AF 447

SÃO PAULO – Este blogueiro gosta de aviação. E fica muito mal quando acontecem acidentes como o da madrugada de hoje, ou noite de ontem, ainda não se sabe. Estou acompanhando o noticiário desde as primeiras horas da manhã, como todo mundo, acho. O desaparecimento do Airbus da Air France é raríssimo. Normalmente, os acidentes acontecem em pousos e decolagens. Um Airbus sumir no ar, como o AF 447, não é normal.

Não sou especialista em quase nada, muito menos em aviões. Pane elétrica, raio, colapso da estrutora (pouco provável, porque era uma aeronave nova), as teorias surgem a todo instante.

Vai ser difícil saber o que aconteceu, como vai ser muito difícil encontrar os destroços do avião. É importante descobrir, claro. A história da aviação é essa: aprender com as catástrofes, para evitar que elas se repitam.

Este acidente, ao contrário dos recentes que aconteceram no Brasil, tende a causar menos comoção pela ausência de referências visuais. O Airbus sumiu sobre o Atlântico, provavelmente caiu no mar, é bem provável que os corpos nunca sejam encontrados. Mas é uma tragédia enorme, como qualquer acidente aéreo. Duro para todos, inclusive para a companhia, que já sofrera um golpe tremendo com a queda de um Concorde em Charles De Gaulle em 2000.

Nessas horas, para quem acompanha tudo a distância, só resta fazer silêncio e, cada um do seu jeito, pensar nas vítimas, seus parentes e amigos.

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ingid Léticia
Ingid Léticia
13 anos atrás

Olha achei super interessante o Flávio ter falado sobre esse assunto ! ,
Mas tipo achei muito triste esse acidente , eu sou uma pessoa muito sentimental & emocional com as coisas e pessoas , cara ninguém tem noção o quanto eu fiquei abalada quando eu soube , como se um parente , amigo , ou qualquer pessoa que eu conheço estava ali naquele avião , eu fiquei abismada também pelo fato dele ter sumido no ar , assim do nada e acabaram descubrindo que tinha acontecido mais um acidente aereo . Eu fico muito surpreendida com essas coisas , não é a primeira vez que tem acidentes assim , mais esse esta me deixando triste mais a cada corpo que acham eu sinto uma esperança , eu sinto uma felicidade . Como o Flávio eu venho sempre assistindo todos os jornais possiveis ( como de costume ) pra ficar focalizada nesse assunto super chocante ! Dizem que vão ate pagar indenização , mais indenização não vai trazer de voltas vidas que foram tomadas , por uma contradição do ser humano !

Meus pesames , aos familiares que concerteza estão sofrendo muito !

Marcos
Marcos
13 anos atrás

A minha experiencia com aviacao eh muito pequena para eu poder falar ou para podermos comentar algo muito profundo sobre o que aconteceu. COm acidente, nao podemos falar ainda nada. nem que morreram todos os ocupantes do voo AF 447 da companhia Air France
Vamos viajar um pouco?

la vai…

[1] acredito numa forca mutio grande que pode ter levado o aviao para alguma outra dimensao, ou seres de outro sistema solar levou o Jato para um outro lugar, aproveitou o tempo ruim para se aproveitar para nao deixar vestigios[:)]

[2] acredito que alguns possam estar vivos em algum lugar do planeta terra.

[3] acredito que podem ter sequestrado o aviao e no momento, podem ter retirado os radares ou desativado na chave principal como se fosse tirar fusiveis de nossos veiculos, fica inabilitado. e sem radar o aviao pode ter voado baixo. sem os radares ninguem veria o aviao.

talvez, ninguem sabe [1] [2] [3] teoria? sei la!!!!! daqui a alguns dias vamos descubrir.

Marcela
13 anos atrás

Saudações a todos.

Olha gente, depois do 11 de setembro, atentado ao WTC, não me surpreenderia se o que aconteceu foi um sequestro da aeronave… Vai saber…

Os terroristas pensam 24h por dia em terrorismo!!

Quer terror maior do que esses?

Meus sentimentos aos familiares das vítimas.

Nuno Kopio
Nuno Kopio
13 anos atrás

Não sou dono da verdade absoluta, apenas só possuo carteira profissional de manutenção da EASA e FAA para todos os modelos Airbus, A300, A310, A318/319/320/321, A330/340 e Boeing 737 só isso, penso que possuo alguma experiência na matéria para poder opinar e refutar outras “teses”.

Coneço estes aviões como a palma da minha mão sei o que são capazes e o que não são, pode-se ter perdido algumas coisas nas diferenças de português, mas só tentei corrigir o que considerei errado.

Se lhe pareço arrogante peço desculpa, mas com o leio por aqui, por vezes algumas pessoas parecem tambem donas da verdade absoluta e peritos na máteria, só tentei esclarecer alguns pontos aqui mal explicados, visto a minha experiência na área.

rubem rodriguez gonzalez
rubem rodriguez gonzalez
13 anos atrás

Caro amigo Nuno, não sou nada sou apenas um aficcionado por aviação, não “torço” por países ou fabricantes isso para mim é primitivo demais, a designação técnica, nome ou simbolismo criado não muda absolutamente nada, o que manda é a alma do projeto.
Donos absolutos da verdade iguais a você existiam aos milhares na idade média mandando cientistas e estudiosos para a fogueira. O que sempre levou a humanidade um passo a frente não foi se sentar em cima do que já existia ou o que já fora descoberto, é exatamente o questionamento e a curiosidade.

Então fica difícil dialogar com alguém tão arrogante e cheio de si como você, ainda bem que as cavernas foram governadas por pessoas diferentes de você, pois se pensassem igual a você ainda estariamos entregues aos especialistas em achar tocas, espantar bichos e dominar a tecnologia de como acender uma fogueira……aonde já se viu alguém sem PHD em tocas e buracos se meter em assunto que não é da sua competência e ainda mais sem nenhum diploma da UTC ( universidade de tocas e cavernas) e na sua tese a TEORIA DA RELATIVIDADE deveria ser ignorada, pois afinal de contas foi feita por um reles funcionário subalterno do escritório de registros de patentes de Vienna, para sorte nossa o professor que recebeu sua teoria tinha uma cabeça mais aberta do que a sua…..analisou a teoria e não o curriculum de Einstein.

Não caro Nuno, não sou engenheiro aeronáutico ou sequer técnico da área muito menos possuo qualquer “titulos e provas” em aeronautica. Sou tecnico da área de petróleo com especialização em motores diesel e com vasta experiência em PLC’s ( controladores lógicos programáveis) e posso tranquilamente descrever como funcionam e todas as suas variáveis e possibilidades, que é a matriz de todo o sistema de ponta automatizado existente, quer seja um avião, um foguete, um míssil ou um singelo tanque de óleo inservível com era o da plataforma P-36……DEU NO QUE DEU.

Nuno Kopio
Nuno Kopio
13 anos atrás

Caro rubem rodriguez gonzalez, gostaria só de esclarecer algumas coisas e olocar umas questões.

Onde encontrou essa descrição do FMS??? Porque nos meus conhecimentos o FMS, serve somente para fazer navegação do avão e permitir ao piloto alterar parametros da navegação, o que controla as manobras bruscas e fora de parametros é o Flight envelope protection, nada mais que um sistema consciente dos limites do avião e não permite manobras que coloquem o avião em risco de stall, desintegração ou queda, fazendo o avião retornar á um vôo nivelado atráves de piloto automatico ou override de comandos do piloto, o avião nunca toma o controlo automatico do vôo a não ser que o piloto automatico esteja ligado.

A Boeing passou a utilizar o FMS e o FEP nos seus aviões a partir do 767 e nos modelos 737 a partir da adopção desses sitema no 767, apesar do sistema ser diferente e ser possivel ultrapassar esses limites, mas torna tal muito mais dificil.

No caso da AIrbus o piloto pode fazer o override ao FEP mas sempre dentro dos limites do que o avião permite.

Gostaria de saber a sua experiência na aviação ou quer em Airbus e Boeing.

Acerca da teoria do “raio centenário?” é bem possivel ainda existe muito por descobrir neste nosso mundo e tantas tragédias deveram-se a fenómenos nunca antes presenciados.

E fico-me por aqui, porque já vi que para variar o que é americano é bom e o que é francês é mau, é pena pois o projecto do A320 e respectiva familia e de origem alemã.

Francisco
Francisco
13 anos atrás

Sem dúvida o colega acima acertou…. Nos Boeing, a última palavra é do piloto!! Os Airbus são ótimos aviões mas sua filosofia não me agrada… e acho que se os comandantes da linha internacional preferem os aviões americanos também…

rubem rodriguez gonzalez
rubem rodriguez gonzalez
13 anos atrás

Caro Nuno apesar de achar que é prematuro e fruto de “chutometria” tentar descobrir neste momento o que aconteceu de verdade não concordo contigo no que tange a informática embarcada, o Airbus é o primeiro avião comercial totalmente FBW e existem manobras “não permitidas” em seu programa assim como conflitos entre homem e máquina, e isso não é de todo incomum nos Airbus, Existem dezenas de relatos destes conflitos nessas aeronaves.
Há alguns anos um sequestrador tentou jogar um 737 contra o palácio do planalto, o piloto na tentativa de desarmar o agressor deu um “looping” com a aeronave ( é o único relato que existe de um looping com um 737) afinal o fim estava próximo e valia a tentativa…..
Essa manobra seria impossível em um Airbus pois apesar da “vontade expressa” do piloto o computador pré-programado analisa essa manobra como de risco, assim como qualquer outra manobra radical , mesmo que a mesma seja para uma evasiva desesperada pois o computador “domestica” a ação.
Seria maravilhoso se no mundo real não existissem tantas variáveis que só o ser humano ainda é capaz de analizar.
Para embasar a minha afirmativa colo abaixo um pedaço de texto retirado do original de Gianfranco Beting responsável pelo conceituado site http://www.jetsite.com.br

“Em jatos da Airbus, o computador que governa o FMS – Flight Management System – é desenhado para impedir manobras bruscas ou atitudes anormais. Estas proteção adicional entra em ação automaticamente, toda vez que o computador registra em seus sensores alterações de atitude da aeronave potencialmente perigosas a um vôo normal. Em outras palavras, o computador assume para sí a responsabilidade de devolver à aeronave uma condição de vôo nivelado, “normal,” em casos de manobras bruscas. Em casos assim, o computador, a bordo de jatos da Airbus, tem a última palavra, cancelando gestos ou manobras dos pilotos que ele considere bruscas demais.”

Não afirmo que o software seja o responsável pela queda do avião, absolutamente!!! Mas acho honestamente demasiada a eletronica embarcada nos Airbus, como aeronaves são notáveis, mas é difícil não achar relatos de problemas encontrados por pilotos em acidentes e incidentes ocorridos.

PS. Acho que não é o momento de conjecturar sobre as causas do acidente, agora é normal que cada um tenha um ponto de vista, do mais prosaico ao mais estapafúrdio pois afinal todas essas teses se apoiam simplismente no fato que efetivamente o acidente aconteceu e pronto.
Tenho uma tese preliminar baseada em “vício profissional” afinal com oriundo da área off-shore todas as nossas estimativas são feitas em cima de por exemplo : onda centenária . é a maior onda registrada nos ultimos cem anos para servir de parâmetro para construção naval, alguém já ouviu falar em “raio centenário?” qual é o valor de sua descarga? aonde pode -se afirmar tácitamente que um raio é incapaz de derrubar um avião destes?
Neste ponto concordo contigo, Nuno. Foi algo extremamente rápido, tão rápido que não houve nenhum esboço de reação por parte da tripulação, a mensagem automática quando foi enviada pelo computador a aeronave provavelmente já havia sido desintegrada e é claro que a falta de comunicação é precedida por um aviso de falha, foi essa falha que foi registrada no data record on line na empresa.
Se fosse apenas turbulência por mais severa que fosse haveria tempo de enviar algum comunicado, algum alerta. Foi algo instantâneo e inesperado tal qual um flash. Não sei se foi isso que aconteceu realmente mas acho bem plausível, é apenas com já disse acima uma tese.

Nuno Kopio
Nuno Kopio
13 anos atrás

Só um acrescento, devido ás ultimas noticias da descobertas de destroços em 2 áreas distintas pode-se concluir que o avião desintegrou-se no ar totalmente ou parcialmente.

Flavio isto devia virar blog de avião.

Nuno Kopio
Nuno Kopio
13 anos atrás

Bem já li obras de ficção piores que alguns relatos aqui escritos, não vamos especular e dizer que foi falha de software e isto e aquilo, porque quem programa o software é humano.

Como algumas pessoas aqui presentes podem confirmar com mais ou menos conhecimentos, nunca um programa de software podia ter salvo o avião de gongonhas, pois as aterragens tem que ser feitas em manual e os comandos emitidos pelos pilotos sobrepôem-se sempre aos comandos do computador, execpto se estes comando forem considerados fora do envelope de segurança do avião.

No meio deste cenário todo só encontro um facto estranho, a falta de comunicações ou pedidos de socorro do avião para qualquer outro avião na área, sei que na hora da tragédia existiam pelo menos mais 7 aviões na área, 5 aviões TAP em vôo de e para o Brasil, 1 vôo TAM de Paris e 1 vôo South African de Londres para Cidade do Cabo.

Obrigado Renatov

Kleber Pereira da Silva
Kleber Pereira da Silva
13 anos atrás

Citando:….seus fortíssimos motores RR……

Os motores são GE!!!!!!

Um abraço.

KPS

rubem rodriguez gonzalez
rubem rodriguez gonzalez
13 anos atrás

Flávio, realmente o comandante era o mesmo e vale a pena citar o seu nome, só um adendo. ..
O boeing 707 da Varig não caiu em Orly, ele fez um pouso forçado se não me engano em uma plantação de repolhos após a detecção de fogo a bordo, não deu tempo para chegar ao aeroporto.
A tragédia só não foi maior graças a grande perícia e sangue frio do Comandante Gilberto Araújo da Silva, o responsável pelas mortes foram os materiais empregados na confecção, decoração e acabamento de toda a área interna da aeronave. Naquela época tal e qual a F-1 os construtores se lixavam para a segurança passiva e os materiais empregados internamente nas aeronaves eram mais apropriadas para servir de complemento a bombas de Napalm, dado o seu estupido grau de inflamabilidade.
Quase todos morreram sufocados por essa nuvem tóxica e depois é que efetivamente foram queimados. lembro ainda das fotos da revista Manchete em que ilustrava em fotos preto e branco passageiros totalmente carbonizados sentados ainda ao que sobrara dos seus assentos

RESPOSTA DO FG:

Verdade, conheço o local. Entre a plantação de cebolas e a cabeceira da pista de Orly existe uma autoestrada. Mas o acidente ficou conhecido como o da Varig em Orly. Por isso usei o nome do aeroporto.

Rodrigo Duarte
Rodrigo Duarte
13 anos atrás

É isso mesmo FG, ouvi na rádio sobre esse avião da Varig, era o seu primeiro vôo após 2 anos de inatividade (do comandante). E aí aconteceu o pior, infelizmente. Acidente de avião é sempre um assunto delicado e meio desagradável de falar, porquê normalmente fica aquela procura por culpados, uma busca em saber quem deve pagar a conta, o problema é que as pessoas não percebem que às vezes não há culpados, e nem sempre a conta se paga, afinal estamos falando de vidas.
O pior é que talvés nunca mais encontrem nada, nem destroços nem nada. O mar é muito cruel nessa parte.

Enio Peixoto
Enio Peixoto
13 anos atrás

O acidente da Varig em Orly ocorreu alguns dias antes do GP da Inglaterra de 1973. Entre os mortos, estava um comentarista da Rede Globo que estava indo para cobrir o GP.

Quando acontece um acidente aéreo de grande recuperssão, como esse da Air France, o que mais tem é nego falando besteira. Nos comentários da Folha Online, tem uns caras que perguntam por que não procuram os destroços no Google Earth?

Enio Peixoto
Enio Peixoto
13 anos atrás

Flávio, de acordo com o Jetsite, o comandante do cargueiro da Varig era o mesmo do 707 que caiu em Orly.

Sérgio Hingel
Sérgio Hingel
13 anos atrás

Sempre que acontece uma tragédia,especialmente aérea,as TVs se enchem de “especialistas”na matéria, opinando sobre o que não conhecem. Os “repórteres” só fazem perguntas cretinas às autoridades da Aeronáutica,que pouco tem a falar sobre a tragédia,por não terem elementos suficientes para isso.

Walter Terra Campos - Poa/Rs
Walter Terra Campos - Poa/Rs
13 anos atrás

Faz algum tempo, um cagueiro da Varig, transportando obras de arte (quadros) de Tóquio para California desapareu sobre o Pacífico. Se bem lembro, nunca encontraram nada, nenhum pedaço do avião ou da carga.

A tripulação era experiente.
Se alguem lembrara, comente.
Abraços

RESPOSTA DO FG:

E se não me equivoco, o comandante desse avião era o mesmo que pilotava o Boeing da Varig que caiu em Orly. Ele voltou a voar depois de algum tempo e esse, parece, era seu primeiro voo.

Andre Decourt
13 anos atrás

Flávio, não gosto de vooar em Airbus, acho o avião muito eletrônico para o meu gosto, principalmente o manche fly-by-wire. Prefiro algo que tenha uma comunicação mecânica, mesmo servo assistida, com a aerodinâmica do aparelho, como no caso dos Boeings.

Viajo de Bandeirantes a trabalho, e mesmo aquele mosquito sendo extremamente desconfortável, acho que se pilotado por gente boa, estou seguro. Já no A-320 que pego depois de vooar de Bandeirantes fico cabreiro, ao saber que além do FBW ainda há um computador entre o piloto e o avião. Coisa ótima para Nerds…..

Wagner Valente
Wagner Valente
13 anos atrás

Sei que minha opnião não será compartilhada pela maioria dos leitores deste blog, entretanto tenho a firma impressão que os softwares que controlam os AIRBUS são cheio de “bugs”.

O caso da TAM em Congonhas é um exmplo; o piloto errou, mas um bom software, bem programado teria evitado a tragédia.

Tenho a impressão, que desta vez foi algo parecido, turbulência, raios, piloto tentando uma manobra não usual, e o software reagiu de forma estranha e o avião caiu.

Sentimentos aos parentes e amigos das vítmas.

JP
JP
13 anos atrás

Não dá pra entender o “cerumano”:
Localiza estrelas, terroristas debaixo da terra, galáxias a bilhões de anos-luz daqui. Temos GPS nos nossos carros e não se consegue localizar um avião aqui na terra…

Para desespero das famílias

Renatov
Renatov
13 anos atrás

O relato do Nuno é, tecnicamente, completo.
Abordou com conhecimento e serenidade as hipóteses mais plausíveis.

Joaquim de souza
Joaquim de souza
13 anos atrás

Tem gente daqui a pouco que vai alegar abdução do avião por seres de outras galáxias.

Ninguém tem que achar nada e ninguém tem que cobrar nada em relação a notícias.

A situação tecnicamente é dificílima!

Está no estágio de aparecer notícias idiotas e matérias sobre o assunto na revista Caras!

AI AI AI!!!

Silvio Rodrigues
Silvio Rodrigues
13 anos atrás

A vida realemnte nos prega algumas peças. Minha esposa chegou no galeão, domingo às 7 da noite, vindo de João Pessoa. Para quem fica esperando, olhando para o painel, somente na hora em que o voo aparece como “pousado” é que ficamos aliviados. A ironia é que naquele mesmo momento partia o avião da Air France. De coração, desejaria que todas as famílias e amigos destes passageiros do AF tivessem a mesma emoção que eu tive…a do reencontro. Mas Deus quis que fosse assim. Que todos nesse momento esqueçam as teorias conspiratórias, ou apontar eventuais culpados ou motivos. O fato é que 200 famílias perderam seus queridos e ninguém pode medir o tamanho dessa dor.

Venax
Venax
13 anos atrás

Uma triste notícia, e mais uma vez vejo a diferença de tratamento entre os acidentados da queda de um avião e dos que morrem nos acidentes rodoviários. Alguém já viu vice-presidente ir se encontrar com familiares do ônibus que caiuem barranco? Empresa de transporte rodoviário pagar hotel, psicologos e caras indenizações a familiares? Quando cai um avião é tudo diferente e neste caso por ser de uma cia internacional foi muito mais ainda.

Fernando
Fernando
13 anos atrás

1) Orly em 1973 foi causado por carga química nos porões e não por um cigarro. Qualquer piloto antigo da Varig sabe disso
2) O avião tem que ter se desintegrado no ar – pois de outra forma o piloto teria feito mais alguma outra comunicação.
3) Resta saber se a desintegração ocorreu devido a um atentado ou não. Pois fica muito dificil encarar a mesma rota no mesmo tipo de aeronave sem saber ao certo o que se passou. Uma vez que a partir do momento que aviões somem no ar sem nenhuma razão, o medo de voar passa a ter fundamento.

Eric
Eric
13 anos atrás

Triste demais.

E está com cara de bomba….desintegrou o avião inteirinho.

Altamente plausível.

Roberto Martinez
Roberto Martinez
13 anos atrás

Mais de 200 pessoas morrem, tragédia para as famílias, amigos , parentes e todos que se sensibilizam e já aparecem “especialistas” acusando, “falha humana”, “aeronaves frágeis!!! que não aguentam turbulência!!!”,
“reciclagem de lixo” !!! ; “governos não cuidam das florestas” Tenha santa paciência!
Eu não acredito no que leio em alguns comentários!

rubem rodriguez gonzalez
rubem rodriguez gonzalez
13 anos atrás

É bem mais fácil morrer de bala perdida ou eletrocutado por um raio do que morrer de acidente aéreo e é seguramente o meio de transporte mais seguro já desenvolvido pelo homem, mas e daí? nada disso serve de consolo para quem perdeu entes queridos nesta tragédia, só servem para consolo dos que continuam vivos e principalmente dos que precisam usar o avião como meio de transporte.
O mais perverso deste acidente é como disse muito bem o Flávio a peculiaridade do acidente, aviões cairem em vôo de cruzeiro é extremamente raro e me faz lembra da história dos Comet, os primeiros jatos comerciais pressurizados ingleses que sem motivo aparente “desintegravam” no ar, após milhares de horas de testes e ensaios finalmente a De Havilland descobriu que o problema era uma fadiga que se apresentava depois de uma série de ciclos pré determinados e exatamente no mesmo ponto ( a moldura de uma janela ) isso depois de pegar uma fuselagem e imergi-la em um tanque monumental e ensaiar todos os ciclos até a ruptura.
Não digo que esse seja o caso, absolutamente!!!! tudo que for falado neste momento e temerário, mesmo se alguém vir a acertar será por chute, pois efetivamente desde a fadiga, descompressão violenta e até um missil disparado de uma fragata ou um avião pode ser levado em consideração, tudo é possível e só uma coisa é certa: o avião realmente desapareceu e lamentavelmente não há sobreviventes, isso é realmente uma tragédia principalmente para os familiares. desejo a todos serenidade e paz neste momento tão difícil de transpor.

Alfredo Gehre
Alfredo Gehre
13 anos atrás

Caso rarríssimo…
Existem centenas de voos entre os continentes americano e europeu todos os dias…A região do equador é naturalmente problemática quanto ao seu clima e condições meterológicas. Turbulencias são frequentes ! As aeronaves resistem e são projetadas para isso ! Não me lembro de outro voo ter sumido quase no meio do oceano.
Teve um caso de um Boing 747 da TWA que explodiu ainda em procedimento de subida. Motivo foi faísca – fiação velha/gasta em lugar proibitivo – em ambiente de vapor de combustível dentro dos tanques.
Não pode-se descartar atentado…
Mas tenho certeza que irão encontrar pedaços do avião, pois muitas peças vão boiar por algum tempo . Também o local está mais ou menos definido, salvo se o avião tenha seguido em direção desconhecida e por um tempo maior do que se presume e tenha caído em local remoto. Mesmo assim é bem provável que tenha sido no oceano.
O difícil é continuar voando sem se saber os motivos exatos desta tragédia. Espero que consigam chegar a alguma conclusão, mesmo não encontrando a caixa preta que acho ser quase impossível.
Vamos confiar nas autoridades e nas pessoas competentes que certamente de tudo farão para esclarecer mais este caso…

…Só nos resta o silêncio e rezar pelos que se foram…

Alfredo Gehre

Rafaelxic
Rafaelxic
13 anos atrás

É complicado, só nos resta o silêncio, vamos aguardar mais notícias.
Fiquem com Deus

Nuno Kopio
Nuno Kopio
13 anos atrás

Pequeno update de quem diariamente trabalha na manutenção destes aviões, não Air France mas TAP Portugal, o controlo de manutenção em Paris recebeu varias mensagens automaticas do avião a apontar diversas falhas no avião, curto circuito, falha em sistemas vitais e possivel despressurização da aeronave.

Estes aviões são dos mais avançados actualmente no mundo, tem diversos sistemas redundante que lhes permitem continuar a voar pois se um falhar existe outro para o substituir.

Neste caso pode-se dar 2 acontecimentos, o avião atravessava uma zona de grande turbulência e pode ter sido atingido por um relampago, isso só não é suficiente para fazer cair o avião mas pode ter provocado um incêndio a bordo e isso sim é grave num avião aquele altitude especialmente se não existir forma de o apagar.

No caso de falha humana seria uma cadeia de acontecimentos que levaria a esta tragédia, teria que começar pela manutenção, passado por diversos falhas em controlos e finalmente os pilotos, conhecendo a manutenção da Air France como conheço e considerando que tanto a Air France como a Tap Portugal possuem um registo de segurança bastante bom, senão optimo para companhias desta dimensão a falha humana seria uma hipotese bem remota, apesar de aquando da queda no um Airbus A340 em Nova Iorque ter sido culpa do piloto que foi demasiado optimista.

O avião despenhou-se não há sobreviventes(infelizmente) agora é esperar pelas buscas e pela investigação para se desvendar este mistério.

Ao contrario do que o Lionel disse o A330 é uma aeronave bastante resistente capaz de resistir a esforços que destruiam aeronaves mais pequenas, existem centenas de reports de aterragens duras, bird strikes, turbulência e tempestates sem nunca nenhuma aeronave ter ido parar á sucata.

O A330 não teve a sua inauguração em 2005 mas sim em 1992, este avião em causa é que era do ano 2005, um avião relativamente novo e em bom estado de conservação, tendo efectuado uma manitenção á relativamente pouco tempo.

Agora é esperar que as 2 Caixas negras e respectivos gravadores tenham sobrevivido ao despenhamento da aeronave e que estejam a transmitir a sua posição, os proximos dias são criticos pois após 2 dias o sinal deixa de emitir pois a bateria interna acaba.

Como foi aqui escrito não vale a pena teorizar o que foi se foi erro humano, falha na manutenção ou tempestade, e não vale a pena deixar de voar, acidentes acontecem só que quando cai um avião o impacto é muito maior do que quando existe um acidente rodoviário.

Agora é para quem acredita em Deus rezar pelos que se perderam e pelos que cá ficaram para terem força nesta hora dificil.

Renato Passos
Renato Passos
13 anos atrás

Ao Lionel,

Um vôo da Varig da rota Rio-Paris caiu na aproximação do aeroporto de Orly em 1973, matando 121 pessoas.

Gustavo
13 anos atrás

RIP aos passageiros e tripulantes.

JOSÉ CARLOS
JOSÉ CARLOS
13 anos atrás

Estamos tristes por todos que se foram e pelas familias que agora sofrem em busca de notícias .É duro.Irão surgir as histórias de cada um que ali estava.Lí que havia,por exemplo,um casal recém casado em viagem de lua de mel.Uma viagem de sonhos e que acaba em tragédia.

Que Deus ilumine a todos.

Leonardo Felix
Leonardo Felix
13 anos atrás

Realmente uma tragédia misteriosíssima. Torço para que encontrem os destroços, para que pelo menos se possa localizar a caixa preta e tirar algum dado importante, que evite novas tragédias com aviões do mesmo modelo, caso tenha sido uma falha do equipamento.

Mário Gasparotto
Mário Gasparotto
13 anos atrás

O mais triste neste caso é que, provavelmente, não encontrarão a caixa preta. Se encontrarem algumas partes da fuselagem já será um milagre.

Marcos Reis
13 anos atrás

Triste episódio…

Eu conheço um dos passageiros…
Aliás.. Todos da minha área aqui em Brasília o conhecem…

http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=20090601160154&assunto=83&onde=Brasil

Luiz Augusto
Luiz Augusto
13 anos atrás

Deve ser muito doloroso para familiares e amigos ficar sem informação sobre o ocorrido !! A imprensa já noticiou todo tipo de causa provável, dando muita ênfase para a hipótese do avião ter sido atingido por um raio, mas já teve “especialistas” alegando ser pouco provável !! Enfim, como em qualquer situação onde não há certeza de nada, aparecem as mais variadas informações !!
Desta forma, como você disse FG, resta-nos ficar em silêncio e torcer para que, de alguma forma, alguma boa notícia ainda possa ser divulgada !!
Lionel, por favor, ninguém, absolutamente ninguém sabe exatamente o que aconteceu, portanto, por respeito a pessoas que tenham parentes ou amigos neste vôo e que fazem parte dos frequentadores deste blog (o que não é nada difícil !!), reserve suas opiniões e acusações para você !!
Creio que muitos irão agradecer !!
Vinicius, sei mais ou menos a sensação que você está sentindo, pois peguei algumas vezes aquele vôo da TAM que passou direto pela pista em Congonhas !!!

Joaquim de souza
Joaquim de souza
13 anos atrás

É muito importante frisar algo referente investigações em um acidente aéreo: CADEIA DE ACONTECIMENTOS!!!

O Airbus A330 teve a sua inauguração em 2005. Apesar da Air France ser excelência em PÉSSIMO atendimento de bordo esta aeronave tem várias configurações a pedido do cliente. Um exemplo são seus fortíssimos motores RR, consegue num tempo curtíssimo um FL35 (35.000 pés de altitude) de cruzeiro. Não acredito ser falha estrutural, tão pouco pane elétrica pois eles tem no mínimo, 4 fontes de geração de energia, mesmo se ocorrer pane e os dois motores serem necessários fazer um shut down em vôo. Possui ótima capacidade de planeio, enfim, esse modelo do Consórcio francês tem muitos melhoramentos no sentido de preservar a segurança da aeronave.

Nunca devemos descartar qualquer falha pois como eu já escrevi trata-se de uma CADEIA DE ACONTECIMENTOS. Mas não tenho muitas esperanças de encontrar as caixas pretas contendo os dados de “telemetria”, digamos assim, das conversas e das situações de vôos atuais pois a queda ocorreu em alto mar.

Vamos ver o desenrolar dos fatos e fico apenas na torcida, não de encontrar vida, que eu acho improvável, mas de se descobrir AS CAUSAS do acidente para que isso sirva de fator primordial para evitar falhas futuras, em qualquer área.

Acidente aéreo, se é que dá para chamar que algo seja positivo, é de aprender com os fatos para preservar futuras vidas.

É fato que a aeronáutica conhece como a imprensa é leiga nesta situação pois envolve muito estudo e conhecimentos da engenharia aeronáutica. Portanto gente, muito cuidado com o que é informado pela imprensa. Não estou falando no sentindo de desonestidade, mas sim de pura falta de conhecimento neste assunto. A aeronáutica sabe disso e irá transmitir o que bem entender a fim de PRESERVAR as investigações.

É isso! Esperemos e compreendamos (está correto?) os fatos REAIS desta situação!

Vinicius
Vinicius
13 anos atrás

Flavio,
essa passou perto … peguei o AF447 no sabado para Paris e estou chocado até agora. A unica coisa que posso falar é que na mesma regiao teve uma turbulencia violenta, ficamos uns 15 minutos chacoalhando. Tambem, como vc deve saber, naquela regiao nao é anormal isto acontecer. Passou perto.
Abraços
Vinicius Ceccarelli

Lionel
Lionel
13 anos atrás

Ah deixa Eu só falar mais uma coisa, nesta rota NUNCA TEVE UM ACIDENTE desde a segunda guerra mundial e olha que foram feito MILHARES E MILHARES E MILHARES E MILHARES de voos, fico pensando, a gente não separa lixo em casa, os governos no mundo todo não cuidam das florestas, È LÓGICO QUE O CLIAMA ESTÁ MUDANDO…E PARA PIOR….daí essas turbulencias inesperadas…enfim todos somos culpas….Eu pelo menos tento reclicar o lixo em casa é o minimo que podemos fazer o resto é cobrar das autoridades…
Lionel

Leandro
Leandro
13 anos atrás

As máquinas mais perfeitas do mundo também irão falhar um dia, não importando o quanto perfeita é sua manutenção.
Por isso, não devemos confiar cegamente nelas (máquina e manuntenção): mesmo em nosso automóveis 1.0, onde só andamos a 40 km/h em avenidas duplicadas e vazias, toda precaução é pouca.

Sentimentos a todos os familiares das vítimas.

Lionel
Lionel
13 anos atrás

Legal o Gomes postar matérias da aeronautica, quando fiz o curso de piloto de helicoptero, os professores batiam muito em segurança…o tempo todo, todas aulas, diziam que 90% dos acidentes são causadas por FALHA HUMANA.
Na minha opinião foi falha humana, por que as grandes turbulencias são detectadas pelo radar e o piloto pode subir,descer,ou ir para a esquerda ou direita, agora alguns pilotos entram e arriscam achando que vai ser uma turbulencia fraca, mas não foi e deve ter destruido GRANDE parte da aeronave, ( que são super frageis e não foram feitas para entrar em turbulencias..) daí entrou em um mergulho super rápido, aonde que serve de consolo os passageiros já morrem rápido na descida bem antes da colisão com o mar, e mergulhando super fundo aonde não se acham destroços, vão achar daqui a muitos dias e semanas talvez meses …bem longe nas praias….
Enfim acho que foi erro humano ou Deus tentando mostrar aos homens para serem mais humildes e não acharem que podem tudo…
abraços Lionel

Adilson
Adilson
13 anos atrás

Triste esse episódio. Só não vamos esquecer que na semana passada um avião caiu na Indonésia, matando 98 pessoas. Como o Flávio já havia citado na reportagem sobre a morte do Senna, não existe morte classe A ou morte classe B.

Fiquem com Deus.

ALEX B.
ALEX B.
13 anos atrás

Olha tchê, sou suspeito pra comentar sobre estes sinistros… Quando era jovem tive o desprazer de visitar as oficinas da VARIG, e perguntei a um engenheiro de manutenção, o que era estresse de material. Ele me explicou. Eu perguntei então se era previsivel, Ele disse: mais ou menos! Dali por diante, fiquei preocupado! Evito voar, sempre que posso… triste demais