Comentários

  • O título do filme do Al Pacino em português é “Um Momento, Uma Vida”. Achei sob o nome original com legendas em português no YouTube. Há alguns documentários sobre a Fórmula 1 dos anos 1950 a 1970 no serviço on demand da Net, mas não lembro dos títulos e nem todos são bons.
    No mais assino embaixo de todas as suas críticas.

    • Perdão pelo textão, mas aí vai a resenha… Assisti a esse filme com o Al Pacino graças ao grande Emilio Camanzi, que me passou o arquivo num pen drive há uns bons anos. Apesar do protagonista e do diretor fodão, Sydney Pollack, trata-se de um dramalhão mela cueca de gosto duvidoso (meio “Love Story” – que por sinal é de alguma forma citado no cartaz do filme… https://www.imdb.com/title/tt0075774/mediaviewer/rm1663640320), mas que vale muito pra gente como a gente, por todo o pano de fundo. O personagem dele, Bobby Deerfield (nome original da película), é piloto da Brabham e corre com o capacete do saudoso José Carlos Pace, que por tabela foi o dublê do ator – aqui está o Moco vestido com um macacão com o aplique da bandeira dos EUA e o nome Bobby Deerfield: https://www.imdb.com/title/tt0075774/mediaviewer/rm3271013120. Dá até pra ver o patrocínio da Brahma em algumas cenas. E o carro de uso dele é da Alfa Romeo, pois a equipe usava os motores da marca italiana à época. O filme saiu pouco depois da morte do Pace e há uma homenagem a ele nos créditos, se me lembro bem. Por isso, o filme é ainda mais triste do que já seria pela trama em si, por fazer pensar o tempo todo que o Moco se foi tão cedo…

  • O nome do filme do Al Pacino em português é “Um Momento, Uma Vida”. Há alguns documentários sobre a Fórmula 1 dos anos 1950 a 1970 no serviço on demand da Net, mas não lembro dos títulos e nem todos são bons.
    No mais assino embaixo de todas as suas críticas.

  • Um presidente que se dizia todo certo, que combateria a podridão política do Brasil e um mês depois de assumir o cargo já desencadeia um monte de bandidagem dentro da própria família, e mais estará por vir. Sem contar a posição sobre o COVID-19…. uma lástima.
    E os que antecederam essa “jóia”, um sofreu impeachment e outro foi simplesmente pra cadeia.
    Ilógico defender essa corja toda.
    Temos que entender que política é necessário para “em tese” as coisas funcionarem, mas você lê os comentários no blog e se questiona, falar de política faz muito mal às pessoas.

    • Um presidente que se dizia, não; um candidato. E eleito exatamente por causa da condenação da política, aproveitando também o massacre midiático, comandado por seu atual ministro (sic) da justiça (sic sic sic), contra seus principais oponentes. A política é necessária para que exista a democracia, mas isso passa, sim, por seu entendimento, que só se dá através de discussões (no sentido de diálogo) e conhecimento da realidade. Se brasileiros fôssemos seres políticos, essa corja não teria chance de sequer ser candidata a síndico de condomínio na Barra.

  • Uma sugestão também, Flávio: além de livros e filmes, recomendo (pra quem gosta) videogames de automobilismo. Pra quem tem PC: rFactor2. Pra PS4: GranTurismo Sport. PRa XBOX 360: Forza Motorsport. . Para vários: Project Cars & Assetto Corsa.

    • Carlos, e o que você disse agora, não é expressar uma opinião sobre política ?? Não tenho procuração do Flávio, ele não precisa que eu o defenda, mas me parece tão óbvio, o blog é dele, ele se expressa sobre o que quiser. Inclusive sobre corridas e F1. Ainda vivemos numa democracia, apesar de tudo. Faça o seu próprio blog e receba uma patrulha como a que você fez, pra ver se é bom. Please, think about.

      • Você abre o caderno de esportes no jornal (se é que eles existem ainda), para ler sobre política? Muito fácil essa justificativa de “o blog é dele, ele fala o que ele quiser”. Esse blog está inserido dentro de uma página maior, chamada Grande Prêmio, que é sobre automobilismo, certo? Então, espera-se acompanhar notícias sobre esse assunto. Nem o título do vídeo menciona algo sobre política mas tem o assunto inserido. Please, think about it.

      • O blog é meu, o site é meu. Fica a dica. Se não gosta, reclama no Procon. Não esquece de levar o recibo do seu pagamento mensal que lhe dá o direito de dizer sobre o que devo falar.

    • Boa noite.

      Boa definição. E quase elegeram o 45, novamente, em 2014 e conseguiram a proeza de eleger o “novo PRN” em 2018.

      E vamos para 215 mi de pessoas, não tem cabimento.

      Flávio, continue reto rumo ao correto.

  • Oi.
    Ja vi alguns documentarios sobre Senna. Voces sabem/indicam algum documentario sobre Piquet e Fitipaldi? Ou alguma biografia interessante tambem (sobre qualquer piloto). Valeu!!
    Renato

  • Palmas de pé para vc FG, concordo 100% com tudo o que falastes e faço minhas cada uma de suas palavras! Que a familícia Bozo e o gado ignorante que lhe segue vá pra PQP! E que nossas corridinhas voltem assim que for humanamente possível! Abraço e parabéns por sua sempre coerente posição política e excelentes comentários automobilísticos!

  • Flavio, tudo bem? Aproveitei o dia sem trabalhar pra me atualizar no GP às 10 e na tv, ao invés de pilotos guiado carros ou motos somos obrigados a ver um asno acéfalo fingindo que sabe conduzir um país, a abstinência exaspera. Lembro que o senhor parou de cobrir in-loco quase todas as corridas há quase 15 anos, conforme falado num dos vídeos. E o meu pedido, se é que possa fazê-lo, tem a ver com essa parte da sua vida. Imagino que os jornalistas nos Gps vissem as corridas na sala de imprensa, na maioria das vezes. Pois bem, gostaria de saber e caso possa compartilhar conosco, se algumas vezes teve a chance de ver as corridas num box de equipe ou acompanhado de algum ex-piloto, engenheiro, projetista, mecânico, enfim, alguém de ”dentro” mesmo e os comentários que tais pessoas faziam sobre os pilotos, especialmente os da turma do fundão que são meio ignorados pela transmissão oficial e tinham alguma característica marcante, seja a maneira única de contornar uma curva, um padrão de frenagem esquisito. Nessa linha. Vamos em frente que uma hora o pesadelo termina. Sempre passa.

  • Acabo de ver o Paunoguedes mandando um “se a gente parar de reclamar e for trabalhar”, mandando os jovens trabalhar como se fossem totalmente imunes a essa doença triste.
    Puta que pariu, Flávio. Juro que não sei mais o que dizer e o que pensar. E não foi por falta de aviso. Esse filho da puta sempre foi isso, ele nunca mentiu. Sempre soubemos quem ele é. E sinto dizer: o pior está por vir. Fique com um abraço. Isso é tudo o que temos agora.

  • Flavio, eu não concordo com a sua posição política, mas esse seu vídeo foi sensacional. O que presenciamos no domingo foi uma demonstração de irresponsabilidade que não cabe no cargo de Presidente da República, nem de qualquer pessoa em cargo público. Tenho certeza que ele e seus agregados, caso contraiam o vírus, serão tratados nos melhores hospitais do Brasil, sem precisar pegar fila, enquanto o povo e muitos que foram em sua defesa, sofrerão as consequências, como na Itália (escolher quem deve viver por falta de equipamento). Pior, se antes era “nada”, agora o vírus é um ataque da China contra o capitalismo ocidental. A ignorância venceu…

    Mantenha-se saudável e esperamos que logo voltaremos a apreciar as maravilhas do automobilismo.

  • Flavio, por favor, como sugestão – vc poderia colocar aqui no GP as 10, GP que vc acredita serem excepcionais, com sua análise jornalista, que faz muito bem!!
    Nem sei qto trabalho daria, mas qdo assistimos aos GPs, há detalhes que passam despercebidos para o público, mas para jornalistas não.
    Apenas sugestão…
    Qto aos maravilhosos comentários, concordo com tudo!!!
    Abcs

  • Eu perdi minha mãe a cerca de 8 meses atrás por conta de problemas respiratórios. Tenho meu pai que ficou só depois de 55 anos de casado e que tem mais de 80 anos de idade. Por isso é difícil descrever o que sinto agora, vendo um governo que tem destruído como nenhum outro o já combalido sistema público de saúde. Que faz gracinha diante de uma pandemia que já matou milhares de pessoas mundo afora e está só no começo. Que não só, não fez preparação nenhuma para enfrentar a situação como tem estimulado ações para agrava-lá ainda mais. Em um país de dimensões continentais e com mais de 200 milhões de habitantes (em sua grande maioria, miseráveis), com recursos públicos irrisórios, e com todas as mazelas possíveis. Depois de ver o que Itália e Espanha, com condições infinitamente melhores que as nossas, estão sofrendo. Não porque chamaram a pandemia de fantasia, nem porque destruíram seus sistemas de saúde, tampouco porque estimularam aglomerações públicas. Apenas se atrasaram em começar a combater o problema.
    Aqui a situação é diferente porque as temperaturas são mais altas? Não se sabe ainda. São muitas vidas que estão em jogo. E mais: pode ser diferente para pior, ou então, pode ser mais leve agora e piorar daqui a dois ou três meses quando a temperatura diminuir, há muita coisa desconhecida para correr riscos.
    Diante de tudo isso, que perspectiva se pode ter para as próximas semanas? É a imagem da orquestra do Titanic tocando enquanto o navio afunda no oceano.

  • Calma dr Flávio, daqui a poucos anos a quadrilha volta ao poder. Aí a população pobre vai voltar a morrer nos hospitais porque a verba para comprar os remédios voltará a ser desviada para a conta dos seus ídolos. Quero ver quem fará discursos inflamados sobre isso lá na frente.

      • O Bolsonaro é um completo idiota, irresponsável, etc. Bastam 2 neurônios para perceber isto. Quanto à vc, o nível de seu comentário atesta o tipo de indivíduo que é e as “ideias” que deve defender.

    • Como assim, “a quadrilha volta ao poder”? Ela acabou de entrar tem pouco mais de um ano. Milícias ligadas a todo tipo de crime, inclusive assassinatos por encomenda e tráfico, denunciada por nepotismo em vários mandatos diferentes. Filhos envolvidos em “rachadinha” e acobertados pela outra parte da quadrilha comandada pelo marreco de Curitiba, negócios escusos de lavagem de dinheiro… A pior quadrilha de todos os tempos está no poder, não precisa voltar, e sim sair.