VERGONHA

V

SÃO PAULO (cancelem e pronto) – Apesar de Bernie Ecclestone (e outros na F-1 que têm fortes ligações com empresas e califas do mundo árabe) defenderem com unhas, dentes e contas bancárias a realização do GP do Bahrein, dia 22, ninguém pode garantir que essa corrida vá acontecer com segurança.

Sexta-feira, um manifestante morreu baleado em Manama. O país é uma aberração. Embora os protestos contra os xeques que comandam a pequena ilha há 200 anos sejam menos intensos que no ano passado e que em outros países varridos pela Primavera Árabe, eles persistem, e a repressão é brava.

A F-1 é ridícula, às vezes. E eu juro que gostaria de ver algum piloto macho o bastante para dizer “lá não corro”.

Sobre o Autor

Flavio Gomes

Flavio Gomes é jornalista, mas gosta mesmo é de dirigir (e pilotar) carros antigos.

98 Comentários

  • É uma lástima, mas a F1 é, acima de tudo, um grande negócio. Depois do negócio é que vem a competição, que não tem nada e esporte, diga-se.
    Então amigos, todos ali querem seus milhõezinhos no bolso em primeiro lugar. Depois vem questões de segurança, política, ética? Ihhhhh! Esquece!

  • Ditadores são sempre a mesma coisa… na Asia, no Oriente Médio, no Caribe ou na América do Sul.

    Segue o jogo… petroleo por petroleo… ditador por ditador… voto a favor do GP da Venezuela… pelo menos o povo por lá é tão idiota que nem reclama da situação que vive.

    Imperador

  • Tem que ter corrida sim! Não acho que estes distúrbios sejam tão violentos assim! Num fim de semana de corrida em São Paulo morre muito mais gente assassinada. Jenson Button passou por apuros em 2010, quase sendo assaltado. Acho total hipocrisia! Tem que correr sim! Frouxos! A paranoia por segurança é tanta que até “enfeiou” os carros! Poupem-me dessa covardia!

    • não correr não é uma questão de medo e sim um protesto contra um regime que tem que cair. com certeza se houver corrida vai haver um banho de sangue, pois será dada aos rebeldes a oportunidade de, em cadeia mundial de televisão, cometerem atentados. Não acredito que contra a vida dos pilotos (estarão protegidos por um aparato de segurança), mas contra o publico que ira apenas para se divertir.

      • Quer protestar??? Chame o Bono do U2, pinte um é de galinha na testa e faça de conta que está fazendo alguma coisa pela paz mundial! Esporte é outra coisa. De quebra podem mesmo é tirar a F1 do mundo árabe e leva-la para aonde, pelo menos o público entenda o que está assistindo!

  • Hoje F1 é big business! Fique na sua que seu ganha pão está garantido. Esses velho jargão de “como a Formula 1 era antigamente” já encheu o saco. Put up or get out! Se você olhar bem para trás então, vai chegar ao tempo que escuderias eram em fundo de quintal, e lógico, todo mundo fazia o que queria. Não é mais assim, meu! E afinal de contas, você não é quem comanda o show!!! Longe disso!

  • Na mesma linha do Carlos Piazza, afirmo que tem muita gente falando abobrinha sensacionalista politicamente correta e afogada em preconceitos.

    Moro nos Emirados e posso dizer com certa propriedade que a mídia brasileira exagera (para variar um pouco), não entende – ou finge não entender – e baseia-se cegamente no que dizem outros meios. Atuam como meros papagaios e perdem a oportunidade de produzir pensamento próprio…

    Há MUITO interesse para que a corrida ocorra, sem dúvida, mas também o há na mesma medida para que ela NÃO ocorra. São espertalhões que só buscam dinheiro contra os espertalhões que buscam o poder (ou alguém acredita em implantação de um regime democrático funcional nesta região, quando sequer é funcional nas Américas???).

    Faz-se necessário saber separar as coisas e perceber ações de aproveitadores.

    A F1 não é o problema do Bahrein e tampouco sua solução. Cancelar a corrida não vai apaziguar os ânimos dos insatisfeitos com o regime, assim como sua realização pouco (ou nada) alivia para quem hoje detém o poder.

    O problema dos barenitas, eles mesmos que resolvam. A F1 é um circo: chega, dá o espetáculo e se manda! A caravana segue em frente e que fique ladrando quem quiser!!!

    A F1 sequer cuida do seu quintal de resultados armados, vai querer meter o bedelho em assuntos internos de países agora??

  • Acho que alguns não entenderam o flavio.na minha opinião ele se referiu a corrida em Bahrein e não em correr na categoria.
    Não é porque o cara ganha milhões é obrigado a correr num lugar que qualquer hora pode aparecer um louco pra fazer terrorismo.
    Eu amo a f1 mas faz muito tempo que virou muito capital e deixou o lado romantico da coisa,que alias,quem viu a fase aurea como eu vi com senna,piquet,prost,mansell e patrese hoje e um mero modo de capitalizar pra sobreviver onde o talento fica de fora e quem tem dinheiro ta dentro.

    • Nossa acho que os caras só leram o titulo para julgar assim o cara que escreveu. Povo ignorante. Ocara só esta preocupado com a segurança dos pilotos coisa que a organizaçao fa F-1 nao esta. Medo de atentado no Bahrein.

    • Só pegando uma carona no título ” Macho o suficiente para não correr lá”, lembrei-me do GP da Espanha no circuito de Jarama em 1.975, quando Emerson Fittipaldi, depois de vistoriar a pista, decretou: não corro aqui nessas condições. Deu a largada, fez uma volta bem lenta e recolheu o carro nos boxes.
      Nesta corrida houve um grave acidente com o piloto alemão Rolf Stomolen que fraturou as duas pernas e alguns espectadores morreram, atingidos por rodas e outras partes do carro. O carro acidentado passou “voando” por cima da cabeça do nosso José Carlos Pace, mas não o atingiu. Ser macho, as vezes é preciso!

  • Lembras-te do Piquet na Africa do Sul e do Emerson na Espanha ? Saudades dos bons tempos,onde “os caras” que aceleravam e faziam o espetáculo e´que diziam o que fariam…

  • Tem gente boba mesmo. O cara vive de Fórmula 1 e ainda fala mal. Não aceitar um convite da formula 1 é o mesmo que um artista de tv nao aceitar convite da globo. Que bobeira, por pior que seja, a f1 é o objetivo de qualquer piloto, seja daqui, seja da china. Esse Flavio Gomes não tem lógica mesmo. Um dia defende uma coisa, outro dia destrói.

    • Para de falar merda… Nao tem o menor cabimento a comparação que voce ta fazendo. Procura se interar dos fatos que estao acontecendo la no país e reflita. Realmente nao tem sentido correr la, pelo menos até acabar por completo o conflito.

  • Olha na boa cada um tem sua opinião legal, beleza, mais um perguntinha o que seria desse site ou blog se não tivessemos mais a Formula-1 ? Voceis vivem dela, que foi campeão da Indy em 2002 mesmo alguem ai se lembra? Ao meu ver o maior problema da F-1 é que ela tem um dono, gostaria muito de ver uma F-1 administrada pela montadoras somente ai seria espetacular.

  • Meu amigo, qualquer um correria até mesmo na pior das equipes de F-1. São apenas 22 ilustres pilotos no mundo todo. Haja mesmo macho para não querer tamanha honra e principalmente dólares. Vc foi mal em sua colocação!

  • Barrichello falou que se a Ferrari o chamasse (para o lugar do Massa) ele iria “hoje mesmo”!!

    Imagine você, em crise com a sua namorada/esposa e ouve um “amigo” dizer que tão logo ela te largue ele vai “chegar nela”…

    Tremendo ‘fura-olho’!!

    Amigo da onça esse RB hein? Depois reclama da “torcida”…Preocupado com o Massa, o RB?? Não seria melhor se ficasse quietinho? Será que ele acha que ninguém estava ouvindo quando ele falou isso? E que Massa não ficará sabendo?

    Deixo uma pergunta: Se você, caro leitor fosse diretor ou presidente da Ferrari, e mandando Massa embora só tivesse a opção de trazer um ex-piloto da equipe para correr em 2013…Suas opções ficariam restritas aos pilotos que estão em atividade…Quem vc traria de volta? Barrichello, Kimi ou Schumacher?

    • Não vi isso não e nem acredito que ele tenha falado isso. RB é conhecido como bom caráter, apesar de se fosse fato consumado, outro vai para o lugar não há mal comportamento nisso. É o caso de, se eu não for, outro vai!!!
      Vi o RB dar conselhos sobre relaxar e ir pra cima, porque capacidade para isso ele tem. e eu concordo, sempre teve braço e acho que é mais psicológico.
      … Se… bem…. que o Piquet, disse que perdeu meio segundo depois da pancada que deu na F1 e defende que isso aconteceu com o Massa. ele acha que é irrecuperável.
      Espero que não, mas duvido de nada que o Piquet fala, esse sempre foi autentico mesmo que custasse caro e ensinou isso para os filhos…. ( hum!!!)

    • acho difícil o Rb voltar pra Ferrari, ainda mais depois daquele episódio de que “dizem” que se ele não cedesse a vitória para o shumi, a família dele sofreria as consequencias lembre?

  • Flávio, os pilotos de Formula 1 não tem opiniões politicas formadas pois são filhos de uma certa burguesia e depois de estarem lá se tornam burgueses tb, então ficam com aquela de “Politicamente corretos” e assim não são como um Niki Lauda ou outros que se reuniam e diziam: “Não vamos correr” e ponto. Mas como vc diz, nenhum deles nem macho nem de palavra para dizer que não vai fazer, eles são filhos de patrocinio, e como tem essa política babaca, acabam nesse tipo de encruzilhada!

  • Teve uma corrida que só “meia duzia” participou…foi nos EUA uns anos atrás…Alguém lembra o motivo?

    Acho que esse tipo de atitude (boicotar corrida em determinado país) daria certo se partisse das equipes, não só dos pilotos.

    Equipe é “pessoa jurídica”…($$$$$$$$$$$$$$$$$$)

    • Essa Foi por causa dos pneus.
      Não era causa politica.
      Mas teve na Espanha, em Montijuïc, por falta de segurança liderados pelo Emerson, deram a primeira volta e pararam. Foi uma corrida que o Moco chegou em segundo e O Rolf Stommelen, fraturou as pernas. foi trágico e a corrida foi interrompida. Eram outros tempos. Mas era outra época. Nos EUA, foram algumas equipes que defenderam a segurança. Piloto, não.
      Apesar da GPDA nenhum pode fazer nada por força contratual.
      Abraço, a todos!!!
      Dawton

    • eles não correram por causa de um problema que aconteceu com a fabricante de pneus; parece que só correram os pilotos de uma só marca de pneus e os outros se recusaram; claro que ficou feio pra todo mundo né?…

  • É engraçado, no Brasil pode ter copa do mundo e “olimpiádas” com o nosso dinheiro, enquanto nesses eventos vamos gastar cifras que podem passar dos 40 BILHÕES, muitas pessoas morrem sem hospitais, crianças ficam nas ruas por falta de escolas e por falta de alguma ocupação benéfica culturalmente, a segurança é pífia, mas mesmo assim tinham 60 MIL BABACAS NA PRAIA DE COPACABANA comemorando o fato de que “GANHAMOS O DIREITO DE SEDIAR AS “OLIMPIÁDAS”, e tão absurdo quanto foi ver vários atletas comemorando também, o que esses atletas CHUCROS estavam comemorando? se eles que são tidos como exemplos deveriam ser os primeiros a boicotar tal evento não sabem que ganhando o direito de sediar os jogos NÓS seremos os grandes perdedores, eles que tem voz ativa ou deveriam ter, estavam lá comemorando como idiotas que são, não disseram nada, os 60 MIL BABACAS que estavam na praia naquele horário é que não iriam dizer não é? só nos resta contemplar o show da midia, e como sempre lamentar os mortos por falta de hospitais, os mortos por falta de segurança, os criminosos formados nas ruas por falta de educação.

    VIVA A COPA, VIVA AS “OLIMPIÁDAS”

    • Pão e Circo.
      Mas o vexame etá a caminho!
      São aquelas coisas ufanistas e irresponsáveis que temos por aqui.
      Ja pensou os europeus voltando para casa com dengue, sem câmera fotográfica que trouxeram, sem cartão de credito que foi bloqueado pq erraram a senha 3 vezes.
      Ma o pior é que nao temos futuro, as crianças passam de ano sem saber a matéria, a saúde brasileira, “só a dos atletas”, e transporte…. sei lá . Hoje mesmos vi o UOL que ‘Contrato do monotrilho (Trem bala) preve entrega para 15 dias apos a copa começar’
      vai aparecer alguém para desmentir. … E naturalmente pagar mais para sair a tempo… e vai.!!! Vaii Vaaiiiii!$!$!$!$!$!$!
      Torço para dar certo mas acho que nããããoo!!!!
      Vamos falar de automobilismo!!! mas que hj é so Bu$ine$ é também!!!
      melhor não, né?!!!!
      abraço

  • Torço contra a ferrari e a seleção brasileira (seleção cartolagem). A ferrari por denegrir o esporte, não vou perder tempo para relembrá-los, e seleçãozinha que vai perder feio pela cartolas fétidos e a babação ou massificação em torno desse babaca do neymar; mané. Dali MCLAREN E MESSI.

  • Por outro lado, se quase todos os pilotos NÃO CORREREM, seria uma oportunidade do Massa pontuar. Ele contra ele mesmo… E se tiver sol, a sombra do carro chega na frente dele. “Massa, his shadow is faster than you. Please, confirm that you understand”.

  • Eu acho ótimo que vai ter GP no Bahrain. Existirá melhor oportunidade para o povo daquele país atrair a atenção da opinião pública mundial a respeito do que acontece lá? Pra mim cancelar o GP é esconder, jogar pra debaixo do tapete. Guerrilheiros, sejamos inteligentes! Deixa levar o pilotal pra lá, sequestra uns 3 ou 4. Rouba equipamento das equipes, taca fogo no mega motorhome da Red Bull e invade a pista no meio do GP. De preferência pelado. Que o Bernie dê uma chance de ouro pros sofredores do regime!
    E sem hipocrisia, por favor. Nesta Terra não há santo. Se for olhar no detalhe, melhor cancelar todos os GPs de uma vez e vamos todos nos unir, arregaçar as mangas e bater panela no Congresso ou acampar na frente da ONU em Genebra. Já que somos todos tão politizados, que tal dar uma olhada no que o seu vereador, deputado estadual, deputado federal, governador e presidente anda fazendo?

  • Infelizmente na F1 e como na maioria dos esportes, o astros principais, ou seja os esportistas nao podem mais falar absolutamente nada, pois os contratos milionarios nao permitem, vedi os pilotos da Ferrari sempre a PR atraz deles com o gravador para saber o que estao falando,
    Se falar mal, vem chumbo!!!.
    Antigamente alguns tinham peito, vedi Emerson, Stewart, etc., outros tempos.

  • aqui no Brasil temos falta de hospitais,temos falta de escolas,temos falta de saneamento basico em certas regiões,temos crianças passando fome e fora da escola e vamos ter COPA DO MUNDO!!! rios e rios e rios de dinheiro do povo na mão das empreiteiras em obras superfaturadas…mas é futebol… AI PODE!!! e porque no Bahrein não pode ter F1? é facil olhar a sujeira do vizinho e jogar a nossa embaixo do tapete.

      • Pô, desculpa aí Nelson, se eu acordei os teus neurônios. Faz o seguinte, evita ler, imagino o tremendo esforço que você faz pra isso. Descansa aí, mantenha o cérebro desligado como sempre.

      • Pacheco:voce não entendeu:eu estava te elogiando pois foi um belo comentário.Fiquei até muito surpreso porque foi a primeira coisa boa que li de voce.Agora avisa para o seu amigo aí,o pachequinho,que seria muito legal um desafio com carros iguais em interlagos ou rio para ver a surra que ele ia levar do GAGÁ.

  • ue Flavio,aqui no Brasil morre criança de fome,morre gente nas mãos dos bandidos,morre inocente na mão da policia,morre torcedor em confronto de torcidas organizadas e nem por isso cancelam o SANTO,O SAGRADO,O ENDEUSADO JOGO DE FUTEBOL.

    • Andre de Itu,

      Perfeito o teu comentário! A Formula 1, como qualquer esporte, ou melhor, espetáculo multi-milionário, vai onde a verba rolar e pronto. O Schumacher, em 2001 não queria ter corrido na prova disputada na semana seguinte aos atentados de 11 de setembro ( não lembro agora qual foi ) e foi ameaçado até de não receber o troféu da temporada no final do ano, caso não alinhasse naquele grid.

  • Pois é, Flávio, neste ponto nem dá para defender o automobilismo e a F-1 de antigamente que eu sou viciado, já que salvo enorme engano meu, nenhum piloto negou-se a correr o GP de Kyalami na tenebrosa época do Apartheid.

  • Classifico a Formula 1 da seguinte maneira, primeiro a administração que tornou uma categoria com pouco ou sem lucro nenhum, sendo disputada praticamente na Europa sem repercussão mundial para um negócio lucrativo para o mundo todo, no mundo dos negócios valores ou princípios não são considerados, portanto não podemos analisar em âmbito político, social ou princípios individuais.
    A segunda é o esporte em si, que pelo meu ver deixou de ser no inicio dos anos 80 e até hoje não voltou a ser, sendo um negócio de equipes e pilotos onde o que reina é o dinheiro.
    A população é avessa a realização da corrida por fins políticos como maneira de protesto para atingir o governo local.
    Segurança não vejo muita diferença, porque em qualquer parte do mundo ninguém está seguro.
    Pilotos eles não tem peito de se recusarem a correr em condições extremas (pistas sem condições) levando a segurança pessoal além do limite, creio que neste caso não vão nem comentar a situação politica.
    Como estamos fora do ‘circo’ a nossa percepção, princípios éticos morais e revolucionários serão somente para titulo de comentários, se fossem seguidos a risca não assistiríamos a corrida o que certamente muitos iram fazer.

  • Pronto… ajeita-se a exclusão do Bahrein e coloca o circuito de Paul Ricard, que dessa forma não precisaria ficar revezando com SPA…
    Já tem corrida em Abu Dhabi, India (outra coisa ridícula, pois é um absurdo também o que acontece naquele país, no tocante às diferenças sociais, assim como no nosso) e algum outro Alibabá…
    Deixem os circuitos tradicionais retornarem ao cenário da F-1…
    Absurdo por absurdo, poderia-se revesar Anderstorp com a India, já que querem correr no Bahrein….

      • Se eu fosse pajé no automobilismo mundial, chutaria os fundilhos do Sr. Hermman Tilk e dos donos dos autódromos projetados por ele e negociaria o retorno de pistas tradicionais. Essas pistas modernas dão um show de beleza pra turistas verem em detrimento do esporte. O problema é que a crise na Europa inviabiliza prováveis reformas e atualizações necessárias em alguns autódromos. A F1 bem que podia dar uma “forcinha” nessas questões. Que piloto não gostaria de correr em pistas consagradas? A F1, por tendência, vai onde o dinheiro está, não se importando se a pista é projetada para procissão ou corrida de verdade.

    • Infelizmente está claro, pelo menso para mim, que o Massa depois da “molada” na cabeça nunca mais foi o mesmo…Passou de um piloto razoável (quase campeão mundial em 2008, não fossem as cagadas da Ferrari anteriores ao GP Brasil), a um piloto medroso, sem confiança.

      • Mas Fabiano,

        Com isso você quis dizer o quê, exatamente? Que o Massa é medroso e sem confiança para dizer “não corro” ou é medroso e sem confiança à ponto de não correr mesmo?
        Porquê é preciso coragem tanto pra resolver não correr, quanto pra correr.

      • Enko, você quer dizer que o Título de Piloto de 2008 foi perdido pelo Massa???
        Concordo com você que o Felipe cometeu erros, mas, tente lembrar de alguma corrida em que a Se Ferrari cometeu algum erro com Dick Schumacher! Ou com o Choronso Vigarista!
        Pimenta nos olhos dos outros é refresco!!!

Por Flavio Gomes

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil, onde ficou até dezembro de 2020. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

abril 2012
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930