MENU

Thursday, 22 de April de 2010 - 19:53Foto do dia

FOTO DO DIA

Na boa… Quem apertava o botão no capacete do cara? Brincadeira à parte, espetacular a foto enviada pelo Humberto Corradi. O cara é Jackie Stewart e o instantâneo é de 1966, Mônaco.

36 comentários

  1. gleitef says:

    Dizem que o Stewart é vesgo. Mas mesmo assim tocava
    pra caramba. Pode ser que fotos da Nikkon era usada para material de divulgação do filme Grand Prix.

  2. André Zanuto says:

    Acreditem ou não, aquele fio branco conectado na parte inferior da máquina é um disparador remoto com fio.
    Provavelmente o botão de acionamento estava ao alcance da mão do piloto.
    Abraços!!!

  3. JCMATTIOLI says:

    Lente de 35mm (informação registrada no capacete)

  4. GERALDO CASSELLI JÚNIOR says:

    Ano de produção do grande filme “Grand Prix” , onde êle seria o protagonista “oculto” na BRM , equipe na qual disputava naquele ano ( o capacete não deixa mentir ) ! Quem não viu , alugue , compre .peça emprestado , roube , se vira , é sensacional ! Mônaco , Spa ,Monza… me causam arrepios até hoje ! Recomendo também “Le Mans” com o Steve McQueen ! Até hoje esses dois são são imbatíveis !

  5. Rodrigo Duarte says:

    Só mais um comentário, eu admiro demais esses pilotos de algumas décadas atrás, sem essa tecnologia de hoje que facilita muito a vida do piloto. Esses caras eram verdadeiros heróis do automobilismo, todos eles, mesmo os que nunca ganharam título.

  6. ALEX B. says:

    Era um teste pro filme Grand Prix! ;)

  7. Rodrigo Duarte says:

    Falando em Jackie Stewart, absolutamente sensacional a entrevista que o Galvão fez com Emerson Fittipaldi, em que ele se emociona ao contar as histórias da Fórmula Um, numa época em que praticamente quase todos os anos pilotos morriam. Pra mim, a parte mais marcante foi quando ele chorou ao falar que o carro do Jochen Rindt quebrou e, pra corrida, o Colin Chapman falou que ia entregar o carro do Emerson pro Rindt correr. E naquela corrida, aconteceu uma falha mecânica no carro e o Rindt morreu. Depois, mais emocionado ainda, Emerson conta sobre como ajudou o Rindt, mesmo depois de morto, a ganhar o título naquele mesmo ano.

    • Não vi essa reportagem… vou procurar no youtube

      Gosto pacas do Emerson… um piloto fodão… duas 500 Milhas de Indianapolis nas costas… e historias que dariam uns cinco livros…

      FG, bem que voce podia escrever um Livro sobre ele, acho que ficaria bem legal.

      Abraços

      Imperador

    • Acabei de ver a reportagem no youtube… 6 partes… e foi bem boa…

      Só que falta alguém para perguntar ao Emerson sobre aspectos técnicos… como eram os parafusos… como os carros eram desenvolvidos, treinos, sistemas, projetos… como foi na Copersucar….

      O cara tá por aí… e tudo esta com ele… acho que até ele mesmo sente falta de ser questionado sobre isso.

      Abraços

      Imperador

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Ricardo, só para ilustrar bem a coisa, a caixa de direção do copersucar era emprestada do Chevette…. dá prá ver que o improviso e o aproveitamento de peças e equipamentos de mercado eram largamente utilizados, o engraçado é que a caixa de direção do chevette fazia o mesmo que essas caixas de antimonio de xerantonio tri energizado e poli galvanizado fazem; viram as rodas do bólido, a diferença é que uma custa deiz merrecas e a outra custa no barato uns 100.000 dolares….. em certos aspectos é muita frescura e gasto inútil, nunca soube que uma dessas caixas canibalizadas de carros de série tivessem sido responsáveis por algum acidente na categoria.

  8. Very says:

    Haha, ficou parecendo cena do Austin Powers ou então comercial das Organizações Tabajara.

  9. sms says:

    Não me parece uma grande angular muito aberta (olho de peixe). Geralmente, nessas lentes, o vidro fica pra fora do aro, bem arredondado, pra aumentar o ângulo de visão. Deve ser uma 28mm, por aí…

  10. Época de valentes!!! O Stewart como o Emmo são verdadeiras Lendas Vivas!!

    Abraços

    Imperador

    Obs.: Acho que admiramos o Sterwart da mesma maneira que ele admira o Emerson Fittipaldi…que é o piloto brasileiro mais “valente” de todos os tempos… correr o que ele correu… vencer o que ele venceu…. e estar vivo é a prova maior do “peito” que esse cara sempre teve.

    • rubem rodriguez gonzalez says:

      Realmente o Emerson e o Jackie Stewart são dois baluartes da F-1, inclusive para os mais superficiais na categoria que fique registrado que ambos parecem ser os primeiros pilotos campeões que começaram a cruzada por mais segurança na F-1, o Jackie inclusive jogou a toalha no e não disputou seu 100º GP em decorrência da morte do seu sucessor na Tyrrel, o François Cevert. Ví recentemente uma foto do não menos saudoso Môco chorando copiosamente nos boxes ao sabar da morte do amigo.
      O Emerson demonstrou toda a sua disposição em lutar por segurança quando corajosamente desafiou patrocinadores e organizadores do GP da Espanha em 1975, largou nas últimas posições, deus duas voltas lentas e encostou nos boxes. quando os cartolas já afiavam a espada para decapita-lo em praça pública veio a tragédia e todos tiveram que colocar a viola no saco, é possivelmente uma das passagens mais corajosas que um piloto de F-1 já teve; não pensou em dinheiro ,patrocinadores ou o raio que o parta; pensou apenas na segurança e peitou todo mundo, lembrem-se que em 75 ele era o cara, dois campeonatos e um vice em apenas cinco temporadas completas na categoria… se ficasse na Mclaren e seguisse sua trajetória na categoria ninguém pode supor aonde poderia chegar, seu desempenho depois na Indy demonstrou que era na verdade o RATO.

      Engraçado Ricardo é como parece que a desgraça une as pessoas; nessa época em que a categoria parecia mais um front de guerra , todos os pilotos pareciam uma grande família, parece que a sofisticação, a segurança e o dinheiro fácil transformou a categoria numa fogueira de vaidades, a riqueza às vezes atrofia……

  11. Jô Rodrigues says:

    “Sem Comentários, para os que se Acham – acima da média!!!”

  12. O filme do Frankenheimer foi um marco na evolução de equipamentos para filmagens on-board, até hoje ninguém conseguiu a qualidade de imagens que ele obteve com o filme, deu até coceira de ver de novo, e emendar com o Le Mans, êêêê feriadão….

  13. PAULISDANGO says:

    putz… na hora que vi a foto pensei que era o Senna.
    Mas que parece, parece…

  14. Tirando o nariz… ele não está parecido com o Senna?

  15. Anarquista says:

    Imaginem pilotar em Mônaco com esta concentração “extra”. Com um milhão de trocas de marcha por volta ainda ter que procurar o melhor ângulo e apertar o botão (rsrs). Ainda bem que não tinha ajuste de foco…

  16. Orlando Salomone says:

    Esse espelho retrovisor é muito chique.

  17. Varlei says:

    E ele ainda rebobinava e trocava o filme andando e entregava para revelar nos boxes,rs, e ainda tem gente que tem saudade destes tempos, vai entender, rs

  18. Orlando Salomone says:

    Foi aí que começou o treinamento de pescoço dos pilotos. Rubem, concordo contigo. Talvez, um dia, o ser humano descobrirá que deixou de ser um animal totalmente irracional, e verá que já não precisa disputar espaço com seus semelhantes. Até lá, paciência.

  19. Felipe Fugazi says:

    O responsável pelo departamento de publicidade da Nikon era português, e teve a idéia de patrocinar o Stewart.
    Foi demitido na etapa seguinte.

  20. Pagodeiro Bello says:

    Putz, tenho umas corridas em vídeo do Sir da foto. O cara guiava pra caramba.

  21. Heberson Haase Pinheiro says:

    Esse Humberto corradi acha cada coisa! E sempre com qualidade. fico bastante impressionado.
    Bem que quem o conhece podia colocar informações sobre ele na Wickpedia…Deve ser um cara muito bacana!

    Abraço!

  22. Peloponeso says:

    Nossa… essa objetiva deve ser 10mm…. pela altura. Nunca vi uma dessas. Fotografa até os pneus traseiros…rsrs. E o motor-drive na Nikon F. O que é a vontade de registrar…

  23. Silvio Rodrigues says:

    Medonho! Até para um velho como eu.

  24. rubem rodriguez gonzalez says:

    Caramba…. nas ci em 1963 mas as vezes penso que nasci há uns 1500 anos atrás……
    Flávio, ontem eu vi um comparativo entre entre um mega computador de várias toneladas de 1980 e custava alguns milhões de dólares e que possuia uma memória de 32 gb, a mesma que podemos encontrar hoje em cartões SD, inclusive esse era o ítem de comapração com o mega mamute cibernético… realmente melhoramos e evoluimos barbaridade neste pequeno espaço de tempo, pena que essas benesses não alcançem a todos, se evoluissemos socialmente como evoluimos tecnologicamente não haveria mais fome, guerras ou desiguadades gritantes neste nosso planeta azul, quem sabe um dia não alcançemos esse patamar…. as vezes sou um otimista inveterado!!!!!

  25. Gerson SC says:

    Será que tinha um contrapeso atrás do capacete??? Isso devia pesa 1kg!!! Além da força G pros lados, tinha o peso dessa naba empurrando a cabeça pra frente!!!

  26. julio Cesar Gaudioso says:

    Equipamento do megafilme GRAND PRIX, até hoje o “benchmark” para se avaliar uma transmissão de corrida. A objetiva, incomum nesse tipo de máquina, causava efeito de amplidão e nitidez nas fotos.

  27. HM says:

    agora alguém tem que postar o resultado disso!

  28. Tive um irmão que era paraquedista e tinha um cabo que ia pela manga do macacão e se conectava na maquina. Uma Yashica, na época, era o unico modelo acessível, no Brasil, que fazia este tipo de serviço. O acionamento é mecãnico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *