MENU

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018 - 18:18F-1

ESTRANHO APAGÃO

fotolewistw

RIO (já folguei bastante) – Muito esquisito esse apagão de Lewis Hamilton nas redes sociais. O cara apagou todos os posts no Instagram? Bom, não fui checar, não tenho muita paciência — embora seja seu “seguidor” — e meu celular está carregando em outro cômodo de minha mansão, a uma distância considerável. Mas se o pessoal do Grande Prêmio diz que sim, é porque sim. Eles seguem todo mundo e monitoram tudo. Dei uma olhada na sua conta do Twitter, agora, aqui no computador. A primeira postagem visível é de outubro de 2013 e tem essa foto aí no alto que nem sei de onde é. Pelo jeito, ele apagou os rastros dos últimos quatro anos de sua vida nessa outra rede. É realmente insólito.

“Apagou os posts no Tweeter e no Instagram” pode parecer algo frívolo, mas nos tempos em que vivemos, e tratando-se de alguém tão ativo no smartphone quanto Hamilton, não é. É notícia. As celebridades — e os anônimos, entre os quais me incluo — têm usado as redes sociais para se comunicar, dar recados, emitir opiniões, informar. Sobre qualquer assunto: o que comeram, onde passaram a virada de ano, com quem estão namorando, o look para esta noite, tudo, basicamente. Mas fiquem trabquilos. Não vou elaborar nenhum tratado sobre o uso dessas mídias, esqueçam. Elas são o que são, sua utilização é bem disseminada, fazem parte do dia a dia das pessoas e todo mundo sabe exatamente sobre o que estou falando.

telefoneantigo2Há alguns anos, nem tantos assim, achávamos estranho quando alguém deixava o telefone fora do gancho. Não desejava ser encontrado/a, não queria papo, estava fora do ar. Hoje, sumir das redes sociais é equivalente a tirar o telefone do gancho — expressão que já nasceu velha, pois que se referia aos aparelhos bem antigos, muito antigos mesmo, aqueles que tinham efetivamente um gancho no qual se pendurava o auscultador, também conhecido como “fone”; aliás, há outras expressões ligadas aos velhos telefones, como “discar o número” (havia um disco, vejam na mesma foto aí do lado, e era através dele que se marcava o número do cidadão com quem se queria conversar; é daí que vem “disk-pizza”, por exemplo, com esse “k” ridículo) e “cair a ficha” (nos antigos telefones públicos, conhecidos aqui no Brasil como “orelhões“, usavam-se fichas metálicas, como moedas, para obter uma linha; quando alguém atendia do outro lado, a ficha literalmente caía dentro da caixa metálica do aparelho, escutava-se seu ruído, e então o usuário saía do estado quase catatônico de espera em que se encontrava enquanto ouvia o som da chamada, pensando na vida e no que dizer na hora em que a ficha caísse, e só então despertava para a realidade: opa, caiu a ficha, ele/ela atendeu, não dá mais para adiar nada, tenho de falar, preciso resolver essa parada, é isso que significa “cair a ficha”, de nada pela explicação, se quiserem posso explicar também por que a gente diz “tocar” o telefone).

Por que Hamilton fez isso? Porque escreveu uma bobagem sobre meninos com roupas de meninas no Natal num post sobre seu sobrinho? Pode ser. Ficou chateado com a merda que fez — e percebeu, o que já é louvável — e resolveu dar um tempo. Parece pouco? Ora, como saber? Ele se desculpou, mas talvez não tenha achado que desculpas eram o bastante. Também me arrependo às vezes de algumas coisas que digo ou escrevo. O uso das redes sociais é, acima de tudo, um exercício permanente de auto-vigilância. A gente fala e escreve muita merda na vida, precisa se controlar e, sobretudo, avaliar bem aquilo que pensa e como se expressa. As palavras que ficavam ao vento não ficam mais. É bom isso. E essa preocupação deve ser ainda maior quanto mais pessoas possam ser atingidas por suas próprias sandices.

Esse sumiço do hiperativo e quase hedonista Lewis Hamilton dá margem a especulações, é normal que seja assim. No limite, tem gente achando que ele vai surtar, desaparecer, se enfiar numa cabana no Peru e parar de correr. Seria chocante, mas não exatamente uma surpresa.

Só que eu acho que não vai acontecer nada disso. Daqui a pouco ele ressurge e, se quiser, explica. Se não quiser, não explica nada. Outro efeito colateral das redes é essa percepção equivocada de que todos têm de explicar tudo o tempo todo. Não têm. Para além da internet, muito além, há uma vida real pulsando por aí. E cada um que cuide da sua.

Feliz 2018 para todos.

53 comentários

  1. Robson Guimarães disse:

    Ele não falou merda nenhuma, Hamilton apenas emitiu a opinião dele. Os que reclamam de imposições da sociedade, agora querem impor suas ideologias.

  2. Roberto disse:

    Ainda não entendi o que ele disse de errado.
    Era pra estar legal o mundo, mas ficou chato.

  3. Luiz Fernando disse:

    Não tem nada de estranho! O cara esta revoltado com a repercussão ridícula sobre o comentário que fez!! Tem que sumir mesmo!! Este mundo esta ficando idiota…

  4. Leandro Batista disse:

    A pessoa nutre uma falsa impressão de que tem milhares de amigos nessas redes sociais. Certa vez eu cruzei com um conhecido num shopping que estava na minha lista de amigos do facebook. A pessoa simplesmente me ignorou e foi embora sem nem ao menos falar um oi. O fato, apesar de desagradável, me fez refletir bastante a respeito da real utilidade dessas redes sociais, Hoje as utilizo apenas para assuntos que me interessam. Na minha lista ficaram apenas aqueles que mantenho contato. Não me interessa em nada divulgar acontecimentos da minha vida pra gente que já não faz mais parte dela.

  5. Helton Garcia Fernandes disse:

    James Hunt, provavelmente, teria mandado todo mundo pra pultaquipariu ou a merda.

    Nelson Piquet teria feito algo parecido, mas menos agressivo e mais engraçado.

    O politicamente correto é um saco, O fulano fica se tolhendo o tempo todo, preocupado com o que vão achar disso ou daquilo. Isso vai levar a uma massificação da idiotice, onde ninguém mais terá opinião própria por ter que concordar com os modelões criados, que cada vez são mais imbecis, para não ser execrado nas redes sociais..

    Babaquice da porra…

  6. Luiz disse:

    Parabéns ao cara! As pessoas estão deixando de ser o que são para serem o que os outros acham que ela deveria ser! Policiamento nas redes sociais, excesso de feedbacks nas empresas! Ninguém mais pode emitir a sua própria opinião. Agora o negócio é omitir a sua própria opinião. Que merda!

  7. Giovanni disse:

    Hamilton é da turma do Neymar, etc… estão sempre dando xilique, não sei como tem gente que segue essas aberrações da natureza.

    Coincidentemente, o Raikkonen criou uma conta oficial no instagram, provavelmente convencido pela mulher dele, viciada nisso…

    https://www.instagram.com/kimimatiasraikkonen/

    Como dizem por aí, “the end is near” hahaha

  8. Murillo disse:

    Sou um louco, é o que meus amigos dizem. Tenho 25 anos e não utilizo nenhuma rede social. Quer dizer, uso o whatsapp (é rede social?). Já tive todas as outas, mas perdi a paciência há alguns anos atrás. Não me fazem falta alguma. Vai ver ele se cansou também, perdeu a paciência, aproveitou o momento e a situação para excluir tudo.

  9. Daniel Cantera disse:

    Fiz o mesmo
    quando um dia bebado escrevi algumas besteira…E para evitar a fadiga

  10. Amaral disse:

    Primeiramente, Feliz 2018. E continue aproveitando a cidade maravilhosa. Apesar de tudo, ainda maravilhosa.
    Pelo que entendi, ele emitiu uma opinião, claro que teve a turma que não gostou e ele resolveu dar aquele ctrl+alt+del do desespero.
    Estamos numa ditadura do politicamente correto. E numa ditadura em que muitas coisas que são hoje vistas como normais não são tão normais assim. Mas opinião continua sendo pessoal e intransferível. O problema é que, numa vida em sociedade, nem sempre toda opinião é isenta de represálias. Temos que conviver com isso. Isso vem desde os primórdios, muito, mas muito antes da sociedade imaginar, por exemplo, que teríamos um homem fazendo sucesso subindo ao palco pra cantar vestido de mulher.
    Mas tudo tem seu lado bom, assim considero. Essas notícias são ótimas para desentocar os boçais enrustidos de suas tocas. Tem muita gente boçal e ignorante metralhando pelo teclado. Não precisamos achar tudo que rola hoje normal e aceitável. Mas imbecilidade e intolerância pura e simples jamais será considerado normal, como vejo alguns por aqui com quem o jornalista e os leitores são obrigados a conviver (pelo menos enquanto não são bloqueados…)

  11. Luiz disse:

    Não é relevante a ninguêm daqui, mas, eu fiz a mesma coisa há três anos atrás e acreditem, sou uma pessoa bem melhor com os mesmos e acrescidos de outros amigos e sem viver de aparências e futilidades que essas redes sociais (facebook e instagram) despertam…

    Desinformado? que nada “sempre” existiram, telefone, livros, jornais e sites que me encontram e me alimentam.

    Tamo junto Luizão Hamiltão

    • Amaral disse:

      No fundo, rede social não faz falta. A gente é que se condiciona a ela. Fez bem em tomar a pílula e sair da Matrix. Admiro quem toma essa atitude de voltar aos bons tempos de mais contato e menos virtualidade. Eu ainda não tomei.
      Mas cuidado com a recaída.

  12. Zé Maria disse:

    Flavio, de tudo o que foi escrito, só é relevante a última frase.
    O mesmo para você e família!
    De resto, que se exploda o Hamilton e seus pitis internéticos, zero relevância para todo esse burburinho desmesurado e sobrevalorizado.

  13. Alfredinho disse:

    Hamilton se calou? Virou poeta.

  14. rogerv disse:

    Mundo chato demais… opinião é opinião, assim como gostos… o cara foi sincero!
    -Nem sou tão chegado à defendê-lo…
    Daleee 2018, que possamos rir, ler boas e bons textos como sempre!

  15. Rodrigo P. disse:

    Obrigado por fazer eu me sentir extremamente velho lendo essa descrição do telefone, da ficha caindo, do fone fora do gancho…

  16. Brabham-5 disse:

    E á maldita DITADURA DA HIPOCRISIA DO ‘POLITICAMENTE CORRETO’ CENSURANDO todo mundo e matando a espontaneidade na raça humana, dos esportes ás artes.
    Foi o jeito que o cara encontrou de fugir da PATRULHA dos haters glbt´s das redes sociais.
    Toda minha solidariedade ao Lewis Hamilton por questionar um sobrinhO por estar vestido de PRINCESA.
    Muita gente que o critica, teno certeza, teria a mesma reação na mesma situação.
    Hipocrisia.

  17. Alan Borghini disse:

    Bem vindo, Hamilton, ao mundo dos racionais, e nele vai encontrar, de novo, com Vettel, que nunca entrou nessa arapuca de redes sociais.

  18. Carlos Tadeu Antonio Filho disse:

    Esse sumiço me lembra o misterioso caso do desaparecimento de Agatha Christie, durante 11 dias, em 1926. Guardada as devidas proporções entre ambos sumiços. Mas me parece uma grande estratégia de marketing pessoal. O apagão, as faltas de informações geram burburinhos e teorias pelo mundo todo. Vamos esperar para ver no que isso dará.

  19. Danir disse:

    Eu tambem não gosto de meninos vestindo roupas de meninas, e não sou politicamente correto. E só uso redes sociais quando necessário. Já que esta troupe de bastardos monitora todo mundo, que tenham um pouco mais de trabalho para conseguir informações sobre nós. Outro dia recebi um e-mail, de uma chinesa, com quem tive contato profissional, informando que gostaria de apresentar a nova empresa onde estava trabalhando, para oferecer seus produtos. O interessante é que a empresa onde trabalho, mudou de nome, cancelou todos os e.mails antigos, e esta senhora não foi informada de nossos novos e.mails. Tentei descobrir como ela achou o meu endereço, e não consegui. Por estas e outras não entro em redes sociais e não coloco nem fotografias. Não existe mais privacidade e as pessoas se consideram com o direito de dar opiniões sobre os nossos atos, e ái de nós se não tivermos comportamento e opiniões de acordo com aquelas da manada. Se eu fosse o Hamilton, tambem sairia das redes, usaria meu tempo em coisas mais interessantes. Sua qualidade como piloto e ser humano não mudaria nem um pouquinho por causa disto. I liked.

  20. Williams Flemming disse:

    Boa, xará! Incrivelmente ao ler o post do FG, pensei em responder algo muito, muito mesmo, parecido com seu depoimento. Já to com saco cheio desse pessoal da mídia se “cagar” de medo de emitir opinião e ser verdadeiro! E ainda ficam seguindo tendencias e querendo se passar por bons samaritanos.

  21. Vinicius disse:

    A hipocrisia é o grande mal da humanidade. Daqui uns anos, ser homossexual vai ser quase obrigatório. Se eu fosse ele não pediria desculpas porra nenhuma!

  22. Kleber Acquesta disse:

    Merda que fez? O cara não pode dar mais a opinião dele que é taxado de intolerante, fascista e essas ladainhas todas. Marxismo cultural tá osso hoje em dia viu.

  23. Alexandre Pavoletti disse:

    Como acho das mais agradáveis coisas saber a própria origem delas, o que mais me interessou nessa prosa toda foi saber “por que a gente diz ‘tocar’ o telefone”.

  24. Pablo selinke disse:

    Se foi pelo comentário sobre o seu sobrinho, fez muito mal em apagar o post. Se esta é a sua opinião (a qual acho correta), que a sustente. Patrulha ideológica é o que não pode acontecer.

  25. Marcos disse:

    Arrisco dizer que ele se encheu dessa m… toda, com razão, e vai voltar mais focado. Com sorte, volta até a cortar o cabelo feito “hominho”, como era no início da carreira.

    Aí, malandro, ninguém segura o neguinho. Hat-trick a temporada inteira.

    (pronto, serei crucificado agora).

  26. Viniciu disse:

    Acredita que nada demais.
    Essa semana apareceu em no Vocêtubo em “comprinhas” no canal de cultura digamos pop americano “Complex”
    http://www.complex.com/sneakers/2018/01/lewis-hamilton-sneaker-shopping

  27. Artur disse:

    Talvez ele tenha percebido que já é rico demais para ficar aguentando um bando de idiotas que tem necessidade de se achar íntimos de pessoas famosas dando pitaco na sua vida.

  28. Williams Head disse:

    Se possível, explica por que a gente diz “tocar” o telefone).

  29. Fernando disse:

    Grande frescura dessa ditadura homoafetiva. Meninos não devem usar vestido. Estava correto e não deveria ter pedido desculpas de nada.

  30. CHAGAS disse:

    2018 de muito sucesso e saúde.

  31. Ricardo disse:

    E vestido é coisa de pessoas do sexo masculino? Então por quê você não usa, Flávio?

  32. Emerson Vieira disse:

    Feliz 2018 para vc tbm!

  33. Askjao disse:

    Acho interessante quando uma pessoa pública emite uma opinião contrária ao que a intelectual sociedade atual aceita. Ele no foi homofóbico, apenas emitiu a sua opinião. Concordo. Meninos não tem que usar roupa de menina. E isso vale para o contrário, também. E o mais legal é que vivemos em uma época onde pregam tanto a liberdade de expressão. Mas isso só vale se ela for a mesma de todos. Triste tempo.

  34. fabiom disse:

    Ele deve ter sido Hackeado, simples assim!

  35. willians disse:

    FG, o politicamento correto é chato demais, ele não concorda que meninos usem roupas de meninas e ponto, claro que deveria ter emitido sua opinião de forma mais polida, mas não é bobagem é opinião. Outro dia fui massacrado numa mesa de jantar por que disse que o Pablo Vittar canta mal… não é homofobia, só acho que tem voz ruim tanto faz se é homem, mulher ou trans.

    Essa agenda progressista não perdoa ninguem.

  36. LEANDRO VIEIRA COSTA disse:

    Hoje existe um excesso de pessoas preocupadas com a vida das outras, sempre existiu isso, é fato, mas nessa era da internet, alcança progressões geometricas

  37. Eduardo Britto disse:

    Opa! Bom ano Flávio!!

  38. Renato Major disse:

    Boa! Feliz ano novo para você também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>