GIRA MONDO, GIRA

SÃO PAULO (puxa) – Michael Jackson foi enterrado hoje. Quer dizer, acho que foi. Pelo que pude ver em aparelhos de TV na oficina da LF, na padaria e, depois, na ESPN Brasil, por onde andei nesta terça-feira ensolarada e de trânsito infernal em SP, seu corpo foi colocado num caixão e levado ao ginásio dos Lakers, onde aconteceu um megashow com discursos e números musicais, uma coisa meio mórbida com aquele caixão ali no meio. Depois que acabou, não sei o que aconteceu.

Foi uma versão século XXI das celebrações da morte, que em muitas culturas e religiões é mesmo celebrada, já que muitas culturas e religiões acreditam que o bicho pega, mesmo, quando a gente morre. Eu bem que gostaria de acreditar nisso. Mas não vem ao caso. Foi uma versão, digamos, do ponto de vista estético. Ninguém ali estava celebrando a morte de MJ, e sim a chance de poder participar do show. Por isso todos estavam sorridentes e felizes, apesar de uma lágrima furtiva aqui e ali, porque não pega bem comemorar o tempo todo a sorte de ter conseguido um ingresso, ou o convite para cantar no funeral.

Bem, sem teorias.

Volto a falar de MJ porque enquanto cantavam “We are the World”, fomos para o estúdio eu, João Carlos Albuquerque e Mauro Cezar Pereira gravar o “Limite” de hoje. Equipe técnica a postos, nosso produtor/diretor Renato Senise no “switcher” e manda bala. Programa gravado, fui à maquiagem tirar o pó da cara e uma pequena TV estava sintonizada na MTV. O carinha que apresentava o programa encerrou a transmissão do show fúnebre com esse clipe aí em cima, lembrando que ele foi gravado 35 anos atrás ali do lado (a MTV é nossa vizinha), onde ficavam os estúdios da TV Tupi. Onde nasceu a TV brasileira, em resumo. A ESPN, hoje, ocupa o prédio que era da Tupi, algo que sempre me comoveu.

Fiquei sinceramente espantado com a informação. Sabia que o Jackson 5 tinha estado no Brasil, mas desconhecia essa gravação nos estúdios que a gente ocupa há anos. Estamos falando de 1974, MJ tinha 16 anos, pode ter sido nessa ocasião que ele se apaixonou por um SP2, como diz a lenda, mandando embarcar um para os EUA, o mais belo dos VWs, como afirmou um dia uma revista alemã.

Bem, na minha pequena coleção pessoal de fatos que só dizem respeito a mim mesmo, fiquei feliz em acrescentar o de ter gravado um programa no mesmo estúdio em que esteve MJ no exato dia em que ele foi enterrado.

Foi, digamos, minha pequena participação nesse espetáculo esquisitíssimo que o mundo viu hoje.

Subscribe
Notify of
guest
35 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Mauricio Camargo
Mauricio Camargo
12 anos atrás

Dizem que eles não foram bem tratados no Brasil nesta época. Será verdade?

Jeambro
Jeambro
12 anos atrás

A melhor da semana, foi a Liz Taylor, que questionada sobre se iria no velório, disse que amava-o demais para participar desse “circo”.

Hernani TI4
Hernani TI4
12 anos atrás

Jackie Fã do (O(###)O) #96 , Futura Ex- Fã do LADARGH #69 Meianov !!!!!

Disse tudo…

Venax
Venax
12 anos atrás

A lenda do SP2 é verdadeira sim. Tem um amigo meu que joga domino com o primo de um cara que namora a filha de uma pessoa que conheçe o motorista que trabalhou para uma empresa que o segurança do irmão do MJ contratou a uns 20 anos e ele me garantiu que é verdade sim.

Ele também conhece o cara que bateu com o Porsche e colocou o motor em um fusca e o outro que tem um Passat 80 e alguma coisa feito por encomenda pela VW.

Mais uma lenda urbana que ninguém viu …

ALEX B.
ALEX B.
12 anos atrás

Esquisito, estranho, estapafurdio e etc, são alguns dos adjetivos que acompanharam e acompanham as carreiras dos Jacksons! Não me prestei pra assistir aquele espetaculo tetrico dos funerais dele, mas me impressionei e muito com a curiosidade morbida do ser humano! :) :(

José Maurício Lelis
José Maurício Lelis
12 anos atrás

Não houve nada de esquisito, a cultura deles realmente é diferente. Mas muito mais q isso esse tipo de evento tem uma relação com a música de Mj mais gostava ” Smile” de C. Chaplin, mesmo q involuntariamente. Seu texto no final está bem legal o começo é baboseira!!

Maurice
Maurice
12 anos atrás

NUMA DESTAS MANIPULAÇÕES DO CONTROLE REMOTO DE MINHA TV, PAREI NA REDE TV. ADIVINHE O QUE ESTAVAM MOSTRANDO. UMA FILMAGEM DO CAIXÃO SENDO TIRADO DO HELICÓPTERO E ALGUÉM QUE SE DIZ ESPECIALIXZADO EM IMAGENS, DISSE QUE O MICHAEL ESTA VENDO TUDO DO HELICÓPTERO, OU SEJA, DISSE QUE ERA TUDO UMA MONTAGEM E ELE NÃO MORREU. E AÍ. DURMA-SE COM UM BARULHO DESSES. AH! REFORÇOU A TESE DIZENDO QUE 2 DIAS ANTES O MICHAEL ESTAVA MUITO BEM E NÃO PODERIA TER MORRIDO DE “FRAQUEZA”

Célio
Célio
12 anos atrás

…põe esquisito nisso….

Caca
Caca
12 anos atrás

FG, não foi gravado exatamente no prédio da ESPN, mas sim, no famigerado Estúdio S, que a MTV ocupa há cerca de 10 anos.

A história dessa gravação é a seguinte: os Jackson 5 estavam no Brasil e, muito antes da invenção do videoclipe, queriam gravar dois vídeos para divulgar seu trabalho. Estavam em SP e a única emissora que estava com infra-estrutura disponível era a TV Tupi, que cedeu estúdio, profissionais e equipamentos para a gravação. Gravaram duas músicas e esse material nunca foi ao ar na íntegra, apenas distribuído como divulgação.

Roberto
Roberto
12 anos atrás

O clip foi dirigido pelo Solano Ribeiro. Para saber quem é procurar no google.
Ele tem um blog onde conta a história da gravação: http://solanoribeiro.blogspot.com/

JP
JP
12 anos atrás

Foi esquisito, mas foi um showzão! Lionel Ritchie e Steve Wonder num mesmo lugar é demais. Um “showneral” como disse José Simão.

Obs: Fantástico aquele LP 321 da polícia, com mais de 1 milhão de Km rodados. Deixo até uma sugestão para colocar fotos de caminhões antigos no blog. Parabéns pelo programa!

Rolando
Rolando
12 anos atrás

Os últimos parágrafos do texto foram bem interessantes. Eu já sabia da passagem dos Jacksons no Brasil em 74, mas não sabia dessa gravação. Procurarei no youtube.

Quanto aos dois primeiros parágrafos do texto, muita bobagem e mau gosto de sua parte.

Rogério Magalhães
Rogério Magalhães
12 anos atrás

Bom, eu não vi e acho que não perdi nada… pelo que eu li no jornal de ontem sobre como seria a bagaça, achei que ia ficar mais com cara de espetáculo do que de cerimônia… showbusiness levado ao extremo.

Chego em casa, minha mãe dizendo que tinha visto um pouco e que tinha gente falando que durante a apresentação tinha visto um vulto passando pelo local. Falei: pronto, agora vai começar a mesma papagaiada, estilo Elvis, que o cara não morreu, que foi visto andando pelo ginásio, por Neverland, passou pela sala, foi visto cagando, andando com o SP2… e junta com o que eu tinha lido no jornal, de que a prefeita interina de LA tinha dito que nesse “espetáculo” era bem capaz de nem ter corpo presente, porque o enterro seria umas duas horas antes de começar a “festança” no Staples Center… pronto, agora está aberta a eterna temporada de especulações e invenções e boatos mil sobre a “vida eterna” do MJ…

E tome jornal, revista, site de fofoca vendendo horrores, espetacularizando a coisa e por aí vai… e um monte de trouxa comprando todo tipo de versão e história fantasiosa que essa escória do jornalismo fica soltando e ficará soltando pela eternidade… enfim, show business… dá dinheiro, mas é um saco!

askjao
askjao
12 anos atrás

Bom, vendo deitado, com uma pitada de sono, pensei assim:
1) Legal ver a família unida para dividir a grana, já que eles não se davam em vida;
2) Quando a filha chorou ao final, as pessoas abraçaram ela para consolar ou para garantir a sua grana?
3) Um final digno seria o caixão se abrir e levantarem o corpo de MJ através de fios, como uma marionete, ao som de “Triller”

MSM
MSM
12 anos atrás

Acho esquisito essa tradição americana, quando as pessoas morrem e os familiares enchem a casa de gente para comer e beber, imagina fazendo um show.
O inacreditável foi um americano que conseguiu o ingresso de graça dizendo que seria o presente de aniversário da filha. Coitada.

Carlos Pimenta
Carlos Pimenta
12 anos atrás

Engraçado, o que se falava na época era que os Jackson 5 tinham comprado era uma passat. Vi o sho deles aqui em Brasília, meu tio me levou, na época estava com 11 anos, e confesso, MJ para mim era como Pato Donald, Mickey Mouse, coisas desse tipo, cresci ouvindo o cara e falo, minha infãncia foi maravilhosa ouvindo suas canções. Agora que algumas voltaram a tocar, voltei no tempo e pude lembrar tempos áureos de uma vida livre, leve e solta, pés decalços, carrinho de rolimã, pipas, bolinha de gude. Voltei no tempo por uns intantes.

JackSpeed
JackSpeed
12 anos atrás

tradução da resposta do FG ao samuel:”pelo quanto sei, é o mesmo onde Limite e alguns outros . Enfim é o mesmo edifício. Talvez eles tinham estacionado o carro no mesmo lugar que eu …”

JackSpeed
JackSpeed
12 anos atrás

comparar elvis ao michael é de doer,elvis so cantava,michael escrevia as musicas,produzia e dançava desafiando as leis da fisica como disse alguem,artista unico e incomparavel.quanto ao “memorial” acho injusto falar e julgar a distancia,ouvindo relatos de quem esteve no lugar o clima era de silencio e profundo respeito,foi bonito sim e as palavras da filha dele de improviso(o microfone nem estava preparado) resume o clima.um pena a morte do MJ…

Carlos Galto
Carlos Galto
12 anos atrás

Michael Jackson pra mim só existiu até “BAD”. Depois disso ele surtou totalmente por causa do inigualável sucesso que fez.
E incluo aqui que ele ficaria orgulhoso do circo que se transformou o seu velório…

Rogerio
Rogerio
12 anos atrás

O mais interessante foi ver a TV Globo comentando do velório no estádio “do” Staples!!!! Logo ela que nunca pronuncia o nome do patrocinador de qualquer evento, estádio, competição, seja lá o que for… mas como é nos Estados Unidos acho que deve poder, né??? Ou então foi burrice mesmo!
Esse critério da Globo, que só ela aplica, faz com que as empresas cada vez menos se interessem em patrocinar eventos. Dar o nome ao evento não significa mais ter exposição de mídia e assim as empresas vão desistindo…. Não estão vendo, mas é um tiro no pé…. Enquanto isso vão investindo no merchandising na sua programação…

Peter Cardozo Losch
Peter Cardozo Losch
12 anos atrás

Boa Flávio! Seu texto está espetacular. Tudo na medida certa. Parabéns!

Samuel Lincoln M Barrocas
Samuel Lincoln M Barrocas
12 anos atrás

Flávio, esse local aí do palco em que o MJ esteve é a mesmíssima sala onde o Limite é gravado? Ou isso aí é o local do Sportscenter, do Bate bola, do Linha de Passe…?

RESPOSTA DO FG:

As far as I know, is the same where Limite and some others are shot. Anyway is the same building. Maybe they’d parked the car in the same place as me…

E.Martinez
E.Martinez
12 anos atrás

Não tem nada de esquisito, é um funeral na tradição religiosa afro-americana, a dimensão da coisa se deve ao que representou Michael Jackson.

Elivis foi maior que Michael disse um ai? Nem em sonho, quantos moleques de 10 anos você vê liderando uma banda de marmanjos? Dançando então MJ nem toma conhecimento do Presley

Jackie  Fã do (O(###)O) #96 ,  Futura Ex- Fã do LADARGH  #69 Meianov !!!!!
Jackie Fã do (O(###)O) #96 , Futura Ex- Fã do LADARGH #69 Meianov !!!!!
12 anos atrás

HIPOCRISIA !!!

Quando ele mais precisou, não apareceu ninguém…

Felipe
Felipe
12 anos atrás

Sera que algum dia vc fara algum comentario sem ter q puxar para o lado negativo das coisas? ninguem presta, tudo eh ruim, maldoso, por dinheiro ,blah blah blah.

Roberto
Roberto
12 anos atrás

Essa aí foi surreal, no melhor, digamos, sentido do termo. Acaso belíssimo.

Trapizomba
Trapizomba
12 anos atrás

Flavio, to aqui em LA. E’ ,foi esquisito mesmo, como tudo dele…Caberia a familia minimizar tuda essa esquisitice…mas nao o fizeram. Tarefa ardua, eu sei. O cara e’ o maior fenomeno dessa “era”. Dificil comparar com os Beatles por exemplo, pq naquela epoca nao tinha internet. O MJ foi o unico a conseguir congestionar toda a rede. Entrar online nesses dias ficou impossivel, minha coneccao ta’ lentassa…So’ pra tu ter uma ideia: trabalho numa firma de anuncios online. Nosso melhor dia foi no MJ trial em 2005. Hoje tivemos um dia tb de muito lucro…Nem no dia da eleicao do Obama foi assim…Abs

Guilherme
Guilherme
12 anos atrás

Manche Menschen ändern sich nie.

Edson
Edson
12 anos atrás

Caro Flavio Gomes

Sempre fico ligado na ESPN para assistir ao Limite, terça feira dia 30/06/2009 quando você mostrou no quadro “Indiana Gomes” um quadro mostrando o mito Gavião da STV.
Com isso , fiquei com o desejo de lhe enviar a mensagem abaixo:
Meu nome é Edson, trabalho como projetista de veículos há 25 anos, a primeira empresa que trabalhei foi na Brasinca, a partir de 1984. Não trabalhei no Brasinca 4200GT, mas, peguei nas mãos muitos desenhos do carro. Fui honesto demais e não trouxe para casa nenhum desses desenhos.
A questão é que gosto de miniaturas, mas, gosto das nacionais porque meus irmãos mais velhos foram projetista e iniciaram na Willys.
Nos momentos de folga na empresa que trabalho acabei modelando em CAD 3D o Brasinca 4200GT, o Gavião e o Hofstetter. Tenho o sonho de um dia poder usinar estes carros em máquina CNC ou estereolitografia na escala 1:18.
Infelizmente não pude ter acesso nos desenhos em 2D destes veículos, usei fotos e somente vista lateral em 2D, mas, ficou muito parecido com o carro em escala 1:1.
O maior desafio foi o Gavião, já que mesmo com muita pesquisa na internet só consegui a foto da vista lateral.
Gostaria de enviar as fotos para sua apreciação. Caso você deseje ver as fotos, você poderia fazer a gentileza de me enviar um e-mail para meu endereço eletrônico para eu poder lhe enviar as fotos?
Meu endereço eletrônico é: edson_sta@yahoo.com.br

Um forte abraço

Edson

RESPOSTA DO FG:
Pode mandar: flaviog@warmup.com.br

iago villar
iago villar
12 anos atrás

Mais um texto incrivel .

jovino
12 anos atrás

Não é estória não, o machael Jackson comprou um SP2 e o levou para os USA.
Em 1974, assisti aqui em Brasilia no ginásio de esportes lotado com 25.000 pessoas o show do Jackson Five.
Lembro-me como se fosse hoje. Acendeu um holofote no centro do palco e um menino entrou e começou a batucar numa tumbadora e todos pensavam que fosse o Michael Jackson, mas eles entraram um pouco depois e aí a gente viu que o Machael já estava grandinho e não era mais aquele menino pequeno e sim o seu irmão mais novo.
Na época, inclusive, apareceu na televisão ele numa concessionária examinando um SP2 e dizem que teria comprado e levado para os Estados Unidos.
Se a rede Tupy não tiver estas imagens é porque elas não existem mais.
Jovino

Rafa
Rafa
12 anos atrás

Flavio, de boas, dessa vez descordo de você… Sim até acho que antes do começo da cerimonia, tinha muita agitação alem do limite… mais depois do começo, não ouve celebração alguma, todos os cantores estavam tristes, realmente sentidos com o acontecido, como acho que você não viu tudo aovivo ficou fora do clima, assistir em partes sem prestar muito atenção é ruin mesmo, quem assistiu inteiro viu que não era nada assim “festa” e sim uma homenagem mais que justa para um dos maiores artistas da historia… Talves só o Elvis e os Beatles são maiores….

Tirando isso, gosto praticamente de todos seus post, hehehe
Abraços

arnold
arnold
12 anos atrás

eu assisti e pra dizer a verdade achei tudo mto digno…qdo a filhinha dele falou e tdo mais fiquei com um nó na garganta…..MJ era doidão mas devia ser um cara legal para os filhos.

JT - Paul morreu, Elvis não
JT - Paul morreu, Elvis não
12 anos atrás

Tem gente que acredita que Paul MacCartney morreu num acidente e foi substituído por um sósia no anos 60. a dica estaria na capa do último disco dos Beatles. Muitos já teriam visto Elvis vivo depois de 1977…

Daqui a pouco vão surgir teorias mirabolantes afirmando que Michael Jackson não morreu. O caixão estava aberto no velório?
Ele voltou a vender discos como não fazia desde os anos 80 e com isso viabilizaria suas contas novamente, além de poder viver em paz… e tudo o mais que alimentará a mídia sensacionalista.

Esse mundo é mesmo um hospício.

Cesar Costa
Cesar Costa
12 anos atrás

O cara morreu e ressuscitou! Saiu do velório, foi para o cemitério e de lá seguiu para um show….