ALONSO, ALONSO, ALONSO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 13 de abril de 2017 - 19:26F-1, Indy, IRL, ChampCar...

ALONSO, ALONSO, ALONSO

alonsoezak

SÃO PAULO (abalou) – Bem, era previsível que nas horas seguintes ao anúncio de Alonso sobre sua participação nas 500 Milhas de Indianápolis todo mundo tivesse uma opinião sobre o assunto. E, em geral, sua decisão foi recebida com muita simpatia por todos no automobilismo. Um misto de espanto com surpresa, admiração e respeito.

Como também previsto, foi o tema quase único da quinta-feira em Sakhir, na véspera da abertura dos treinos para o GP do Bahrein. Hamilton, por exemplo, rasgou elogios ao ex-companheiro de McLaren e disse que seria bom se os pilotos de hoje pudessem se dividir entre várias categorias, como antigamente. “Ele será o melhor daquele paddock”, falou.

Alonso participou da coletiva de hoje — agora são duas partes, cada uma com três pilotos — ao lado de Magnussen e Palmer, a quem ninguém fez pergunta alguma. Explicou os motivos de ter optado por abrir mão de Mônaco e falou que como é quase impossível ser o melhor piloto da história, porque precisaria ganhar oito títulos mundiais e superar Schumacher, tem a chance de ser o mais completo — numa referência ao sonho de conquistar a Tríplice Coroa, com Mônaco, Le Mans e Indianápolis na sala de troféus.

Falou também que se estivesse na briga na F-1, não deixaria de correr em Monte Carlo. “Mas já ganhei lá duas vezes, e chegar em quinto ou sétimo não mudaria minha vida.” Tem razão. Fernando também elogiou o novo chefe da McLaren, Zak Brown. “Ron Dennis não deixaria”, afirmou. E tratou de afastar qualquer possibilidade de deixar a F-1 por enquanto. “Meu objetivo é voltar a ser campeão.” Na McLaren? Para o espanhol, o fato de a equipe ter se envolvido apaixonadamente no projeto Indy 500 não o aproxima mais de uma possível renovação. “É uma ambição que eu tenho, já falei em correr em Le Mans com a Porsche no passado, uma coisa não tem relação com a outra.”

“Vai ser bom de ver”, resumiu Felipe Massa sobre o choque que tomou o paddock. Do lado de lá do Atlântico, a notícia também repercutiu, claro. “Ele é um demônio das corridas, vai se dar bem”, aposta Montoya, seu rival épico de F-1. “Ele pode ganhar, vai ser difícil, mas é possível”, falou Helio Castroneves. “Vai gostar tanto que vai querer voltar todo ano”, encerrou Tony Kanaan.

Enfim, essa história é o maior barato.

33 comentários

  1. ms disse:

    ficar por muito tempo longe de bons resultados como acontece com Alonso corrói a reputação (e a alma) de qualquer piloto mesmo que por um bom tempo esse mesmo piloto tenha sido considerado pela mídia especializada o melhor piloto do grid, como é o caso de alonso……outros pilotos que também tiveram resultados expressivos na f1, e depois debandaram para a Indy (emerson por exemplo) conseguiram excelentes resultados na nova categoria!! aposto que se Alonso for para a Indy e der show (ganhar um bom numero de corridas) as chances dele voltar para f1 em uma equipe de ponta não serão nada desprezíveis e acredito que esta seja a derradeira (e ultima) cartada do espanhol para tentar dar a volta por cima e retornar a f1 em grande estilo, em alguma equipe de ponta. .

  2. Amaral disse:

    Bem que isso poderia acontecer mais vezes. Assim como Alonso correr em Indy, por exemplo, Dixon fazer uma corrida pela Mercedes. Sou totalmente a favor desse “intercâmbio automobilístico”. Claro que há contratos, patrocínios, restrições… Mas que poderiam ser mais flexíveis em prol da qualidade e da atratividade do espetáculo.
    Engraçado que tem uma turminha que fala do Alonso igual fala do Barrichello. Alonso foi – e é – um dos maiores pilotos da história. Só a inveja e o despeito para vir somente malhar o cara.
    E acredito que ele tenha três coisas que o motivem a empurrar a draga que o carro está hoje: Compromisso, grana e desafio. As duas primeiras são interligadas. Ele não tem papel de pão assinado, tem contrato e é muito bem pago. Não vai sair assim do nada. E o desafio se dá pelo fato de que ele ainda tem a esperança de fazer a equipe e o motor grandes de novo. Ele sabe que não tem amador com ele, e que ele também tem condições de fazer a sua parte. E ainda acredito.

  3. Marcus - Franca disse:

    Uma coisa é certa… as cifras de contrato dele que ja são imensas, ficarão maiores ainda… vai ser sempre o piloto mais bem pago do grid…

  4. Patriotasemcamisadaseleção disse:

    Com o carro que tem atualmente, briga para chegar nos pontos, muito pouco para um piloto competitivo como ele .Sabendo o excelente piloto que é, respeitado por todos no meio automobilístico ,nada mais natural que buscar desafios que valham a pena. Dinheiro já tem, para deixar várias gerações só vivendo dos seus feitos. Desejo sucesso a ele. Para aqueles que o criticam, no fundo por inveja, pois nunca chegarão nem na sombra do que ele é, meus pêsames. É fácil vc procurar defeitos e como já dizem por aí, por convicção achar que ele os têm, difícil são provas fundamentadas.
    Como já dizia o grande Raul Seixas: “É mais fácil achar que a culpa é do outro, evita o aperto de mão de um possível aliado. Convence as paredes do quarto e dorme tranquilo.

  5. Fernando disse:

    ALONSO, ALONSO, ALONSO E VIVA FERNANDO ALONSO!!!

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    Continuo com dó do pessoal da Andretti…

  7. Farid Salim Junior disse:

    Em tempo: Graham Hill venceu a tríplice coroa por ter corrido e vencido em Le Mans, Mônaco e Indianápolis em um mesmo ano, certo?
    Acho quase impossível nos dias de hoje, que algum piloto consiga esse feito e. o Alonso já sai perdendo, por desistir de uma das provas – Mônaco.
    Mas, acho muito válido esse desafio!

    • Robertom disse:

      Não, Le Mans ele ganhou em 1972, quando já não era competitivo na F1. E tem outra coisa, não dá para ganhar Mônaco e Indianápolis no mesmo ano por que quase sempre são disputadas no mesmo dia…
      Para ter a tríplice coroa basta ganhar as 3!

  8. Luis disse:

    Engraçado, essa notícia me fez lembrar daquele filme “Talladega Nights”, onde o vilão do filme é um piloto francês que veio da F-1, e aí mostram imagens da Renault do Fernando Alonso. O Sacha Baron Cohen também é um pouco parecido com ele…

  9. Segafredo disse:

    Viva Alonso! Depois de Senna o maior carisma da F1 sem dúvida. Personalidade, Irreverência e muito talento o tornam tbm genial. Isso independente do resultado lá em Indianápolis já é vitorioso!

    • Nove anos atrás de Vettel! disse:

      Alonso cansou de “levar pau” da garotada na F-1. Daí, essa ideia maluca de correr em Indianápolis.
      Lá, o espanhol vai ter a desculpa de que é estreante… hahahahahahaha!

      • Segafredo disse:

        Pinto……perca seu tempo fazendo menção ao schukrutezinho da Ferrada, ou então assuma de vez sua paixão por Alonso. E não fique envergonhado disso viu!

      • Nove anos atrás de Vettel! disse:

        O schukrutezinho derrotou as duas Mercedes mais uma vez!
        Aceita que dói menos, como diz o Matteoni.

  10. Ricardo disse:

    vê como as coisas são.

    a F1 está pouco interessante. a Indy 500 é mais do mesmo(já assisto há 30 anos).

    Nunca gostei do alonso, acho ele mafioso.

    juntaram tudo isso e agora estou curioso demais pra ver no que vai dar.

    legal. imagina se alonso arrasa por lá.

    cordiais saudações.

    Ricardo.

  11. Bruno disse:

    Flavio, será que isso não tem o dedo do pessoal da Liberty Media? Talvez haja algum tipo de incentivo deles para tentar aumentar a popularidade da F1 nos EUA colocando um cara fodão como o Alonso pra disputar a prova de automobilismo mais popular de lá.

  12. Igor Bueno disse:

    Se o Hamilton ou Vettel, digamos, cheguem a 6 titulos mundiais com, sei lá, 15 anos de F1, não seriam melhores pilotos que o Shumi. Mas, supondo que correndo 17 anos alcancem 8 títulos. Por causa de mais míseras 40 corridas tornam-se melhores ?

    • Paulo Pinto disse:

      Schumacher chegou ao sétimo título no GP 208 de sua carreira (GP da Bélgica/2004). Hamilton já conta com 190 GPs disputados e Vettel soma 180 GPs.
      Faltam míseras 18 corridas para Hamilton atingir a marca de 208 GPs e nesse período, o máximo que o inglês pode chegar é ao tetracampeonato. Vai ficar devendo, se ganhar este ano, 3 (TRÊS) títulos.
      Faltam míseras 28 corridas para Vettel atingir a mesma marca e nesse período, o máximo que o alemão pode chegar é ao pentacampeonato. Vai ficar devendo, se ganhar este ano, 2 (DOIS) títulos.
      Supondo, como você diz, que correndo mais tempo que Schumacher, alcancem 8 (OITO) títulos, serão melhores que o Maior do Mundo? Sim! Porque mostrarão que mesmo com mais idade, continuaram competitivos, o que eu duvido muito que aconteça.

      • Igor Bueno disse:

        Oi Paulo, entendi sua opinião. Você inclusive cita número de corridas, colocando ênfase na estatística vitórias x corridas.
        Na minha opinião um piloto pode ser considerado ou não melhor que o Shumi, tendo 5, 6, 7 ou 8 títulos.
        Exemplo disso é o Hamilton que tem 3 títulos e acho o Alonso melhor.

      • Segafredo disse:

        Kkkkkk…..Toma! E outra, o maior de todos teve “apenas” 3 títulos. E não foram os brasileiros que assim sacramentaram!!

      • Onze anos sem título! disse:

        Acorda, xará! O Maior do Mundo tem mais que o dobro disso.

    • Wanderson Marçal disse:

      A carreira do Schumacher também foi mais longa que daqueles que vieram décadas antes, que não eram tão atletas e se aposentavam mais cedo. Não acho que se possa medir quem foi o maior ou o melhor por aí. O Hamilton, por ótimo piloto que seja, e é, perdeu um título ganho em 2007 e tomou do Rosberg, que embora seja ótimo não é e nunca foi um piloto top. O Vettel tomou nabo do Ricciardo e sofreu com um fraco Raikkonen ano passado. O Alonso sofreu com um iniciante Hamilton. O Schumacher sempre amassou seus companheiros — embora, é verdade, nenhum deles tenha sido grande coisa também. Mas é também o que fica.

  13. Bola da Vez disse:

    É mais um campeão de f1 tentando a sorte no maior evento do automobilismo. Tem é que tomar cuidado porque do mesmo modo que alguns acertaram, outros fracassaram.

  14. Garlet disse:

    Imagine-se no lugar do Alonso, tem mais dinheiro do que pode gastar em 5 gerações. A vida é uma só.

  15. Wanderson Marçal disse:

    É sem dúvida alguma a notícia do ano no esporte mundial. Teve a suspensão do Messi das eliminatórias e tal, mas ficou nos portais de futebol. Não lembro outra de grande repercussão assim. Todos os portais do mundo, absolutamente todos, de automobilismo aos jornalões tradicionais deram destaque à informação.

    E um ponto bacana pra gente que acompanha com mais afinco a Indy por aqui: o Grande Prêmio é um dos poucos portais em língua mãe que tem uma abordagem maior da Indy e tem um especialista, o Gabriel Curty — como tem a Tesser também pro povo da MotoGP. Quase todos os outros só têm especialistas de F1. E é bem legal poder acompanhar esse ressurgimento da Indy, com mais audiência nos EUA, enchendo arquibancadas — Long Beach deu 250 mil pessoas nos três dias, não é pouca coisa — e cativando caras especiais como Alonso e uma equipe histórica como a McLaren.

    Viva o automobilismo. E vivam as várias formas de competição. Nos anos 2000 a F1 era muito foda, mas era uma época que ela reinava sozinha. Melhor nos anos 90 quando haviam mais boas opções. Que seja assim no futuro.

  16. Diogo disse:

    Concordo plenamente e vou além, com uma ideia “nova”. Essa corrida fantástica podia voltar ao calendário do Mundial, com um lugar de honra. Com os carros da Indy mesmo, e pontuando nos dois campeonatos! Seria lindo, impossível, mas bonito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>