FOTO DO DIA

Apareceu no meu Twitter. O menininho que brinca com Schumacher, não sei em que ano, exatamente, se chama Max. Verstappen.

michaelemax

Comentários

  • Na verdade não é uma foto. É um “still” de uma imagem da rede de TV RTL. Não tira o mérito de quem registrou o momento, mas não foi um fotógrafo, foi um “cameraman”.

  • Flagra do momento em que foi ungido pelo Mito Schummy.

    Sei lá, esse Mundo é muito estranho mesmo. São nessas horas que sempre lembro de um documentário que falava sobre o quanto esforço os grandes nomes do esporte fazem para chegar ao sucesso. O Verstapen deve ter ido para casa falando para o Pai, “quero andar de kart antes de dormir”.

    É bem provável que o Verstapen tenha dado muito mais voltas em um carro de corrida antes de entrar em um formula 1 do que muitos Campeões da Categoria ao final de suas carreiras.

    • Tem uma estória sobre o pedido dele ao pai. Queria um kart quando tinha apenas 4 anos e meio. O Jos não quis dar até ele ter pelo menos 6 anos de idade. Resolveu chorar com a mãe, que acabou convencendo o Jos que já estava na hora.
      Com o Max fazendo as primeiras voltas já dava a ver que ele tinha talento de sobra. Não demorou muito até Jos decidir que dedicaria a próxima década à carreira do filho.

  • Um choque visual de gerações!… Pena o Schummy não estar “on line” para rever isso e, nem poder comentar nada sobre o moleque aí da foto!
    Aliás, alguém sabe algo sobre o schummy Jr.? O que anda fazendo? em que categoria correrá em 2018? Com que patrocinador?…
    Concluindo, soube que a esposa do heptacampeão começou a se desfazer de bens para seguir com os cuidados médicos necessários a ele… Difícil crer que o cara que mais grana arrecadou na F1 esteja precisando disso…

  • Eh aquela historia de dizer que o menino eh prodigio, genio, tao novo e detonando na F1. Nada disso, foi criado dentro do circo, o pai, piloto, trouxe toda a experiencia das pistas e da politicagem. Treinou o menino desde que nasceu, hoje ele tem 20 anos de experiencia. Mais horas de pilotagem do que muito piloto profissional. O segredo da consistencia, repeticoes, foco e objetivo claro. Pode-se questionar se isso eh saudavel, se o menino teve liberdade para escolher seu caminho, pois provavelmente as pistas e corridas sao o unico universo que conheceu. Independentemente disso, ele tem o seu merito por seguir o caminho guiado pelo pai. Poderia ter largado mao, evidentemente. Tampouco, quantos de nos ja nao ouvimos ou somos frutos do ‘filho de peixe, peixinho eh’? A vida eh longa e ele ainda pode tracar muitos outros caminhos fora das pistas mais tarde. Eu acredito que ele sera um multi campeao.

    • Porra véi quase chorei aqui com seu comentário, finalmente encontro alguém que vÊ o mesmo que eu. Resultado é fruto de trabalho e não de dom divino. Saiba que vc é 0,00000001% da massa fã de automobilismo, O que mais escuto ou leio : ” A meu Deus esse sim era o maior de todos os tempos um santo descido dos céus com o dom de vencer e após isso o tremular da bandeira de nosso país sofrido, representando um povo que finalmente superou a tudo e a todos com o dom divino dos céus”. (NA verdade esse piloto foi criado na Europa quando jovem. Ia para o autodromo de chofer quando criança. Eita.

    • “Pode-se questionar se isso eh saudável, se o menino teve liberdade para escolher seu caminho”

      Basta ver as inúmeras entrevistas onde ele responde a essa questão. Desde sempre ele nada mais queria do que correr ou fazer atividades que envolvem motores e velocidade. Não é possível ter sucesso apenas por que o pai quis. A motivação vem do prazer.

      Gastando horas, dias, semanas e anos com o pai na garagem, preparando os karts, fazendo o tuning dos motores, competindo com os amigos dele na pista, e depois conquistando todos os títulos no kart deve ter sido maravilhoso mesmo. Existe um video interessante com Peter Windsor sobre ‘racing dynasties’ onde muito disto foi bem elaborado. (https://www.youtube.com/watch?v=lP9toDeCASw).

      Com certeza ele teve a vantagem de muitas horas de prática e de um pai extremamente dedicado e experiente. Por isso não entendo essas declarações de que o pai seria uma ‘mã influência’. O pai dele é tudo, o grande herói.

      Mas nunca teria acontecido isso sem o Jos (1) enxergar um grande talento e (2) uma dedicação e amor próprio do Max pelo esporte.