SOBRE ONTEM DE MADRUGADA

A IMAGEM DA CORRIDA

Verstappen e seus mecânicos: vitória em equipe

SÃO PAULO (merecido) – A vitória de Verstappen em Suzuka foi tão tranquila e natural que, da pista, não emergiu nenhuma imagem muito marcante da corrida. A Red Bull foi campeã ontem. Muita gente acha que carro bom surge por geração espontânea e sorte do piloto que tem a chance de recebê-lo ao início de uma temporada. Não é assim. F-1 é trabalho de equipe, com muita gente envolvida. E, de verdade, cada um tem seu quinhão numa vitória dessas. Milhares de pessoas trabalham numa equipe, nos autódromos e nas fábricas. O que vemos pela TV é apenas o cume dessa pirâmide.

Por isso a escolha dessa imagem aí em cima. Que seja interpretada como uma homenagem mais do que justa aos trabalhadores do automobilismo. E que todos recebam o devido reconhecimento e desfrutem dos louros da conquista!

(Frase horrível, mas é isso aí.)

O NÚMERO DO JAPÃO

33

…pontos fez a McLaren em Suzuka, com o segundo e o terceiro lugares de Norris e Piastri. Foi a melhor performance da equipe no ano. Nas últimas oito corridas, desde a estreia do carro novo na Áustria, o time fez 155 pontos. Até o Canadá, oitava etapa do campeonato, tinham sido apenas 17. A média das primeiras oito corridas, que era de 2,12 pontos por GP, subiu para 19,37. Quase dez vezes mais.

Os números acima mostram que é possível corrigir a rota mesmo depois de um início de campeonato ruim. A gente costuma dizer que carro mal nascido não tem jeito, geralmente as emendas ficam piores que o soneto. A Mercedes tem dado mostras disso desde o ano passado. É verdade, claro. Carro que nasce ruim, normalmente, morre ruim. Mas a McLaren conseguiu mudar radicalmente os conceitos aplicados no modelo que começou a temporada e fez um carro praticamente novo. Com teto de custos e tudo. É um caso a ser estudado.

Vejam a Aston Martin, em oposição ao exemplo dos papaias. Começou muito bem o ano e nas mesmas oito primeiras corridas marcou 154 pontos, média de 19,25 por GP. Desde então, também em oito provas, foram 67 pontos — a média caiu para 8,37. Deve-se considerar aqui o fato de que a Aston Martin é equipe de um piloto só. Alonso fez 174 dos 221 pontos da equipe (78,7%). Stroll marcou 47 e zerou nas últimas quatro. É um peso morto. Por isso, não se espantem se a McLaren terminar o campeonato na frente da Aston Martin. Mesmo tendo jogado no lixo oito corridas com o carro antigo.

McLaren festeja em Suzuka: como dar a volta por cima numa temporada

Oscar Piastri subiu ao pódio pela primeira vez, já em seu ano de estreia na F-1. É um ótimo piloto. A McLaren fez bem em investir nele para tirá-lo da Alpine. Mas ir ao pódio no primeiro ano não é algo raríssimo na história da categoria. Muita gente já conseguiu, e de cabeça cito aqui Senna, Hamilton, Magnussen, Kubica, Wurz, Ralf Schumacher… De qualquer maneira, fazia algum tempo que um estreante não levava um troféu. O último, acreditem, foi Stroll. Quando defendia a Williams, em 2017, foi terceiro colocado no GP do Azerbaijão.

E para encerrar a ode à McLaren, vamos à…

FRASE DE SUZUKA

“OK, terminamos longe de Max. Mas não tão longe assim.”

Lando Norris

A diferença de Verstappen para o inglês, ao fim da corrida, foi de 19s3. É uma distância enorme. Mas o que Lando quis dizer é que, na real, essa vantagem poderia ter sido bem menor se ele não tivesse sido atrapalhado por Pérez durante um safety-car virtual, quando ele saía dos boxes. Na 13ª volta, Norris estava 5s334 atrás de Max. Na 15ª, 9s911. Foi mais uma das lambanças do mexicano na corrida.

Pérez, finalmente, abandona: só bobagens

Checo parou nos boxes nas voltas 2, 12, 13 e 14. Na última delas, ficou dentro do carro. Tinha sido punido por bater em Magnussen. E foi por isso que a Red Bull o manteve sentado no cockpit por mais de 40 minutos, até a 40ª volta. O time mandou os mecânicos arrumarem o carro todo estropiado para que ele voltasse à pista quando desse. Apenas para pagar o “time penalty”. Segundo a explicação da equipe, a decisão foi essa porque o regulamento esportivo diz que uma punição, se não for paga na corrida em que foi aplicada, “pode ser carregada para a etapa seguinte”. Na dúvida, para evitar a possibilidade de Pérez, por exemplo, perder posições no grid no Catar, a multa foi paga.

Mas, para mim, foi castigo, mesmo.

Caixinhas, agora?

Michael vence na França e é penta em 2002: faltavam seis GPs

SCHUMACHER VIVE – Como não foi campeão em Suzuka, Verstappen manteve vivo mais um recorde impressionante de Michael Schumacher. Ele foi o piloto que se sagrou campeão com maior antecedência na história, seis provas antes do final de uma temporada. Foi em 2002, ao vencer o GP da França em Magny-Cours — 11ª etapa daquele Mundial, que teve 17 corridas. Foi sua oitava vitória num ano em que também estabeleceu outra marca jamais repetida: subir ao pódio em todas as provas de um campeonato. Verstappen deixou escapar essa possibilidade com o quinto lugar de Singapura. Max deve ser campeão no Catar. Precisa de apenas três pontos. Conseguindo, terá conquistado o tri cinco provas antes do fim do campeonato.

TRETA FRANCESA – A Alpine mandou Gasly entregar o nono lugar a Ocon na última volta da corrida. Pierre tinha pedido passagem para tentar alcançar Alonso, não conseguiu e o time ordenou que devolvesse a posição ao companheiro. Fez isso. Mas ficou furioso, mandou o dedo do meio pelas câmeras para todo mundo ver e nas entrevistas soltou seus cães em direção à chefia que ninguém sabe direito qual é. Totalmente desnecessário. Nono ou décimo, é tudo igual. As coisas vão muito mal na Alpine. É um time que perdeu totalmente a relevância.

SÓ PREJU – Achei isso aí em cima no Instagram. Com base em valores aproximados de peças que compõem um carro de F-1, alguém fez as contas do prejuízo que cada piloto causou à sua equipe com batidas em geral neste ano. Os cálculos vão até Singapura. Portanto, Logan Sargeant já aumentou o rombo depois de mais duas pancadas no Japão: na classificação e na corrida. Até a prova anterior, o estrago do norte-americano nas finanças da Williams estava quase em US$ 2,8 milhões. Verstappen, por sua vez, é o funcionário ideal. Não traz despesas e ganha corridas.

GOSTAMOS & NÃO GOSTAMOS

GOSTAMOS do troféu que acende as luzinhas! A um beijo, ele se ilumina com as cores da bandeira do país do vencedor. Uma boa ideia, simples e simpática. Que obriga o cara que ganha a corrida a demonstrar algum afeto e ternura no pódio. Bem legal.

NÃO GOSTAMOS da tolerância da Williams com Sargeant. O rapaz não tem a menor condição de seguir na F-1. Atrapalha muito uma equipe que mostra sinais de recuperação depois de anos na miséria técnica absoluta. James Vowles, chefe do time, falou que o Logan segue até o fim da temporada. É um atraso. Se a equipe pensa em substituí-lo em 2024, que o faça logo. Assim, quem assumir o cockpit chega um pouco mais preparado à próxima temporada.

Subscribe
Notify of
guest

32 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sérgio Guerra
Sérgio Guerra
5 meses atrás

“E que todos recebam o devido reconhecimento e desfrutem dos louros da conquista!
(Frase horrível, mas é isso aí.)”

Não é horrível não. Nessa feijoada da vida o “colaborador” fica com os louros e o patrão fica com as carnes.

Paulo Dantas Fonseca
Paulo Dantas Fonseca
5 meses atrás

F-1 2023, segunda metade da temporada todos os méritos para Mclaren a equipe realmente fez uma recuperação fantástica , foi um esforço 110 %, engenheiros, mecânicos, pilotos e estratégia de corrida e Diretoria executiva em especial a filosofia de trabalho de Gil de Ferran ( cabeção) nessa evolução pode elevar a equipe para prateleira das equipes Mercedes-Benz e Ferrari, isolando a Red Bull na liderança. Três equipes perderam o foco e o rumo na segunda parte da temporada de 2023, na Equipe ALPINE tivemos uma avalanche de demissões a guilhotina vai até o final da temporada de 2023, sem perspectivas de recomposição de quadro técnico para buscar um equilíbrio para temporada de 2024. A Equipe Willians sempre teve a capacidade técnica de buscar recuperação para sair da zona do fracasso, orçamento enxuto , mas precisa ter um piloto acima da média no estilo Percival para atrair investimentos financeiros, ( parece que a XP investimentos e um grupo de financistas possam fechar um pacote para um eventual piloto brasileiro). A Equipe Aston Martin, teve uma evolução profissional com dois pilotos incríveis Vettel e El Fodon , mesmo tendo motores Mercedes-Benz e dinheiro de sobra no caixa precisa ter um gerente de competição e de execução de projetos mais capacitado. O piloto Riquinho ( personagem de revista em quadrinhos ) Lance Stroll, fica até o limite do cartão platinum American Express do Mister Stroll bancar a diversão do filho.

Emerson Marques de Moraes
Emerson Marques de Moraes
5 meses atrás

Vc vou a foto que o Ricciardo tirou do Verstapen dormindo no avião? O cara é muito engraçado.
Parabéns pelo texto. Abraço.

TYRRELL
TYRRELL
5 meses atrás

Interessante como a F1 está igual as ligas de futebol europeias, com as equipes grandes ganhando vários campeonatos seguidos, muito raramente surgem um “leicester” ou “la coruna” para abocanhar um título.

Sandro
Sandro
5 meses atrás

Vespa vai Catar o troféu de tricampeão.

Hilton Vaz Pezzoni
Hilton Vaz Pezzoni
5 meses atrás

Abstinência: tenho sentido falta do ‘Pilulas do Dia Seguinte’. Cadè o F Seixas?

Luciano K
Luciano K
5 meses atrás

McLaren deve terminar o ano como a segunda melhor equipe…quem sabe mirando na Red Bull consigam desenvolver um bom carro para a próxima temporada

Luciano K
Luciano K
5 meses atrás

No caso da Williams, se o chefe da equipe fosse um Flávio Briatore, já tinha vazado com o Sargento e fechado todas as portas dele na F1

Paulo Leite
Paulo Leite
5 meses atrás

Ótimo habitual texto, como habitual. Para efeito de registro, Lewis conseguiu pódio na PRIMEIRA corrida de F1, na Australia.

Luciano Frigeri
Luciano Frigeri
5 meses atrás

Excelente texto, Flavinho. Uma pergunta: podemos dizer que a Aston Martin queimou a largada na formulação do carro inicial pra temporada e não teve fôlego para desenvolver suas atualizações?

GUs
GUs
5 meses atrás

Interessante a foto de Schumacher no seu carro, como mudou violentamente a relação de tamanho piloto x carro…tenho saudades desses pequenos carros da F-1 de outrora; “faltavam” centímetros e sobravam cilindros.

Heriank
Heriank
Reply to  GUs
5 meses atrás

Também não entendo essa viadagem de motores que a F1 adotou. O que ela poderia contribuir com motores elétricos ela já o fez. Poderiam voltar os V-10 Aspirados e barulhentos como antes. Mundo chato em que vivemos 😞

Last edited 5 meses atrás by Heriank
João Cosme
João Cosme
Reply to  Heriank
5 meses atrás

Bernie Eccelstone estava certo: a Fórmula 1 deveria ser uma categoria extremamente competitiva e de entretenimento : deviam usar motores aspirados V8 ou V10 e turbo.

Eduardo inacio
Eduardo inacio
5 meses atrás

Moro nos Estados Unidos há 3 anos e só encontrei duas pessoas que sabiam o que era fórmula 1, isso porque tinham assistido ao Drive to Survive. Dizer que a Fórmula 1 se popularizou nos Estados Unidos eh uma falácia. O número de fans deve ter devorado: de 1 por cento da população para 2 por cento. Ter um piloto como Sargeant não vai ajudar a popularizar porcaria nenhuma.

Além de ser uma completa desconhecida a Fórmula 1 aqui ainda consegue ser mais inacessível para a população em geral do que em qualquer outro lugar do mundo. O ingresso mais barato para o Gp de Miami custa 1500 dólares, o de Lãs Vegas 3 mil, o do Texas a arquibancada mais barata eh 800, ou seja só os super ricos podem assistir, e eles só vão lá para desfilar. Para comparar, comprei um ingresso para eu e meu filho no Canadá e custou os dois juntos 600 dólares na arquibancada.

Que se lasque essas corridas americanas, espero que daqui há pouco desistam de fazer tantas corridas aqui e retornem para circuitos que prestem.

Paulo Dantas Fonseca
Paulo Dantas Fonseca
Reply to  Eduardo inacio
5 meses atrás

Mil desculpas, vou discordar da sua opinião , F-1 By USA é money ( grana, dinheiro, alfafa, mozarela ) , na temporada de 2023 haverá três eventos de F-1 na terra do Tio San, para o seu conhecimento só no GP de VEGAS, foram gastos 800 milhões de dólares só para fazer o piso asfáltico, em termos de publicidade , anunciantes e patrocinadores estão entre os seis mais rentáveis ( lucro). Portanto tanto canais de imagens abertos e fechados e streaming , faturando e ingressos esgotados .

Megas Alexandros
Megas Alexandros
5 meses atrás

Em relação ao Gasly e Ocon, não é tão desnecessário assim quanto parece. O Gasly fez uma classificação melhor e vinha bem mais rápido, passaria naturalmente o companheiro de equipe, que só estava na frente por causa de um “undercut“, mas já tinha os pneus muito mais gastos.

Com mais um ponto o Gasly passaria o Stroll no campeonato. Mas, com a troca de posições, o que ocorre é que o rival de equipe aproximou-se ainda mais, já que ambos têm um pódio na temporada (além de uma vitória na carreira), disputam ponto a ponto quem terminará na frente no campeonato.

Provável que seja uma questão de honra ali terminar na frente do outro, ainda mais que ambos são franceses.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
Reply to  Megas Alexandros
5 meses atrás

Allez les bleus!

IMG_4088.jpeg
CHAGAS
CHAGAS
Reply to  Megas Alexandros
5 meses atrás

Naquele momento da corrida duas coisas poderiam acontecer. Gasly que era mais rápido passar Ocon, ou os dois baterem pois Ocon não entregaria fácil a posição.
Bem observado por você existe uma batalha feroz entre eles. Ninguém cedera um milímetro. A equipe acertadamente preferiu não correr riscos e liberar o piloto com mais condições, sair em busca de Alonso.
Gasly não conseguiu chegar no Alonso e as posições foram reestabelecidas, ate porque Ocon questionou se o objetivo não fosse alcançado ele voltaria a sua posição e a equipe respondeu que poderia fazer isso.

Jão Bom Jovem
Jão Bom Jovem
5 meses atrás

Sargent deve trazer muita, mas muita grana pra Williams. Devem estar totalmente amarrados com o contrato. Não pode ser outra maneira pra segurar ele até o final da temporada. O cara é muito ruim!

Megas Alexandros
Megas Alexandros
Reply to  Jão Bom Jovem
5 meses atrás

Digita no google imagens: chart performance f2 2022 e veja o gráfico final da categoria, onde tem-se a % das vezes que o cara terminou entre os 5 versus a pontuação no campeonato.

Drugovich sobrou, quase nem dá pra vê-lo no canto superior direito. O restante dos “médios” amontoa-se no círculo central. Vê-se que o Sargeant não era lá tão bem cotado, e que o Lawson parecia uma escolha melhor…

Last edited 5 meses atrás by Megas Alexandros
Chupez Alonso
Chupez Alonso
Reply to  Jão Bom Jovem
5 meses atrás

É só ver a classificação da F2.

Lawson e Sargeant, quem?

IMG_4064.jpeg
Last edited 5 meses atrás by Chupez Alonso
Chupez Alonso
Chupez Alonso
5 meses atrás

Norris ficou perto mesmo.

Afinal, o que são 20 segundos?

Longe mesmo ficou o Hamilton.

Incríveis 50 segundos!

Podia ser pior se o Russel não o tivesse deixado passar nas últimas voltas.

A Matemática não falha: tomou 1 seg em 1 volta na classificação, leva 50 seg em 50 voltas corridas.

E por falar em Matemática, assim está a porcentagem de pontos de cada piloto por equipes, no mundial de construtores.

Achei bonito, parece as fitinhas do Senhor do Bonfim.

Vê-se que o Russel é tão ruim companheiro de equipe quanto o Pérez.

Rumo ao 8cta!

IMG_4023.jpeg
Last edited 5 meses atrás by Chupez Alonso
Daniel
Daniel
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Vlw Flavinho

O Curioso
O Curioso
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Por que vc usa esse nick name e escreve assim?

Chupez Alonso
Chupez Alonso
Reply to  O Curioso
5 meses atrás

Percebo que você é novo aqui, e mesmo assim já tem vários alter egos.

Fosse das antigas, saberia.

Fica a curiosidade.

Sobre a forma de escrever, é simples.

Alguns dos que comentam aqui não sabem interpretar um texto.

Lêem mais não entendem.

Então eu resolvi desenhar e colar a figura.

Talvez desenhando entendam.

Se mesmo assim não entenderem, vai ser o jeito fazer um vídeo.

Fica a crítica construtiva.

IMG_4102.jpeg
Prof. Pasquale
Prof. Pasquale
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

E tem gente que nao sabe a diferença entre “mas” e “mais”.
A língua portuguesa sangra

Screenshot_20230926_182240_Chrome.jpg
Chupez Alonso
Chupez Alonso
Reply to  Prof. Pasquale
5 meses atrás

Haja alter ego!

O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
4 meses atrás

Haja ego!

O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Pra quem não conhece, essa pessoa encheu muito o saco durante um tempo, e sumiu durante um bom período, junto com outras pragas que aqui infestavam. Infelizmente, a assombração reapareceu cerca de um ano atrás, alguém deve ter chamado por três vezes (fica a dica do filme “Beetlejuice”). Quanto às fotos, apesar da tentativa nem assim lady baba (um nick mais adequado para ela, pelo comportamento aqui assumido) atinge um mínimo de coerência, só demonstra ainda mais o ego inflado e o lado torcedor idiocta. Fica a crítica destrutiva.

Last edited 5 meses atrás by O crítico
CHAGAS
CHAGAS
Reply to  Chupez Alonso
5 meses atrás

Gráfico errado, a batalha Lawson x Tsunoda esta 100% x 0% pro Lawson.

Pedro Leonardo
Pedro Leonardo
5 meses atrás

Para quem achava que seria impossível alguém destruir mais carros que o Latifi…

Wagner
Wagner
5 meses atrás

Ótimo texto!