MENU

sexta-feira, 25 de março de 2016 - 20:45F-1

A RESPOSTA

SÃO PAULO (uma hora…) – A BBC teve acesso à resposta de Bernie Ecclestone aos pilotos, que publicaram nesta semana uma carta aberta pedindo mudanças na cúpula da categoria e em sua gestão.

Em resumo, Bernie concordou com tudo.

10 comentários

  1. Brabham-5 disse:

    “Estou tão desapontado quanto qualquer outro que não queria que o sistema voltasse. É o seguinte: se você vende sorvete de baunilha, mas todos pedem de chocolate e, no dia seguinte, é esperado que você tenha sorvete de chocolate para vender. Mas você só tem baunilha de novo”, comparou Vettel..

    “Normalmente você faz o que seus clientes querem, mas se está fazendo exatamente o contrário, não é algo de que tem de se orgulhar. Se todos são contra algo e ainda assim você segue adiante com a decisão… a classificação é só um exemplo de que algo não está certo.”

    A manutenção da mudança não surpreendeu Lewis Hamilton. “Nunca existe uma discussão clara. As coisas vêm e vão continuamente. Uma hora é de um jeito, na outra muda. Às vezes você se perde e volta para onde começou… mas é interessante considerando que os fãs estavam infelizes [com a mudança] e continuamos com ela.”

    Estou na dúvida. Berneie Ecclestone é o Juvenal Juvêncio ou o Carlos Miguel Aidar da F1 atual?

    Quem é que barra corrida em MONZA, enche o calendário de “tilkódromos” com justificativa de lucro e aprova esse sistema de classificação?

    Que m………..!!!

  2. Luciano disse:

    A F1 é um mundial de pilotos. Já houve um tempo que quase todos os carros tinham motor Ford Cosworth DFV 3.0 V8. O cambio era quase padronizado, era o Hewland. A F1 daquela época tinha muito mais graça. Era um mundial de pilotos. Hoje o mundial de pilotos se resume aos dois pilotos da Mercedes, Hamilton e Rosberg. O resto é o resto, não tem a menor chance de ser campeão. A chance do Vettel ser campeão mundial é a mesma da Portuguesa ser campeã do campeonato paulista de futebol. Acho um tremenda sacanagem a Ferrari dar motor ultrapassado para a Toro Rosso. Será que eles tem medo da Toro Rosso? A Mercedes não deu o motor para a Red Bull, pois sabe que o melhor carro do grid é o da Red Bull, e eles iriam comer poeira. A Ferrari muito menos. Até a McLaren não quis que o Honda merreca GP2 fosse para a Red Bull. É uma competição de desiguais. Isso não acontecia quando havia uma padronização de motor e cambio. Do jeito que está, a FIA deveria colocar todos os motores em dinamômetro para deixar todos com a mesma potência. Deveria liberar o desenvolvimento, desde que todos tivessem a mesma potência. Hoje é ridículo ver um Fernando Alonso no fim do pelotão, apenas porque o motor Honda GP2 é uma porcaria. A F1 hoje não é nem campeonato de construtores e muito menos de pilotos. Para ser de pilotos, todos deveriam correr em carros que apresentassem o mesmo desempenho. Para ser de construtores, o desenvolvimento deveria ser livre. Então a F1 de hoje não é nada! NADA!

  3. joel lima disse:

    Tornaram a f1 limpinha demais e de muito menor risco – ou seja, os dois temperos principais da categoria por décadas. E não sei se há volta pro estrago que fizeram

  4. Renato de Mello Machado disse:

    Começou a ficar sem graça,desde 1989,quando colocaram alavancas, atrás do volante.Mas,contudo dava para assistir,agora na era turbo,e não é culpa, do turbo e motor a combustão.São os sistemas de recuperação de energia quê estão estragando tudo.O resto é o quê todos pensam ; Carro, mais leve possível,asas simples,pneus duráveis,o DRS mudando de função ,abrindo toda hora quê o piloto quiser,pneus de marcas diferentes,poxa a regra de motor é ridícula,quebrou, coloca outro sem punição.E por ai vai.

  5. Tuta Santos disse:

    Um tempo atrás, no meio empresarial, ficou famosa uma apresentação com 300 slides, encomendada pelos acionistas da rede de restaurantes Red Lobster, onde apontavam 300 falhas, problemas e desperdício.

    Por exemplo:
    Detectaram que o pão servido na entrada – era anunciado como livre, coma o quanto quiser – durava apenas 7 minutos crocante, depois ficava murcho e era jogado fora. Para não quebrar sua regra, mudaram levemente: Continua infinito, mas começa com um pão por cliente e só serve mais se ele pedir. Só aí começaram a poupar 5 milhões de dólares por ano.

  6. régis barbosa da silva disse:

    a categoria perdeu a mão já fazem mtos anos. Eu mesmo to cagando pra tecnologia, prefiro um V12 beberrão, queimador de óleo e barulhento a estes motores de autorama. Dane-se a aerodinâmica, coloquem uma asa apenas pra manter o carro no chão, freios que vão pro limbo no meio da corrida. Isto é adrenalina, é perigoso…então volta no tempo e pergunte para um Fangio, Moss,Villeneuve,etc se o que os movia era a adrenalina, a competição ou a tecnologia, a segurança…hj considero a F1 atrás de MotoGp, WRC, até Fórmula Truck é mais emocionante. Perderam a mão completamente.

    • Luciano disse:

      Concordo com tudo. Quebrou o motor, simples, coloca outro, sem punição. Quebrou o cambio, simples coloca outro, sem punição. Os pneus deveria durar a corrida toda! Sem reabastecimento, sem troca de pneu, quero corrida e não gincana de troca de pneus!!! As asas dianteiras deveria ser padronizadas, as asas traseiras deveriam ser padronizadas, a diferença de potencia dos motores não poderia ser maior do que 2%, quero corrida!! Não sei porque ainda assisto, acho que sou um doente, preciso ir a um psicanalista.

  7. Celio ferreira disse:

    Concorda com tudo , desde que as mudanças não mexa no seu faturamento .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *