TRISTE TIETÊ

SÃO PAULO (só derrota) – Não tem como deixar passar o triste, melancólico fechamento do Clube de Regatas Tietê, 105 anos. Instalado ao lado do fétido rio (que, em outros tempos, era palco de competições de natação, remo e tudo mais), a agremiação está afundada em dívidas e a Prefeitura quer de volta o terreno, cedido em forma de concessão. Promete usar as instalações para o fim a que sempre se destinaram: esporte. Espero que cumpra.

Maria Lenk e Maria Esther Bueno estão entre os grandes nomes do esporte brasileiro que já vestiram o vermelho e branco co Tietê. É uma lástima. Clubes estão acabando, nas grandes cidades, por vários motivos: especulação imobiliária (os terrenos são enormes e a sanha das construtoras, maior ainda; onde ficava o clube da Telesp vão levantar um indefensável bairro cheio de torres), má administração e, sobretudo, desinteresse das pessoas. Hoje, o deslocamento na cidade é penoso e todo prédio tem uma piscina, uma quadra e uma academia de ginástica. A pegar o carro para ir até o clube para nadar, jogar bola ou levantar uns pesos, as pessoas preferem o elevador. É mais rápido, prático e barato.

Os clubes não se “reinventaram”, como se diz. Estão todos acabando.

Comentários

  • Normal, como todo bom político, o negócio é deixar tudo quebrar e acabar aos poucos, assim, podemos vender para alguma construtora fazer algum condomínio de luxo.

    A sociedade brasileira se encaminha para a seguinte situação, torcer para um futebolzinho méquetréfe para poder tirar sarro do colega de trabalho, azarar com as bombadas de rabo grande, meter o jato quente para dentro e o resto que se dane.

    E no lugar destas coisas ai de natação o baum mérmo é condomínio de luxo.

  • Eu remei pelo Tiete.
    Acordava às 4:30hs, ia de moto até a raia da USP e treinava até às 7:00hs.
    Às vezes, íamos treinar no barco-escola, espécie de tanque com umas instalações de banco e remos para apurar a técnica e/ou para melhorar o entrosamento das equipes, lá na sede do clube.
    Lembro-me vagamente do ambiente, das construções…
    Um clube com boas instalações, ainda que pouco conservadas, bem no meio do centro de SP!
    Vai deixar saudades!

  • O clube Tietê já vinha mal de antes, mas há quatro anos ele teve a esperança de se reerguer, ao alugar seu enorme prédio social para a Faculdade Zumbi dos Palmares (vejam em http://www.znnalinha.com.br/santana/html/tiete.html). A parceria resultou em fracasso, porque segundo os diretores do clube, a faculdade ficou inadimplente com os aluguéis e outras despesas por mais de dois anos. Aí degringolou de vez. É um espaço maravilhoso, simplesmente com duas piscinas olímpicas, campo de futebol, muitas quadras de tênis… Se o projeto da prefeitura vingar (vamos cobrar isso!), vai gerar novas Maria Lenck e maria Esther Bueno. Valeu pela lembrança, FG.

  • Segundo o José Paulo de Andrade, da Radio Bandeirantes, esta decisão da prefeitura tem o dedo do clube Pinheiros. Eles desejariam mandar para o Tietê os atletas profissionais, de modo que o clube na zona oeste fique livre para os sócios…

  • As pessoas é que tem que se reinventar. Clubes significam “sociedades”, “coletividade”, coisas que se contrapõe ao individualismo reinante. Os historiadores do futuro reconhecerão os tempos atuais como a Idade Média do Capitalismo. Espero ainda estar vivo para ver algum “Renascimento”.

  • Flavio, boa tarde !

    Outro que dá tristeza de ver, é o Nacional, aquele que cedia seu Estádio para os jogos do Dente de Leite, e que passavam na TV Tupi, se não me engano. Dá pena do estado que se encontra o clube, e sendo vizinho desse novo bairro de Edificios que você mencionou, antiga Telesp, acredito que não sobreviva por muitos anos mais.

    Uma boa tarde a todos

  • Eu joguei basquete a bastante tempo atrás pelo Espéria e pelo Tietê, era uma baita rivalidade nunca me esquecerei e sempre lotava os ginásios… e o engraçado é que disputei o “clássico” pelos dois times. Após parar de jogar basquete, comecei a nadar pelo Tietê (forma que, eu adolescente, utilizava para poder frequentar o clube com meus amigos sócios). Era um clube muito bacana e tenho muitas boas lembranças de lá…. Deixará saudades! Muitas…..

  • Meu avô, que nasceu em 1910, fez parte da equipe de remo do Tietê. Minhas tinhas até tem fotos e medalhas da época.
    As fotos do pessoal nadando no rio, ou fazendo pic-nic na margem, quando olhadas hoje, são inacreditáveis.

  • Quem remaria hoje no tietê ???….Seria o mesmo que remar no canal do mangue no RJ……Só maluco faria tal sandice……Quem tem a infelicidade de cair com o carro em uma dessas duas cloacas a céu aberto, tem que se submeter a um tratamento rigoroso só pelo fato de ter contato com o esgoto com alguma água…….E Maria Lenk nadava no tietê em 1925