MENU

domingo, 3 de novembro de 2019 - 21:03F-1

CHAPEIRO (3): GOAT?

Hamilton festeja o sexto título: maior de todos?

RIO (questão de gosto) – Não sou muito familiarizado com algumas gírias de redes sociais, talvez seja mesmo um pouco desatento (demorei meses para compreender o que era “lol” e “comofas?”), e agora há pouco fiquei um pouco intrigado ao ver vários tuítes chamando Hamilton de “GOAT”. Que porra é essa?, me perguntei. “Goat” em inglês é “cabra”, “bode”, às vezes pode ser “otário”, “trouxa”, depende do contexto e de onde você estiver quando ouvir a palavra.

Pombas, Hamilton pode ser qualquer coisa, menos um bode otário ou uma cabra trouxa. Além do mais, acabou de ganhar o sexto título mundial, que história é essa de chamar o sujeito de bode?

Foi aí que, correndo pelas postagens de gente de todo o mundo, notei que a expressão é usada meio que globalmente, e GOAT — desse jeito aí, tudo em maiúsculas — não passa de um acrônimo destes tempos em que as pessoas economizam caracteres e esbanjam ignorância.

Usa-se muito GOAT para falar do Messi, do Cristiano Ronaldo e não sei mais quem, por exemplo. “Greatest of all time”, o maior de todos os tempos, é o que significa GOAT quando grafado desta forma. OK, muito obrigado pela informação. Agora podemos começar a falar da corrida que deu o hexa a Hamilton. E discutir se ele é mesmo o GOAT — e não “um goat”, o que nos remeteria novamente à dúvida inicial, por que alguém chamaria um piloto como ele de bode?

Tenho meus próprios critérios para chamar alguém de GOAT na área que for e, da mesma forma, evito cerrar fileiras definitivas em torno de qualquer nome porque na maioria das vezes — e no esporte mais ainda — tudo é uma questão de gosto. Eu, por exemplo, acho Schumacher o maior de todos na F-1. Não só pelos sete títulos e pelos recordes de vitórias, pódios e não sei mais o quê — são marcas que, de resto, cairão em breve. Considero o conjunto da obra, a coisa de ser campeão num time médio como a Benetton, depois encarar o abacaxi de tirar a Ferrari da fila, passar 15 anos como protagonista e por aí vai. E se alguém me encher o saco uso as estatísticas e pronto, encerro o assunto.

Mas no futebol, por exemplo, esse negócio de números para mim não vale nada. O melhor jogador de todos os tempos foi Enéas e acabou, e quem não concordar que se foda. Assim como a Portuguesa é maior que tudo e a mais bela conquista de um time na história do futebol mundial foi a Série B de 2011. E o maior jogo da história da humanidade foi o empate com o Atlético no Mineirão em 1996 que colocou a gente na final do Brasileiro, e se você não acha, problema seu.

GOAT ou não — de novo, questão de gosto –, Hamilton certamente está no Olimpo de todos os esportes porque o que ele vem fazendo numa modalidade tão difícil e competitiva quanto a F-1 é memorável. (Assim como o que faz Marc Márquez na MotoGP; no fundo, somos privilegiados por sermos contemporâneos desses dois aí.)

Pena para Bottas que uma das suas maiores vitórias na categoria tenha acontecido justo hoje, no dia em que Hamilton fechou a conta do hexa. O sétimo triunfo da carreira do finlandês, quarto no ano, foi totalmente ofuscado pela proeza do companheiro, que transformou um medíocre quinto lugar no grid numa convincente segunda colocação. Que só não foi uma nova vitória por conta de quatro voltas — Bottas só foi recuperar a ponta de Hamilton na 52ª das 56 do GP dos EUA, em Austin.

Valtteri fez uma linda pole ontem e hoje, mesmo parando duas vezes — contra apenas um pit stop de Lewis — brigou até o fim para buscar o que era dele por direito. Hamilton e a Mercedes arriscaram na estratégia e não se pode dizer que ela deu errado. De quinto no grid para segundo no final não chega a ser um desastre.

O inglês ajudou a fazer as coisas darem certo com uma largada muito boa. Passou Leclerc e Vettel já na primeira volta, posicionou-se em terceiro atrás de Verstappen e foi à luta para ver no que dava. Bottas, também depois de uma boa largada, assumiu a ponta com segurança e um ritmo forte e consistente.

Vettel, que de cara reclamou que seu carro saía de frente loucamente, arrebentou a suspensão na oitava volta e saiu de cena. Na 14ª, Max foi aos boxes para colocar pneus duros, no que foi seguido pelo líder Bottas na volta seguinte. Com as paradas, Lewis assumiu a primeira posição. Quando a Mercedes o chamou para trocar pneus na volta 23, avisou pelo rádio que iria ficar mais um pouco na pista.

Seu companheiro vinha voando com pneus novos e retomou a ponta na volta 24. Então, Lewis parou. Quando voltou, estava 20s atrás do parceiro, de novo em terceiro. Verstappinho parou de novo na volta 35. Bottas, na 36. Hamilton retomou o primeiro lugar e não iria parar mais. A pergunta era: com aquele jogo de pneus duros — os primeiros do grid largaram com médios — sustentaria a ponta até o fim sem mais um pit stop?

Quando saiu dos boxes, Bottas estava 10s atrás do inglês. Faltavam 20 voltas para o fim da corrida, mas seu carro estava mais rápido. A conta-gotas, foi descontando a diferença. Na volta 40, ela tinha caído para 4s8. Na 45ª, para 3s1. Na 50ª, 1s2. Lewis se virava do jeito que dava. Só na volta 51 que a diferença caiu para menos de um segundo, o que daria ao finlandês a possibilidade de abrir a asa e partir para o ataque.

Na primeira tentativa, Hamilton resistiu. Na segunda, não teve jeito. Bottas passou e abriu. Verstappen se aproximou para tentar o segundo lugar, mas não conseguiu. Terminou em terceiro.

Vaga reservada para o campeão: temporada impecável e título merecido

Hamilton estacionou seu carro numa vaga que os organizadores reservaram para o campeão mundial. Fez a festa com a equipe, comemorou com os pais e depois recebeu o abraço de Vettel já na salinha antes do pódio, numa atitude bonita do alemão da Ferrari.

“Still we rise”, dissera um pouco antes ao time pelo rádio, uma adaptação para o momento da inscrição que ele leva no capacete há anos — “Still I rise” é o mais famoso poema da escritora e ativista negra americana Maya Angelou, morta em 2014; é uma espécie de mantra para o piloto, o único negro a vencer na categoria desde sua criação, em 1950.

A corrida que decidiu o título de 2019 não foi das melhores do ano, mas será lembrada com carinho por alguns pilotos que tiveram excelentes atuações, como Albon, o quinto colocado, Ricciardo, que terminou em sexto, Norris, o sétimo, e Pérez, o décimo. Os outros que pontuaram foram mais discretos. Leclerc foi o quarto com a Ferrari, Sainz levou a McLaren ao oitavo lugar e Hülkenberg terminou em nono.

Hamilton: 34 anos e, segundo Toto Wolff, vontade de ganhar intacta

Campeão pela primeira vem em 2008 pela McLaren, na sua segunda temporada na F-1 com a equipe que o adotou quando era um moleque mal saído das fraldas no kart, Hamilton se mudou para a Mercedes em 2013 e conquistou o bi em 2014, primeiro ano da era híbrida da categoria. Foi tri em 2015, perdeu o título para o companheiro Nico Rosberg no ano seguinte e, depois, enfileirou mais três taças com enorme autoridade, sem dar chances aos rivais.

Hoje, Hamilton superou no número de títulos o argentino Juan Manuel Fangio, pentacampeão na década de 50, e encostou no hepta Schumacher. Já é o GOAT na F-1? Precisa superar o alemão para ostentar o epíteto? Ou será que outros como Senna, Lauda, Prost merecem a alcunha por tudo que fizeram em suas carreiras?

Como disse no início, é questão de gosto. Prefiro esperar mais um pouquinho para acrescentar o acrônimo ao nome, torcendo para admirar seu talento ainda por bastante tempo.

121 comentários

  1. Renato F1/FE Mercedes disse:

    Agora que este povo maluco se foi, posso escrever mais calma e tranquilamente: mais uma dobradinha da Mercedes!!!

  2. Assombração disse:

    Estamos vivendo o rescaldo de mais uma temporada previsível. Apenas isso.

  3. Vai Vettel! disse:

    Desta vez, ele não foi.

  4. McLaren-12 disse:

    Os números são o único argumento plausível que colocam Schumacher como o maior de todos os tempos. Hamilton irá ultrapassá-lo em tudo. Quando isso acontecer, as poucas repolhudas que ainda permanecem neste blog sumirão de vez.

  5. Cowboy do Asfalto disse:

    Austin é a minha terra! Cadê meu alazão?

  6. João Marcello disse:

    Sei que muitos odeiam o “SE”… Mas já pensaram se o Hamilton não fosse para a Mercedes em 2013? Li que a Mercedes pensava no Nick Heidfeld e que foi o Nikki Lauda que convenceu ambos que seria uma boa… Hoje tudo que falam do Hamilton, poderíamos estar falando do Rosberg, Sim, porque eu duvido que o Rosberg aceitaria o Hamilton na equipe, após ser campeão em 2014. Só lembrando que o Schumacher levou um passeio do Rosbesg quando voltou da aposentadoria de 2010 a 2012… Antes que me interpretem mal, não acho o Rosberg o GOAT! rs Só quis dividir este pensamento com vocês.

  7. joel lima disse:

    Em qualquer esporte é difícil definir o melhor de todos os tempos. Na F1 é mais difícil ainda pelas mudanças de regulamento e tecnológicas que a categoria viveu de 1950 até hoje. Eu considero que Fangio ainda é o maior de todos quando se pega pela relação quantidade de GPS e a quantidade de vitórias, poles e títulos conquistados. Outro que também é fora de série, mas infelizmente, como Senna, teve sua carreira interrompida por um acidente, é Jim Clark. Se não me engano é até hoje o único piloto que fez a pontuação máxima em uma temporada após os descartes de pontos ( outro item do regulamento que fazia a gente quebrar a cabeça pra entender o quanto um piloto teria de pontos e que hoje quando você fala para a geração nova que curte F1 parece que você está tentando explicar leis de física quântica ) e que também fez porcentualmente mais pontos que o segundo colocado ( quase o dobro) na temporada 63 – 54 pontos a 29 de Graham Hill.

  8. Edgard disse:

    Não querendo desmerecer o feito do grande campeão, em seu hexa, mas quem “arredondou” a Mercedes, para que ele colhesse os frutos que estão vindo, foi o outro considerado pelo escriba o maior da história, que não só fez isso com os prateados, mas também com a equipe vermelha, ganhando seus 7 títulos.
    Trabalhou incessantemente por muitos anos, para depois ganhar títulos às pencas. Depois de retornar, ajustou a equipe prateada para ser o que é até hoje. Só isso acho que já o qualifica como o maior de todos, embora eu ainda tenha uma certa simpatia a dizer que o maior foi o Fangio, que em outros tempos e em condições até menos profissionais, correu 51 grandes prêmios, obteve 24 vitórias, 29 pole positions, 23 recordes de volta, cinco títulos mundiais (1951, 1954, 1955, 1956 e 1957) dos quais 4 foram consecutivos, e dois vice-campeonatos (1950 e 1953) em oito temporadas que disputou. Fangio correu em quatro escuderias: Alfa Romeo (1950-1951), Maserati (1953-1954), Mercedes (1954-1955), Ferrari (1956) e Maserati (1957[4]-1958)-levantamento da wikipédia.

    • Edgard disse:

      Sem esquecer que 2 dos títulos do alemão foram na Benetton, que nem era a melhor equipe nos campeonatos alcançados…

      • Joel disse:

        Edgar, acho que a Mercedes é o que é hoje graças ao Schumacher. cansei de torcer contra o Prost, contra o Schumacher, contra o Hamilton, tudo em favor dos brasileiros. Hoje, reconheço a grandeza desse pilotos. A Ferrari contratou que estava num jejum de mais de 20 anos sem títulos contratou Berger, Mansell, Prost e…nada. Schumacher trouxe toda a infra estrutura da Benetton, se armou de todo um aparato dos melhores projetista, estrategistas, mecânicos, etc, e transformou a Ferrari numa potência em apenas um ano. Saiu da Benetton em 96 e já em 97 disputou o título. Em 99 só não foi campeão por ter quebrado as pernas no GP da Inglaterra. De 2000 em diante todo mundo sabe da história.
        Abs, Joel

      • Micromax disse:

        Sim Joel, a história do maior Fake da história do esporte.

      • Schukruzete Enfezada disse:

        Anote aí, Micromixo:

        Schummy deu capote em Senna na maioria das marcas, incluindo a de títulos.

    • Edu Zeiro disse:

      Prezado, concordo em parte com você, mas não podemos nos esquecer que Schumi esteve na Mercedes antes da era híbrida. Também que a equipe herdou a estrutura de uma outra que tinha DNA japonês e que, mesmo considerada de médio porte, foi campeã nos mundiais de pilotos e construtores.

    • McLaren-12 disse:

      “Schumacher arredondou a Mercedes”

      A única coisa que Schumacher arredondou foi sua conta bancária. Levou ferro do Rosberg durante 3 anos. Inclusive, a única vitória da equipe nesse período foi do Nico.

  9. Augusto Cesar disse:

    Flávio permita minha opinião de sofazista em relação a sua que é um dos cara que mais conhece de automobilismo no país.
    Mas considero Lewis, Senna e Prost melhor que Schumacher, pois eles foram campeões tendo como companheiros de equipe pilotos muito fortes como Rosberg, e Senna & Prost um ao outro.
    O Hamilton há 3 anos está numa zona de conforto com Bottas como companheiro de equipe, tanto é que o humor dele mudou, agora é o “Hamilton Paz e Amor” apoiador das causas ambientais e humanitárias …. na época de Rosberg ele era uma pilha, tenso e concentrado cuspindo fogo na própria equipe.
    A mesma coisa acho do schumacher, vettel e button ….. foram campeões numa zona de conforto tendo Barrichello e Webber como companheiros de equipe e ainda tendo um claro favorecimento dentro da equipe.
    Obviamente os números do Michael o coloca inquestionavelmente entre os melhores.

  10. Miguel Direito disse:

    Jim Clark foi o maior de sempre, pois a estatística mais relevante é a de percentagem de voltas em primeiro lugar por quilómetros feitos e percentagem de vitórias por corrida terminada.

  11. André Fonseca disse:

    Schummy conquistou seus títulos tendo apenas Hakkinen, Villeneuve e Picaretonso como adversários. Mirto teve Raikkonen, Massa (grandes merda podem dizer, mas foi por uma curva na mais espetacular decisão do Automobilismo Mundial!!!), Picaretonso, Vettel, Rosberg (que só ganhou pq o único motor da Mercedes a estourar em 2016 foi o do Hamilton!!!), portanto, nesse ponto, Hamilton teve mais trabalho, sem falar que não teve um fiel escudeiro como Barrichello por anos a fio. Bottas, tem tudo para ser, mas…

    Schummy tirou uma equipe do limbo, Mirto apostou todas as suas fichas numa incógnita, ou alguém tinha certeza que a Mercedes dominaria dessa forma a Era Híbrida???

    Dito isso, ano que vem Hamilton já será o maior do Mundo por ter se igualado ao Schummy, mas ter tido mais trabalho. Em 2020 será o último ano do atual regulamente e nenhuma equipe vai investir os tubos para tentar encontrar uma saída mirabolante para bater as Mercedes.

    Portanto, o Hepta já está garantido.

    Em 2021 deve ter um pouco mais de trabalho, regulamento novo é sempre complicado, vai que alguma equipe tira um coelho da cartola como a Mercedes e faz um carro arrebatador. Minhas fichas vão todas para a Red Bull e Verstappinho, mas ainda assim a Mercedes não vai cagar na criação do carro e atrás do volante terá “ele”…

    E aí, em pé de igualdade nos bólidos, Mirto é melhor!!!

  12. Alemão disse:

    Hamilton merece realmente, dominou todos este ano! Bottas não tem consistência, apesar de fazer algumas corridas ótimas!
    Verstapen bocudo, acabou de queimar seu filme na Ferrari e fechou as portas para o futuro, chamando os italianos de ilegais! Lembro quando Prost chamou a Ferrari de “carroça”!!
    Riccardo, Sainz, Norris e Perez merecem um carro de ponta!!

  13. Flavio Padilha disse:

    Saudações Flavinho Gomes!!! Mais um pra conta do The best!!!
    Meus escolhidos são os melhores : Hamilton, ad eternum e como venho escrevendo há tempos, Albon, como sucessor. Na GP2 fantástico…
    O que mais estranho quando entro no Blog, é o sumiço daquela galera Vettelete e Vestapette quando dá Hamilton, eles devem estar se matando de raiva com mais um título do The Best… Do GOAT ( Gigante Ousado Audaz Transcendental ) abs e bom Fox Nitro, que deverá ser sensacional.

  14. Clayton Araujo disse:

    Hexa merecido. E mais uma vez a Mercedes vence um campeonato sem muitas dificuldades. E agora que o Hamilton está pilotando cmo nunca, na minha opinião, venceu com os pés nas costas. Ano que vem tem mais, graças a supercompetência da Mercedes. Anotem.

  15. Guilherme Zahn disse:

    Nada de muito a acrescentar, só que além de Schumi, Marquez e Lewis, vimos também os dois Sebs do Rali, monstros máximos também.

    Quanto ao Luís Amilton, nos últimos anos a humildade que ele demonstra nas entrevistas (pode até ser completamente ensaiado, mas não é isso que importa) é um tremendo exemplo para tantos aprendizes de pseudocelebridade que temos lá e cá…

  16. Felipe disse:

    A unica coisa que Hamilton teve que fazer nesses últimos anos, foi ser melhor que seus medianos companheiros de equipe. E ainda falhou em 1 ano.
    Se Vettel tivesse ido para a Mercedes em 2014 ao invés da Ferrari, estaria comemorando seu decacampeonato !?! Alguém duvida que ele também não ganharia com essas Mercedes nas mãos todos esses anos?

    • Carlos disse:

      Aceita que o negão entubou todo mundo que doi menos.

      • João Marcello disse:

        Sei que muitos odeiam o “SE”… Mas já pensaram se o Hamilton não fosse para a Mercedes em 2013? Li que a Mercedes pensava no Nick Heidfeld e que foi o Nikki Lauda que convenceu ambos que seria uma boa… Hoje tudo que falam do Hamilton, poderíamos estar falando do Rosberg, Sim, porque eu duvido que o Rosberg aceitaria o Hamilton na equipe, após ser campeão em 2014. Só lembrando que o Schumacher levou um passeio do Rosbesg quando voltou da aposentadoria de 2010 a 2012… Antes que me interpretem mal, não acho o Rosberg o GOAT! rs Só quis dividir este pensamento com vocês.

  17. Felipe disse:

    Volte uns anos e veja a pilotagem de Hamilton…era tão ou mais mal carater que Schumacher. Cada ultrapassagem que fazia, jogava o outro piloto para fora. Foi assim por muito tempo e sempre com carta branca da FIA Inglesa.

  18. Wilian Esteves disse:

    Ainda acho o Senna o maior da história, com Schumacher muito próximo. O Hamilton está ali, pau a pau com o Schumi, mas ainda quero ver ele andando com um carro que não seja o melhor do grid, como o fizeram os outros dois, antes de poder promover ele no meu “grid”.

  19. Gus disse:

    Não dá nem para cravar com certeza que Hamilton é melhor que os pilotos com quem lutou, como Fernando Alonso por exemplo…
    Melhor que a versatilidade absurda de Fangio, da velocidade pura de Jim Clark e Ayrton Senna, da inteligência e esperteza de um Lauda, Stewart e Piquet? Melhor que o auge de Schumacher, talvez o homem que mais trabalhou em todos os tempos na F-1, para ser massivamente vitorioso e dominador?
    Senna botava mais de um segundo em colegas e concorrentes nas classificações (mais de dez vezes ele fez isso); Fangio ganharia até dirigindo um carrinho de bebê, Clark era virtualmente imbatível no seu tempo, Lauda era um computador na cabeça e um leão no coração…
    Não, não dá para fazer comparações diretas; Vettel também era considerado o melhor de todos ao final da saga vitoriosa na Red Bull.
    Hamilton é grandioso, mas é uma falta de respeito com os ases do passado essa polarização das qualidades oriundas basicamente em números muito elevados.
    Tomara que no ano que vêm o talento do inglês seja colocado mais a prova pela reação das outras equipes (duvido).

  20. CHAGAS disse:

    Parabéns Lewis, mais um campeonato correndo de forma brilhante e sem dar chance alguma pra concorrência. Tem um carro excepcional nas mãos e com seu talento vai batendo todos os recordes da F1.
    Bottas e Hamilton tiveram uma batalha feroz no fim da prova, o finlandês fez uma ultrapassagem espetacular…… Hamilton na volta anterior chegou a jogar Bottas pra fora da pista mostrando que não tem história de relaxar mas sim de buscar os números absolutos da categoria. Alguém ainda acha que no Japão devolveram a vitória pro finlandês?
    A prova foi equilibradíssima e as estratégias não dá pra falar qual era a melhor.
    Hamilton parou 1 e Bottas 2…. o finlandês venceu.
    Ricciardo parou 1 e Hulk 2….. melhor pro australiano que fez corrida fantástica.
    Sainz parou 1 e Norris 2…… venceu o inglês.
    Perez parou 1 e Stroll 2….. o mexicano ficou à frente.
    Foi realmente um jogo de xadrez, que premiou Bottas em um fim de semana irretocável, fez pole com quebra de record, venceu a corrida, e vai somando suas vitórias, poles, pódiuns, pontos……. pra tristeza dos torcedores modinhas.
    E o Vettel? Até Renault e Mc Laren passaram o alemão….. pra esquecer a corrida dele. Em seu primeiro ano de Ferrari, Leclerc impõe uma derrota difícil de ser digerida pelo tetracampeão.
    Albon é uma grata surpresa. Porém ano que vem o pessoal vai jogar a responsabilidade pra ele, vai cobrar pódiuns, vitórias, desempenho pra andar entre os primeiros, enfim coisas que Ricciardo trazia e que Max traz pra equipe…….. ae vamos ver se realmente é o promissor piloto que pensamos ser.

  21. Fernando disse:

    Essa questão do GOAT é irrelevante. O importante é que ele está deixando um legado marcante na época em que atua.

  22. Nunes disse:

    Pelos números Shumacher ainda é o GOAT, agora cá entre nós , como disse o nosso amigo Luciano o cara merecia o apelido de Dick Vigarista, bom agora vou lavar uma louça!!!

  23. Miguel Direito disse:

    Jim Clark. Penso que teve a maior percentagem de vitórias por corrida terminada. Ou ganhava com grande avanço ou o carro quebrava.

  24. Gleise disse:

    #lulalivre #helenao #naovaitergolpe

  25. Leandro Batista disse:

    GOT ou não GOT, é o segundo maior vencedor no esporte. E tem tudo para igualar a Schumacher no ano que vem. Duvido que a Ferrari consiga quebrar o domínio da Mercedes.

  26. Carlos Dias disse:

    Hamilton já é o segundo maior da história. Fangio ainda é o maior de todos, este tem – em termos proporcionais – os melhores números da história da F1.
    Hamilton tem uma carreira incrível também, terá, em breve, os maiores números absolutos da história.
    Ademais, enfrentou adversários muito bons, coisa que faltou a Schumacher. Não considero Hakkinen, seu melhor adversário ( Alonso só apareceu no fim da carreira do Schumacher), um grande piloto.
    Lewis competiu no mesmo nível de Alonso – um dos mais talentosos da história, em seu ano de estreia -, não é para qualquer um.
    Em suma: não é absurdo chamá-lo de GOAT.

  27. André disse:

    Números?
    Nemesis Relevantes?
    Combinação?
    Mesmo que não fosse GOAT… O fato de um negro em um esporte elitista e exclusivo de brancos e ricos ser dominante implacavel fica pra história como feito único e “irrecopiavel”.
    E ainda assim não se vê no grid reflexo desse sucesso onde as cores continuam indiscutivelmente claras.

  28. Badoer disse:

    Shumi foi o melhor de todos mesmo. O melhor em jogar o carro nos outros pra ganhar títulos. Um conseguiu, o outro não!

    • Schukruzete Enfezada disse:

      E o teu ídolo, que jogou o carro em cima de Prost na largada da decisão em 90?

      • Renato F1/FE Mercedes disse:

        Prezado(a) Schukuzete Enfezada, a frase que você publicou, solta, é tendenciosa. O que aconteceu no Japão, em 1990, foi o capítulo final que começou em 1989. No ano anterior, Senna precisava de vencer para manter a chance de disputar o título na prova seguinte. E vinha de uma perseguição de gato e rato com o Prost. Tinha de passá-lo e, na tentativa na reta antes da chicane, houve o acidente. Não entrarei no mérito se foi incidente de corrida ou se foi proposital a batida pois o francês não faria a curva (se Senna não terminasse, Prost automaticamente seria campeão), mas, a desclassificação e a explicação para a desclassificação foram, no meu entender, esdrúxulas. O carro estava numa posição perigosa. Se ele desse marcha-a-ré, seria punido. Se contornasse a chicane, seria punido. Tudo isto revoltaria qualquer pessoa que não tivesse muita paz de espírito e aceitasse uma derrota goela abaixo (Senna nunca foi de aceitar uma derrota, uma empurrada goela abaixo então…).

        Eis que, no campeonato de 1990, Prost precisava de vencer no Japão para que Senna não fosse campeão (situação inversa a de 1989). Se não completasse a prova, o piloto brasileiro ficaria com a taça (situação inversa à do ano anterior). Senna faz a pole e Prost é segundo. Historicamente, o pole larga do lado mais limpo da pista e o segundo fica com o mais sujo. Mas, não sei por qual motivo, inverteram os lados. Então, Senna, que não tem sangue de barata, revoltado com a situação que começou um ano antes, se vê na mesma condição de gato e rato, só que, desta vez, ele era o gato. Então, na largada, fez exatamente a mesma coisa que foi feita um ano antes. Fez a coisa certa? Não. Poderia ter tido consequências piores? Poderia. Manchou a carreira dele? Sim (assim como Prost também no ano anterior). Mas, do jeito que ele era, não faria diferente.

      • McLaren-12 disse:

        Faça as contas, Pinto:

        Schumacher jogou o carro duas vezes.
        Senna jogou o carro uma vez.

        2 > 1.

        O Badoer tem razão: Schumacher foi o maior de todos os tempo em jogar o carro em cima dos outros para ser campeão,

      • MacLata-12 disse:

        Faça as contas, Pinto (Ai, minha viuvez…).

        Schumacher tem 7 títulos e Senna tem 3.

        7 > 3.

        Você tem razão. Schummy é o maior de todos os tempo!

      • Ferrarista disse:

        Esse Renato escreve um pergaminho para explicar o que todo mundo já sabe.

        Que perda de tempo!

      • Garagista disse:

        Gente, esse Renato é o Segafredo disfarçado!

  29. Thiago disse:

    Era natural a tentativa de emplacar alguém como maior logo que chegasse perto dos números do Schumacher, principalmente aqui com a imprensa e fãs brasileiros que construíram toda essa aura de que o Schumacher era ladrão, antipático, isso, aquilo.

    Passando ou não, continuarei achando o Schumacher melhor. Pelo simples motivo de que ele foi pra uma equipe que na época vivia de passado e não era nada. Construiu junto com a equipe desde o começo toda aquela era e isso é sempre bonito de se ver.

    Hamilton é o cara que viu a equipe ser construída, viu no que ia dar e aí sentou com toda a estrutura prontinha, o carro prontinho. Por isso o considero abaixo do Schumi.

  30. Benjamin Leopoldo disse:

    Flávio essa semana trate de fazer algum vídeo sobre , na sua opinião, qual os 10 melhores pilotos da histórias argumentando cada um. Te dou até sexta p fazer. Grato

  31. Eu falei pra vocês disse:

    Corridaça do Ricardão. um passão no Schukrute pra lembrar os tempos de RBR, kkkkk

  32. Luiz disse:

    Hamilton venceu sem ter o melhor carro e foi muito difícil ser campeão esse ano, é lógico a Mercedes venceu 6 títulos seguidos por pura sorte, pois aFerrari sempre é melhor. Calma. Não sou eu que falei, é a redação do grande prêmio que insiste nisso. Mas falando sério, perdi a corrida hoje pois no site dizia que a prova seria as 17:10. Só que esse ano não teve horário de verão e não corrigiram. Perdi metade da corrida. Sacanagem.

  33. Amaral disse:

    Alguns dirão que seu GOAT foi Pelé, outros Maradona, outros talvez pensem em Leônidas, Eusébio, Puskas, Klose ou Ronaldo, e nada de mal há nisso. Alguns mais empolgados com o momento dirão até que é o Gabriel Barbosa, Gabigol pros íntimos. Isso é pessoal e intransferível.
    E se eu lesse isso sem a explicação realmente tentaria achar chifres ou barbicha no hexacampeão.
    Mereceu. Ninguém tem seis títulos de graça. Recebeu suas chances e aproveitou como quase ninguém aproveitaria. Faz jus a todas as glórias que recebe. E não duvido nem um pouco que ele decida se aposentar como o primeiro octacampeão da história da fórmula 1. E pensar que não tem tanto tempo assim discutíamos o fato dele ser o primeiro negro a pilotar um carro de corrida, talvez desde Willy T. Ribbs (quem lembra?).
    Ele conseguiu transcender cor de pele, ou qualquer bobagem que queiramos atribuir. Ele é excepcional porque é simplesmente ele. E minha geração (homens de 30 a 40) é afortunada por ter visto Schumacher, Alonso, Vettel e Hamilton. Quatro pilotos que detêm só eles dezenove títulos mundiais. No século 21 esses caras ganharam 17 dos 20 campeonatos até agora. Isso é história sendo escrita ao vivo. Daqui a cem anos podem até ter ter inventado de proibir corridas de automóvel no mundo. Mas não apagarão a história.

  34. Markonikov disse:

    Primeiro negro, 6 títulos sem roubar nenhum , GOAT total, hj eu, branqueli, chorei de felicidade. Mohamed Ali, Pelé da F1 ….

  35. Sérgio R Senne disse:

    Flávio, na sua opinião porque o Hamilton ainda não foi nomeado Sir pela coroa Britânica?

    • Flavio Padilha disse:

      “Nervoso”, Hamilton recebe título de Sir da rainha da Inglaterra !
      Publicado em 10/03/2009, 17:00
      Atualizado em 10/03/2009, 17:08
      O britânico Lewis Hamilton foi condecorado pela rainha Elisabeth II nesta terça-feira. Após se tornar o mais jovem a conquistar o Mundial de Fórmula 1, ele recebeu o título de “Membro do Império Britânico”. O piloto da McLaren confessou que a expectativa era grande pelo encontro no Palácio de Buckingham.

      “Estava muito nervoso para conhecê-la. Foi uma das experiências mais impressionantes da minha vida”, admitiu Hamilton. Ele conquistou o título de 2008 após passar Timo Glock na última volta

      O encontro com Elisabeth II deixou o jovem piloto impressionado. “Acho que você só percebe o quanto ela é especial quando está diante dela”, afirmou. Hamilton disse que a rainha acompanhou a decisão do último Mundial. “Ela me fez perguntas sobre o carro”, completou.

      Lewis Hamilton compareceu ao Palácio de Buckingham com o pai Anthony, o irmão Nicolas e a madrasta Linda. A próxima parada do piloto é Barcelona, palco dos testes coletivos desta semana. “Ainda temos muito o que fazer”, afirmou o atual campeão do mundo.

    • Costa disse:

      Quem nomeia é a rainha e não o FG…

  36. Lavitz Deru disse:

    Os números do Hamilton sem duvidas são espantosos e não se pode negar o que eles transmitem. 6 títulos, inúmeras vitórias e poles. Logo terá todos os recordes, é inevitável.
    Só não concordo quando o chamam de melhor piloto de todos os tempos, fenomenal e coisas do tipo. Quando se volta na historia e vemos os pilotos que são tidos como os melhores da historia, grande parte deles tem algo em comum, adversários e equipes memoráveis com níveis ou similares ou superiores. Fora que ele sempre esteve nas melhores equipes, ja começou por cima.

    Não desmerecendo o Lewis, mas dos 6 títulos dele:
    – 2 foi em cima de um Rosberg que cá pra nós, apesar de ser um campeão mundial nunca foi minimamente um piloto excelente
    – 2 em cima de uma Ferrari e Vettel inconsistentes, que por inúmeras lambanças facilitaram e muito a vida do Hamilton.
    – 1 em cima do Bottas, que tem nível de piloto de equipe de meio de pelotão
    – 1 em cima do Massa por um ponto naquele final incrível em Interlagos. Título perdido de novo por conta das bobagens da Ferrari, uma quebra de motor e algumas atuações sofridas do Felipe (Sepang, Silverstone).

    Quando se compara com Schumacher, Piquet, Fangio, Prost, Senna, Clark, Lauda, Jackie Stewart é difícil imaginar o Hamilton sendo muito melhor que um deles. Você ve contra quem esses pilotos listados disputaram o título e ve contra quem o Lewis disputa, é desanimador. A Mercedes é dominadora desde 2014, então basicamente o inglês só disputa com o companheiro de equipe. O cenário é o mesmo da Mclaren do final da década de 80, mas Prost e Senna eram dois pilotos de classe superior.

    Você olha o grid nos campeonatos que esses pilotos citados ganharam os campeonatos e observa contra quem o Lewis realmente disputa corridas, a discrepância é ainda maior. Esses pilotos disputavam títulos, vitórias e recordes com pilotos e equipes muito mais gabaritados. Esses caras disputavam contra Fittipaldi,G. Hill, Hakkinen, G.Villeneuve, S.Moss, Mansell, Alonso, Ascari, R.Peterson, fora que ainda na década de 80 esses caras disputavam roda a roda entre eles(Piquet, Prost, Senna).

    Se for avaliar os números, é uma covardia ainda maior. As temporadas antigamente, tinham entre 12 e 16 corridas. Hoje temos um calendário com 20-22 corridas.
    Antes os 6 primeiros pontuavam, com o vencedor levando 10/9 pts.
    Hoje 10 pontuam .. quem ganha leva 25

    O Lewis é um grande piloto sem duvidas, mas não é o maior de todos os tempos. É difícil dimensionar isso pra qualquer piloto ou atleta, porque vai muito do ponto de vista das pessoas, do contexto por trás de uma serie de variáveis.

    Ele é um dos maiores, mas não é o maior. Seria o certo a se afirmar.
    E qual é o maior de todos? Isso talvez a gente nunca vai saber definir ao certo. O melhor depende da opinião de cada um.

    • Micromax disse:

      Olha, bem melhor que Schumacher, destes que vc citou, é certeza…..basta olhar contra quem cada um disputou.

    • Gustavo Kamino disse:

      Que isso, eu acho que ele enfrentou pilotos de peso sim. Veja só sua temporada de estreia. Acho que nenhum piloto fez isso. Enfrentou um Alonso bicampeão de igual pra igual e chegou na frente dele no campeonato. No ano seguinte enfrenta uma ótima ferrari com um kimi campeão mundial e ganha. Nos anos seguintes sempre ganhou corrida. Aliás, acho que é dos únicos que ganhou corrida TODOS os anos de F1. E nunca terminou temporada abaixo da 5a colocação.

      Mas realmente falar que é o maior de todos os tempos é complicado… cada um tem uma história a seu tempo. Mas provavelmente é o mais talentoso de todos os tempos.

    • Roberto disse:

      Qual o grande nome que Schumacker enfrentou para conquistar um título? Quando pegou o Alonso pela frente perdeu.

    • André disse:

      Senna também bateu de propósito em um carro para ganhar um título. Vamos discutir caráter?

      • Lavitz Deru disse:

        A questão não é caráter. Em momento algum citei o Lewis como mau caráter, ou qualquer coisa do tipo. So mostrei contra quem cada um dos tidos como “grandes pilotos” correram.
        Não distorça minha opinião e minha analise, que é pessoal por sinal.

    • Zé Maria disse:

      Perfeita a sua análise.

    • Zé MCZ disse:

      Concordo totalmente!
      É muito fácil ser multicampeão tendo um carro de ponta e praticamente não tendo adversário. Basta um pouco mais de esforço, aí haja troféus e coroas de louro.
      Na minha opinião, o maior duelo na F1 foi Airton Senna x Alain Prost. Os tinham a melhor máquina, como todos os pilotos de ponta, mas disputaram no tapa, digo nas pistas. E ambos saíram quase ilesos. Quase…
      Porém o GOAT definitivo chama se:
      Juan Manuel Fangio!

    • Murillo disse:

      Rosberg e Bottas são ótimos pilotos, só não são Gênios como Hamilton, isso só demonstra o tamanho do talento de Hamilton.
      Em termos de velocidade pura Hamilton, Senna e Clack estão acima de todos.

      • Lavitz Deru disse:

        O Rosberg pode ter sido um bom piloto, mas nunca um ótimo piloto. E o Bottas convenhamos … ja tivemos pilotos muito mais talentosos e rápidos que não tiveram metade da chance que ele teve e continua tendo numa Mercedes dominante. Ele é o companheiro perfeito para qualquer primeiro piloto de uma equipe, assim como Patrese foi na Williams em 1992 e Berger na Mclaren em 1991.

      • Leonardo disse:

        Concordo Bottas e Rosberg(Nico) são ótimos, sempre superaram seus companheiros de equipe (Até serem companheiros de Hamilton).
        Rosberg aposentou Schumacher e sem mimimi de falar que Schumacher tava velho, pq ele parou foi é cedo e teve 3 anos para se re-adaptar à F1 e só levou Benga do Rosberg.
        Bottas aponsentou Felipe Massa (Que não era Gênio, mas era um bom piloto). Bottas foi melhor que Massa nos 3 anos em que correram juntos.
        Entendo que Rosberg e Bottas são pilotos bem acima da média, impossível comparar com o Patrese ou Berger(esses sim pilotos medianos que foram superados por seus companheiros de equipe).

  37. Samuel Barrocas disse:

    Hamilton já é maior do que o Schumacher, não apenas na pilotagem (nunca precisou ter a equipe apenas para ele para chegar aos seus feitos) como também no caráter. Ele pode ganhar 20 títulos na Fórmula-1 que não terá a antipatia que o Schumacher tinha no Brasil, e isto se devia ao desvio de caráter do alemão.

    Villeneuve falou algo sobre o Schumacher que faz todo o sentido, o de que o problema do alemão era mentir para as pessoas. O que sentiu Schumacher ao jogar o carro em cima de Damon Hill em 1994? Inicialmente ficou puto e depois saiu sem pudor para comemorar um título que ele mesmo sabia que havia sido conquistado daquela maneira, de forma suja. Jogou de novo o carro em cima do Villeneuve em 1997, e só desta manobra disse se arrepender, o que nos leva a concluir que se arrependeu apenas porque se deu mal no campeonato, e não pela manobra em si.

    É um alívio saber que um piloto como Hamilton, talentoso, sincero e carismático irá deter os números para si no futuro próximo. Estará em uma das melhores mãos possíveis.

  38. Marcos Tulio disse:

    Sou fã de carteirinha do Hamilton. Mas também acho que a forma como Schumacher dominou a F1 foi mais “incisiva”. Ele era cirúrgico. A forma como ele garantia as poles nos últimos segundos das classificações era sádica com o concorrência.

  39. Alfredinho disse:

    Eu nunca pensei que um dia eu veria Fangio como terceiro colocado no número de títulos mundiais.

  40. Luciano disse:

    A benetton trapeceou em 1994, meu caro. O shummy tinha um segundao de primeira, o Barrica, sem contar que as estratégias da Ferrari eram sempre pra favorecer o alemão. Isso vc ao fala. Jogou o carro em cima do Hill em 94 ( hj seria punido e perderia o titulo), assim com em 1997 com o villeneve, ou seja, era mesmo.o Dick Vigarista. Eu não entendo essa sua afeição nada racional pelo Schumacher e agora pelo Vettel. Nem quero entender. Só sei que não tem nada de imparcial.

  41. CRSJ disse:

    Acabou o que já tinha acabado muito antes, o Hamilton não podia deixar de ser Hexa nos Estados Unidos, já tinha uma vaga reservada de Hexacampeão pra ele lá.
    Pro Bottas a vitória acabou ficando como maior prêmio de consolo, o Hamilton segue como dono da situação na Mercedes.
    Quebra estranha do Vettel! O único que podia pegar alguma coisa da Mercedes era o Verstappen que lamentou não ter sido segundo por causa de uma bandeira amarela local bem no final da corrida.
    O ator americano Matthew McConaughey estava lá assistindo a corrida, ele é casado com a modelo brasileira Camila Alves, os narradores esqueceram de mencionar isso.

  42. MarcioD disse:

    Parabéns ao Hamilton pelo Hexa, chegando também ao 150° pódio. Interessante observar que os 3 pilotos com mais títulos na F1 vieram de extratos sociais inferiores neste esporte elitizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *