MENU

Tuesday, 5 de June de 2012 - 20:27F-1

PURINHA

SÃO PAULO (valente, meu carrinho) – Buenas, macacada. Passei o dia fora, tomando chuva de Fusca na estrada, e por isso verificou-se um certo abandono bloguístico ao longo desta terça-feira gelada. Mas vamos colocar as fofocas em dia, começando com a imagem do V6 turbo 1.6 que a F-1 vai usar a partir de 2014. Foi divulgada pela PURE, empresa de Craig Pollock, ex de Villeneuve. Quem vai usar esses motores? Provavelmente as nanicas, porque não se tem notícia de nenhuma grande atividade da Cosworth no sentido de fabricar as novas unidades da categoria.

O desenho não diz grande coisa, é apenas o que é, um desenho. E para quem imagina que a F-1 não é coisa para motorzinho, que motorzinho é coisa de dentista, melhor não se iludir. A F-1 já usou motores pequenos no passado. É apenas uma adaptação aos novos tempos. O que quero ver (ouvir, na verdade) é o ronco. Achei o da Indy horrível, no Anhembi.

37 comentários

  1. Zeno says:

    Adorava ver o som do BMW 4 cilindro turbo o motor mais potente da história da F1.

  2. Cyro De Cicco says:

    Me lembro da época que só tinha motor aspirado e que a maioria do grid usava V10. Minardi usava V8 ford e acho que a Ferrari e a Lamborghini usavam seus respectivos V12. Era lindo estar no retão de Interlagos e ouvir as variações da simfonia. Saudades!
    E também me lembro da época da gastança geral na F1, com carros reservas e warm up e o escambáu. Nego ía pra volta de instalação com um carro, voltava pros boxes pegava outro e enfim decidia com qual carro iria largar. Uma F1 de muita esbanjação e diferenças entre equipes, mas que tinha algo de grandioso, magnífico.

  3. Gustavo Reis says:

    Curioso. Trabalhei como bandeirinha na Indy e o Jim falou que ‘quem gosta de corrida de carro ia gostar dos novos motores da Indy’… que, segundo Jim, ‘o ‘its sounds really manly’

    eu não achei nada mto empolgante.. mas o cara achou ‘manly’.. vai entender…

  4. Filipe says:

    Deve roncar bonito, Flávio. Terá os giros limitados a 12 mil RPM.

    Os V8 atuais são lamentáveis justamente pela faixa de rotação que vai a 18 mil.

  5. Peter Losch says:

    Não se iludam: no passado, motores 1.5 turbo podiam gerar até 1.200 cv… Quanto ao som, espero que deixe de ser tão agudo quanto é hoje em dia. Cinco minutos escutando estes motores, ao vivo, e você é obrigado a tampar os ouvidos de tanto que eles doem.
    Não gosto de motores pequenos, mas tenho esperanças de que o show continuará.

  6. LUZ PRATA says:

    este motorzinho Pure sera uma Pura Merda…o motor 147 – turbo sera outra Porcaria,eles NUNCA conseguiram fazer um motor turbo que presta-se…hahahahrsss,a Coswhorth nao tem + tecnologia,..e nem $…o Renault Turbo sera decente…agora o MELHOR do GRID ? MERCEDES BENZ. TURBO…alguem duvida ? valeu.

  7. Os saudosistas que me desculpem. Ronco tinha esse V10 dos anos 90. Afinadíssimo.
    http://www.youtube.com/watch?v=m27xXVgg1nc

  8. Sandro says:

    Isso é totalmente verídico, o ronco dos motores da Indy são feios demais, muito chôcho(?).

  9. Luiz Morais says:

    Os motores da década de 80 eram sempre 1.5 quando turbo e nas mais variadas configurações, teve 4L, teve 6L, V6, V12 (Ferrari e Alfa que não empurravam nada), com roncos bem diferenciados também.
    Se for para colocar os motores turbo com as mesmas regras de confiabilidade de hj e a potência continuar em torno dos 800cv tudo bem.
    O que não dá é para o cara vir com 1400cv para treino, estourar um motor a cada sessão e depois na corrida, cair para 800cv. Diga-se lembro de um carinha aí que faliu uma equipe de nome Toleman estourando um motor a cada 15 voltas em treinos, rendendo perdas de 3 a 4 motores por fim de semana de corrida.

    • Luiz Filipe says:

      Isso não vai acontecer porque a troca de motores vai permanecer sem proibida, ou se for necessária a troca por motivos técnicos, continua a perda de 10 posições no grid. Como é atualmente. Se ouver interesse, Porsche e BMW, têm uma longa tradição em motores turbo na F1, ambas já foram campeãs. Quanto ao uso dos mesmo motores da F1 em Le Mans a partir de 2014, acho difícil, motor para aguentar 2 h de corrida é muito diferente de motor para aguentqr 24h.

    • Sergio Milani says:

      Opa! A questão da Toleman foi falta de pneus….o motor Hart não era lá grandes coisas, mas era utilizado basicamente pelas pequenas e acabavam fazendo umas gambiarras para botar para funcionar. Então, o que se quebrava de Intercooler e turbina era uma beleza….

  10. Marco says:

    É esse que vai ser ussado tbm nos prototipos de Lemans em 2014

  11. Helton Garcia Fernandes says:

    Putzzzzzzzzzzzz
    Imbecilmente já afirmo que não vi e não gostei…
    Minha moto é 1600 CC, o carro da minha mulher é 1.8, o carro da minha sogra tb.
    Carro de corrida tem que ter motorzão, ainda mais de F1 ou de Indy…
    Saporra vai dar certo, vai andar muito, provavelmente vai chegar fácil na limitação de giro, sei lá se são 14.000 ou 15.000 rpm, os dentistas vão adorar, mas ainda acho que tem que ter motorzão, V8 de 3.5 pra mais…

    • JJ Lento says:

      Os 3.5 V10 eram muito bons. Deveria ter ficado nisso. Essa história de que é pra baratear a F1 não é verdadeira. Se fosse pra baratear, tinha que começar pela aerodinâmica simplificada ao máximo. O que se gasta de dinheiro em pesquisa e túnel de vento ainda é o diferencial das grandes pras pequenas.

  12. Ataíde says:

    já começa desatualizado,onde já se viu um motor novo sem injeção direta?

  13. wilson carpini says:

    parece ser um turbo para alimentar duas bancadas de cilindros… o ronco do motor turbo é mais grave do que o aspirado, que é bem mais agudo… resumindo, o turbo fala mais grosso e o aspirado grita mais….
    sobre potência, nos reportemos ao gp da frança de 1979, quando Gilles Villeneuve a bordo de uma Ferrari V-12 3.000cc duelou contra Rene Arnoux com uma Renault V-6 1.500cc turboalimentada…. Gilles ganhou o duelo não por causa do carro, mas pq era mais destemido, louco, sem juízo, genial, fantástico, incrível e inigualável…

  14. Ricardo Arcuri says:

    Eu confesso que estou interessado no que vai dar essa historia do motor deles na F-1. Pollock mandou bem enquanto esteve na frente do projeto da Le Mans. Pode ser um fator, quem sabe.

    Sobre os motores pequenos, completando o que o Flavio falou: nos anos 80, eram motores 1.5 com ate 1400 cv. Basta agora dosar com uma pressao de turbo bem baixa (naquela epoca eram de 3 bar. Hj podem ser ate 1.3 sem problemas. Basta ver a Indy)

  15. Maxwell B. Medeiros says:

    Acho esdrúxulas essas comparações entre fabricantes. A P.U.R.E é uma empresa nova, não tem história e nem tradição de fabricação de motores. Vai ser um tiro no escuro saber se ela fará um bom trabalho ou não. Ela vai estar associada com a Meca-chrome, que já fez versões B de motores Renault para a Willians(que aliás, não prestaram).

    Para construir um bom equipamento, eles precisam ter uma boa equipe de engenheiros e orçamento suficiente para fabricar e desenvolver motores. Eles tem esses dois requisitos?

  16. Jr. says:

    Eu penso que a F1 deveria liberar a construção dos motores ao invés de ressuscitar os motores turbo. Quem quiser usar V10, use. Quem preferir continuar com os V8, tudo bem. E um V12? Sem problema. Do fim da era turbo até 1995, foi a fase mais bacana da F1 recente com relação ao assunto. Motores V10 (Honda Renault), V8 (Ford, Judd), V12 (Honda, Ferrari), uma verdadeira orquestra sinfônica de motores. A F1 de 96 pra cá, pra quem curte de verdade o ronco da alma destas máquinas, tá muito sem graça. Era só dos V10, era só dos V8 e agora de volta em 2014 os V6-turbo. O tipo de construção deveria ser liberado, mas com regras bem claras quanto a limite de giros, eficiência energética, etc..

    Se estão todos preocupados com diminuição de custos, por que ao invés de continuarem utilzando gasolina, não passam a usar o álcool (assim como o FG, detesto essa viadagem de “etanol”), como na Indy? O problema é o lobby das petroleiras européias (Shell, Total, Elf)…

    Concordo com o FG em relação ao ronco dos motores da Indy. Infelizmente os V6 da F1 vão roncar igualzinho.

  17. Marcelim says:

    Motor turbo tem um barulho abafado, como se tivesse com uma mordaça, é mais grave. Os aspirados com maior número de cilindros tem um ronco mais musical, mais agudo. A vantagem de se misturar turbo é que estes rendem mais (os 1.5 l rendiam mais do que os V10 e V12 3.5 litros), mas quebram mais…. vai equilibrar ainda mais a bagaça.
    Sem contar que a molecada terá que reaprender a pilotar esses motores “quadrados”.

  18. Tô ligado says:

    Caríssimo FG

    Eu sei a resposta, mas algum desavisado vai achar estranho o texto…

    “ex de Villeneuve” o quê? Chofer, mordomo, marido, amante, compadre, senhor feudal, cunhado, fornecedor de entorpecentes, parceiro de pôquer?

  19. Sanzio says:

    Achei até que mais ou menos os da Indy. Comparando com os GTs lá da Indy, não é aquele escape arrombado como o do Maserati, mas também não é aquele agudo irritante da Ferrari.

  20. José Brabham says:

    Piquet foi bi com um quatro cilindros com 1500 cc… e uns 1200 hp. Não tenho nenhum preconceito com baixas cilindradas e poucos cilindros.

    Ouvi o ronco deste BMW de Piquet em 85 no saudoso Jacarepaguá. Também não era nada mal…

    • Carlos Trivellato says:

      Eu também estava lá! Do ronco, sinceramente não me lembro, mas que o carro era lindão, isso eu me lembro muito bem, parecia uma flecha rasgando o retão de Jacarepaguá.
      Bem, V6 ainda terá um ronco razoável, com certeza, mais o “assovio” do turbo, assim como os carros da antiga equipe Ram, alguém se lembra? Não andava grande coisa, mas era o que mais se ouvia o turbo em funcionamento.

    • Luiz Morais says:

      O Piquet ganhou um só com o BMW 4cli turbo. O primeiro campeonato foi de ford V8.

  21. Alexandre says:

    Nos anos 80 os motores turbo eram 1.5 e o ronco era lindo,

  22. Luque says:

    Meus amigos,só pra lembrar:
    A Lotus-Renault 97T,de 1985,com que o Senna correu,e ganhou a sua 1ºcorrida na carreira,
    tinha “só” 1494 cc,com 2 turbos,que despejavam 810 hp na corrida, e no treino classificatório
    “apenas”1300 hp por pouquissimas voltas.Motor de pequena capacidade volumetrica não significa tranqueira não.A Renault já tem a receita…..Vamos ver o que vem por aí.
    Luque

  23. Fábio Eduardo says:

    Puts… acho que não vai prestar…

  24. Vinícius Lucas says:

    FG, acho que ficarão bons, até os BMW L4 1.6T tinham um som bom, e se não me engano, os novos V6 chegarão a 14 mil rpm.

  25. Alan Ruggero says:

    Oh loko, horrível o som dos motores da Indy?

    Bom, certamente a F1 está preocupada com a barulheira desse novo motor 1.6 que irá equipar os carros da categoria. O som agudo atual deverá cair fora. Normal, as coisas mudam. As pessoas precisam se acostumar a isso. E aposto que em no máximo 10 anos os motores elétricos estarão equipando pra valer esses carros, para tristeza de uns, alegria de outros.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *