MENU

sexta-feira, 29 de novembro de 2019 - 10:35F-1

CHEIRINHO

RIO (vai ser caro…) – Bom, vale tudo para arranjar uns cobres, não? A F-1 anunciou hoje o lançamento de seu… perfume!

Ele estará à venda a partir de março do ano que vem. Um certo Ross Lovegrove, designer, criou os frascos em impressoras 3D “inspirado no mundo da F-1”. Uau. São três modelos para cinco fragrâncias diferentes. Elas serão produzidas por uma tal Designer Parfums.

O cheirinho deve ser bom. Mas seria inovador se cheirasse gasolina, isso sim. Ou borracha queimada.

Os frascos do novo perfume da categoria: lembram algo da F-1?

12 comentários

  1. Manoel disse:

    O frasco do meio lembra este halo ridículo.

  2. Gerardo disse:

    Não vejo sentido. Não vejo nem sentido comercial, nem de brand positioning. Com tanto que deveria ser feito…

  3. wagner disse:

    Claro que os frascos lembram a Fórmula 1. Percebe-se claramente que eles foram feitos para otimizar a passagem do ar, causando menos arrasto. Rsrsrsrsr

  4. Matheus Cripa Rocha disse:

    Perfume com cheiro de gasolina já existe e é um clássico: Fahrenheit, da Dior.

  5. Andre disse:

    Parece aquelas imagens de atlas de anatomia. Coisa feia demais. Pensei que seria no formato de carros kkkkkkk

  6. Nick B disse:

    Êêê, Fla, ainda boladão com essa enxurrada de títulos do seu xará Fla… mengo?!
    Fica tite, não!!

    Olha como eu sou parça: deixo pra você escolher entre Linger ou Zombie, com a voz inesquecivel de Dolores. Ah! Que falta faz!
    Viva Cranberries!

    Nick B.

  7. j2c disse:

    Podiam lançar mais produtos, ué. Cueca deCesaris, já vem freada. Ou whey Brambilla, para vc q é gorila… (piadas horríveis, eu sei, mas num arresisti)

  8. Weslei disse:

    O primeiro me lembrou uma parte da anatomia feminina.

  9. Allan Luz disse:

    Me faz lembrar alguns troféus esquisitos como os que são distribuídos atualmente… o tal do “Design contemporâneo”… particularmente prefiro os tradicionais, com asas, ornamentos e em estilo clássico, mas são tempos modernos, e temos que nos habituar com essas evoluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *