MENU

terça-feira, 25 de novembro de 2014 - 17:24F-1

TESTEZZZZ (1)

mclarenhonda2014

SÃO PAULO (começou) – O que de mais importante deveria acontecer hoje em Abu Dhabi no primeiro dia de testes para 2015 (sim, 2015) era a McLaren andar. Andou pouco. Apenas três voltas, nenhuma cronometrada, com o MP4-29H/1X1, o carro intermediário equipado já com motor Honda — donde o H da sigla; o 1X1 não tenho a menor ideia do que quer dizer, e se vocês souberem, me contem.

Stoffel Vandoorne, belga que terminou a GP2 com o vice-campeonato, foi o responsável pelos primeiros metros da nova parceria. Ficou emocionado, o garoto. “Estampar o famoso H da Honda na altura do peito no macacão me deixou muito orgulhoso. Até hoje, McLaren-Honda só existia para mim como um capítulo na história da F-1. Fazer parte dela, agora, é algo muito emocionante.” Sabe das coisas, o moleque.

O carro teve todos os problemas possíveis, o que é mais do que normal. “Fazer funcionar um carro nesta F-1 de hoje é algo muito complicado”, disse Eric Boullier, chefe do time. Agora, cada passo terá de ser dado com todo cuidado pelo pessoal da McLaren junto com a turma da Honda. O importante é chegar a Jerez, nos primeiros testes de pré-temporada já com carros novos, com tudo funcionando.

É o que Alonso espera.

Vandoorne curtiu o ronco do motor. Outro dia, aqui, mostramos um vídeo com o primeiro teste (que foi muito curtinho) em Silverstone, na verdade uma mera verificação de sistemas. Nos pareceu diferente. “O som é absolutamente fantástico. As pessoas dizem que quando o ronco de um motor é legal, significa que ele tem muita potência. Vamos esperar que seja o caso.” Gostei desse menino, fala bem. Aliás, McLaren e Honda são o tema do “Bom Dia, GP!” de hoje.

Sapattos foi o mais rápido do dia, e todos usaram pneus-protótipos médios e macios para o ano que vem. O pobre do Rosberguinho, coitado, teve de ficar nas arábias para testar, e mesmo numa ressaca brava deu nada menos que 114 voltas, enquanto Hamilton seguia para Londres para cair nos braços do povo. Nico encheu a cara na festa da Mercedes domingo, enquanto Lewis se embriagou com suco de melancia.

O noticiário dos testes está no Grande Prêmio. É só correr lá para ler tudo. De novidade na pista, o campeão da GP2 Joylon (onde arrumam esses nomes?) Palmer com a Force India, Carlos Sainz Jr com a Red Bull (100 voltas, muito bom) e Marcus Ericsson estreando na Sauber. Além, claro, da presença de Sebastian Vettel nos boxes da Ferrari. Sem uniforme, mas já se apresentando ao novo patrão. A Red Bull não deixou que ele participasse dos testes, como se sabe. Aqui tem uma vasta galeria de fotos com detalhes do primeiro dia de trabalho de Tião Alemão com a turma de Maranello.

34 comentários

  1. Marcos disse:

    Pelo jeito teremos um motor com ronco destoando do resto. Saudades dos velhos V12 da Ferrari, gritando mais alto lá na descida do mergulho do que os que aceleravam na frente do setor G, na saída do lago…

  2. Renato F1 disse:

    É McLaren! Começou bem… bem parado! Quem mandou trocar o certo motor Mercedes-Benz pelo desconhecido motor Sem (H)onda? Agora aguenta!!!

  3. Felipe Medeiros disse:

    Agora a McLaren poderia repensar essa pintura….Esse cinza é muito feio, podia colocar o vermelho e branco que tanto nos alegrou nas manhãs de domingos…(Euuuuu, sou brasileiro…) kkkkkkkkkkkkkk

    Sério, sem Senna ou com Senna, a pintura era linda, mas sei que é quase impossível, pois, mesmo sem logo da Marlboro, é capaz de algum coxinha besta dizer que incentiva as pessoas a fumar…Mas sei lá, faz uma homenagem e taca um laranja, ou uma pintura diferente sei lá!

    • Marcos José disse:

      Na minha opinião estará entre estas 3 configurações o uso das cores da McLaren pra 2015.
      1-) Vermelho e Branco (com a pintura lembrando vagamente da época do patrocinio da Marlboro): o nome “Santander” nas laterais do carro e asa dianteira e o nome “Honda” na asa traseira e “Mobil 1″ na tampa do motor;
      2-) Laranja (sendo os nomes dos patrocinadores na cor preta): “Santander” na asa traseira e “Honda” na laterais do carro e na asa dianteira e “Mobil 1″ na tampa do motor e
      3-) Branco : mantendo a mesma configuração do item 1 mas as letras de “Santander” e da “Honda” escritas na cor vermelha e “Mobil 1″ escrito na cor preta.

  4. Bruno Pracideli disse:

    Flávio, o H no nome do carro é de Híbrido.
    Abs
    Bruno Pracideli

  5. charles disse:

    Voltarei a torcer pra Ferrari novamente.

  6. Eduardo disse:

    É Sainz, com Z, querido Flávio.

  7. Marcelo Silva disse:

    Qual a diferença dos motores deste ano pra 2015 ? Vamos ter de escutar o mesmo “ronco” ?? Peloamor …

    • Allez Alonso! disse:

      O bloco está congelado, quem dividiu o turbo se deu bem. A Honda vai testar as duas configurações, em Abu está dividido.
      Ano que vem as fábricas vão poder mexer em tudo que não está congelado, a Ferrari já anunciou que vai trocar o fornecedor do turbo, por exemplo.

  8. petrafan disse:

    eu vi aquele videozinho da McLaren-Honda que saiu outro dia e também notei o som bem legal do motor.
    ardido, mas também gutural. nervoso. tomara que seja prenúncio de coisas boas.

  9. Marcos José disse:

    A Honda como eu esperava repetiu o mesmo erro da Renault neste ano. Testar no dinamômetro é uma coisa totalmente diferente do que usar um chassi para verificação do funcionamento da unidade de potência e seu componentes. A falha elétrica (se eu não estiver errado) foi uns dos problemas que prejudicaram os trabalhos da Renault na pre-temporada de 2014 em Jerez (o outro foi o superaquecimento da unidade de potência). A Honda (minha opinião) não contava com este problema elétrico logo no início dos trabalhos da unidade de potência. Terá mais um dia de testes coletivos em Abu Dhabi para coletar dados e entender a falha e resolver este problema. Realmente só veremos o seu potencial nos testes coletivos da pre-temporada em 2015.

    • luiz alberto disse:

      Meu caro Marcos , não existe nenhum fabricante ou projetista de motores que primeiramente não teste em dinamômetro , pois primeiro deve-se conhecer a potencia do motor e sua faixa de torque se condiz com a minima projetada e isto é o dinamômetro que emite os dados precisos e se alcançada a meta ai sim é que se ajusta o motor ou unidade motriz ao chassis ao qual ele devera operar e todo ajuste pode apresentar algum problema a ser resolvido , para isto é que servem os testes de desenvolvimento. é muito difícil um projeto dar certo em tudo logo de começo.

  10. Rubem disse:

    Não é Jolyon, ao invés de Joylon? Sim, não menos esquisito.

  11. Celio Ferreira disse:

    É com Hamilton mais experiente, e Mercedes ainda dominante, e as outras
    sem poder mexer nos motores, vai ser mais um ano de passeio, porque por
    mais que melhorem a aerodinamica, faltará potência pra outras alcançar a
    Mercedes , a unica que podemos esperar alguma coisa é a Willians.

  12. Pedro disse:

    Além de falar bem, é um piloto espetacular. Foi o nome do ano na gp2. Esse Palmer já estava fazendo pós graduação na categoria e o Nasr fraquejou no fim.

  13. Franco disse:

    A Red Bul nao vai perdoar a troca de Vettel e o seu corpo mole nesta temporada para ir para a Ferrari

    • Marcos José disse:

      Será que Vettel já não teria assinado o contrato no inicio do ano com a Ferrari (valendo já pra 2015) e só falou isto para a Red Bull apenas no GP do Japão? Daí pegando a equipe de surpresa na reunião convocada pelo alemão na sexta no Japão da sua decisão de sair da Red Bull e a sua ida para a Ferrari em 2015? Isto explica o veto pela Red Bull para testar a Ferrari antes do final de seu contrato.

      • Marcos José disse:

        Será que o Sainz Jr é o piloto reserva na Red Bull no lugar do suíço Sebastien Buemi pra 2015? Isto explicaria porque ele não seria o companheiro de equipe de Max Verstappen na Toro Rosso, que assim manteria Jean Eric Vergne para o ano que vem.

      • Marcos José disse:

        Vergne postou no twitter que não estará na Toro Rosso ano que vem. Sainz Jr (tudo indica) será mesmo companheiro de equipe de Verstappen pra 2015. Sobraria para Vergne (por enquanto neste momento) o posto de piloto reserva na Williams com a ida de Felipe Nasr para a Sauber em 2015.

  14. Chupez Alonso disse:

    O Alonso insiste em 0 x 0 e eles querem 1 x 1.

  15. Tuca Cunha disse:

    Que os problemas da McLaren Honda durem pelo menos até o meio da temporada. Com LH tri-campeão e o Alonso amargando um pouco mais na fila…

    Porque, se a tradição for mantida, a hora que o conjunto McLaren Honda encaixar, somando com a pilotagem cirúrgica do Alonso, daí a Mercedes vai ter finalmente rival à altura.

  16. Eduardo Schmidt disse:

    Por isso preferia o Rosberg campeão, pelo menos ia encher os potes hehehe…esse hamiltonzinho paz e amor tá chato, preferia o problemático…kkk

    • Fontana o poderoso disse:

      Simples, basta fazer uma transferência bem interessante. Manda Hamilton pra Ferrar i(e nesse caso, seria ideal que Hamilton passasse a correr com o #27). E assim como Vettel, Hamilton também teria tempo de esperar uma reestruturação da Ferrari e ser campeão por lá. E pra melhorar ainda mais, seria bom o Ross Brawn liderando a equipe. E chama o Raikkonen para correr na Mercedes. Certeza que com o título de Rosberg ou com o título de Raikkonen, a farra será enorme.

  17. dkrbr disse:

    1 x 1 significa que é um monociclo. E com tração integral!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>