GP ÀS 10: O QUE É, TANTO FAZ

RIO (vale a ideia) – Eu tenho colocado o “GP às 10” aqui sempre sem comentários, mas hoje é necessário. Quando gravei ontem, o novo sistema da Mercedes acionado pelo volante “retrátil” era descrito como algo que mexia na cambagem das rodas. No meu texto sobre o segundo dia de testes, escrevi a mesma coisa. Mais tarde, falou-se em convergência. Claro que são coisas diferentes, mas ninguém precisa ter chilique, apontar o dedo para mim e dizer que não entendo nada — o que tem de fã de F-1 que se acha mais engenheiro que Adrian Newey é uma grandeza; são, de longe, os mais chatos.

Não importa se as mexidas no volante alteram cambagem ou modificam convergência. A Mercedes, por sinal, não detalhou nada — apenas reconheceu a existência do sistema batizado de DAS.

O vídeo, essencialmente, fala sobre como uma equipe pode ser criativa e inovadora mesmo sob um regulamento engessado. E seja lá o que estiver fazendo o DAS que a Mercedes está testando, é um sistema que tem o potencial de interferir em todas as regulagens que podem ser feitas numa suspensão. Inclusive cambagem, obviamente. Se por enquanto é só convergência (repito: não confirmado pelo time), OK. Mas as possibilidades são enormes. Se isso vai dar certo, é outra história.

Comentários

  • FG, se errrrrrou e nao tem certeza deixa pra lá…….ninguém quer ser o adrian newey, mas se espera aprender algo novo só isso…….até pq os blogs e videos por aqui no braza sao muito razos em info tecnicas……..nao preciza ir pra cruz logo……relaxa bicho!

  • Cara, muito bacana esse sistema. É daquelas coisas que pensei comigo: como ninguém tinha pensado nisto antes? Simplesmente demais. Creio ser um sistema simples, mecânico mesmo, sem eletrônica. Diferente do sistema da Brawn que deve ter sido desenvolvido em um túnel de vento, por um projetista, este me parece daquelas evoluções criadas por algum piloto que mete a mão na graxa, tipo um Piquet. Fiquei tentando lembrar da última novidade em um carro de F-1 que permaneceu. Não sei se ainda é utilizado os difusores duplos como os da Brawn, e as asas móveis pelo que sei foi pensado pela FIA. Mas a última novidade que consegui lembrar foram os carros tubarões da Benneton, que provavelmente foi coisa do projetista, mas pra variar, mais uma novidade na mão do Nelsão. A Tyrrel lançou um modelo antes com o bico alto, mas não eram como os da Benneton que era túneis de ar. Torço pra esse DAS ser um sistema mecânico. A F-1 poderia voltar a ser assim, um carro diferente do outro.

  • Pelo tempos dos últimos dias esse treco novo da Mercedes não está atrapalhando.

    Se não me engano o Piquet usava algumas alavancas internas na F-3 Inglesa para mudar dureza de barras de torção e acerto de freio (um desses ou os dois itens).

    As coisas evoluem e os Alemães não estão parados. Parece (segundo o Gary Anderson) uma solução bem simples para um melhor ajuste da “angulação dos pneus” para uma melhor velocidade nas grandes retas da temporada

  • O mais interessante desse DAS foi que, após o vídeo onboard dos carros da Mercedes terem circulado pela internet, o próprio diretor técnico da equipe, James Allison, veio a público confirmar que estavam testando esse sistema, mas sem entrar em maiores detalhes. Interessante pois, se é algo inédito, por que então essa exposição pela própria Mercedes? Quem sabe não existam outras inovações nos carros germânicos, e isso é apenas uma cortina de fumaça para esconder o que realmente é importante.

    De qualquer forma, bom carnaval para todos nós. Bom desfile.

    • Que nada, está divertido à beça! Tive de aturar os anos de domínio da Se Ferra-ri, tive de aturar os anos de domínio da Red Mula: agora, estou curtindo os anos de domínio da Mercedes! Com juros e com correção monetária! Os torcedores das outras equipes que me aturem! Tomara que, em 2020, o domínio continue e em 2021 o domínio aumente.