DICA DO DIA

SÃO PAULO(um pouco de ternura) – Este é o mais belo documentário sobre uma marca de automóveis que vi na vida. Trata-se da história da IES, criada nos anos 80 por um engenheiro argentino sobre os escombros da Citroën no país. Rodado com a conhecida sensibilidade do cinema argentino, conta a história de Eduardo Sal-Lari e seu sonho — fazer um carro nacional numa fábrica independente na América do Sul (há semelhanças, sim, com a Gurgel; mas não são tantas assim).

Pelo que entendi lendo o “Autoblog” dos nossos vizinhos, o filme só estará disponível no Vimeo, de graça, durante a Semana Santa. Assistam. Mas assistam mesmo! Vocês vão se emocionar até o fim. Especialmente no fim.

Quem mandou foi o Anderson Grzesiuk. Guillermo Cantón é o diretor e produtor.

Dos Gringos from Guillermo Canton on Vimeo.

Comentários

  • Trabalhei na fabrica da Citroen na rua Zepita 1220 em Buenos Aires nos anos 70
    Eramos os bichos feios da industria, faziamos carros feios
    Diziam ser um peido, que o único que gostava era o dono mesmo.
    Porem Gomes te garanto, tivemos a nossa revanche quando chegaram nossos importados.
    O carro mais lindo do mundo Citroen CX Gti
    Aquelas cores, aquela buzina de estrada, a da cidade era meio chata…
    Somente os argentinos entenderemos porque chegamos a isso.
    Porem continuem votando mal aqui e serão argentina amanha viu

  • Que coisa mais linda! Além de emocionar, também faz lembrar de como a gente (eu, por exemplo) não tem ideia de tanta coisa que acontece aqui ao nosso redor na América do Sul. E não falo só de carro, mas de todos os assuntos. Cultura, política, esportes etc…

  • Legal o documentário.

    Costumo brincar que a Argentina só não esta melhor porque o povo gosta de ser Argentino.

    Vai entender… eles tem tudo para ser a “Austrália da América do Sul”… e teimam em ser a Argentina. Podem ter no Governo um Ditador, um Militar, um da Direita, um da Esquerda, uma Mulher, um Homem, pode ser o que for… continuam a ser a eterna e claudicante Argentina.

  • lindo e triste

    pelo menos o Eduardo Sal-Ari pode ter essa experiência de reconhecimento do legado dele através desse documentário (mesmo que tenha sido na comunidade dos aficcionados dos carros dele, o que é meio pouco diante do significado de uma indústria nacional de veiculos…)

    muito obrigado pela dica, Gomes

  • Prezado F&G : Todo registro é de suma importância, aqui o documentário foi profundo no que tange a questão social, econômico e político e o tempo as vezes joga contra alguns fatores, a crise econômica e ainda a falta de capital de investimentos e a questão do mercado automobilístico é muito sensível a crises , pois veículo ainda é um produto supérfluo . Sim ainda vejo um viés com pequenas semelhanças com o empresário João Augusto Amaral Gurgel, nas duas pontas, quando a União comprou grandes lotes de sua produção, e por outro lado , quando ele foi ousado em produzir um minicarro ocasião em que lhe foram suprimidos todas as hipóteses de um aporte financeiro do sistema bancário público- privado, e investimentos dos mercado financeiro, ainda me recordo que quem comprava aquele veículo BR-800, tinha a opção de ser tonar acionista do projeto.

  • Valeu a dica. Acabo de assistir. Emocionante. Linda estória latino americana. Do “Eng. Gurgel argentino”.
    Temos nossas diferenças com los hermanos mas temos que admitir que eles são melhores em vários aspectos. Cine e cultura automobilística, por exemplo.
    Muito interessante a menção da Puma, referente a um possível acordo com a IES na época.