É TETRA!

SÃO PAULO (vou precisar de uns dois dias para colocar a casa em ordem) – Buenas, macacada. Acompanhei tudo sem poder escrever nada desde quinta, por razões já conhecidas — o Blue Cloud/2015, maior encontro de DKWs da galáxia; falarei dele depois.

Comecemos os registros desta semana com um salve a Scott Dixon improvável tetracampeão da Indy. Ele era um dos seis que chegaram a Sonoma com chances matemáticas de título. E desbancou o favorito Montoya, ganhando a corrida, contando com as posições dos companheiros da Ganassi e com os infortúnios do colombiano, que precisava de um quinto lugar e chegou em sexto.

Montoya, péssimo perdedor, disse que Dixon fez um “campeonato de merda”.

Eu digo que Montoya, agindo assim, é um piloto de merda.

No mais, outro salve para a Indy inteira. Um campeonato que distribui tantos pontos terminar empatado e ser resolvido no número de vitórias, como diz o Américo Teixeira Jr., merece todos os aplausos. Apesar da feiura dos carros e da tristeza pela morte de Justin Wilson.

dixontetra

Comentários

  • Ninguém pode achar “justo” um campeonato liderado por um piloto ser decidido na última prova por causa dessa ridícula pontuação dobrada, em favor de outro, uma corrida anula todas as outras, não é esportivo, não é um campeonato. Por outro lado todos concordaram antes com esta regra tosca, ponto. E mais, qualquer campeonato ganho por Dixon é, digamos, válido, mas é ridículo, prá ele e para a Indy, ele é um piloto impressionante e a Indy não precisa deste tipo de artifício. Sobre mimimis e choradeiras nem comento. Dixon ganhou, pelas regras, pilota muito, parabéns, mas a regra é ridícula, tanto quanto era na F1 e todos criticaram.

    • Eu acho que essa historia de pontos dobrados é ridicula mesmo. Mas tivemos duas provas com essa regra na Indy neste ano.
      Indy 500, que Montoya ganhou e a ultima que Dixon ganhou.
      Na Indy 500 Montoya não reclamou nem um pouco, né?
      Dixon teve 3 vitorias contra duas de Montoya. Duas poles contra nenhuma de Montoya e os dois pontuaram no mesmo numero de corridas. Por que Dixon não merecia ser campeão? Não fiz as contas se todas as corridas tivessem pontuação normal para ver quem seria campeão. Fizeram a simulação somente com a ultima corrida contando normalmente e Montoya seria campeão, se não me engano, por cinco pontos. E tirando os pontos da Indy 500, ele continuaria campeão? Alguem teria paciencia de pesquisar e calcular???

      • Veja Rogerio, você deve ter notado que não estou defendendo o Montoya. E sim, teve Indianápolis, e Montoya venceu, ridículo também. Seria legal fazer estas contas, imagine se as duas corridas tivessem pontuação normal, seria possível um terceiro piloto ser campeão, seria o cúmulo do absurdo. Com este regulamento não é campeonato, é loteria. De qualquer forma não dá prá desmerecer a conquista de Dixon, claro que não, e eu não fiz isso.

  • Essa idéia de “pontos dobrados” na última corrida é rídiculo.
    Aliás, da Indy só poderia vir isso mesmo.
    Scott Dixon não tem nada a ver com isso, muito menos o Montoya.
    “De merda” nenhum dos dois pilotos, só esse regulamento e essa categoria.

    • Não meu irmão. São três provas valendo pontuação dobrada: 500 milhas de Indianapolis, vencidas por Montoya; 500 milhas de Fontana , vencidas por Rahal, e o GP de Sonoma vencido por Dixon.Então não dá pra dizer que foi loteria, e sim muita competencia e união do time do velho Chip e um certa apatia e picuinha na escuderia do Capitão Roger, pelo fato de ter trẽs pilotos brigando pelo título deste ano.

  • É como já li muitos comentando desde os tempos de Montoya na F1.
    Um grande piloto, fenomenal, rápido, habilidoso, raçudo, poderia ser campeão de tudo…mas tem um azar fenomenal.
    De novo faltou sorte ao Colombiano.

  • Para ser sincero, nunca achei o Montoya tudo isso como piloto. Agora piorou um tanto.
    Dixon ganhou mais corridas, fez mais poles e pontou o mesmo numero de vezes que esse colombiando idiota.
    Sim, na ultima corrida tem a historia dos pontos dobrados. Mas na Indy 500 foi assim e o babaca não reclamou, né?? Eram pontos dobrados para todos. Não teve competencia e fica aí chorando e falando babaquices. Vai chorar na cama imbecil.

  • montoya sendo montoya, apenas isso!
    eu estava torcendo para o gorducho! achei até que era injusto Dixon ganhar por causa de pontuação dobrada etc…
    mas depois vi nos números que ele teve mais vitórias, então pra mim já justificou o título!

  • “Montoya, péssimo perdedor, disse que Dixon fez um “campeonato de merda”.

    “Eu digo que Montoya, agindo assim, é um piloto de merda.”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    Comédia o Flávio, gente! Já não basta as risadas que dou , só de ler ele chamando Kvyat de Kvyado, o Hamilton, de Comandante Hamilton e o Daniel Ricciardo de Ricardão! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • O próprio Montoya falou que ele foi pra lá sabendo da regra, mas que não muda o fato dela ser ridícula. Corridas de 500 milhas terem pontuação dobrada fazem algum sentido. Sonoma (que lugar patético para fazer a decisão do campeonato, Road America e Laguna Seca mandam lembranças) não tem nada de especial e a distância da corrida não é diferente. Some-se isso às patéticas bandeiras amarelas durante a corrida e tem-se o resultado. Corrida falsa, como tantas outras em circuitos mistos, onde se tem bandeira amarela se um torcedor “flatula” na arquibancada. Nos ovais dá pra entender, mas nos mistos não. A bandeira amarela devido a um carro lento na pista foi um absurdo, o cara voltou pro pít tranquilamente. A da rodada do Will Power tbem, já que não teve sujeira na pista e o piloto saiu do local rapidamente. Enfim, bacana pelo Dixon, excelente piloto, mas esse ano não era dele.

  • Esse campeonato do Scott Dixon na Indy foi semelhante ao campeonato do Vettel na F-1 em 2010, e até a frustração do Alonso (F-1) e do Montoya saíram parecidas. Não se pode subestimar o adversário mesmo que ele tenha 0,01% de chances, e o Montoya com sua frustração tenta desmerecer um campeonato decidido de forma limpa e correta, mas essa é a sua marca num comportamento antiesportivo e errôneo. O Scott Dixon foi perfeito fazendo o seu papel como piloto vencedor na corrida num voo cego na conquista do título que acabou sendo conquistado depois da bandeirada, isso ainda dentro de uma combinação de resultados na pista. Parabéns, Scott Dixon!

  • E venceu o melhor de todos, Dixon é piloto a moda antiga, corre de sport car também no Le Mans à americana, e geralmente esse pessoal que vem da Oceania são ótimo em todos os sentidos, não costumam falar bobagens, mas tem forte personalidade , a lista é enorme na historia das corridas……. Brabham, Mclaren , Hulme, Amon, Jones, Weeber , Irons, Gardner, Dohan, Stoner , Brocky ….etc. essa turma da oceania gosta mesmo de corridas e não são muito adeptos a frescuras , veadagens ou estrelismos.

    Na indy torço pelo Dixon!!!!!!

  • Essa regra de pontos dobrados na última prova é meio injusta, mas todos sabiam e aceitaram, então o choro é livre.
    (Flavio se me permite uma sugestão, vale uma menção sua à magnifica vitória do Valentino Rossi na chuva em Silverstone)

      • A diferença é que em Indianápolis a corrida é mais de duas vezes mais longa do que a de Sonoma. Não gosto de pontuação dobrada. Prefiro quando todas as corridas, independente de distância e tradição, distribuem a mesma quantidade de pontos. Mas é mais fácil aceitar pontuação dobrada em uma corrida de 500 milhas do que em uma com distância normal. Mesmo assim, o Montoya deveria ter ficado quieto nesse caso.

  • Realmente o sr. Juan Pablo Montoya poderia ter ficado calado e reconhecido a derrota que por mais chata que seja acontece em qualquer competição, e claro ele não perdeu para qualquer um, pois Scott Dixon é com certeza o melhor estrangeiro da F-Indy e apresentando uma regularidade perfeita nessa temporada mereceu sim ser o campeão, e enfim ninguém é campeão por acaso!