SOBRE ONTEM DE MANHÃ | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 1 de outubro de 2018 - 23:51F-1

SOBRE ONTEM DE MANHÃ

rus182

Bottas e sua cara de bunda: carimbado para o resto da vida, como Barrichello

RIO (como sempre pensei) – Acho que quase tudo que tinha para dizer sobre o episódio de Sóchi já escrevi ontem no textão pós-GP da Rússia. Faltou, talvez, acrescentar uma sensação que tenho a respeito de Bottas. A semelhança do caso com a infame ordem da Ferrari na Áustria em 2002 fará dele um piloto com perfil muito parecido com o de Barrichello até o fim da carreira. Segundo eterno. Que poderá virar primeiro em algum momento, mas jamais numa equipe de ponta, com chances de ser campeão. O que só faz aumentar minha admiração por Rosberguinho, que ousou lutar. E venceu.

rustotoAliás, Toto Wolff referiu-se a 2002 para tentar se explicar. Disse que teve de levar em conta o prejuízo à marca que representa, mas que, ao fim e ao cabo, não queria correr o risco de perder o título e se sentir um idiota no final do ano. Preferiu optar por ser o “malvado do dia”. Nosso cartunista oficial Maurício Falleiros não perdoou. Trocou “malvado” por “babaca”, termo que usei à exaustão ontem.

Insisto que ordens de equipe não são novidade, não começaram ontem, nem serão banidas da face da Terra porque muita gente criticou o dirigente e a Mercedes. Tanto é assim que a FIA, há alguns anos, desistiu de proibi-las. Compreendo que a F-1 é um esporte coletivo, que os interesses do time têm de ser levados em consideração, mas há ordens e ordens. As pessoas percebem quando são desnecessárias, quando os responsáveis por elas querem ser mais realistas que o rei, como se diz.

No fim, são um sintoma de insegurança e medo. E o que mais falta no mundo hoje é ousadia e destemor diante de algumas situações. No ano passado, a Mercedes foi justa com Bottas na Hungria. E ganhou o campeonato. Para mim, tudo se resume a confiar no taco. Alguém que diga com todas as letras: “Não precisamos disso”.

Mas talvez seja pedir demais nos dias de hoje.

Quase todo mundo falou sobre o assunto ontem, e foi difícil pinçar alguma frase realmente de impacto entre tantas que acabaram convergindo para o óbvio: é triste, mas temos de pensar na equipe etc. Até Vettel se mostrou compreensivo e foi na linha de que foi uma decisão sobre a qual nem cabe discussão. Bottas também contemporizou: “Sei que sou o vencedor deste fim de semana, não fiquei com o troféu de primeiro lugar, mas isso não importa”. Então tá. Fiquemos com uma do outro personagem da chanchada, sem juízos de valor.

A FRASE DA RÚSSIA

rus185

Hamilton: orgulho zero

“É o dia mais estranho da minha carreira. Nunca pediria isso, é muito desconfortável, eu não sabia o que estava planejado para o fim. É a vitória de que menos me orgulho.”

Lewis Hamilton, que venceu pela 70ª vez na carreira, oitava no ano, abrindo 50 pontos de vantagem sobre Vettel na classificação. Bottas, por sua vez, subiu ao pódio pela 20ª vez pela Mercedes.

Mas é claro que o GP da Rússia teve mais do que a troca de posições que permitiu a Hamilton ganhar mais uma vez. Houve até algo parecido mais para trás, envolvendo os pilotos da Force India, que travaram frenéticas conversas pelo rádio para saber qual dos dois seria capaz de passar Magnussen, que se mantinha heroicamente à frente da dupla rosa.

rus181

Forceíndicos: ordens lá atrás

O espevitado Ocon não conseguia, e o nervosinho Pérez pediu autorização à torre para tentar. Nenhum deles logrou êxito, e depois de inverterem posições o mexicano teve de devolver o nono lugar ao francês.

rus189

Bernie: de cavanhaque e tudo

Teve também a corridaça de Verstappinho, sobre a qual falaremos lá embaixo na consagrada sub-seção “Gostamos & Não gostamos” — óbvio que gostamos. E teve até Bernie Ecclestone e seu estiloso cavanhaque assistindo ao final da prova ao lado de Putin.

Mas teve, sobretudo, mais uma exibição das mais convincentes do futuro piloto da Ferrari, o monegasco Charles Leclerc. Ele terminou a corrida em sétimo, comemorando o fato de ter sido o verdadeiro “primeiro dos outros” — já que chegou atrás apenas das duplas de Mercedes, Ferrari e Red Bull. “Uma vitória!”, descreveu. Só que foi mais do que um simples sétimo lugar. De onde vem…

O NÚMERO DE SÓCHI

russobre 7…carros apenas terminaram o GP da Rússia na mesma volta. E Leclerc foi o único, além dos pilotos das três previsíveis duplas mencionadas acima, que recebeu a bandeirada sem ver bandeira azul em nenhum momento da corrida. Foi a sétima vez que o menino da Sauber terminou nos pontos, mas não foi seu melhor resultado na F-1. Ele foi sexto no GP do Azerbaijão.

Para encerrar, já que se faz tarde da noite, os destaques positivo e negativo da corrida de ontem na chatíssima pista soviética.

rus188

Max: atuação brilhante

GOSTAMOS - Muito da atuação de Verstappinho >>>, especialmente nas oito primeiras voltas. Saiu de 19º  e escalou o pelotão até o quinto lugar, onde terminaria a prova — não sem antes liderá-la por 24 voltas, com pneus mais duros e bem desgastados. Não foi à toa que levou o título de “Piloto do dia” do amigo internauta.

rus186

Toto: o vilão do domingo

NÃO GOSTAMOSDe <<< Toto Wolff, nem das suas desculpas esfarrapadas. Mas achamos sensacional a imagem dele apertando o botão de “tática”. Suponho que o pessoal da TV já tinha escutado a comunicação pelo rádio, e por isso mandaram um câmera lá para flagrar o dirigente.

60 comentários

  1. Marmelada-44 disse:

    A cara de Boi Manso que o Bottas fez no pódio está impagável! Hamilton devia agradecer ao Rosberg por ter aposentado.

    • ms disse:

      sempre achei rosberg um piloto meio sujo “..a la senna…” e por isso concordo com vc que foi um “…bom negócio….” para hamilton a aposentadoria precoce de nico mas também temos de reconhecer que foi merecida a conquista do campeonato que nico conquistou vencendo o piloto inglês por seus próprios méritos

  2. Alberto disse:

    Acho que Hamilton não precisava manchar seu titulo com uma vitória imerecida,, para os mais críticos se assemelha a algum titulo do Shumy.
    Toto Wolf , não é muito diferente daquele francês ,modelo para anão de jardim e também foi chefe de equipe.

  3. ms disse:

    certa vez, quando disseram para matriarca do clã da família guinle do rio de janeiro, uma das mais ricas famílias nas décadas de 40 e 50 no brasil, Dona Guilhermina Guinle, que o principal objetivo do capitalismo era O LUCRO, ela ficou profundamente horrorizada pois pensava que suas “obras de caridade” era o objetivo principal daqueles que tinham bufunfa…..digo isso porque acho ridículo todo esse chororô por causa da ordem dada pelo toto wolff já que o objetivo principal de TODA equipe é ganhar campeonatos e por mais improvável que seja, a falta desses pontos ganhos por hamilton poderiam sim fazer diferença lá na frente pra conquista do campeonato….

  4. João Paulo Toledo PIza disse:

    Temos um novo piloto na F1 “Botachello”

  5. RILEUDO disse:

    Eu concordo com ordens de equipe para render o máximo de pontos para a equipe. Como fez a Force India. Equipe luta contra equipe e piloto contra piloto.

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    Coitado do Bottas, jogou a carreira no lixo.

    Realmente o Rosberg tem o seu valor, tanto que se exauriu psicologicamente quando ganhou o Campeonato contra o Hamilton, não é facil ganhar do Ingles, o cidadão é uma fortaleza dentro da pista. Acredito que até os seus chiliques são calculados.

    Segue o jogo, é uma pena os Finlandeses terem que conviver com essa situação de agora em diante. Depois de Tres Campeões agora possuem um “bom piloto” na F-1.

    • Alberto disse:

      Dentro e fora ,ele conta com a simpatia a simpatia da maioria dos ingleses ,da comissão de pista que investiga o procedimento dos pilotos.
      Tenho uma forte impressão de que o incidente no GP de Monza ,se fosse o Hamilton o mais prejudicado , Vettel teria recebido alguma punição,esta é a minha opinião ,que só mudará com prova em contrario.

  7. Luiz Carlos Barbosa disse:

    Ué !!! Mas quando era a Ferrari com o Schumy ou Alonso, tinha nego que achava normal esse jogo de equipe…

  8. CRSJ disse:

    O Verstappinho fez o maior número de ultrapassagens, mas acabou ofuscado pelo jogo de equipe do Toto Wolff que marcou esse GP da Rússia. Faz tempo que não se via o Bernie, parece até outra pessoa com esse visual. O Bottas entrou pro time do Barrichello, Massa, Nelsinho, entre outros que foram completos subordinados como segundo piloto numa equipe de ponta. O Reginaldo Leme falou que o recorde de vitórias do Jackie Stewart durou 20 anos, sendo que na verdade durou 14 anos.

    • Alberto disse:

      Más no tempo de Stewart se corria bem menos GP`s ,se fossem mais como atualmente ,ele teria bem mais ou teria morrido mais cedo , pois naquele tempo um erro poderia significar a morte,coisa que hoje em dia não acontece nem com piloto homicida na pista ,como aquele mexicano, que em outra épocas teria sido banido do automobilismo. ainda bem que graças a competência dos engenheiros a segurança dos carros chegou a um nível inimaginável a 45 anos.

      • CRSJ disse:

        Jackie Stewart disputou 99 GPs vencendo 27 entre 1965 e 1973, deixando a F-1 como Tricampeão num treino em Watkins Glen nos Estados Unidos depois da morte do parceiro francês François Cevert em 1973.

  9. Coyote disse:

    Ano passado na Hungria Bottas cedeu o lugar e Hamilton devolveu porque não conseguiu o que queria. O pessoal do Paddock GP teve uma postura decepcionante (vc não estava lá no dia). Eles foram mesquinhos, imorais, anti-desportistas. Todos eles, sem exceção, condenaram Hamilton por devolver a posição a Bottas mesmo sabendo que ele havia combinado de devolver. Eles defenderam o indefensável – a palavra dada, o compromisso assumido, principalmente com mais agressividade por parte daquele Curty. Disse que aqueles 3 pontos podiam fazer falta no final do campeonato etc. Ora, 3 pontos fariam falta e 7 pontos não fazem? Eu não assisti mais ao programa depois daquilo.
    Ordens de equipe são impossíveis de evitar e se é que vai levar para o relativismo dizendo que há ordens e ordens, considere que Vettel, o queridinho do Paddock GP e ao que parece do Grande Prêmio tbm e até de vc, blogueiro, jamais agradeceu a Webber por cumprir ordens de equipe. Jamais agradeceu a Kimi Raikkonen os inúmeros pontos que deu a ele de graça. Ao contrário, depois de Monza ele se esqueceu disso e disse que corria sozinho contra 3 carros.
    Hamilton ao contrário agradeceu a Bottas publicamente em Monza e em outras oportunidades, além de não ter pedido ordem de equipe em momento algum das corridas.
    E além disso quem vê Vettel comemorando uma vitória, mesmo se a obteve unica e exclusivamente porque Kimi abriu para ele passar, há de pensar que ele é o grande herói do dia, o maior, maior do que Fangio, Piquet, Senna, Alonso, Hamilton e o próprio Kimi.
    Entao existem sim, ordens e ordens. Existem pessoas que fazem jus a essas ordens e pessoas que não fazem.
    Sem Kimi Vettel estaria uns 100 pontos ou mais atrás de Hamilton e o campeonato teria acabado.
    Então o babaca nessa história não é Toto Wolf. Ele veste macacão vermelho, exige ordens de equipe, comemora com ta ta ta ta ta ta ta ta, típico babaquinha, e é ingrato. Aliás, não é o babaca. É o otário. E vai perder de novo com o melhor carro e toda a ajuda e grosseria.
    F…him.
    Abs.

    • Comentarista Crítico disse:

      Melhor carro? Acorda! O carro da Ferrari perdeu o equilíbrio e a Mercedes novamente está superior.

      • Alberto disse:

        Mais uma vez os tedescos enganaram o pessoal da bota, fizeram os ferrarista crerem que tinham o melhor carro e quando não tem mais como melhorar ,soltaram as rédeas da cavalaria de seu motor.
        E para quem conhece a história das corridas de G P , isto é coisa que eles já usaram no tempo das famosas Flechas de Prata W 25, W 125 e W 165 nos anos 30. e nos anos 50 foram imbatíveis com a W 196.
        nos anos 30 , o chefe de equipe da Alfa Romeu ,principal time italiano nas competições era nada menos que Enzo Ferrari.

    • Elaine Cristina disse:

      Hamilton nunca pediu ordens de equipe?????? o papinho estou mais rápido significa o que????? o pedido esta nas entrelinhas .

  10. Joao Miguel disse:

    Eu recomendo o pessoal a conhecer um pouco sobre ciclismo de estrada. Execucao individual (cada um em cima de sua bicicleta) mas um esporte de equipe, cada equipe com um capitao e seus gregarios. E é ainda mais cruel do que na F1, pq os gregarios passam toda uma etapa puxando o pelotao, na frente, com a cara no vento, enquanto o capitao vai no fim da fila, protegido. E vamos sempre vendo, um a um, os gregarios caindo. Geralmente sao 7+1 num gran tour como o Tour de France. É uma equipe. Os gregarios sofrem mais para no final entregar a vitoria para o capitao. O capitao vence e todos comemoram o feito da equipe, ainda que o capitao seja mais famoso, suba ao pódio sozinho, tenha um contrato mais gordo. Entendo que a maioria ache decepcionante esse jogo da Mercedes. É mesmo. Entendo tb muitos quererem julgar se foi ou nao necessario, se esses pontinhos vao ser inuteis ou nao lá em Abu Dhabi. Perde-se um campeonato por muito motivos, alguns q podem ser antecipados, outros nao. Hamilton eh o capitao. Todos sabem disso, inclusive ele proprio e o Bottas. A passividade dos dois dentro do carro eh a prova de que há uma combinacao muito bem combinada. Nao bateram um papo num bar 2h antes da largada. Contratos estao ai para isso. É um esporte frio? Sim. Decepciona as vezes? Tb. Mas eu gosto de saber que eh transparente. A regra eh clara. Nao estao enganando ninguem.

  11. Ademir Antunes disse:

    Flávio,

    Você diz que o esporte é em equipe e às vezes ordens de equipes são necessárias, porém esse esporte não é de equipe somente, é individual, campeonato de pilotos. Então já que é pra ter ordem de equipe não deveria ter campeonato de pilotos e apenas de equipes simples assim. Porque uma coisa é individual outra é equipe ou seleção, os 2 juntos não funciona.
    Eu assisto F1 desde 1982, mas vou desistir pq não definem se é equipe ou pilotos.

  12. Binotto disse:

    HAmilton representa a Inglaterra. Sucessor do Button. As sedes das equipes são lá. A rede de TV com direito de transmissão etc. A Mercedes, de alemã não tem mais quase nada, acho até errado tocarem o hino alemão no pódio, engenheiros ingleses, sede na Inglaterra, enfim. Quanto ao favorecimento ao HAmilton, vem desde as categorias de base. Quando entrou na F1 já veio assumir como 1o pilo em cima do Alonso . O Gimenez corria na mesma equipe do HAmilton na F3 e ele mesmo disse, se o carro dele estivesse melhor, os mecanicos passavam tudo para o do HAmilton durante à noite, e deixavam ele as sobras. Porque não fariam isso na F1? $$$$$$$$$$$$$$$$$ Em off gostaria muito de ver o Verstappen na Ferrari. O Vettel já deu o que tinha que dar, poderia até voltar como segundo piloto da Red Bull.

  13. Afonso disse:

    Em 2016 no GP de Monaco o Rosberg estava liderando o campeonato com 100 pts e o Hamilton em segundo com 57, veio o jogo de equipe e ele teve que deixar o Hamilton passar para poder ganhar a corrida. No final o Hamilton ganhou a corrida e ele terminou em 4 ou 5. Poderia ter se negado também a deixar passar!? Certo!? Alguém lembra?

  14. Pedro Diniz disse:

    Muito “entendedor” de automobilismo torce o nariz para o automobilismo norte-americano, mas lá eles dão a devida importância ao lado esportivo, e o lado “business” caminha junto:

    https://www.grandepremio.com.br/nascar/noticias/patrocinador-rescinde-contrato-com-equipe-de-waltrip-apos-escandalo-da-manipulacao-de-resultado

  15. Brabham-5 disse:

    Se Bottas tivesse mais coragem, poderia ter dado uma escapada numa curva e perder a posição “sem querer” para Vettel, faltando umas 4, 5 voltas.
    Mas os pilotos (e esportistas em geral) de hoje são muito cordeirinhos.
    Nenhum grande campeão é cordeirinho na busca de defender os seus interesses.
    O Bottas vai fazendo o jogo de equipe para o Hamilton, todo “bonzinho e injustiçado” e sabe o que vai ganhar daqui 2 anos? A Mercedes chuta ele e fica como o Ocon.
    Simples assim.
    Como que Hamilton chegou e se comportou dando de frente com Alonso na McLaren? Engoliu desaforo? Pipocou? Muito pelo contrário.
    Como foi com Senna chegando na McLaren e lá estava o campeão Prost?
    Como é o Ocon na Force India com o Pérez?
    Nice guys finish last.

  16. Brabham-5 disse:

    “É o dia mais estranho da minha carreira. Nunca pediria isso, é muito desconfortável, eu não sabia o que estava planejado para o fim. É a vitória de que menos me orgulho.” (Lewis Hamilton, vencedor do GP da Russia, 2018)

    “É o dia mais estranho da minha carreira. Nunca pediria isso, é muito desconfortável, eu não sabia o que estava planejado para o fim. É a vitória de que menos me orgulho.” (Fernando Alonso, vencedor em Cingapura, 2008)

    “É o dia mais estranho da minha carreira. Nunca pediria isso, é muito desconfortável, eu não sabia o que estava planejado para o fim. É a vitória de que menos me orgulho.” (Michael Schumacher, vencedor do GP da Alemanha, 2002)

    “Claro” o Hamilton não sabia que o Bottas receberia tal ordem. Da mesma forma que o Alonso não sabia do tramado por Briatore e Symonds em Cingapura e o Schumacher também não esperava que a Ferrari ordenasse o Barrichello para dar a vitória ao alemão.

    O que me irrita mais não é a manobra de ordem/jogo de equipe e a sacanagem com o segundo piloto. O que me deixa mais incomodado é o FALSA INOCÊNCIA dos beneficiados pela “ordem de equipe”. Os caras SABEM MUITO BEM que isso pode e vai acontecer em caso de “necessidade”.

    Lewis Hamilton está num ano tão iluminado que pode vencer o Oscar de melhor ator também. Tão “modesto”, tão herói…

    Já vi esse filme antes.

  17. Rafael Piqueira Chinini disse:

    as atitudes pós bandeirada são as piores!
    vergonha alheia, abraça, chama o cara pra parte de cima do podium, ridículo!
    entendo totalmente as ordens de equipe, então leve as até o final, fazer isso depois ficar fazendo ceninha é foda, pq não devolveu a posição? no fim das contas piloto quer ganhar e pronto, não importa como.
    Mundial de construtores rende uma grana, mas no final pro público ninguém se importa.

  18. pdehaan disse:

    Concordo com o parágrafo de ‘GOSTAMOS’.

    Estou ficando cada vez mais fã do Verstappinho. Sei que ele é arrogante e imaturo, etc., mas como eu gosto de ver ele nas pistas!! Sei também que tinha uma certa obrigação de chegar em quinto lugar, já que o ‘midfield’ está anos-luz atrás das 3 equipes grandes – e os outros apenas queriam cuidar dos pneus em vez de brigar por posições com um carro muito mais rápido – mas o jeito dele, ritmicamente passando de 19o para 5o em poucas voltas, é sinal de um grande talento.

    Ele já tinha mostrado esse talento absurdo em várias ocasiões, inclusive aqui no Brasil. Rapidez já tinha. Faltava ainda um pouco de maturidade, consistência e sorte. Errava muito no início da temporada. Mas desde Mônaco está pilotando num nível incrível. Será que finalmente está no nível do Lewis/Vettel/Alonso? Eu acredito que sim.

  19. murilo medeiros disse:

    Legal foi a temporada de 2007 quando quatro pilotos disputaram o título (Massa, Kimi, Alonso e Hamilton). A partir dali tivemos sempre a figura do primeiro piloto nas equipes grandes… que durou até Hamilton x Rosberg (que só não teve essa característica porque a Mercedes não tinha concorrência).

  20. joel lima disse:

    O único jeito de não haver esse jogo de equipe absolutamente desnecessário, num campeonato que até a Ferrari já não vê a hora de acabar, é as equipes só terem um piloto e ponto – algo que acho que nunca houve na F1.

  21. Plinio disse:

    A Liberty vai ter muitos problemas pra introduzir mudanças na F1. Vozes sempre se levantam contra as artimanhas de quem está vencendo, mas, no fundo, quem chega lá reproduz os mesmos comportamentos. A múmia Ecclestone (e associados) criaram um sistema bruto. It’s business, my friend!!!

    • Paulo F. disse:

      A F1 tem o alcance e a estrutura que tem hoje por que Bernie criou o sistema. A Liberty não é nenhuma Madre Tereza de Calcutá, quer $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$, e a maquina do Bernie é muito bem azeitada para isso!

  22. ANDRÉ MIRANDA disse:

    Uma categoria onde se escolhe a dedo quem vai vencer, é tudo, menos um esporte.

  23. Elcio disse:

    Bom dia,
    Com todo respeito ao Hamilton, mas se ele não quisesse mesmo, ele simplesmente falaria pelo rádio com a equipe: “não preciso disso”.
    Ponto.
    Nesse ponto, Verstapinho é mestre, quando era da Toro Rosso, negou abrir passagem para Sainz, e pronto, Esta mais rápido? passa!!!!Quer passar?? então tenta!!
    Nesse ponto Verstapinho é um ponto fora da curva!
    Mas insisto, Hamilton poderia dizer NÃO, tem moral com a equipe e peso pra impedir uma imbecilidade dessa!

    • Zé Tros disse:

      Pois é, Verstappen negou abrir passagem, mas não se negaria a passar se Sainz estivesse na frente.

      Então nesse caso, vc está condenando o piloto errado. Quem deveria ter dito ”NÃO! era o Bottas e não Hamilton, assim como Kimi deveria ter dito NÃO! no GP da Alemanha.

      • Elcio disse:

        O Bottas poderia dizer que não,, mas um não do Hamilton tem muito mais peso que o do Bottas, mas entendo sim sua colocação!!!
        Com certeza Verstappen não negaria e passaria!!!!

  24. Sandro Karam disse:

    E anteontem o HALO TB mostrou que é muito vulnerável ainda. E podiamos está comentando o afastamento do Gasly. Um pedaço de carro pegou na viseira dele passando pelo HALO

  25. Toni Righi disse:

    Muita gritaria por pouco. Bottas é segundo piloto por contrato. Muito bem pago para trabalhar pelo campeonato de Hamilton. A era Schumacher criou o padrão.

  26. Paulo Rickli disse:

    “No fim, são um sintoma de insegurança e medo. E o que mais falta no mundo hoje é ousadia e destemor diante de algumas situações. ”
    Mais do que nunca isso é verdade !

  27. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Sempre imaginei que após 2000 viveríamos anos de glória, de modernidade, de evolução.
    Certamente em razão da tecnologia não há dúvidas, mas a sociedade, a humanidade continua cometendo os mesmos erros, as mesmas infantilidades e as mesmas canalhices de sempre.
    Apesar de toda tecnologia continuamos nos portando como se estivéssemos no século passado.
    Que adianta ser o maior piloto do mundo, se não passa de um empregado tendo que obedecer ordens que contrariam sua índole ?
    Que adianta se ter muito mais do precisaríamos para viver e mesmo assim passarmos a maior parte do tempo descontentes e insatisfeitos.?

  28. Bjornn disse:

    Pô, concordo que foi um anti-clímax e que deixou as pessoas “assim, assim”. Mas haveria menos climão se as pessoas tentassem compreender mais a situação:
    – A Mercedes em 2018 não teve o domínio dos outros anos
    – Por boa parte do campeonato ela tomou sufoco da Ferrari
    – Muitas pessoas diziam que a Ferrari tinha o melhor carro do grid
    – Vettel liderou quase a metade (ou um pouco mais)
    – Nessa corrida a Mercedes vacilou de devolveu o Hamilton atrás do Vettel. Olha a brecha…

    Penso que essa troca, sem destroca, foi o “gol pra matar o jogo”. Aquele sprint pra tentar o nocaute antes de terminar o Round, para não deixar o adversário descansar e talvez achar um direto que te derrube no próximo Round.

    Penso que taticamente (ou estrategicamente? Nunca sei a diferença) vou uma decisão muito correta.

    Sobre o “precisar”, olhando agora parece que não precisava. Mas vai que…
    E sobre “confiar no taco”, acho que vc está certo. A Mercedes deve estar menos confiante no taco mesmo. Como falei a Ferrari já teve o melhor carro e a Mercedes conseguiu acompanhar com muito custo. E se os italianos acham um outro pulo do gato?

    Bora aguardar o Japão no próximo fim de semana.
    Abraço.

    • Elcio disse:

      Entendo, mas ele estaria 43 pontos a rente faltando 5 corridas!!não tem como virar, precisaria de dois abandonos do Hamilton!!!!

    • murilo medeiros disse:

      A merda é saber que as duas grandes do momento (e prováveis grande em 2019) seguirão com o tratamento de primeiro e segundo pilotos. Assim fica chato demais. Em 2019 a história se repetirá (coitado do Leclerc)… e em 2020 também. Uma merda.

    • Fernando disse:

      É isso mesmo, o Flavio acertou. A Mercedes perdeu um pouco da confiança porque a Ferrari esteve bem em boa parte do campeonato, chegou a ter o melhor carro em alguns circuitos, concordo que rolou o “Mas vai que…”, e na dúvida o cara preferiu ser malvadão. Enfim, também esta me incomodando menos hoje do que domingo, tem pelo menos um pouco do lógica a coisa toda.

    • MARCELO disse:

      Verdade, precisam ganhar, e pra isso, com certeza foi uma tática acertada (tática = curto prazo, várias somadas para atingir a estratégia = longo prazo). Mas mostra que não é só no Brasil que as pessoas já deixaram o certo de lado faz tempo… o negócio é ganhar, individualmente, pouco se importando com os outros, e se o que fez é certo ou não. Se foi marcado pênalti, ótimo, mesmo que não tenha ocorrido. Se der pra simular um e obter sua marcação, ótimo, porque o que vale é ganhar o jogo. Se der pra atrapalhar o adversário de propósito, ótimo. São tudo táticas dos esportes, e no fim das contas, acabamos aceitando que os “fins justificam os meios”… Salientando que meses atrás um jogador de futebol sinalizou que não havia ocorrido o pênalti marcado pelo juiz, e aí foi “destratado” por torcedores, por “perder honestamente” (sim, seu time perdeu o jo´go). Assim caminha a humanidade. Mas continuemos tendo esperança de um mundo e um país melhor!!!

  29. Paulo Pinto disse:

    Hamilton, do alto dos seus quatro títulos, poderia ter pedido que se invertesse novamente as posições ou sinalizar para o Bottas assumir o primeiro lugar.
    Sua obediência (ou descaso) o faz cúmplice da safadeza perpetrada.

Deixe uma resposta para RILEUDO Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>