MENU

domingo, 19 de outubro de 2008 - 12:35#69

MEU CORCEL AMARELO (2)

LONDRINA (fotografou?) - Fim de papo em mais um GP londrinense da Superclassic. E foi bem bacana. Domingo de sol, sem muito calor, feira de venda de usados na entrada do autódromo (vi uma Belina vermelha que… aaahhhhhh!), cheguei meio em cima da hora porque passei o início da manhã escrevendo sobre essa corrida de araque da China, mas deu tudo certo.

Como contei ontem, o grid era invertido. Larguei em 17º de 20 carros, apenas com o Nenê (Topolino), o Fábio (Passat) e o Gulla (Puma) atrás de mim. Estou super-acostumado a largar atrás, então não me preocupei demais.

Era largada lançada, um negócio bem divertido. Quando apontamos na reta, dois a dois (bem mais disciplinados que os caras da Estoque!), as luzes vermelhas estavam acesas. Apagaram, fechei os olhos e acelerei o Corcel Pac-Man, aquele que vem comendo todo mundo.

E vem mesmo. Não sei bem em que posição passei na primeira volta, mas, para minha surpresa, acho que larguei bem, porque ficaram poucos carros na minha frente. Me encaixei atrás do Passat do Rogério, que também tinha feito ótima largada, e foi duro passar por ele, o cara não erra um centímetro em curva alguma.

Mas o motorzão do Pac-Man ajuda nesas horas. Depois de umas três ou quatro voltas estudando a conjuntura para não fazer merda, acabei consumando uma ultrapassagem muito criativa… Na reta dos boxes, mesmo, enfiando o pé no acelerador e indo frear lá onde dá um pouco de saudade de casa. De outro jeito não passava.

E quem veio atrás, na balada? O Braz, claro, meu adversário de DKW dos velhos tempos, com seu Passat bege #21. E fomos assim, um atrás do outro, eu sem saber direito em que posição estava, porque sempre aparecia um carro para ultrapassar, e eu não sabia se era gente que tinha largado lá na frente, por causa do grid invertido, ou se estava dando volta nos caras porque o Pac-Man é rápido pacas.

Meu manager Salomão, encarapitado numa colina, de óculos escuros e baleado por uma noite que deve ter sido bem longa, não me dava muitas informações. Fazia apenas um gesto que podia ser “vai, acelera”, como “vai, breca”, cada vez que eu passava. E, de qualquer forma, eu não enxergava direito porque meu banco era daqueles com proteção lateral.

E assim eu e o Braz fomos “fondo”, como se diz, até que de repente aparece no espelho o Puma vermelho do Gulla.

Achei esquisito, porque na minha cabeça de avestruz o Gulla era para estar na minha frente, e não me incomodei muito. Achei que tinha parado nos boxes e voltado, sei lá. Só fui descobrir depois da corrida que a gente estava disputando posição, porque ele tinha largado atrás de mim e ficou muito tempo no tráfego.

O Gulla me passou e não ofereci grande resistência, porque meu negócio era com o Braz. Aí, viemos os dois na balada do Puma vermelho, um carro bem rápido, que em Interlagos anda sempre entre os cinco primeiros. Ôpa, pensei, vai dar para brincar legal aqui. Achei que seria uma boa idéia tentar passá-lo e deixá-lo entre o Pac-Man e o Passat. Sou um grande estrategista. Aí fui atrás, e era um perereco, porque minhas almofadinhas escorregaram e eu já não enxergava a frente do carro. Não sabia onde começava o Pac-Man, se é que vocês me entendem. E quando chegava muito perto, parecia que o Pac-Man ia engolir o Gulla.

(Esqueci de dizer que a posição de dirigir estava bem melhor hoje, porque levei o travesseiro do hotel para colocar nas costas. Ficou bom, e já devolvi o travesseiro.)

Bom, lá pelas tantas, aparece o Puma preto do Carlão fumando, acho que ia quebrar. E quebrou mesmo. Só que, antes, ele deixou o carro no meio da reta dos boxes e deu sinal para o Gulla ir pela esquerda. Naquele momento, vi o Zonta em Spa, lembram? O Gulla era o Schumacher, de vermelho, e eu era o Hakkinen, de Pac-Man. Fui pela direita e passei os dois. E trouxe o Braz junto. Tem um vídeo disso; se me mandarem, coloco aqui.

E com o Hakkinen reencarnado no Pac-Man, fui embora, feliz porque achava que tinha apenas me divertido um pouco — para mim o Gulla estava fora da disputa, já. No fim, na última volta, pintou uma bandeira amarela na última curva, eu tirei o pé, mas acho que o Braz não viu e veio por dentro para passar. Para não depender de decisão da torre, nem dos comissários esportivos de Xangai, achei por bem resolver a parada ali mesmo. Enfiei segunda no Pac-Man, a frente levantou, tocou no paralama direito do Passat, quebrou minha lanterna, mas fiz a curva seguinte por dentro, meio na grama, e recebi a bandeirada 0s275 na frente dele. Achei legal.

Como sou uma zebra ambulante, não sabia em que lugar tinha terminado a prova. Quando estacionei no Parque Fechado é que me falaram. Fui terceiro na geral, atrás só do Nenê, que disparou lá na frente depois de largar em último, e do Gildo (Zé do Caixão), que largara em segundo no grid (ontem ele tinha quebrado). Terceiro na geral, e na soma dos pontos das duas corridas, terceiro também na Divisão 3, que não é minha praia, mas foi onde deu para correr neste fim de semana. Com um Corcel II que apelidei de Pac-Man, e que tem motor AP. Motor que, a pedidos dos meus mecânicos, não deve mais ser acompanhado da inequívoca expressão “argh”.

OK, é um motor legalzinho. Não tenho nada contra motor AP. Sou é contra seu uso em carros que em sua origem nunca foram empurrados por eles, como Puma, Corcel, Zé do Caixão, Karmann-Ghia, Chevette, Dodginho. Entendo a questão do custo/benefício, mas não gosto. Por isso meu Lada terá motor de Lada para toda a vida, assim como o #96 será DKW sempre. Não nego que foi bem legal andar com um carro forte e rápido, só que continuei morrendo de dó do #69 zoiudo, lá dentro dos boxes, vendo todo mundo se divertir sem poder fazer nada.

E foi isso.

74 comentários

  1. vinicius disse:

    FLAVIO GOMES

    FAVOR ME AJUDE,

    TENHO O PROJETO DE RESTAURAÇÃO DE UM CORCEL 2 QUE ESTA COM UM BOM MOTOR POR SINAL RENAULT 1.6 ALCOOL, CONTUDO NÃO É UM AP, SENDO ASSIM ESTOU PRESTES A CONSEGUIR UM E PERCEBÍ QUE VCS DA EQUIPE MONTARAM UM PROJETO BEM SUCEDIDO, POIS O CORCEL SE DEU BEM NA PROVA, MOSTRANDO A COPETENCIA DA EQUIPE, CONTUDO SEGUE AS DUVIDAS,
    1COMO FAÇO PARA MONTAR O MOTOR NO CASO AP 2.0 (SANTANA), INJETADO 4 BICOS?
    2 É NECESSÁRIO ADAPTACÕES NA CAIXA DE MOTOR E CAMBIO?
    3 SERÁ NECESSÁRIO SOLDAS (ADAPTAÇÕES NOS SUPORTES) DO MOTOR, OU A SIMPLES COXINIZAÇÃO DO MOTOR DA CONTA DO RECADO?
    4 O CAMBIO DO SANTANA SERVE COM FACILIDADE OU TEREI QUE REALIZAR CORTES NO ASSOALHO?

    OBSERVAÇÃO QUE NAO SE TRATA DE UM PROJETO COMO O DE VOCES (CORRIDA), MAS SIM UM CORCEL RELATIVAMENTE NERVOSO, PARA O DIA DIA.

    GRATO PELAS ORIENTAÇÕES

    VINICIUS

  2. Mihail disse:

    Vi que tem um comentario enorme de um tal de mihail.
    Colocaram um comentario criticando a equipe com meu nome ou existe outro mihail por essas bandas???

  3. Heraldo disse:

    Concordo com os comentários anteriores que colocam a equipe como provável culpada pelos problemas ocorridos em Londrina. Um fator que talvez tenha contribuído para o superaquecimento é a possibilidade de ter ocorrido um air lock, devido à modificação no radiador original.

    Na configuração original (radiador com tampa), ao encher o sistema o ar é expelido através da própria tampa. No teu carro removeram a tampa e conectaram a saída para o aquecedor ao tanque de expansão. O problema é que esta saída fica em uma posição inferior à mangueira de alimentação do radiador, impedindo que parte do ar que estava antes do enchimento seja expulso, ficando preso na parte superior do radiador (ou na mangueira de alimentação). Uma forma de remover o ar seria a adaptação de um sangrador nessa região.

    Ao encher o sistema (na versão modificada) o fluído escorre pelo retorno do tanque, preenchendo, primeiramente, as partes inferiores da camisa d’água e do radiador. O fluído atinge o topo da camisa (cabeçote) antes de atingir o topo do radiador. O ar presente no topo do radiador só teria uma opção para ser liberado, passar através da camisa d’água para o tanque de expansão. Mas a camisa já está cheia e em posição inferior, soma-se a isso o fato de que a saída para o tanque fica em posição inferior ao topo da camisa (essa saída foi projetada para alimentar um aquecedor de cabine). Então o ar acaba retido na parte superior do radiador, prejudicando o bombeamento e contribuindo (talvez causando) para o superaquecimento.

    De nada adiantaria um radiador maior se esse problema não fosse descartado. É preferível começar com a configuração original (Lada) e aperfeiçoar se necessário.

  4. dado andrade disse:

    FG.Nao seja teimoso!!!! Corre atras do ANESIO que ele fara teu Lada ser campeao.Nao existe hoje nada que justifique JUNTA queimada,porra,hoje nem junta mais se usa.Sua equipe jah provou ser de um amadorismo MONSTRO.Boa vontade nao ganha corrida.Me desculpe,mas eh para o seu bem e da blogaiada que esta torcendo pelo #69.

  5. Amilton disse:

    retrovisor do 69 é de lada moderno…

  6. Sydney M. Savi disse:

    Parabéns pela corrida…. legal ver um Corcel andar bem na pista… a propósito, daqui mais alguns anos (acho que lá por 2020), daria para correr com DelRey original com motor AP 1800, ou se preferir pode correr de BELINA AP 1.8…. (fabricados em 90 e 91).. lembra da AUTOLATINA ??? Abraço, felicidades com o Lada…. até estou achando o Laika mais bonitinho agora….

  7. Jorge Miranda disse:

    FG,
    Parabens pela sua prova, de curiosidade…qual o custo aproximado do aluguel do Pac Man para um prova ???

    abraços,

  8. Rodrigo Moraes disse:

    A galera da antiga SuperClassic não tem como fazer uma vaquinha e comprar um painel eletrônico que mostre a posição dos carros e o tempo de volta? Por Deus, isso tem até em kartódromo indoor, será que não pode ter no autódromo? Se você fica perdido com a posição em que está na corrida, imagina a galera na arquibancada… Depois reclamam que não tem público…

    Abraços e que o #69 reviva logo!

  9. Stephan disse:

    Eu ja comentei num otro blog sobre o que fazer com o 69:
    POE MOTOR ALFA NELE FLAVINHO!!!
    O meu nao quebra ha 8 anos ja!!! e que fui: bi-campeao (vou pelo tri este ano), e 3 veces vice…
    Come on, Lada, Fiat, Alfa,,, tenho vergonha de dizer que indiretamente seria o mesmo pedigree mas pelo menos peças e acertos deve ser facil installar um 2 litros nele tranquilo…\
    Mas eu li o que o Mihail e Carlos comentaram e estou de acordo com eles tambem pois nao ha razao do porque nao fazer o trabalho certo e come se deve para correr com o 69, and nao ser que fizeram um sessenta e nove contigo :-))

  10. Carlos disse:

    Fávio, se me permite, o tal do Mihail disse tudo.
    Não ha uma única razão plausível para considerar o motor de seu lada, (se bem preparado), menos performante e/ou confiável que qualquer vw-ap. Trata-se apenas de competência técnica, tanto nas escolhas quanto na execução das modificações.
    Temos um ótimo automobilismo doméstico mas, apoiado em um frequentemente fraco, reacionário e diletante corpo técnico.
    Resumindo, se queimou junta e atropelou válvulas…tem cagada !!!

  11. Carlos disse:

    Linda cronica, (fiquei com água na boca), parabéns !!!
    Concordo plenamente com o conceito “cada um com seu motor”.
    Contúdo, “perdoaria” Puma, que recebeu sim motor ap em seus ultimos modelos e Dodginho, cuja versão argentina montava o referido propulsor vw.
    Talvez um “protótipo” ford interessante poderia ser o “del rey”, (este sim com ap de fábrica).
    Sucesso.

  12. Jonas disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Engraçadissimo o post…
    Tenta colocar algum vídeo da corrida ae Flávio..
    Abraçoo

  13. CorredorX disse:

    Motor AP fica muito divertido em carros com tração traseira.

  14. Virgo disse:

    Como você é cabeçudo, Patrão! Os Lada já são ruins de rua, que se dirá de pista, e você insiste… No caso, esse acidente com o MEIANOV (gostei do nome que o lucianocop deu) não foi fortuito, está mais para prenúncio do porvir…
    Assim, carro americano + pista = diversão (A Ford é americana)
    carro europeu + pista = + diversão (a VW do AP é europeia)
    carro comuna + pista = dor de cabeça (O Veloz se schiatando de rir)

  15. Baroni disse:

    Impagável sua narração sobre a corrida com o Corcel pac-man! Parabéns para os dois.

    Mas quem disse que o Corcel não usou motor AP na sua grande existencia sobre o nobre Planeta? E o Del Rey da Autolatrina, ops!, quero dizer Autolatina?

  16. Fábio Dalri disse:

    Parabéns Flávio e melhor sorte para o #69 em Interlagos!

  17. Gustavo disse:

    Muito interessante o segundo relato, e um desempenho ainda mais brilhante do que a primeira corrida, deve ser grande a diversão em dividir a pista com outros carros, nesse sentido, tenho apenas alguma (pouca, mas ganhei a única corrida que participei) experiência de karts , mas com carros “de verdade” deve ser ainda mais emocionante….aquele enorme capô da barca corcel inclinando ao sabor das curvas, o motor Ap fuçado forçando a tração para fora da tangência…etc, muito legal mesmo, mas com certeza o Lada e sua tração traseira se não farão tanto em termos de reta, ao menos em curvas a tendência é engolir os “dianteiros” menos afinados, e com nível de prazer ao volante bem maior.

  18. Aurélio Neto disse:

    É pena o #69 ter “sentido a perna” no aquecimento..
    Mas temos certeza que na próxima ele estará tinindo!
    Pelo jeito, Londrina foi diversão pura e parabéns pela corrida e pelo resultado!

  19. Marilia Compagnoni disse:

    vai soar repetido, mas é a pura verdade, e concordo com os posts acima:
    1, um segundo livro: relatos de dentro das pistas
    2. essa corrida foi MUITO melhor que a da China, a qual até o vt me deu sono, pena q a estréia do #98 não foi transmitida
    3. almofadas, travesseiro do hotel = muitas risadas

    vai ter etapa em ctba???

  20. Guy Barroso disse:

    Como vc pode falar mal do AP, ele é uma herança das quatro argolas dentro da VW!!!!!!!!!!!!!

  21. ROGERIO BORGES disse:

    MAS O RETROVISOR DO #69 É DO GOL AP NÉ?

    RESPOSTA DO FG:

    Não.

  22. VaaaaLNeeeeY disse:

    Invejas mortais de quem tem a oportunidade de ver esses monstros sagrados (entanda como monstros os carros, não os pilotos), correndo!

    Aaahhh se eu pudesse!

  23. Tuta disse:

    Belo cronismo, Micaelito.
    Tu é dos poucos que subvertem a técnica do Vinícius de falar no tom presente – olha que coisa mais linda, mais cheia de graça, é ela menina, que vem e que passa – para dar emoção, fazer o coração ficar em suspensão, pois tu vai no preteritão mesmo e funciona. Não sei como, mas parebéns, brother.

  24. Mihail disse:

    Sinceramente, não correste de Lada porque tu (ou tua equipe) não quiseste. A primeira impressão é que a equipe errou. A modificação inicial no sistema de refrigeração era desnecessária. Duvido que o responsável tenha argumentos de engenharia para justificar. Alguns números ou gráficos, por exemplo.

    Não havia necessidade de um tanque de expansão “quente”. A mangueira que vai do cabeçote ao tanque parece ser comum, sem restrição. Não é porque se aumentou a potência de um motor que será necessário um radiador maior. A potência pode subir aumentando-se a eficiência do motor. Ou seja, convertendo uma maior quantidade de energia em trabalho, ao invés de perdê-la para a atmosfera. Correr sem termostato também não traz vantagens. Quase tudo que era necessário fazer estava na internet. Na ficha de homologação do VFTS, há dados como levantamento de válvulas, diâmetro de dutos e etc. Bastava copiar. Nem o rollbar/rollcage foi copiado, pois no seu existem tubos que são inexistentes no do VFTS. Em site de equipe de rally da Hungria pode-se obter a duração do comando de válvulas.

    Pode ser também, que esteja havendo formação de bolhas de vapor nas zonas com alto fluxo de calor (próximo às válvulas de escape), gerando bolsas de vapor que prejudicam o arrefecimento. Mas aí, o problema é de quem preparou o motor, que provavelmente não deve ter acertado no ponto de ignição ou na taxa de compressão. Aumentar a pressão do líquido para controlar a formação de vapor seria corrigir um sintoma e não o problema em si.

    Teus mecânicos parecem se apoiar em uma muleta psicológica, a de que motor de Lada não é páreo para AP. Assim fica fácil caso eles fracassem. Como nunca viram um Lada correndo, jogariam a culpa na Lada como muitos. Mas motor AP é tão velho e eficiente quanto o 2106.

    Muitos dos que visitam este blog são entusiastas da marca e conhecem muito bem ela. Alguns são engenheiros ou estudantes. A história de que o carro é dos anos 70 e que começou em Adis Abeba é meio estranha. Pois o carro tem toda a lata de 2105, maçanetas, pára-lamas, furos de fixação dos pára-choques e etc. E como o 2105 surgiu na década de 80…

    Boa sorte, e espero que tu não censures. Ou será que sacanear lada pode, mas criticar tua equipe é heresia? Apenas quero ver o Lada correndo forte, mas perdi a confiança na equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>