MENU

Saturday, 15 de September de 2012 - 15:19Automobilismo internacional

MEIA-DÚZIA DE HORAS (5)

SÃO PAULO (voltaremos) – Metade da corrida já se foi e a Toyota continua na frente, com os dois Audi na escolta. Ainda aposto nas quatro argolas, mas pode-se dizer que nunca os alienígenas nipônicos deram tanta pinta de que podem vencer como hoje, em Interlagos.

A foto acima, do Rodrigo Berton, mostra os dois prateados na largada. Embaixo, o líder da prova até agora. O Grande Prêmio segue a prova ao vivo com equipe completa no autódromo. É só acompanhar por aqui.

14 comentários

  1. Queria dizer, que sai de Florianopolis as 18:25 da tarde na sexta feira, viajei toda uma noite, para poder curtir um tipo de corrida que “EU”, por ser das antigas, sempre curti os sport-prototipos o Mundial de Marcas, mais por ser um modesto trabalhador estou longe de ir numa 24 horas de Le Mans, cheguei em São Paulo 6:00 da manhá de ai peguei o Metró sentido Jabaquara, saltei ai perguntei como chegar no Autodromo,me informaram que era na plataforma “F” peguei o onibus linha 695x-Jabaquara-Varginha, levei uns 50minutos de viagem, cheguei cedo ao autodromo, e valeu a pena pelos comentarios das pesssoas, confesso não tive nehum tipo de problema comprei pelo LIVE-PASS, tudo certinho para minhas espetativas, estava cansado mais quando entrei na arquibancada “M”, me senti realizado.
    O chato para mim e ver que quem estava nesta arquibancada não tinha direito ao Parque a roda gigante, uma praça de alimentação horrivel onde fui obrigado a comer um cachorro quente sem molho, pura batata palha e catchup. muito pobre, imagino que em Lw mans deva ser bem melhor tudo isto, alias este foi pelo que vejo um grande premio classista onde o pobre não tem o direito de ver um carro (que para mim na minha idade era a primeira vez que os via de perto, ou curtir um parque de diversão a pesar de ser ja uma pessoa de 59 anos, os challenger so na corrida mesmo, porque ver eles de perto no boxe, estavam escondidos do lado opostoaos boxes da supermaquinas.
    Asistí uma corrida na qual mal entendia o locutor, sinceramente não entendo como se coloca uma pessoa que mal falava portugues é mal, o placar foi duro de saber quem era quem estava na frente, valeu pelo visual o ronco dos motores, sai dai contente de ver de perto uma corrida do Mundial de Marcas.
    Sai de ai perguntei aos fiscais de transito onde pegava meu buzão para Jabaquara, infelizmente tive que ir em pé depois deum dia duro e demuitas horas sem descansar, tomei o meu metró, saltei no TIeté na Rodoviaria, tinha deixado a minha mochila no guarda-malas,perguntei onde poderia tomar banho, me informaram desci porque era na plataforma de chegada.
    Chegando no setor de banhos, me deparei com um preço absurdo R$7,00, por um banho sujo com falta de higiene, si queria com toalha era R$10,00, falar o que, mais em fim queria
    relaxar depois de um dia cansativo.
    Fiz um lanche na Rodovoaria, depois fiquei esperando na sala da Catarinense até as 22:45, horario do embarque, cheguei em Floripa as 9:55 de hoje domingo, ai mesmo peguei um Garopaba,para enfrentar mais 45 minutos de onibus.
    Olha valeu pela experiencia, gosto de roncos de motores, corridas, amante da velocidade.

    SO LAMENTO QUE SEJA UM ESPORTE TÃO CLASSISTA É QUE O FÁ NÃO TENHA DIREITO A VER DE PERTO ISSO QUE QUIZÁ SEJA MINHA UNICA VEZ QUE OS TENHA VISTO TÁO DE “PERTO”
    DESABAFO DE UM AMANTE FANATICO POR CORRIDAS.
    UM ABRAÇO…VALEU…..
    Ovidio

  2. carlos eduardo alves dos santos says:

    porrâ flavio gomes fala da indy meu , ontem acabou o campeonato boa corrida e você so fala o que interessa a midia ta parecendo o milton neves comenta alguma coisa meu

  3. Eduardo Daniel says:

    Vi na TV as 6 horas inteiras. Foi pouco! 24 horas em 2013 já!

  4. Marco Gavioli says:

    Sou de Fernandopolis-SP. Amante do automobilismo. Trabalhando na capital momentaneamente. Vou de 15 em 15 dias para casa, e estando na cidade, fui à corrida. Como não tinha certeza, não comprei ingresso antes. Encarei a fila, e que fila. Cheguei por volta das 9:30h. Procurei um fiscal, alguém com credencial para perguntar, “onde se compra ingresso aqui”? Não, não econtrei ninguém. Fui ao ultimo lugar da fila, e perguntei ao garoto, qual fila era aquela.
    -é para retirar ingresso comprado e comprar também
    -muito obrigado, é aqui mesmo.
    Passaram-se 30 minutos, e a fila só aumentava.Passava das 10:00h, me preocupei. Aquilo não fazia sentido, fui várias vezes na F1, será que havia mais público hoje? Sei…
    Passados longos 45 minutos na fila, chegou minha vez: NINGUÈM organizando a fila. Pode? Apenas as folhas A4 grudadas com Tenaz na parede de alvenaria do Templo:
    -CARTÃO
    -DINHEIRO
    Que porra, ninguém para orientar os pobres da fila, informando os famosos:
    -guichê 1, vamos lá, está livre, rápido pessoal.
    -guichê 3, rápido gente, tem muitos esperando, comprem rápido
    Que nada. Gente parada perguntando onde era a fila, onde era o inicio, se podia comprar com cartão (a A4 de longe é ridiculamente pequena), e por ai vai.
    Comprei o ingresso, rumo ao Templo. Perto das 11:00h. Comprei um espeto de carne. Gelado, parecia que estava num freezer, mas meu animo era gigante. Bólidos alinhando, adrenalina subindo e tal, pagode rolando. Pagode? Sim, pagode, tudo a ver com velocidade. Não vou aqui defender um english rock, longe disso. Vou ser bonzinho, um Capital Inicial estaria de bom tamanho, ótimo tamanho. Pagodão rolando, carros alinhando.. Vamos lá, vamos ao que interessa, a corrida. Foda-se o espeto gelado, a fila e a falta de preparação com a compra de ingressos. Largaram. Uau, Toyota na frente, os Audi parecendo os Copersucar e Ferrari do meu Autorama logo em seguida. Fotos e mais fotos, me esbaldei. Lindos os carros, queria um shot do grande Físico, consegui. Resolvi passar pelo túnel, algo que na F1 não consigo, e lá fui eu. Stands da Audi, Chevrolet, Kawasaki, Jovem Pan, parque de diversões. Coleções, raridades, muito bonito. Valor das lembranças? Não, nem vamos tocar nesse assunto, sem contar a qualidade das nacionais, das 6h de SP, impressionantemente horrorosas.
    A corrida: no stand da Audi pude acompanhar as posições. O que? Mas e no autódromo, não daria para acompanhar? NÃO, NÃO DÁ PARA ACOMPANHAR A CORRIDA, AS POSIÇÔES DOS CARROS! Será que ninguém consegue perceber isso? Após acompanhar no stand da Audi, vi que a Toyota, como eu suspeitava, estava em primeiro. Ai eu disparava meu cronometro na reta dos boxes, tentando acompanhar a corrida. Isso é ridículo, pela tela pequena no inicio da reta não conseguimos acompanhar, é necessário uma grande torre/placar como Indianapolis, com o score de tudo, todos os carros/pilotos para conseguirmos acompanhar.
    Por fim, não entendo sua disparidade em relação ao público, aliás a grande disparidade. Ouvi pelo serviço de som do autódromo, que 18 mil ingressos havia sido vendido, e 7 mil na hora. Portanto, 25 mil pessoas. Agora, no site oficial da WEC, no inicio do texto há a informação de que mais de 30 mil pessoas foram a corrida, não entendi.
    Isso ai, mostramos nossa força, a categoria e corrida vieram para ficar, em 2013 se deus quiser estarei aqui. E parabéns ao Corolão.

    Grande abraço,

    Marco Gavioli-Fernandopolis-SP

  5. Rui Pastor says:

    Eu fui. Eu e mais dois velhos amigos. Compramos no Site oficial da prova, através do cambista internético. Era 70 reais (arquibancada cimentão) mais a tal taxa de conveniência, que elevou para 80 e uns quebrados. Entregam em casa? Não, retira-se diretamente na bilheteria. Hum… sei não. Vamos de trem pergunto alguém. A estação Autódromo é longe do autódromo, lembrou alguém… mas terá uma van… hum… vamos de carro. Fria total pois onde estacionar… doutor, doutor, aqui 50 reais pagos adiantados… era para estacionar numa oficina mecânica! Pensei, por 50 reais devem trocar o óleo e fazer rodízio de pneus… andamos um pouco mais e fechamos em outro lugar por 40. Nossa, somos fodões! Chegamos na entreda do setor A e descobrimos que deveríamos ir para as bilheterias para trocar o papelzinho do cambista oficial pelo ingresso… lá fomos nós. Lá chegando, um fila. Puxa, pensei, esses tontos na fila… nós pegaremos nossos ingressos e logo estaremos dentro do autódromo. Quanta ingenuidade! Tínhamos também que pegar a fila. A mesma fila de quem tinha comprado pelo cambista oficial ou que compraria na hora, sem a taxa de conveniência… Que bosta e que otário que somos… 50 minutos de fila… perdemos a visita dos boxes… e já começamos a ouvir o ronco dos motores… corre… voltamos para a entrada do setor A… revista… entramos! Ufa, tava bem vazio o nosso setor, então lugar tinha de sobra. Fomos no banheiro que estava funcionando, com água, sabão e papel toalha. As torneiras das pias foram recém colocadas pois estavam novinha. Tinha até um funcionário limpando o local… bacana. Belos carros, pit girls lindas, ronco dos motores maravilhosos, samba da mocidade alegre(?) animando o público, hino nacional com uma cantora que não errou a letra, um momento de reflexão com um pastor (não é meu parente) imitando aquela reza da nascar, e a corrida que foi legal… eu gostei. Descobrimos que o número mágico da prova era o 5: cinco reais a pipoca, o sorvete, a água. Mais caro que no Pacaembú. Voltaremos novamente para assistir uma outra prova? Não sei… mas uma coisa eu digo: nunca mais cambista oficial. Livepass: um serviço que foi um lixo.

    • foxtixo says:

      Aconteceu o mesmo comigo. Este é o verdadeiro motivo do menor público a cada evento. É a falta de respeito no lado de fora do autódromo. Um evento que não tem estacionamento? Uma bilheteria em que você nem consegue ver quem está te atendendo? Comprar na internet mais caro e ter de entrar na fila para comprar? Só neste país mesmo. A cada evento haverá menos gente do que no anterior, por melhor que a corrida seja. Quem não foi neste, provavelmente já passou por isso no anterior. Estamos muito atrás do resto. No próximo, também não sei não…

    • Marcelo Pacheco #49 says:

      Comprei pela internet e retirei la numa fila que nao durou 5 minutos, mas cheguei la 8:30. O número era realmente 5. 5 conto a agua de 290 ml é de fuder., a mesma em qualquer ponto do complexo, alguem monopolizou a venda de bebibas.. e tomei umas 5! 5 tbm era o preço da pipoca, do churrus e do pequeno saco de amendoim, fiquei só com a pipoca. Ah, o x salada que comi custou 12 hehe.
      Sobre o estacionamento não tive problemas pq do hotel em frente ao aeroporto fui de taxi por 35 e voltei de busão por 3 pila.

  6. sergio says:

    Boa noite, Flavio.
    Acabei de chegar em casa neste exato instante.Vim de Interlagos.PQP!!!!!! Corridaça!!!!!!
    Cheguei cedo, e no setor M onde eu estava acho que teve uma lotação boa. Esse setor começava em frente aos boxes da Ferrari Forti Corse e ia até quase a entrada do S do Senna.Uns 15 minutos antes de começar a corrida até umas 02 horas depois, ali tinha um bom público. depois disso todo mundo se escafedeu. Não vou criticar não, mas se não der na Globo, ninguém vai dar muita importancia, e então não aparece.Tem gostar mesmo da coisa…Epa! O telão ficava um pouco longe e o sistema de som tava meio fraquinho.
    Mas PQP!!!!! Ouvir as Ferrari 458 chegando no final da reta dos boxes, reduzindo 03 marchas à partir da placa de 100 mts para fazer a tomada do “S”, arrepiava até os pelos do
    s…uvaco. Tudo bem, eu e meu filho Fabio fomos para ver a Toyota e os 02 Audi, mas como não vibrar com a briga da Aston Martim com a Ferrari pela liderança da GTE Pro. Briga esta que teve um passão da Ferrari em cima do Aston no final da reta dos boxes que foi de arrepiar. Todo mundo vibrou, aplaudiu. Enfim Flavio, eu ainda não me desliguei completamente, mas foi um tremendo de um programa essa 06 horas. No silêncio da Audi eu vibrei mais com o urro das Ferrari 458. Abraços.

  7. Dionisio says:

    É Flavio Gomes…. o Corolla ganhou dos DKW.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *