MENU

terça-feira, 26 de janeiro de 2010 - 19:12Antigos em geral

CARRO DA FIRMA (10)

Kombi_Trans Brasil

SÃO PAULO (deu saudade) – Deixo as explicações para o pai da criança…

A programação visual desta Kombi e dos outros veículos da Transbrasil fui eu que criei quando era diretor de criação da agência da “firma” aérea nos anos 80. A cauda colorida com as cores do arco-íris foi idéia do comandante Omar Fontana, que era um empreendedor idealista. O sucesso da Transbrasil se deve ao sistema de conexões que ele adaptou para o Brasil da Aeroflot “firma” aérea estatal russa. Pena que as crises econômicas acabaram com a empresa. Parabéns pela boa colocação na corrida.

Parabéns a você, blogueiro Cláudio Peschke.

49 comentários

  1. Rodrigo Baum disse:

    A pintura mais marcante(e bonita) da transbrasil.
    Boa tarde. Um grande abraço

  2. Almir Ricardo Teixeira disse:

    Boa noite,
    Preciso de informações sobre esta kombi, alguém poderia me ajudar?
    Tenho uma kombi 1989 que pertenceu a Transbrasil, e tenho vontade de restaura-la igual a original com as faixas e tudo mais, se alguém tiver maiores informações favor entrar em contato.
    Obrigado.

  3. Pedro Paiva disse:

    Putz, eu já dirigi uma kombi dessa quando trabalhei na empresa entre 1997 e 2000! E me recordo que tinha também um jipe Willys 4×4 mas esse era todo branco.

  4. alberto disse:

    Orgulhosamente fui funcionário da Transbrasil. A empresa era uma mãe para os funcionários. Tínhamos lá, um motorista que o apelido era Sabiá, que orgulhosamente dirigia uma kombi dessas. Fazíamos várias viajens de Conconhas, Cumbica até Viracopos pra liberar peças de avião que importávamos. A Empresa era excelente para os passageiros e todos os seus funcionários, bem ao contrário de Varig, que já foi pro inferno faz tempo. Se hoje a Transbrasil ainda existisse, teria qeu mudar a pintura da cauda, senão todo mundo iria achar que era uma empresa gay… coisas de vanguarda

  5. Braulio Gerhardt disse:

    Parabéns mesmo! Essa pintura é linda!

  6. Arnaldo disse:

    A Transbrasil deixou muitas saudades.
    Falando de carro da firma, estava mudando de canal ontem noite e peguei o fim de uma reportagem do Jornal da Record que mostrava um caminhão da Fritex.
    Alguém mais viu ?

    Abraços.

  7. AVBastos disse:

    Bela pintura, trabalhei ai 22anos, andei muito em kombis como essa.
    Bons tempos, muitas saudades.

  8. Eduardo disse:

    Texto muito simpático, caloroso, nostálgico… mas afirmar que “as crises econômicas acabaram com a empresa” é uma grande bobagem. Crises não acabam com empresas, crises geralmente eliminam com as empresas de saúde duvidosa.

  9. Viktor disse:

    Que saudade!
    Fui “peão” da Transbrasil e andei muito com uma dessas aí fa frota. Valeu a postagem!!

  10. juca vasconcelos disse:

    mas afinal qual era o tal sistema de conexões que a transbrasil copiou da aeroflot?

    • petrafan disse:

      pois é, não quero ser leviano e emitir decretos sobr algo que não conheço, mas vejo com reservas o tal sucesso da Transbrasil, e muito menos que ele tenha se devido ao propalado sistema de conexões da Aeroflot.
      quem sabe o Gianfranco Beting (http://www.jetsite.com.br) saiba alguma coisa, pois foi diretor de marketing da empresa.

  11. Thiago Schauenberg Pereira disse:

    Tenho orgulho de dizer que cruzei o Brasil de norte a sul a bordo de um Trans Brasil. É um orgulho bobo, com certeza. Mas causa quase o mesmo impacto de você dizer que viajou em um avião da Cruzeiro, Vasp ou Varig nos áureos tempos. Eu andei de Trans Brasil e andei bastante!

  12. Valney disse:

    Vejam o “low pass” (rasante) que o destrambelhado do piloto fez nos funerais do comandante Omar em local “quase” sem tráfego aéreo como é o Morumbi.
    http://www.youtube.com/watch?v=1eBxk8Trt8U

    • Thiago Sabino disse:

      Valney

      Esse rasante foi coordenado com o SRPV-SP (órgão responsável pelo controle de tráfego aéreo de Sao Paulo), e nao foi destrambelhado, e nem foi algo feito sem prévia coordenação.

      Foi bem feito, e também uma homenagem merecida ao Cmte Omar Fontana.

      Não vi nada de errado. O problema é que , em tempos pós 9/11, qualquer peido de mosquito é atentado.

  13. Omar Fontana disse:

    Ministério Público vai denunciar ex-administradores da Transbrasil
    Sete anos depois da quebra da Transbrasil, o Ministério Público do Estado de São Paulo decidiu denunciar os ex-administradores da empresa. O motivo é a suposta autoria de crimes que teriam contribuído para a falência da companhia. O principal acusado é Antônio Celso Cipriani, um ex-policial que se casou com uma das filhas de Omar Fontana – fundador da Transbrasil, morto em 2000 -, chegou à presidência da companhia e tornou-se um empresário próspero fora dela.

    A denúncia ainda não está pronta, mas já foi decidida pelo procurador-geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira, que no último dia 18 designou um promotor para cuidar do caso. O processo vai se basear num relatório encaminhado pelo juiz da 19ª Vara de Falências, Clóvis de Toledo Júnior. Produzido pelos síndicos da massa falida da Transbrasil, o documento afirma terem sido encontrados indícios de desvio de bens da companhia, prática de crimes falimentares e destruição de documentos para, provavelmente, dificultar as investigações. São responsabilizadas, no total, 21 pessoas, com destaque para Cipriani e sua mulher, Marise.

    O ponto mais obscuro na falência da Transbrasil, segundo o relatório, é o destino dos R$ 725 milhões que a companhia recebeu do governo em 1999. Naquele ano, a Transbrasil se tornou a primeira – e, até agora, a única – empresa aérea a receber indenização do governo pelos prejuízos com o congelamento de tarifas nos sucessivos planos econômicos.

    O relatório da massa falida estranha que, apenas dois anos depois de receber a indenização, a empresa parou de operar por falta de dinheiro para comprar combustível, “sendo forte a suspeita de que esse numerário não foi, como deveria, utilizado para a capitalização da empresa”.

    No último levantamento sobre a situação financeira da Transbrasil, realizado seis anos atrás, a dívida estava em cerca de R$ 1,5 bilhão, contando apenas o passivo tributário e débitos com fornecedores. Esse valor vai aumentar, porque os especialistas nomeados pela Justiça estão reavaliando as dívidas e já foram procurados por mais de mil ex-funcionários que querem indenização.

    Tumultuado desde o começo, o processo de falência da Transbrasil é contestado pelos advogados de Cipriani – o escritório de Roberto Teixeira, amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Eles afirmam que a quebra da companhia foi decretada com base em um pedido falimentar indevido, feito pela General Eletric (GE), em 2001. “A GE fez o pedido alegando que a Transbrasil deixou de pagar uma nota promissória que, na verdade, já tinha sido paga”, diz Cristiano Zanin Martins, responsável pelo caso.

    De acordo com esse raciocínio, a denúncia do Ministério Público contra os ex-administradores da companhia aérea não vai se sustentar. “Não pode recair sobre os ombros de qualquer administrador a responsabilidade sobre os problemas da Transbrasil, quando ela foi prejudicada por uma situação indevida”, afirma Martins.

    O relatório da Justiça afirma várias vezes que Cipriani teria usado a companhia aérea para alavancar suas atividades particulares. “Impossível examinar a trajetória e conduta de Antônio Celso Cipriani”, diz o relatório, “sem se surpreender com o fato de que, ao mesmo tempo em que enfrentava a Transbrasil sérias dificuldades financeiras, floresciam os seus negócios particulares, havendo suspeita de que o dinheiro da primeira tenha servido para alavancar os negócios do outro”.

    A história de Cipriani na Transbrasil começou no fim dos anos 70, quando ele ainda era investigador de polícia. Encarregado de proteger a família Fontana, dona da companhia, que temia sequestros organizados por grupos de esquerda, Cipriani arrumou um emprego no setor de auditoria da empresa. Conheceu Marise, uma das filhas de Omar Fontana, separou-se da primeira mulher e se casou com a filha do patrão. A partir daí, passou a ocupar cargos cada vez mais importantes até herdar a presidência da companhia.

    Ao mesmo tempo, Cipriani construiu fora da Transbrasil um pequeno grupo empresarial. Ele tem ou já teve uma construtora, a fábrica de computadores Waytec, uma empresa de táxi aéreo, a representação dos aviões Bombardier no Brasil, uma mina de pedras semipreciosas e um resort com três montanhas no Colorado (EUA), onde montou uma estação de esqui.

    Figura próxima ao governo – ele estava no palanque da vitória quando Lula foi eleito, em 2002 -, Cipriani saiu de circulação quando surgiram informações de que ele e Roberto Teixeira estariam tentando usar suas amizades em Brasília para salvar a Transbrasil ou ao menos capturar alguma parte do que restou da empresa. Até agora, não conseguiram.
    CASO TUMULTUADO

    Denunciados: Documento encaminhado à Justiça responsabiliza, no total, 21 pessoas por fraudes no processo de falência da Transbrasil. Os principais acusados no relatório são Antônio Celso Cipriani, ex-presidente da companhia, e sua mulher, Marise

    Dinheiro: O ponto que mais chama a atenção no processo é o destino dos R$ 725 milhões que a empresa recebeu do governo em 1999, como indenização por perdas com congelamentos de tarifas em sucessivos planos econômicos. Dois anos depois, a empresa parou de operar por falta de dinheiro para compra de combustível, o que levaria a suspeitas de que o dinheiro não foi usado para capitalizar a companhia

    Contestação: Advogados da Transbrasil contestam todo o processo de falência. Dizem que a quebra foi decretada com base em um pedido indevido. A alegação é que a GE pediu a falência alegando que a Transbrasil havia deixado de pagar uma nota promissória que, na verdade, já teria sido paga.

    (Fonte: O Estado de São Paulo) – 27.04.09

  14. JONAS MONTANARO disse:

    MEU PRIMO TRABALHOU NA TRANSBRASIL E SEMPRE ANDAVA EM UMA DESSA. SERIA LEGAL TAMBEM UMA FOTO DA KOMBI DOS CIGARROS HOLLYWOOD. “AO SUCESSO”.

  15. Huller moreno disse:

    Tinha que ter a Russia no meio da historia né Flavio? hehe

  16. Omar Fontana disse:

    Só lembrando que o Governo Federal colaborou decisivamente para a quebra da Transbrasil, quando congelou as tarifas das empresas aéreas no meio de um daqueles famigerados planos economicos da década de 80.

  17. JONAS MONTANARO disse:

    ESSA KOMBI EU ME LEMBRO, MEU PRIMO TRABALHAVA LÁ, NA TRANSBRASIL E AS VEZES EU O VIA PELA RUA COM ELA. LEGAL TAMBEM ERA A KOMBI DOS CIGARROS HOLLYWOOD, “O SUCESSO”.

  18. Rafael disse:

    Eu voei de TransBrasil e até roubei uns coletes salva vidas quando era moleque, de um assento de um 767 rsrs.

    Depois da Varig era a melhor companhia, sem dúvida.

  19. mario aquino disse:

    A transbrasil não acabou, está em compasso de espera, aguardando um posicionamento melhor para retomar atividades, ela ainda tem aviões escondidos nos Desertos Norte-Americanos, que estavam esperando pela prescrição de dívidas, eu estive com um camarada que era Ceo da massa não falida, faz uns cinco seis anos, agora eu não sei o que está acontecendo pois dentro das previsões que ela havia me dado, já deveria estar funcionando.
    Coisas do Brasil.

  20. Eric disse:

    Lindo carro…..meio gay,mas é lindo.

  21. Rodrigo Freitas disse:

    Gostava muito de voar pela Transbrasil. Para uma criança, um avião todo colorido era o máximo! Muito melhor que os “azuis” da Varig e Cruzeiro! :)

  22. Flavio Bragatto disse:

    Esta Bombi da Transbrasil tinha em miniatura que davam para a criançada. Me lembro que um amigo meu tinha uma.

  23. Joaquim de Souza disse:

    Deu saudades também… A Trans Brasil era…. sei lá… maravilhosa…

  24. Lucas Carioli disse:

    Bah, lembro delas nos aeroportos lá por 1996… realmente senti um troço quando vi a foto…

  25. moacir disse:

    Muito bom! Quando criança (antes das vaca magras colloridas), eu viajava de Transbrasil sem saber que a empresa era GLS e nem desconfiava que o Rob Halford era gay.

    E já andei na tal Kombi Pelotense!

  26. Fábio Amparo disse:

    Bom dia Flavio

    Agora que o blog chegou a 10 fotos da série “carro da firma”, porque nao promover uma eleição entre a blogaiada para eleger o melhor, o mais saudoso, etc…?

    Abraços
    Fábio Amparo

  27. luis fernando disse:

    hoje em dia seria a kombi da alegria.

  28. Alexandre - Minas disse:

    Kombi a álcool (detalhe do bocal de abastecimento da partida a frio, do lado esquerdo. Parece que não deixou saudades). Aliás, agora é etanol, certo? Ontem comentávamos sobre a globalização do sorvete Kibon. Será que a mudança de álcool pra etanol é algum processo parecido? Há algum tempo a Petrobras perdeu a acento do “a”, pra ficar mais “inteligível” pra gringaiada. Será que a Citroën vai tirar o trema do “e”, pra ficar mais facinho pra gente? Afinal, os pinguinhos foram abolidos com as novas regras do acordo ortográfico da língua portuguesa… Sem base, né?

  29. Fábio Labs disse:

    Crises ou burrice acabaram com a TransBrasil? Esse prédio que aparece atrás da Kombi, foi construído para abrigar os escritórios da presidencia e a diretoria e um novo hangar colado ao antigo hangar,o prédio antigo(que fica ao lado dele) ficou as moscas. Na época, pensavámos que iriam trazer os escritórios que ficavam no centro de São Paulo para lá (o espaço estava ocioso, no centro pagavam aluguel,qual é a solução obvia?) mas não fizeram nada disso. A construção foi interrompida várias vezes por falta de pagamento(junto com a falta de pagamento do dissídio coletivo de 1998 e do atraso de pagamento do fundo de garantia dos aeroviário durante vários meses de 97,98 e99) mas mesmo assim terminaram a obra . O hangar antigo era usado para manutenção e revisão dos 737 e o hangar de Brasília(muito maior) para os 767. Aí, após a conclusão, os dois hangares foram “tomados” para uso de uma empresa de taxi aéreo criada pela TransBrasil chamada Target e a manutenção dos 737 teve de ser transferida para a BASP (Base Aerea de São Paulo) em Cumbica, causando um verdadeiro pesadelo logistíco com translados diários de pessoas e material de Congonhas(onde o prédio e as oficinas se localizam) até Guarulhos. Sem contar o que se gastava com aluguel das instalações da FAB , as refeições de todo o pessoal da TransBrasil e a monstruosa perda de tempo com a viagem diária entre os aeroportos com as peças dos aviões, que eram feitas várias vezes ao dia. Até que um belo dia, alquem lembrou do hangar de Brasília e enviaram os 737 prá lá(em tempo, Brasília também tinha oficinas,apesar de menos pessoas) Trabalhei no galpão em frente ao prédio aí da foto (Oficina de Maquinas Operatrizes) durante 6 anos e acompanhei tudo isso de camarote. Fui demitido em 99, quando a coisa já estava ficando preta, e tenho muita saudade daqueles anos e das pessoas com quem trabalhei, pessoas essas extremamente dedicadas e competentes e que praticamente carregavam a “firma” nas costas. Parabéns pelo trabalho Flávio e desculpe o desabafo, mas é duro ver a dedicação de tantas pessoas virar pó, como no caso da Saab, que pelo menos, vai continuar.

    • Fábio – Infelizmente a incompetência assume contornos de conspiração. Foi assim com a Transbrasil, foi assim com a VARIG, foi assim com a VASP…

      O fato é que eram empresas geridas por amadores ou por grupinhos com laços no governo que garantiam verbas, benefícios e outros.

      Mas o fato era que eram apenas incompetentes.

  30. Thiago Sabino disse:

    Fantástico..
    Kombosa, nas cores da Transbrasa…
    Ainda com o livery 80….

    Agora, uma Kombi nas cores da Pioneira também seria uma boa hein!

  31. Jackie Fã (O(###)O) DKW #96 !! disse:

    Adorava viajar com a Transbrasil !!
    Saudade !!

  32. FOI POR ISSO QUE A TRANSBRASIL FALIU !!!! FOI VC QUE CRIOUU .. SEU MERDA DESILUDIDO.. !!!

  33. Heleno disse:

    Para quem está com saudade dos aviões da Transbrasil, tem alguns abandonados no aeroporto de Brasília.
    Abraço

  34. EduardoRS disse:

    Essa era uma das clássicas, que saudades da TransBrasil.

  35. Wellington Cunha disse:

    Fiz várias “corridas” nestas viaturas, principalmente nas que levavam os malotes de Congonhas para a loja da Av. São Luis, onde trabalhava na época. Saudades…

  36. Antonio disse:

    Por falar em antigos, não sei se jásabe, mas parece que a Gradiente vai voltar. http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/01/26/a-volta-da-gradiente/

    Abraços

  37. Lauro disse:

    Pois é…
    Hoje arco-íris tem outro significado mais “importante”, digamos.
    Trans também tem conotações diferentes, tanto do lado do “arco-íris” quanto do lado “gastronônico”.
    Até o Brasil mudou.
    De bom, só mesmo a Kombi.

  38. wingmann disse:

    Nos dias de hoje chamaríamos de Kombi GLS….. Estaria participando da Parada Gay…..

  39. antonio stricagnolo filho disse:

    Andei muito nessas Kombi’s ! Que saudades dessa companhia,trabalhava numa fabrica de equipamentos de rampa,tratores,loaders,e tudo aquilo que atende o avião no solo e a Transbrasil era de longe melhor do que a Varig e Vasp,principalmente da Vasp repleta de funcionarios publicos,se bem que a Varig não ficava muito atras!

  40. José Alberto disse:

    Bons tempos aqueles, não me esueço de uma viagem que fiz de Curitiba a São Paulo à bordo de um Boeing 767-300 que ela operava lá pelos fins dos anos 90. Enquanto todo mundo usava 737 ela matando à pau com aquele gigante. Saudades.

  41. Lio disse:

    Parabens ao Flavio pelo desenho voei MUITO pela TransBrasil e gostava muito senti muito quando parou…

  42. Wingmann disse:

    Hoje seria encarada como uma Kombi GLS….. Indo para a parada gay….

  43. revelador disse:

    hoje seria um empresa amiga do movimento gls….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>