SOBRE ONTEM DE MANHÃ

A IMAGEM DA CORRIDA

Laranja por todos os lados: a cor da temporada

SÃO PAULO (no gás!) – Raramente repito fotos neste blog, mas hoje serei obrigado, por falta de opções. Talvez se tivesse alguma foto boa de “track limits”… Mas não achei. Pensei também em colocar aqui o comunicado da FIA sobre as oito punições que só foram definir o resultado final do GP da Áustria quase às 22h pelo horário local, o que é meio ridículo. Não é foto, mas é imagem — uma folha de papel. Só que seria dar cartaz demais a uma bobagem, que é essa história de limites de pista. É muito fácil resolver: tem asfalto, cimento, concreto, zebra, dá para passar por cima sem correr riscos? Então pode. Quer limitar o espaço utilizável, estabelecer uma faixa de rodagem menos generosa, dificultar a vida dos caras, reduzir as velocidades? Que se coloque um fosso com crocodilos ou hipopótamos delimitando a pista. Ou grama, brita, paralelepípedos, areia movediça, o que quiserem. Algo que faça os pilotos perderem tempo. E acabou.

É muito ridículo cancelar os tempos de centenas de voltas num fim de semana. Punir oito pilotos cinco horas depois de encerrada uma corrida. Analisar 1.200 imagens procurando por centímetros além de uma linha branca. Não estou aqui pregando a transgressão, o suicídio assistido, a irregularidade, a malandragem, a virilidade babaca dos que dizem que “se decolar na zebra ou der no muro e morrer, azar, corrida é assim mesmo”. As soluções não são complicadas. É só estabelecer limites físicos para aquilo que se deseja que seja a pista. Em vez de perder tempo instalando sensores, câmeras, fiscais.

Essa baboseira precisar ser banida de vez.

O NÚMERO DA ÁUSTRIA

800

…pódios alcançou a Ferrari com o segundo lugar de Leclerc na Áustria. O primeiro de todos foi de Ascari, segundo colocado no GP de Mônaco de 1950. Nas estatísticas, depois dos italianos vêm McLaren (494), Williams (313), Mercedes (285) e Red Bull (248).

Leclerc no pódio: 800 troféus para a Ferrari

Haveria muitos outros números majestosos para escolher depois dessa corrida, mas todos eles seriam relativos a Verstappen, ou à Red Bull. Serão desmembrados abaixo, em caixinhas. Por isso a opção pela marca redondinha da Ferrari, que não deve ser desprezada, claro. Notem que a McLaren, segunda colocada na lista, está perto dos 500 pódios. Numa temporada minimamente competitiva, chegaria lá. Mas faz tempo que o time papaia não é minimamente competitivo. Nos últimos nove anos, incluindo 2023, conseguiu nove pódios. Um por ano.

VOLTAS NA LIDERANÇA – Começando com a pilha de cifras rubro-taurinas e verstappianas da semana. Max liderou o GP da Áustria até a volta 24, quando fez seu pit stop e perdeu a ponta. Assim, completou 248 voltas seguidas em primeiro lugar, desde a 48ª do GP de Miami. Em Mônaco, Barcelona e Montreal, liderou todas. A sequência é a terceira maior da história, perdendo apenas para as 305 de Ascari entre os GPs da Bélgica e da Holanda de 1952 e as 264 de Ayrton Senna entre os GPs da Inglaterra e da Itália de 1988 — interrompida após um acidente bobo com o retardatário Jean Louis Schlesser. A Red Bull, em 2023, liderou nada menos do que 95,34% das voltas percorridas em nove etapas: 532 de 558. Dessas, 419 na conta de Verstappen e 113 na de Pérez.

Verstappen vence a nona no ano: Red Bull atrás de recordes

VITÓRIAS SEGUIDAS – Foi a décima vitória seguida da Red Bull na F-1, contando a de Abu Dhabi, no encerramento do Mundial de 2022, e as nove primeiras deste ano. O recorde para uma equipe é de 11, da McLaren em 1988 (do Brasil à Bélgica). A equipe inglesa também detém, por supuesto, o recorde de vitórias seguidas na mesma temporada. Se tudo correr dentro da normalidade, a Red Bull deve superar essa marca. Na história há outras quatro sequências de dez vitórias seguidas do mesmo time. A Ferrari fez isso em 2002 (do Canadá ao Japão) e a Mercedes, três vezes: de Japão/2015 a Rússia/2016, de Mônaco a Singapura/2016 e de Brasil/2018 a França/2019.

100% DE APROVEITAMENTO – Até aqui a Red Bull ganhou todas no ano, mas ainda vai ter de remar bastante para bater a McLaren de 1988 no percentual de aproveitamento. Naquela temporada, o time de Senna e Prost ganhou 15 das 16 etapas, 93,75% do total. Para superar essa marca, a dupla Verstappen-Pérez precisa de 21 vitórias em 22 corridas. Não é fácil. Na história, depois do massacre da McLaren de 1988, os melhores aproveitamentos num mesmo campeonato foram da Mercedes em 2016 (90,48%, com 19 vitórias em 21 corridas) e da Ferrari em 2002 (88,24%, com 15 triunfos em 17 GPs).

A FRASE DE SPIELBERG

“A gente sabe que o carro é ruim. Apenas pilote.”

Toto Wolff, para Hamilton
Hamilton: domingo nada florido com a Mercedes

Os 11 pontos somados por Hamilton e Russell na Áustria deram à Mercedes seu pior fim de semana no ano. Com o agravante de que era um GP com Sprint, com chance de pontuar no sábado. Por isso Lewis reclamou tanto durante a corrida. A ponto de Toto Wolff entrar no rádio e pedir para ele ficar quieto e apenas dirigir.

GOSTAMOS & NÃO GOSTAMOS

GOSTAMOS da boa atuação de Lando Norris, que terminou em quarto depois da punição a Sainz. Foi seu melhor resultado no ano, depois de duas provas seguidas sem pontuar. As atualizações da McLaren, aplicadas apenas em seu carro (Piastri vai recebê-las em Silverstone), funcionaram, pelo jeito. E o inglês ainda foi eleito “piloto do dia” na internet.

NÃO GOSTAMOS dos resultados de audiência da corrida na Band: apenas 2,6 pontos pelo Kantar-Ibope, deixando a emissora do Morumbi em quarto lugar no horário na Grande São Paulo, atrás de Globo (8,8), SBT (3,2) e Record (2,7). A Globo estava com um jogo de futebol feminino no ar, o SBT com seu “Domingo Legal” e a Record, com desenhos do Pica-Pau.

Subscribe
Notify of
guest

48 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Ewald
Pedro Ewald
7 meses atrás

Absurdo esse Verstappen. Será quebra de recorde esse campeonato acabando tão cedo?

Plinio
Plinio
7 meses atrás

Não sei se as coisas são realmente simples ou apenas parecem simples. Quando se coloca uma zebra maior tipo aquele “salsichão” pra evitar que cortem uma chicane reclamam que estraga os carros, que é um absurdo, isso e aquilo. Ouvi isso de jornalistas, de pilotos e de ex pilotos. Ora, aquilo era uma barreira física. Particularmente, concordo com essas barreiras físicas, seja a brita, a zebra alta ou o muro. Mas muitas vezes, com razão, o argumento é a segurança. Que o assunto limite de pista é chato demais não resta dúvida, mas não sei se é simples assim pra quem está lá dentro. Em uma Pista “raiz” Pagenaud saiu dando piruetas na brita. Na F1, em muitas pistas, o piloto da uma passeada no asfalto depois da zebra e volta com certa tranquilidade. E aí? O que fazer? Eu não sou piloto, dirigente, patrocinador ou familiar de piloto. Eu adoraria ver asfalto e brita, asfalto e muro.

Peixe
Peixe
7 meses atrás

Hipopótamos são os animais mais perigosos! Por ano matam mais que leões!

Imagino que talvez nessa pista, nas curvas 9 e 10 não tenha aquele salsichão (igual na saída da curva 2) depois da zebra pra evitar possíveis acidentes mais fortes, as curvas são rápidas. Se um piloto erra e passa pelo salsichão poderia perder o controle e voar pro muro.

Mas concordo, teriam que colocar nem que fosse um asfalto corrugado que vibrasse o carro e fizesse perder tempo (um vibrador ao invés de um salsichão?)

Ficar analisando fotos e imagens depois da corrida é complicado.

E realmente, Pica-Pau ainda é um clássico.
Imagine se passam Chaves?

Marcos Sousa
Marcos Sousa
7 meses atrás

Palpite: A Band está descuidando do front “redes sociais”. Vejo muito no meu insta gente comentando que “a temporada está chata”, “só dá Red Bull”, “não tem disputa” e não vejo nenhuma tentativa da Band de formar o público para entender essas fases.

Luiz Gustavo
Luiz Gustavo
7 meses atrás

O povão não gosta nem entende de F1, eles gostavam mesmo era da Grobo, do Galvão e do Ayrton teleSenna herói nacional e de sentir emoções a toa e a qualquer custo.
Quem gosta e entende de F1 somos nós aqui.

lagerbeer
lagerbeer
7 meses atrás

Toto com Hamilton foi o melhor radio deste ano ! .. rs … impagável

Flávio V.
Flávio V.
Reply to  lagerbeer
7 meses atrás

Exato, dei muita risada deles
dois palhaços perfeitos

EDUARDO GOMES
EDUARDO GOMES
7 meses atrás

O BOCA DE TILÁPIA CADA VEZ SORRINDO MAIS E MAIS AO MÁXIMO PODE-SE DIZER E OS DEMAIS PILOTOS SÓ CHORANDO COM A ENXAQUECA PROVOCADA PELO GAROTO (gostei desses apelidos, o pessoal aqui é o Máximo em apelidar). Gosto do estilo MAX ele é educado comedido não é sensacionalista só fala o necessário, lembram PEREZ como fez uma cara feia ao chorar quando ganhou.
GPs curtinhos só o nosso Interlagos que é bom os demais são chochos
A Corrida em si foi boa, uma das melhores, do segundo pra trás pelo menos, o NOR fazia anos que não pilotava como se espera, SAINZ também não fez cagadas , LEC idem. Mas pra mim o Piloto do Dia foi Sergio Sancho Perez. ele fez muito mais que o Orlando Chuck Norris e todos os demais inclusive que VERSTAPPEN, O HOLANDÊS VOADOR que só teve o trabalho de largar direitinho e depois foi cantarolando e assobiando pegar mais uma taça e 26 points, deu tempo pruma parada extra, tomar um cafezinho e aproveitou pra por pneus novos, O tal trac limits é rídiculo desnecessário e as penalizações tempos depois do pódio pior ainda, coisa pra Inglês ver…..e o chiliquento nem fez nada.
A audiência esta baixa? deve ser a revolta e o desgosto das viuvétes e também como disseram aqui muitos assistem por internet, mas eu prefiro a boa e velha televisão, e a BAND tá MAIS OU MENOS bem, não digo uma maravilha, mas voltar atrás jamais. Vams VER SilVERstone como vai ser.

Markonikov
Markonikov
Reply to  EDUARDO GOMES
7 meses atrás

Pronto, esses gados malucos do motorsport do uol descobriram aqui … some vai …

Luiz Gustavo
Luiz Gustavo
Reply to  Markonikov
7 meses atrás

Markonikov nem na Lua

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Markonikov
7 meses atrás

É só deixar falando sozinho, não dar audiência, que a praga some.

Adalberto
Adalberto
Reply to  Edu Zeiro
7 meses atrás

Sr Edu Zero, o Sr acha que a F. UM resistirá a uma eletrificação e como isso poderia ser? cite exemplos.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Infelizmente, limites de pista é um assunto inesgotável. O argumento de que não dá para colocar brita é por causa das corridas da MotoGP. Então, se eu entendi direito, a MotoGP é mais importante que a F1? Dizendo a mesma coisa, mas usando outras palavras: a MotoGP tem prioridade em relação á F1?

Cleberson
Cleberson
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Cara, moto é uma coisa, o piloto está totalmente exposto. Não tem nada a ver com isso que citou.

Gentil
Gentil
7 meses atrás

Essa baixa audiência na tv aberta não surpreende. Sem brasileiros na pista, sempre com o mesmo vencedor e, pior, com o resultado da pista alterado tão bisonhamente, quem além dos fanáticos por F1 como nós vai se dispor a ver a corrida? O Pica-pau é mais confiável que a FIA.

GUs
GUs
7 meses atrás

Não estabelecem limites mais rígidos (com imposição física, barreira…etc) por causa da Moto GP, presumo. No entanto, não é desculpa para acharem outro modo…mudem o corretor – bananinha – do lado interno mais para dentro, sei lá.

Antonio Augusto Cruz
Antonio Augusto Cruz
7 meses atrás

Sobre audiência, as corridas tão chatas, a falta de disputa, inclusive pela segunda força, tira o tesão de ficar assistindo a “procissão” que se tornaram as corridas. Pra falar a verdade, nem quando a Redbull tem problema e larga atrás, tem graça. Há muito tempo falam em medidas para melhorar as disputas, mas, acho que nada vai funcionar.
A verdade é que, a emoção não está (estava) nas disputas por posição, estava no improvável, batida, quebra, pneu furado, pane seca. Aquela nuvem de fumaça do motor explodindo era muito legal, e tome óleo na pista.
O ano passado foi interessante, pq a Redbull teve problema no início do campeonato, e depois a Ferrari.
A confiabilidade dos carros tirou a emoção, essa é a verdade.
As corridas estão chatas, e já faz tempo!

Last edited 7 meses atrás by Antonio Augusto Cruz
Edison
Edison
Reply to  Antonio Augusto Cruz
7 meses atrás

Pois é… até não muito tempo atrás tínhamos carros muito rápidos no grid mas com problemas de confiabilidade, agora hoje em dia ninguém quebra, entre outros motivos porque hoje em dia os pilotos têm que respeitar os limites da pista, poupar pneu, poupar combustível. Aí não dá margem para surpresas.

Edward Fernandes
Edward Fernandes
Reply to  Antonio Augusto Cruz
7 meses atrás

Aquela nuvem de fumaça do motor explodindo (Willians de Piquet em 1986) me fez lembrar de um ocorrido, voltando de Maceió para Goiânia, estávamos em dois carros, duas famílias, a Parati de meu amigo estava com problema no motor detectado na ida em Alvorada do Norte (GO). Seguíamos em baixa velocidade. após pernoitar em Barreiras (BA), abastecer onde hoje é Luíz Eduardo (BA) meu amigo resolveu acelerar com vontade, eu seguia atrás para socorre-lo se necessário. Andamos uns 30 km assim a 110 km/hora o motor do carro dele explodiu jogando óleo dentro do capô e fumaça igual o carro do Piquet. Foi bem em frente a um posto de gasolina em construção mas que já dispunha de óleo para o motor, compramos uns três litros sob orientação de um motorista de caminhão que havia levado material de construção para o posto, viemos rodando , a menos de 100/hora até Goiânia.(+- 600 km). Motor AP era TOP.

Luiz
Luiz
Reply to  Antonio Augusto Cruz
7 meses atrás

Tem mais … o tal limite de gastos aprisiona os criadoresF1 é competiçãp e competência…quem tiver que se estabeleça!

Jayme Pires
Jayme Pires
7 meses atrás

A verdade é que a audiência nunca foi da F1, sempre foi da Globo. E soma-se a um campeonato sem “novidades” e falta de brasileiro, pra chamar os curiosos, o resultado não tem como ser diferente. Automobilismo é nicho, infelizmente.

Eduardo
Eduardo
7 meses atrás

A band estar com a audiência baixa não é novidade
a narração e os comentários estão muito fracos…só falam abobrinha …e torcem descaradamente pelo LH.

dai fica osso de assistir

Markonikov
Markonikov
Reply to  Eduardo
7 meses atrás

tem dó vai …

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Eduardo
7 meses atrás

Como assim, torcem descaradamente pra Lewis? Os sujeitos têm até um comentarista chamado Max, meu amigo.

Marcus
Marcus
7 meses atrás

F1 é nicho, gente. É coisa cuja grande maioria dos seguidores está na faixa dos 40-60 anos, eu incluído. E quanto ao Ibope, os números de todas as emissoras caíram. E é porque não se vê mais TV como antes, hoje a preferência é pelo streaming e pelo on-demand. Viveremos para ver o fim da TV como a conhecemos.

Glen
Glen
Reply to  Marcus
7 meses atrás

E verdade o que o Marcus falou… tanto que eu assisti a. Corrida no BANDPPAY e não na TV aberta

Barreto
Barreto
7 meses atrás

A transmissão “aquele abraço” parece um tanto quanto desatenta. É um tal de chamar anúncio na hora de ultrapassagens que vou te contar.

jaime
jaime
7 meses atrás

Ja disse isso uma vez, a F1 corre o risco de perder o publico que ganhou apos as série no Netflix. Ganhou esse publico, por causa da série e do ano espetacular da disputar com Hamilton. Com esse domínio amplo da RBR, perdeu a graça. Vão dizer que a F1 sempre teve isso, de uma equipe dominar. Mas esse novo publico não sabe e não quer saber, quer ver disputa

Paulo Mendes
Paulo Mendes
7 meses atrás

Sobre a audiência, na minha opinião passou aquele oba oba quando mudou da globo para a bandeirantes. Também acho que o narrador ficou muito estrelinha. Tá chato de ouvi-lo. Mas como não sou assinante da F1 tv, assisto assim mesmo🤷

Jeff Treviso
Jeff Treviso
7 meses atrás

A Tv aberta não é lugar pra que gosta realmente de algum esporte o assistir. Muito comercial cortando a transmissão e começa e acaba contando minutos no ar pra mostrar transmissão de sorteio de bingo aff.

Quer ver a F-1 tem 4 a 5 opções melhores, a Sky, a DAZN e outras ficam umas 2 horas antes e depois mostrando detalhes e informando.

A Band perde tempo, pois tem a Bandsports e podia seguir nessa mesma linha usando a mesma equipe pra fazer um trabalho direcionado a quem gosta, com pré e pós evento longos sendo transmitidos de maneira séria a quem se interessa.

Fernando do Amaral
Fernando do Amaral
7 meses atrás

O número q mais me impressiona é o de voltas lideradas por equipe, talvez esse o domínio q esteja minando a tv aberta – a equipe nao deixa de liderar nem pelas paradas por troca de pneus; e se tiver passando a Corrida Maluca ou o BeepBeep vai piorar mais ainda.

Rogério
Rogério
7 meses atrás

Esse índice de audiência e só de tv aberta ou conta também de internet?
Eu e meus amigos só assistimos pela internet.
A muitos anos que não tenho tv aberta em casa.

Last edited 7 meses atrás by Rogério
Leandro
Leandro
Reply to  Rogério
7 meses atrás

Acho que conta apenas TV aberta, o que acho errado, já que quem assiste pela internet também vê o mesmo conteúdo incluindo comerciais.

Celio Ferreira
Celio Ferreira
7 meses atrás

A transmissão da Band da pro gasto sim senhor , o tipo é mais descontraido
sem aquela seriedade da lider de audiência. O Ibope está ruim pois não tem
piloto brasileiro , e a gente já sabe quem vai ganhar.
Se a GPDA atual fosse forte , de sexta pra sabado teriam mudado os limites de
pista .

LEANDRO MONTEALVERNE SANCHEZ MARTINS
LEANDRO MONTEALVERNE SANCHEZ MARTINS
7 meses atrás

Nos dias de hoje, medir audiência apenas em tv com sinal aberto eh meio duvidoso!! Eu assisti pela F1TV com narração da Band!! Quando vejo pela tv eh por tv a cabo!!! Tem q mudar esse tipo de medição e de algum modo contar por IP TB…só pelo aparelho instalado na tv de meia dúzia de pessoas não dá mais!!! Usar um modo de levantamento de Ibope como se faz a décadas, numa época digital não tem cabimento!!!

Marcos Bassi
Marcos Bassi
Reply to  LEANDRO MONTEALVERNE SANCHEZ MARTINS
7 meses atrás

Que nome chiquérrimo….Sir Montealverne

Rodrigo
Rodrigo
7 meses atrás

O mais curioso é que em Mônaco ou Baku o pessoal respeita os limites de pista sem reclamar.

Igor
Igor
7 meses atrás

Perder pro desenho do Pica-pau é foda… Mas a transmissão da Band tá piorando todo dia um pouco.

Jardel
Jardel
Reply to  Igor
7 meses atrás

Concordo, narrador chamando propaganda a cada 5 minutos, comentários desnecessários e óbvios a todo momento, ultrapassagens rolando e os comentaristas falando sobre os rádios das equipes… Enfim, isso acaba enervando a audiência.
Nos últimos anos que a Globo detinha os direitos ela avacalhou o produto, mais durante a corrida o protocolo da narração era mais organizado.

Markonikov
Markonikov
Reply to  Jardel
7 meses atrás

Perfeita colocação, é isso mesmo o que acontece .. parece que os caras começam a falar e fecham o olho para o que está ocorrendo na pista … E se fala de tudo, menos do treino/corrida …

Miguel
Miguel
7 meses atrás

Sobre a audiência, creio que nem seja culpa da emissora. As pessoas que estão lá fazendo a transmissão são competentes e entendem de F1. Talvez o problema seja mesmo essa temporada, em que a superioridade do Max não abra espaço nem pra uma rivalidade parecida com a de 2021.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Vamos raciocinar por hipótese e supor que, em 2023, aos 73 anos, Gilles Villeneuve está vivo e resolveu ligar a TV para assistir o GP da Áustria. Qual seria seu comentário sobre track limits? (supondo, claro,que ele aguentou assistir, pelo menos, metade da corrida).

JAMAL
JAMAL
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Ridiculo tudo o que voce dissse….. nem vou gastar meu tempo.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
Reply to  JAMAL
7 meses atrás

Eu vou gastar meu tempo só para digitar que você é o Jamala, não deve nem saber quem foi o Gilles Villeneuve e, portanto, não entendeu a postagem.

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Certíssimo! E ainda bem que é só um. Dois, jamais!

Edison
Edison
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

Nem precisa ir tão longe… é só comparar com o vídeo que postaram desta mesma corrida mas em 2003…. os caras quase saiam do autódromo nas curvas 9 e 10

Ilmar
Ilmar
Reply to  Jeferson Araújo Pereira
7 meses atrás

”Merci, Didier Pironi et Jochen Mass!”.

Last edited 7 meses atrás by Ilmar
Pedro Leonardo
Pedro Leonardo
7 meses atrás

Difícil pensar em alguma etapa em que VER terá dificuldades. O rapaz é bom em pista seca, com chuva, em pista de alta, em pista de baixa, circuito de estacionamento, pista de rua…

Nas pistas europeias, tem tudo pra vencer em todas elas. Está no caminho pra bater diversos recordes este ano.