ÁLBUM (SOBRE RODAS) DE FAMÍLIA

SÃO PAULO (no meio da multidão…) – Vamos reativar algumas seções que andam abandonadas neste blog. Sempre é tempo. A foto abaixo foi enviada pelo vemagueiro Roberto Fróes. A história é ótima.

A foto é de fevereiro de 1970 – carnaval – em Recife, na Estrada dos Remédios, em frente ao nº 781, casa de minha tia Carminha. Esse foi meu primeiro carro, em sociedade com a maioria dessa rapaziada que aparece na foto. Como eu era o único maior de idade e tinha habilitação, o carro “ficou em meu nome”. Eu, que mal apareço, estou ao volante. O moleque sentado sobre o capô do motor é meu irmão. O cara de camisa listrada, sentado no parachoque, é meu futuro – hoje atual – cunhado Fernando, e um de meus melhores amigos. A garota à direita do carro, de blusa escura e chapéu claro, é Verinha, minha namorada de então, hoje morando lá em cima, com Deus, São Pedro, Lettry, Norman, etc. E o nome do carro era “A Robusta”, com o lema “Já passei dos 40, por isso sou boa”. Um Ford Modelo A 1929. Esse carro foi comprado pela molecada especialmente para brincar o corso, nesse carnaval. Apesar de ser uma tralha toda torta, sem freio, com a embreagem e a suspensão e direção em péssimo estado, nunca nos deixou na mão, ou no pé. A polícia o aturou durante o carnaval, onde fomos premiados com o segundo lugar em originalidade. Um dos “sócios” resolveu sair com ele depois do carnaval, e o carro foi apreendido e levado para o depósito do Detran, na beira do rio Capibaribe. Tinha tanto para pagar, que não valia a pena: ficou por lá mesmo… Estava bem na beira do rio e, numa enchente, acabou caindo na água. Depois, o terreno foi aterrado, para aumentar a área de depósito, e ele ficou lá… Morreu e foi enterrado. Deixou saudades…

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Muller
Muller
10 anos atrás

Que diferença para a a Estrada dos Remédios de hoje..

Roberto Fróes
Roberto Fróes
10 anos atrás

FG, eu nem me lembrava que havia mandado essa foto!
Foi uma época espetacular!
1970, eu solto, com quase 19 anos, numa cidade e numa época em que se podia andar sossegado, e só não mais, porquê eu mesmo, e minha turma, peramos um agito só…
Essa rua da foto, aliás, Estrada dos Remédios, bairro da Madalena, hoje parece uma Avenida Copacabana daqui do Rio: Carro pra cacete, pivetes, prédios altos, um depósito de material de construção na casa – uma das ultimas remanescentes – que foi de minha tia.
É o progresso. Será?
O carro – mais resistente que jipe – era uma figuraça!
Pintado de preto e branco – listrado – e depois levou bolas e estrelas azuis por cima. Lisérgico!
Chegou a levar 22 em cima, em seu dia de recorde, mais um tambor d’água e um de talco industrial. Tudo para a brincadeira do mela-mela, quando fazia-se aquela lambança com as ocupantes dos outros carros – todos abertos. Eu gostava mesmo era da esfrega de graxa de sapato. Com as mãos, claro! E gostava de esfregar bem… Uma lambança só, mas saía fácil com água.
De manhã e à tarde, era o horário das mães, irmãs, namoradas, primas, e outras do estilo. Essa foto foi batida nesse horário.
À noitinha, essa turma era deixada em casa, pois iam se preparar para os bailes noturnos.
A rapaziada, incansável, retornava para a avenida, mas para outro ponto, tomado por moçoilas que gostavam, digamos, de outro tipo de festa.
Mais tarde, lá pela meia noite, íamos também para os tais bailes, dos quais voltávamos sem risco de topar com a Lei Seca.
Como se dizia lá, eita, que vidinha cansativa…
Saudades…
Esse carnaval não existe mais.
Nem a Verinha.
Saudades…

Paulo
Paulo
10 anos atrás

É cara bela historia tempos que ñ voltan mais,tempo que vc saia tranquilo nas ruas boas amizades,como diz o Leo é triste vc olhar a foto e ñ ter mais uma pessoa querida .

Léo
Léo
10 anos atrás

Legal a história e a foto. Triste saber da morte de uma pessoa da foto, sempre vejo com tristeza pessoas que já se foram em fotos.

Rodrigo Moraes
Rodrigo Moraes
10 anos atrás

Bela estória!

Carlos Tavares
10 anos atrás

Gostei do Corcelzinho no canto da foto.

Era zerinho…ou quase.

RafinhaDias
10 anos atrás

Maravilha de leitura =)
O Fordinho cumpriu a missão.

Marcelo
Marcelo
10 anos atrás

Tempinho bão, vc podia sair na rua tranquilo que não tinha risco real de ser assaltado, é o que minha mãe diz, eu não me lembro, nasci em 68…rs

Mas posso afirmar, nos anos 80 também era muito bom, podia sair tranquilo! Hoje tenho uma filha de 14 anos que não para em casa, não é fácil não…

Foto histórica, pra ser guardada pra sempre, muito legal!!! Merece ser ampliada em quadro e deixar na parede!