RESERVA DE MERCADO

Nada como viver num país livre…

RIO (no dos outros…) – A foto é de 1982. Foi tirada nos EUA, a meca da iniciativa privada e do livre mercado. Mostra dois retardados protestando contra a venda cada vez maior dos carros japoneses no país.

A América é estranha…

[bannergoogle]

Comentários

  • Alguns de vocês comentaram sobre os EUA . Vocês vivem law quantos anos?
    Ou só conhecem através da Rede Globo ou de visitar a Estátua da Liberdade.
    Para se conhecer uma pessoa ou pais você tem que viver o dia dia da pessoa ou pais e não sair falando asneiras sem conhecimento .

  • No inicio dos anos 90 , exibiram uma série de documentários sobre a indústria japonesa, se não me engano, na TV Cultura aqui de SP. Em um desses documentários aparecia justamente esta cena : de operários que supostamente perderam os empregos na indústria automobilística, descontando a raiva em cima do “culpado” pelas suas demissões. Se alguém souber o nome desta série e puder postar aqui ficarei grato, estou procurando a mesma faz tempo.

    • Me lembro dessa série. Também nunca encontrei, mesmo no Youtube. Outro documentário muito bom sobre o tema que a Cultura passou foi “A ilha dos carros”, que falava sobre o excesso de veículos na República Dominicana acho…

  • Idiotas sempre existiram desde que o mundo é mundo.
    Tivemos a fase que idiotas eram o padrão. Existiu a fase em que os idiotas dominaram o mundo. Existiu a fase em que os idiotas desejavam dominar o mundo novamente. Agora estamos na fase em que nos indignamos com os idiotas que ganharam voz com a internet, redes sociais e fake news e querem tentar dominar o mundo novamente. Mais ou menos como formigas que se alvoroçam quando se joga veneno no formigueiro, e a impressão que se tem é que elas em vez de ter a morte iminente declarada, ganham mais força ainda.
    Futuramente, e isso só depende de nós mesmos, entraremos na fase em que os idiotas lentamente se minguarão e terão duas alternativas: Ou deixarem de ser idiotas ou se extinguirem.

  • Então Flávio, veja bem…
    Nem todos concordam com políticas de seus países. Sempre haverá gente a favor e contra tudo, não existe unanimidade. Vejamos isso na F1 hj.
    Até podemos imaginar os caras quebrando o carro japonês, entrando num americano, dizendo que é uma merda e pensando que vai comprar um alemão ou um… japonês, pq é melhor que o americano.

  • Isso é “normal” por aqui. Os doidos fazem questão de mostrar o quão pirados eles são. Meses trás , queimaram tênis Nike, porque a Nike colocou como garoto propaganda Colin Kaepernick, um jogador de futebol Americano que se recusa a colocar a mão no peito durante o hino do país e ao invés disso se ajoelha, em protesto pela morte de negros pela policia. O Red Necks queimaram tênis da marca e fizeram protestos em frente as lojas. Como são tão intelijudos como os extrema-direitas tupiniquins, em protesto passaram a pedir aos compatriotas extremistas para não usarem mais tênis da Nike e sim comprarem tênis da All Star. Só que Converse que produz o All Star, pertence a Nike. Poderia se esperar o quê de quem vota no Trump?

    • Infelizmente a ignorância é endêmica e não escolhe lado. Por aqui mesmo eu tive um exemplo semelhante: um conhecido meu que sempre gostou de bradar contra o capitalismo, uma vez disse que ia fazer um protesto deixando de beber Coca-Cola. Ao invés disso, só beberia Sprite e Fanta! kkkk É rir pra não chorar.

  • É simples. Eles são cuidadosamente instruídos para ter o seguinte raciocínio:
    Mundo = América = EUA (talvez a Inglaterra seja lembrada vagamente, pelo passado)
    Livre mercado é para o mundo = américa = eua.
    Inexistem outros países, povos, realidades ou interesses. É tudo mobília, propriedade privada. O sujeito é militar e tá lá no Iraque, Kuwait ou Vietnã, brincando de matar gente como se matasse insetos e ainda bate no peito: “Estou defendendo minha pátria, sou um herói”. Eles realmente acreditam nisso

    • Sério que vc acredita que alguém sai de casa, passa meses em condições precárias, com um altíssimo índice de stress, dormindo muito pouco, correndo risco de morte a qualquer instante e sem nenhum conforto somente para matar gente feito inseto e dizer que está defendendo a pátria?
      O que vc conhece dos EUA e dos americanos para comentar tanta bobagem?
      Não esqueça que tanto na primeira quanto na segunda guerra, os americanos foram colocados nelas e, nos dois casos, trabalharam para fazer o que os ingleses e franceses, que iniciaram as guerras, não conseguiram..

      • Prezado, quem passa essa impressão são os próprios norte-americanos, em seus livros, filmes, séries e documentários. E ela parece ser verdadeira, pelo menos no que diz respeito às grandes guerras, quando o número de voluntários foi muito grande, devido às agressões sofridas antes das intervenções (ataques a navios mercantes na primeira e a Pearl Harbour na segunda). Mesmo no Vietnã, o apelo ao patriotismo funcionou no início. Hoje, as intervenções são conduzidas por profissionais das três armas, todos voluntários e certamente com um sentimento patriótico bastante exacerbado, pelo que são; ou, em alguns casos, por mercenários regiamente pagos, “funcionários” de empresas “de segurança”.

  • Cenas como essas sempre funcionam, as vezes para o lado do vencedor e as vezes para o lado do derrotado. Hoje em dia vemos cada vez mais carros asiáticos espalhados pelo mundo.

    Será que não foram 2 yankees pagos pela industria japonesa?

  • Eles mal podiam imaginar: em 2018 os 5 carros mais vendidos nos EUA foram de fabricantes japoneses. Civic, Camry, CR-V, Rogue e RAV-4.

    E desde os anos 90 os japas começaram a dominar por lá. Com o Accord como o mais vendido. Por exemplo.