MENU

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 - 11:11F-1

BUDAS & PESTES (4)

SÃO PAULO (também…) – A gente acabou esquecendo de comentar ontem a confirmação de que Kovalainen fica na McLaren em 2009. É um bom companheiro, por assim dizer… Não é rápido o bastante para atrapalhar Hamilton (que gosta de ser primeiro piloto; quem não gosta?), nem lento demais para que a equipe o considere um peso morto.

O que reabre a velha discussão: é melhor ter dois pilotos de ponta numa equipe, como a McLaren arriscou no ano passado (meio sem saber que Hamilton viraria top tão rápido) e a Ferrari com a dupla Massa-Raikkonen, ou investir tudo num só, como acontece com a McLaren agora? O que é melhor? Ter uma dupla desigual, como foram Senna-Berger, Prost-Hill, Schumacher-Barrichello, ou equilibrada e potencialmente explosiva, como Senna-Prost, Mansell-Piquet? Se você fosse dono de equipe, o que faria?

59 comentários

  1. Igor disse:

    Bem, mas eu citei partindo da hipótese que a minha equipe tivesse o melhor carro do grid todo(no momento atual, a McLaren é a melhor equipe). Quem tem o melhor carro, tem o piloto que quiser, na hora que quiser.

    Trulli realmente seria uma grande opção, e realmente, uma das mágoas da carreira do Trulli é nunca ter tido um carro forte realmente para disputar o título, por sempre acontecer algo, ele ficou na Prost até 1999, lá, esquece chances de título, só um pódio uma vez ou outra e olhe lá. E naquela época, Trulli era um piloto muito arrojado e irregular, me lembro de uma vez, que ele destruiu o fim de semana do Barrichello no Canadá, que até então, é uma pista onde o Rubens costumava se dar bem lá(e ainda se dá, pena que não conseguiu vencer lá com a Ferrari). Conseguiu seu primeiro pódio naquele atípico Gp de Nurburgring, vencido por Johnny Herbert.

    Depois, foi para a Jordan, que até então, em 99, tinha chegado à disputar o título da temporada com Heinz-Harald Frentzen, que tinha conseguido duas vitórias, em Magny Cours e em Monza. Só que a Jordan já não era tão boa, quebrava muito, e Trulli apenas tinha que se contentar com um pontinho ali, outro acolá.

    Depois, foi para a Renault, que retornava para a categoria como equipe depois de um longo período após o fim da primeira Renault, ficou lá no primeiro ano, o carro do primeiro ano não era bom, foi mais uma temporada difícil. Em 2003 conseguiu seu primeiro pódio na equipe Renault, e em 2004, estava fazendo uma temporada excelente, venceu sua primeira corrida na carreira, e logo em Mônaco, mas, devido à brigas com Flávio Briatore, acabou demitido e sendo substituído por Jacques Villeneuve.

    Na Toyota, fez uma primeira temporada excelente no início, mas caiu de rendimento no final. Nas duas seguintes, não teve um carro para lutar por grandes posições. Nesta, a Toyota parece que deu uma melhorada, e conseguiu dar um pódio à Trulli, e acredito que conseguirá mais um ou dois pódios ainda nesta temporada, com Trulli ou com Glock.

  2. Cláudio F-1 disse:

    Sendo realista, o melhor é ter um piloto top, de preferência o melhor do grid naquele momento, e um segundo piloto de nível intermediário e com uma real consciência do seu papel no time, sendo que a equipe e o primeiro piloto também precisam saber reconhecer o valor e a importância do segundo piloto e não destratá-lo em público ( como a Ferrari e o queixudo faziam com o Barrica). Seguindo esta cartilha, é provável que tenhamos um time extremamente competitivo, com ambos os pilotos satisfeitos e motivados, sem nenhuma disputa interna que enfraqueça o grupo e crie oportunidades para os rivais ( como aconteceu com a McLaren em 2007).

  3. heitor disse:

    Eu teria duas equipes dentro de uma, com dois pilotos disputando o título e com muito mais chances de ser a equipe vencedora do título de construtores, seria mais caro, mas com certeza compensaria. Seria fantástico à nível de equipe e com certeza para os patrocinadores também.

  4. Juarez disse:

    Eu teria uma dupla desigual e ficaria tranquilo.

    Na verdade minha dupla seria:
    1) Alonso
    2) Heidfeld

  5. Mirax disse:

    Tem até uma lógica no que disse o Igor. Também iria por essa trilha. Uma outra opção além de Hiedfeld, Fisichella e Barrichello, seria o Trulli, ou até mesmo o Webber.

    A Gente sabe que Ron Dennis e Hamilton, e consequentemente a McLaren tem laços muito fortes com o Hamilton. Nesse caso, ele teria poucas chances de sair da McLaren.

    Sendo assim, os 3 “aposentáveis” teriam pelo menos a chance de terminar a carreira numa equipe de ponta, podendo até ganhar algumas corridas e dar muito trabalho pra pilotos mais jovens.

    O Trulli ou o Barrichelo com um carro bom nas mãos seria muito bom.

  6. Rafael Marin disse:

    Danica Patrick e Marco Andretti!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  7. Souza disse:

    Dos que vc citou o único que era segundão por contrato era o barrichello. os outros foram por inferioridade técnica mesmo

  8. Igor disse:

    Eu preferiria um piloto pé na bota, e outro experiente, mas controlado e regular, ou seja, minha equipe teria como piloto, provávelmente, Lewis Hamilton, e como segundo piloto, a melhor opção seria Rubens Barrichello. Isso se fosse uma equipe grande né. Caso a contratação de Rubens Barrichello não fosse possível, há outras opções no mercado, como Heidfeld, o própio Kovalainen, e até mesmo Fisichella, como quarta opção, em um carro grande pode desempenhar um papel legal de escudeiro.

    Mas, não iria proibir Rubinho de ser campeão, se ele começasse a andar na frente de Lewis, ficar na frente de Lewis no campeonato, lembrem-se, Rubens é um piloto muito regular, já Lewis, faz suas barbeiragens e perde pontos sérios.

    Só que Lewis não iria se incomodar com Rubens campeão, pois saberia que caso Rubens fosse campeão, ele se aposentaria no fim do ano, por cima, com o título na mão. Daí, eu contrataria outro segundo-piloto experiente, primeiramente, tentaria a contratação de Nick Heidfeld para o cargo.

    Se por ventura Lewis algum dia quisesse ir embora, ou porque achasse que em outra equipe teria um carro melhor, ou uma saída à-lá Villeneuve, que deixou a Williams, para ir pro projeto BAR, por causa de dinheiro, eu contrataria outro piloto rápido e novo para o lugar de Lewis, esse piloto rápido e novo, poderia ser Nelson Ângelo Piquet, ou Robert Kubica.

  9. Luiz Eduardo disse:

    1° e 2° com certeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *