MENU

segunda-feira, 24 de setembro de 2012 - 13:18Stock Car

NA ESTOQUE

SÃO PAULO (destino) – E Rubens Barrichello vai correr na Stock. Deu na Globo que ele disputa a Corrida do Milhão, a última etapa, dia 9 de dezembro em Interlagos. Mas o Victor Martins andou conversando aqui e ali e apurou que Rubens vai participar das três últimas, fazendo sua estreia em Curitiba no dia 21 de outubro (a segunda será em Brasília). O veterano ocupará a vaga aberta com a suspensão de Marcos Gomes por doping na equipe Full Time-Medley.

Barrichello continua conversando com equipes da Indy para o ano que vem, mas a percepção geral é de que nem ele se apaixonou tanto assim pela categoria, nem a categoria ficou encantada com seu primeiro ano por aquelas bandas. A presença de Rubens nos EUA não conferiu nenhum upgrade de status para a Indy, e seus resultados foram decepcionantes — nenhum pódio, nenhuma atuação exuberante, discrição total.

Assim que a informação foi divulgada na emissora oficial da categoria, pingou nas caixas postais de jornalistas especializados o press-release oficial com fotos e tudo mais. O mote é “ação social”. Rubens vai doar o cachê acertado com a equipe ao Instituto Barrichello Kanaan, que ele mantém com o colega Tony Kanaan para ajudar crianças, jovens e adultos carentes. O valor é de R$ 230 mil.

“O foco principal está sendo ajudar o instituto, além de uma realização pessoal que é pilotar um Stock Car”, declarou o piloto no material de imprensa, colocando a filantropia à frente da competição. Como sou chato pacas, fico achando que está tudo muito estudado, esse negócio de colocar a doação do dinheiro como principal motivação para sua participação na corrida, ou nas corridas. “Cachê filantrópico” é a manchete da matéria publicada no site da Globo, denotando o cuidado de todos os lados com a, digamos, natureza do empreendimento.

Talvez isso não precisasse se tornar público. Fica com cara de “ó, gente, só vou correr porque vai ter uma grana para ajudar os pobres, não me cobrem nada”. Acho desnecessário. Rubens tem o direito de correr do que quiser, e não tem a obrigação de ser campeão de nada. O que ele fez na F-1 está feito, é uma bela trajetória, que deve ser respeitada e admirada. Não será apagada por eventuais más campanhas em outros campeonatos. Quem conhece minimamente automobilismo sabe que as diferenças entre categorias são enormes, e o fato de o cara ter sido destaque na F-1 não faz dele necessariamente alguém imbatível com qualquer carro de corrida. Aliás, seu primeiro ano de Indy está aí para comprovar a tese.

Mas é que sou chato, mesmo. E no fim das contas, ande bem ou mal, seja caso pensado ou não essa preocupação toda em dizer que tudo não passa de caridade, é legal que algum dinheiro seja destinado a uma causa nobre. Olhando para o fato jornalístico com algum senso crítico, porém, a mim parece claro que Rubens pensa seriamente em migrar de vez para a Stock, categoria que ele sempre disse admirar, onde tem muitos amigos e na qual existe a chance de correr bastante tempo caso as coisas na Indy não evoluam. O que é uma possibilidade concreta, diga-se. Consta que os patrocinadores que bancaram sua primeira temporada americana ficaram decepcionados com o pequeno retorno do investimento — entre outros motivos, pelo tratamento dado ao campeonato pela Bandeirantes, que transmite as corridas para o Brasil. E, sem dinheiro de patrocinadores, Barrichello não tem como continuar na América de Cima.

130 comentários

  1. locha primo do chunda disse:

    é flavio gomes… vc ate que tenta, mas o rapazinho aí nao larga o osso….

  2. Dav disse:

    Acelera Rubinho da Stock

  3. Paulo Pinto disse:

    Vai, Rubinho! Vai, Rubinho! Vai, Rubinho! Vai pra casa, Rubinho!…

  4. Gus disse:

    A consequência é maior que a causa…ou seja: se ele quer botar na CARAS sobre a doação que fez, tanto faz, pode ter os maiores motivos excusos do mundo por de trás, mas o que importa – realmente – é que pessoas carentes serão ajudadas.

    Isso já basta, e boa corrida para ele! (o único problema dele é a igenuidade de falar demais, mas é um grande piloto, sem dúvidas)

  5. Rodrigo Suardi disse:

    Pessoal é besta mesmo.

    Alguém aqui conseguiu estar, em sua profissão, entre os 20 melhores do mundo por um dia??? Seja vc publicitário, jardineiro, médico, advogado, professor, cientista, padeiro, garoto de programa, poeta, minerador, jogador de futebol, vidente, etc….????

    O Rubinho conseguir estar entre os 20 melhores de sua profissão por 20 anos, em vários deles esteve entre os 5 melhores, na empresa mais concorrida e dividindo-a com o melhor de todos os tempo, chegou a superá-lo em alguns finais de semana. Além é claro de ter salários milionários, algo que acho que poucos conseguiram aqui, talvez nenhum e é o medidor de sucesso de qualquer carreira no mundo.

    Acho que se alguém aqui teve algo parecido na carreira que escolheu, talvez daí possa ter o direito de falar mal dele.

    Resumindo… simplesmente faça melhor na sua vida o que vc escolheu para fazer, nem que seja para ganhar o direito de falar mal de outro que conseguiu… além do que, com isso, vc poderá talvez, no final da sua carreira, ser chamado para trabalhar ganhando 240 mil pelo seu serviço de um dia e ainda sim poder usar esse valor de forma filantrópica.

    • Apache disse:

      Concordo e é o que sempre digo. Ele não enganou todo esse pessoal dono de equipe da F1, especialmente Frank. E ele foi um nível acima de Berger, o maior enrolão da F1.

    • Cassius Clay Regazzoni disse:

      Está na cara que Besta é você.

      Ora, ninguém tem de comparar o Barrichello consigo mesmo. Nós não somos pilotos e não estamos na F1.

      Barrichello tem de ser comparado com outros pilotos de F1.

      E digo que ele não foi ruim, mas está muito longe de ser um dos melhores.

      O problema de barriquetes como você é querer usar este argumento esdrúxulo para justificar o fato de que Barrichello sempre se portou como um otário na F1.

      Ele é um bom piloto, porém, nunca seria campeão, pois isto não está em seu DNA de eterno chorão.

      Para Barrichello e seus seguidores, a culpa dele nunca ter levantado a taça, mesmo correndo durante 7 anos em equipes de ponta, é sempre dos outros, nunca dele mesmo, por isso ele recebe tantas críticas.

      Além disso, o que sempre pega contra ele é o fato de ter aceitado correr na Ferrari como segundo piloto e querer dar uma de vítima dizendo que nunca ganhou de Schumacher porque era sabotado.

      Portanto, se ele não é respeitado e é muito criticado, a culpa é exclusiva dele.

      • Anonimo disse:

        “Nós não somos pilotos e não estamos na F1.”

        Exatamente. Nós não conseguimos 0,0001% do que o “chorão” conseguiu, mas temos o direito de criticá-lo de maneira agressiva e desrespeitosa.
        Sim, claro…

  6. Burrinho Batiquebra disse:

    Rubinho não tinha mais alegria para correr na Ferrari, sempre relegado ao plano de segundo piloto. Foi para a Honda, onde recuperou a alegria de correr, mas também não ganhou nada. Foi perdendo a alegria.

    Mas eis que Ross Brawn acertou um carro brilhante com base naquela Hondinha e criou a Brawn GP, o melhor carro disparado do grid. Rubinho então, recuperava a alegria de correr. Mas a alegria durou pouco: estranhamente, os freios utilizados pela Brawn se adaptavam apenas ao estilo do seu companheiro de equipe, Button. Rubinho foi perdendo a alegria de correr, terminou num reles terceiro lugar no campeonato mesmo correndo com o melhor carro.

    Mas, eis que surgiu a Williams e Rubinho recuperou a alegria de correr e fazer o que mais gosta em seu novo lar! Infelizmente, o carro era muito ruim e Rubinho, novamente, foi perdendo a alegria mais uma vez. Hulkenberg faria uma pole-position justamente em Interlagos, com Rubinho em péssimo terceiro lugar no grid. Rubinho não renovaria com a Williams, onde não havia mais alegria, e então o carro começou a melhorar, culminando com a vitória de Maldonado em 2012.

    Quando os detratores davam a carreira de Burrens como acabada, eis que ele ressurge e vai para a Indy. E eis que Rubens recupera a alegria e motivação para correr pela trocentésima duodécima quinta vez. Só que, mais uma vez, o destino não lhe sorriria: embora tivesse o mesmo chassis, pneus e motor do carro que foi campeão da temporada, o rei-dos-acertos, aquele que fazia os setups de Michael Schumacher em todas as pistas, não passou de um péssimo primeiro lugar na classificação geral, porque sua equipe era muito ruim (!). Rubens começa a perder a alegria de correr e começa a reclamar da equipe, do carro, do Obama…

    Mas aí, surge a Stock Car. Novamente, carros iguais, chassis tubulares, mesmo motor para todos e aerodinâmica equilibrada. Rubens Barrichello, que é um bom samaritano e um dos melhores exemplos de caráter da espécie humana desde o homem de Cro-Magnon, resolve fazer “o bem para os carentes” e topa correr na categoria, onde ele recupera mais uma vez a alegria de correr.

    Há um padrão circular na vida do Rubinho.

  7. marcos star disse:

    com certeza vão deixar o chorão ganhar a corrida, e o Galvão vai se urinar quando o chorão sambar no podium.

  8. Silvio disse:

    Vamos lá Gomes. Dá pra notar que você não acompanhou a temporada de F Indy.

    Barrichello foi o melhor Rook em Indianapolis. Jean Alesi por exemplo passou vergonha.
    .
    Barrichello recebeu elogios de ninguém menos que o Chefe da equipe Andreti.
    .
    Nas três últimas etapas começou a bater o companheiro de equipe e amigo Tonny Kannan, conseguiu um 4º, 5º e uma quebra de motor na última etapa.
    .
    Tem quatro equipes da Indy querendo que ele corra por lá na próxima temporada.
    .
    O que você espera dele é que ele sente em uma Force India e seja campeão mundial, não é assim.

    • Flavio Gomes disse:

      Acompanhei. É “rookie”, não “rook”. E ele não foi o melhor “rookie” da temporada. Alesi estava com motor Lotus, não anda. O resto é bobagem.

      • @oanticritico disse:

        Nossa, Gomes, não passe vergonha…vc é jornalista, teria de se informar melhor

        Ele foi sim o melhor rookie em Indianapolis. O cara não falou da temporada, falou de Indianapolis.

        Na temporada nem teria como ser, pq não estava nem competindo (critérios estranhos, já que o Pagenaud, que já havia feito algumas corridas, competiu e ganhou)

      • Flavio Gomes disse:

        Não deveria responder a quem não tem nome. Não disse, ô paspalho, que ele não foi o melhor rookie em Indianápolis. Disse que não foi no campeonato.

      • silvio disse:

        Para o que você não tem argumentos é bobagem.
        .
        Como ele seria o melhor ROOKIE da temporada se não foi considerado rookie pela organização….

      • Flavio Gomes disse:

        Mais um débil mental. Caguei para a organização. Pegue os estreantes e veja qual foi o melhor.

  9. Só falta agora o Barrichello participar de pegas de arrancadas e demolição nos Estados Unidos.

  10. Wallace disse:

    Eu ia arrumar uma boquinha no WEC, principalmente num LMP1. Ia ser muuuiiiiito mais divertido.

  11. Fabiano Lacerda disse:

    Rubinho e Stock,tudo a ver. Só lembro da existência de ambos aqui no blog.

  12. Toni Kaesemodel disse:

    A Medley não está lá mudando muita coisa. Apenas trocando um Marcos Gomes por um chorador.

  13. Marco disse:

    Se ele esta na F1 ele é um idiota
    se ele corre de Kart ele é um idiota
    se ele vai para INdy ele é um idiota
    se ele corre na stock ele é um idiota
    se ele respira ele é um idiota

  14. Sergio Magalhães disse:

    Alô Flavio,

    Concordo com tudo o que você escreveu. E se eu fosse o Rubinho mudaria de mala e cuia para a Stock. Aposto que ele se divertirá mais que na Indy. Para quem estava acostumado com os padrões de segurança da F-1 deve ter sido um choque cultural correr em pistas como Baltimore e tantas outras aberrações que eles chamam de pistas por lá.

    A Indy é bacana pra gente que acorda, almoça, janta e dorme automobilismo, mas é muito rustica, e deu pra perceber também que Rubinho não se apaixonou pela categoria, tanto que às vésperas da última prova ele se ‘ofereceu’ à Lotus para substituir Grosjean, em Monza.

    Ainda que pese as pistas que temos, e dada as devidas proporções, na Stock Rubinho correria em cenários melhores que os da Indy e poderá ser mais feliz.

    Como fã do Rubinho que sou desde quando ele corria de kart, desde já estou torcendo por esta mudança.

    Um abraço, Flavio.

  15. keniti disse:

    Taí, provavelmente vai encontrar uma categoria em que vai ser competitivo, sem jogo de equipe, com alguma torcida a seu favor, e, ao final, será VICE campeão…

  16. Ronald Wolff disse:

    Sinceramente, tu é chato mesmo…o cara só quer é correr, pois a temporada da Indy acaba antes do ano acabar. Apesar de vc ser chato, gosto de frequentar seu blog.

  17. Mauricio Henkel disse:

    O Barrichello vai correr a Corrida do Milhão porque tá precisando só de 500 mil !!!!

  18. luiz alberto disse:

    Pelo jeito ,não se ajeitou na F1 genérica,agora vai ser patrocinado por um fabricante de genéricos.nas gaiolinhas do cunhado,Se falar mal do carro ,vai pegar mal na familia.

  19. Fabio disse:

    Falou,Barriquelete. Senta lá…

  20. Rubens Fernandes Junior disse:

    Rubens.
    Não foi , nem vai ser , Senna , Piquet, Fittipaldi, mas merece respeito , o que ele conseguiu poucos conseguiram , não tem que provar nada a ninguem, tem mais é que se divertir sem se preocupar com nada , nem com dinheiro, boa sorte.Todo meu respeito e admiração.

  21. Speed Racer da Mooca disse:

    Eu acho legal. Porquê não? Eu penso inclusive que ele já deveria ter vindo pra Stock no ano passado. É uma categoria forte no Brasil, com bom público, muitas empresas patrocinando e com boas corridas. Fixa residência de vez no Brasil, o que é legal pra esposa e filhos. Afinal, rico ele já é mesmo. Só que neguinho não pode criar grandes expectativas porquê a pilotagem é bem diferente, mais ainda que entre Indy e F1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>