O RACHA DA TRUCK | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 1 de junho de 2017 - 18:22Automobilismo brasileiro

O RACHA DA TRUCK

SÃO PAULO (para enquanto é tempo) – A Fórmula Truck cancelou a corrida que estava marcada para o fim de semana em Cascavel. Seria a quarta etapa do campeonato, que teve grids magérrimos nas três corridas disputadas até agora — de oito a dez caminhões. Oficialmente, a razão do cancelamento foi o mau tempo no oeste do Paraná e a previsão de chuva para os próximos dias.

Uma dissidência da categoria fez nascer a Copa Truck, que estreou no fim de semana passado em Goiânia. Os principais nomes da boleia estão nela. Neusa Navarro, viúva do criador da F-Truck, Aurélio Félix, está ficando sozinha. Pilotos que começaram o ano com ela já migraram para a outra. Não há outro desfecho possível: a F-Truck antiga vai acabar, morrer por inanição.

Divisões como essa que está acontecendo nunca resultam em algo sustentável. Foi assim com a IRL e a Cart, lembram? E estamos falando de um nível de automobilismo bem mais alto, mercado americano, Indianápolis, fábricas como Honda, Chevrolet e Toyota na parada. Quase que ambas morreram, até serem reunificadas.

Dona Neusa, a quem não conheço, deveria parar para colocar as ideias em ordem. Se ficar dando murro em ponta de faca, vai enterrar tudo que foi feito por seu marido de forma muito bem-sucedida. Ninguém vai querer disputar um campeonato sem participantes se um outro já nasceu e se mostra muito mais vigoroso.

É hora de o pessoal sentar e conversar.

9 comentários

  1. marcos andre RJ disse:

    Tive o prazer de antes da temporada conversar com um dos pilotos envolvidos na copa truck, e o cara que tem grande prestigio no nosso automobilismo, disse que tudo tem que ser do jeito que a familia Felix quer. Já na copa truck, foi tudo pensado em prol dos pilotos e do evento. eis o motivo da debanda.
    só pra completar… todos os caminhões que largam na F Truck hj pertencem a ela…ninguem quiz arriscar em montar um time pra andar lá..

  2. João Ferreira disse:

    Não sei porque, mas esta Dona Neusa me lembra a viúva do Dale Earnhardt Sr. que detém a Dale Earnhardt incorporated ou DEI.

    O Dale Jr. saiu, abandonou o #8 e a DEI ficou orfã, que nem a Formula Truck.

  3. TSC disse:

    Já foi o melhor campeonato brasileiro por conta do envolvimento com as fabricas, nos bons tempos eram: Mercedes, VW(e Man), Ford, Volvo, Scania, Iveco, todas lutando em condições de vencer muito legal, tomara que voltem as fabricas e os patrocinadores e é claro as boas disputas.

  4. Fernando Silva disse:

    Desde que vi (apenas por alguns minutos…) a primeira etapa pela tv com 8 caminhões e praticamente nenhum patrocinador, disse para conhecidos meus: “Não termina o ano”…até porque, as melhores equipes e os maiores nomes foram para o outro lado. E pelo que li, é unânime entre os bastidores da categoria que a “Dona Neuza” não tem a mínima condição de tocar o negócio.

  5. Robertom disse:

    Ela não deu ouvidos e peitou a maioria das equipes e pilotos, foi teimosa e arrogante.
    Ficou praticamente sozinha, os caminhões que ainda disputam a Fórmula Truck são os das equipes dela e mais 2.
    Para piorar tornou-se a rainha dos atrasos de pagamento.
    Acho que não consegue nem terminar a temporada 2017.
    Já Elvis…

  6. Everton Chalcoski disse:

    Eu acho que o centralismo que li até agora que a “Dona” Neusa impretou na F-Truck, sem transparência e ouvir os que mais interessa a ela, afinal sem eles, o que se demonstra agora, não existe categoria, os pilotos. Acompanhava a Truck a anos, confesso, era mais fã dela do que da Stock. A F-Truck com certesa “subiu no telhado”. E a Copa Truck tem tudo para tomar o seu lugar, e lá estão os pilotos “desertores”, isto é, sucesso garantido.

  7. TSC disse:

    Desconfiei do cancelamento de futuras provas, quando eles anunciaram varias vezes na transmição da última corrida ingressos adiantados e com desconto no preço, coisas que eles nunca fizeram. Chuva na Ttruck é sinal de emoção e boas corridas, mas precisa de muitos caminhões por conta das “ocorrências”

  8. Paulo disse:

    Depois da primeira corrida da F-Truck ficou muito claro que a categoria não teria futuro, mesmo sem concorrência.
    A diferença dos dois ou três melhores pilotos em relação ao restante do (pequeno) grid era absurda. Em poucas voltas os líderes já alcançavam o restante do grupo. Era evidente que a categoria não tinha o mesmo nível dos anos anteriores.
    Dos principais pilotos (vários deles donos de equipes), poucos permaneceram na F-Truck. A maioria preferiu correr o risco de correr por uma nova categoria, que sequer existia. Era um sinal claro que as coisas não andavam bem.
    Quando a Copa Truck apareceu, com melhores pilotos e transmissão pela SporTV, a situação da categoria original piorou. Ainda que o campeonato tenha apenas seis etapas em 2017, para uma categoria que foi organizada às pressas, o prognóstico é positivo.
    Caso não se renda à realidade, a F-Truck vai virar história e a Copa Truck poderá ser, a partir de 2018, um campeonato interessante, embora eu não acredite que volte a alcançar o sucesso que as corridas de caminhão obtiveram no início dos anos 2000.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>