NAS ASAS | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

domingo, 26 de fevereiro de 2012 - 18:19DKW & cia., Nas asas

NAS ASAS

Nunca vi tanta coisa legal numa foto só…

17 comentários

  1. Bruno disse:

    Que modelos de Audi são estes???

  2. Humberto disse:

    Essa é bem fácil… Museu de Tecnologia de Simsheim, na Alemanha. O Antovov está fixado na saída para o pátio interno e o acesso é liberado ao seu interior, dá pra circular da cabine dos pilotos até a porta de descarga traseira. Para quem adora engenharia aeronáutica, é um delírio…

  3. Esse Antonov não é o avião do filme “2012″?

  4. Nelson disse:

    Foi realmente um belo avião e até avançado pelo sistema de hélices.Mas o que diriamos então do Vulcan,primeiro bombardeiro a jato,o que falariamos de harrier aq uela maravilha tecnologica imbativel ,do concorde que tentaram mas ninguém chegou perto,sem falar dos grandes hovercrafts que cruzavam o canal da mancha com 200 passageiros e 50 carros com suas 4 turbinas de avião a uma grande velocidade sem nunca ter nenhum afundado.Uma travessia inesquecivel.

  5. Eric disse:

    O mundo era bem mais divertido antigamente. Além de ser bem mais colorido.

  6. Igor Soares disse:

    No filme “2012″ eles voam num Antonov.

  7. Diego disse:

    Interessante o motor do Antonov. Li em um blog sobre eles. Foram desenvolvidos no pós-guerra por engenheiros alemães para equipar os bombardeios soviéticos e serem tão potentes quanto uma turbina. É considerado de longe o motor turbo-hélice mais potente já desenvolvido, era capaz de chegar a quase 900 KM/h e só não alcançava velocidades ainda maiores por ser muito barulhento e por suas hélices terem um limite de rotações para que suas pontas não alcançassem a velocidade do som. Apesar de desenvolvido para uso militar, também equipou aviões comerciais, inclusive um desses modelos nos anos 60 foi por alguns anos o maior avião comercial do mundo, desbancando até o Douglas DC 8 e do Boeing 707, e só perdeu o posto em 1970, quando entrou em operação o Boeing 747.

  8. Ricardo Pignatelli disse:

    O paraíso existe!

  9. Fabio disse:

    Antonov é fantástico. Merece uma matéria só de antonov principalmente com modelo 225.

  10. Burn baby Burn.. disse:

    Nossa aquele Audi azulzinho da esquerda parece a primeira versão do Corcel brasileiro.

    Tudo se copia..

  11. Bira disse:

    Mas cadê as aeromoças? Elas virão nas próximas fotos?

  12. Alex disse:

    Realmente, muito bela a fotografia. Até a mureta atrás dos carrinhos é bacana.

  13. Paulo F. disse:

    Imagine um equipamento complicado. Imagine um equipamento muito complicado, passivel de dar pau a qualquer hora. São estas hélices contrarotativas do Antonov. Fora isso um avião muito bonito, e peças de bom desenho alemão.

    • Luiz Morais disse:

      Paulo, por incrível que pareça, não é tão ruim assim esse sistema de hélices.
      Os spitfires de última versão usavam duas hélices de cinco pás contrarotativas, um Horten que não lembro o nome também e alguns helicópteros soviéticos as usaram sem que haja um histórico de quebras frequentes.
      Normalmente nos aviões o que dá pau é o motor (pistão ou turbina) e não a caixa de redução das hélices!
      Abs.

    • Carlos Cwb disse:

      OO Luiz Moraes tem razão.
      O sistema de hélices contrarotativas inclusive elimina um problema nos aviões monomotores e helicopteros, que é o torque contrario ao giro do motor, forçando o equipamento a girar no eixo longitudinal, no caso dos aviões, e no eixo vertical, no caso de helicópteros. Nos aviões são corrigidos com uma angulação do leme vertical, e nos helicópteros, com o rotor de cauda.
      Helicópteros equipados com esse sistema não necessitam de rotor de cauda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>