LÁ E CÁ

RIO (quanta diferença) – A Justiça argentina condenou dois ex-executivos da Ford por terem colaborado com a ditadura militar  no sequestro e tortura de pelo menos 24 sindicalistas entre 1976 e 1977. O centro de detenção ilegal ficava numa área para churrascos da fábrica de Pacheco, na Grande Buenos Aires. Anderson Grzesiuk mandou a notícia.

Aqui, a VW comprovadamente colaborou com a ditadura brasileira nos anos 70. Mas quem está investigando o caso é a própria Volkswagen.

Na Alemanha.

FORDarg

Subscribe
Notify of
guest
14 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Sergio
3 anos atrás

Todo tipo de violência contra o ser humano, contra as instituições e contra a
democracia, devem ser repudiadas. Seja onde for, inclusive em Cuba, Venezuela,
Ucrânia.

Fernando
Fernando
3 anos atrás

Quanto ódio por aqui, que coisa…

Paulo
Paulo
3 anos atrás

E ano que vem é provável que a Volkswagen seja homenageada pelos bons serviços prestados à nação durante a ditadura.

jader
jader
3 anos atrás

Muitas empresas no Brasil, assim como na Argentina, só prosperaram apoiando o governo militar. Era isso ou nada. O caso Varig/Transbrasil ilustra bem a situação.

RodrigoMoMo
RodrigoMoMo
Reply to  Flavio Gomes
3 anos atrás

Ler algo assim nessa transição de governo, chega a me dar calafrios!!!

fabiano
fabiano
Reply to  Flavio Gomes
3 anos atrás

Boa, Flavio!
Dinheiro não compra dignidade!

jader
jader
Reply to  Flavio Gomes
3 anos atrás

As grandes empreiteiras atuais viraram grandes por bons serviços prestados aos governos militares, assim como foi com a Varig. A VW da Alemanha confirmou que a subsidiária brasileira colaborou com os militares. Taí a Ford encalacrada… Essa gente trocava a dignidade por dinheiro. Não é uma visão de mundo, é a constatação da realidade da época. Que não é muito diferente da atual, já que o povão meteu outro milico na presidência e, pior, agora pelo voto.

Luciano
Luciano
3 anos atrás

E elegemos um presidente que faz apologia a torturadores.

Edward Fernandes
Edward Fernandes
Reply to  Luciano
3 anos atrás

E outro que era dedo duro.

Richard Baggs
Richard Baggs
Reply to  Edward Fernandes
3 anos atrás

Que outro, cara-pálida? Dedo duro? Só lembro daquele que tirou milhões da pobreza e foi julgado culpado sem provas. É o mesmo?

Pietro Cavazzin
Pietro Cavazzin
Reply to  Edward Fernandes
3 anos atrás

Milhões não. Tirou bilhões da pobreza.

Igor Silvério Freire
Igor Silvério Freire
3 anos atrás

A lei de anistia é a raiz de uma parte IMENSA dos nossos problemas hoje – e foi declarada constitucional por um STF formado quase que inteiramente por ministros indicados pelo PT. Foram muito OTÁRIOS nisso.

Uma das PRIMEIRAS coisas a se perguntar nas sabatinas privadas deveria ser justamente a opinião do juiz nesse caso. Se fosse a favor da constitucionalidade, tava fora. O Brasil já foi condenado trocentas vezes pela Corte Interamericana de Direitos Humanos por considerar, até hoje, essa merda constitucional, e pelos próximos 30, 40 anos é que não vai, mesmo.

“Só o homem perdoa, só uma sociedade superior qualificada pela consciência dos mais elevados sentimentos de humanidade é capaz de perdoar. Porque só uma sociedade que, por ter grandeza, é maior do que os seus inimigos é capaz de sobreviver.” – Cezar Peluso – Ta aí, Cezar. Ta aí.

Carmen Lucia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello, Cezar Peluso e Eros Grau são os nomes responsáveis por essa irresponsabilidade.