazismo não matou nenhum civíl… Lamentável.

  • A Berlim partida 50% para os judeus russos travestidos de comunistas, 50% para os judeus ingleses. Mas definitivamente você não lerá nada realmente verdadeiro por ae………………….

  • a tinha visto, muito interessante este video. E temos q concordar que os sovieticos nao riscaram berlim do mapa como os alemaes praticamente o fizeram com varsovia. Ou devastaram stalingrado na realmente mais sangrenta batalha da 2. Guerra onde depois mudou-se o rumo da guerra c este resultado. Tb interessante e em cores, como era a vida durante este periodo.

    https://m.youtube.com/watch?v=UBHwOY5nEDQ

  • Mais uma ótima post do meu amado guru mentor e guia Flavio Gomes, obrigado FG,

    Agora os russos com aquela foto do stalin que ridiculo, os russos pagaram o mico do milenio com o stalin, um monstro nojento que desfacelou a russia.

  • tenso pra caramba. vou dar uma estudada pra entender quais governos seguiram na alemanha e como conseguiram reconstruir a terra arrasada. em 20 anos, acho, já estavam bombando de novo. enquanto isso, aqui, não conseguimos sair do pântano……

  • Interessante é o desconforto da orgulhosa população alemã sendo filmada pelos seus conquistadores nos seus afazeres do dia a dia no meio de sua cidade destruída.
    Esse filme pode muito bem ser considerado um monumento ao fanatismo (qualquer fanatismo) e à sua mãe a estupidez humana. Quanta gente não teria morrido e quanto estrago teria sido evitado se os líderes alemães tivessem se convencido na primavera de 1943 que a guerra estava perdida (quando os russos os puseram a correr de Kursk) e tivessem procurado uma solução de trégua qualquer. Ainda prolongaram uma guerra já perdida durante dois anos à toa.

    • Parte da culpa pelo prolongamento da guerra, pertence aos aliados ocidentais, que em Janeiro de 1943 declararam que só aceitariam a rendição incondicional da Alemanha. Em outras palavras, qualquer tipo de armistício ou uma paz em separado, estava fora de questão.

      A batalha de Kursk foi travada em Julho do mesmo ano (seis meses depois).

      • A História diz que o louco do Hitler não queria armistício.
        E não foram os alemães que fizeram a gurra, mas os nazistas.
        Não eram a maioria.

      • Quando os conspiradores alemães tentaram contato com os aliados para saber as condições de um possível tratado de paz, logo que Hitler fosse eliminado num atentado à bomba, receberam como resposta um silêncio sepulcral.

        Moral da História: mesmo com Hitler morto, não haveria armistício.

      • Em parte.
        Na verdade, existe uma corrente defendida por alguns historiadores (sendo Richard Bessel um deles) que somente a “guerra total” defendida por Hitler faria com que o povo alemão de fato entendesse que o revanchismo só levaria a uma nova guerra, como ocorreu após a 1ªGM.
        Não somente, os próprios aliados (com exceção à União Soviética) trataram de criar um plano de reconstrução da Alemanha, tanto como uma boa oportunidade de investimentos, como também para evitar esse sentimento de revanchismo do próprio povo alemão. Todo um trabalho de transição democrática (muito diferente de outras guerras mais atuais, como Iraque) foi realizado para que o país, do jeito que estava aí nesse vídeo, não ficasse jogado À própria sorte.

        Havia um interesse estratégico econômico, político e territorial na Alemanha (último país capitalista no leste), e esses planos de reconstrução só puderam ser executados porque Hitler certamente não admitiria uma rendição incondicional.

      • O armistício de 1918 deu origem à ideia de que o exército alemão fora “apunhalado pelas costas”, e Hitler era um dos que partilhavam desse raciocínio.
        Os conspiradores sabiam que qualquer tratado de paz só seria possível com a eliminação de Hitler.
        O conceito de Gerra Total foi implementado a partir do discurso de Goebbels em fevereiro de 1943 (logo após a derrota alemã em Stalingrado), conclamando o povo a mais sacrifícios diante da adversidade. E por “coincidência”, um mês depois da declaração dos Aliados descartando qualquer tipo de armistício.

        Os Aliados, unindo “a fome com a vontade de comer”, fizeram coro com o líder alemão.

        Mas, o que esperar de um time de genocidas?

  • Triste e ao mesmo tempo inspirador esse filme sobre Berlin destruída pelos bombardeios dos Aliados nos derradeiros dias da 2ª Guerra.
    Inspirador pois o povo alemão reconstruiu a cidade de forma soberba e com requintes arquitetônicos moderno. Por estas bandas brasileiras não conseguimos sequer preservar um mínimo dos prédios de nossa história.
    Nas singelas imagens, provavelmente feitas por um repórter de guerra, veem-se os primórdios da chamada guerra fria, no lado ocupado pelos russos, a imagem enorme do tirano Stalin determina o famoso “quem manda aqui sou eu”.
    Do lado americano/inglês parece que tudo é paz. Não se iludam existia ditadura também no lado da democracia. Nesse período de pós-guerra o mercado negro daquela Berlin chegou a ser uma organização criminosa tão forte quanto as do tráfico de drogas nos dias de hoje.
    Trata-se de um fantástico documento histórico, parabéns aos revitalizadores desse filme.
    Nelson Pasini

  • O Reichstag na primeira imagem (se não me engano), o famoso portão, uma gravura do “Pai dos Povos” em tamanho excessivamente grande (ele media 1,63 m de altura), a Chancelaria (se não me engano), os escombros do Palácio dos Esportes com um curto áudio do ufanismo nazi e a vista aérea da destruição da cidade (produto dos reides anglo-americanos sobre a população civil, que tinha como único intuito, baixar o moral do povo alemão).

  • Impressionante é perceber o quanto somos passageiros de um tempo tão breve e nos levamos tão a sério. Todas essas pessoas que aparecem no vídeo, onde será que estão? Provavelmente 99% dos que aí aparecem já não existem mais.